Como editar o dicionário do Firefox

Com frequência você pode desejar adicionar palavras, como nomes próprios, ao dicionário do Firefox — e isto pode ser feito facilmente com um clique, com o botão direito do mouse (ou touchpad) sobre a palavra a ser acrescentada, durante a digitação de um texto.
Mas… e se eu adicionar uma palavra por engano???
Neste texto, vou mostrar como proceder para editar o arquivo de palavras do dicionário do Firefox — tanto para adicionar, como para corrigir ou apagar entradas indesejadas.
Para escrever este post, usei uma máquina com o Kde Neon instalado. Nesta distro, o Dolphin é o gerenciador de arquivos padrão.
Mesmo que você use outro sistema operacional ou outro gerenciador, os arquivos se encontram no mesmo lugar. Basta prestar atenção e adequar os exemplos ao seu caso, aí.
No Linux, os arquivos de configuração do seu perfil pessoal costumam ficar ocultos, para evitar acidentes ou poluir a visão do diretório com objetos que raramente são usados.
Para poder ver a pasta .Mozilla, onde se encontram os arquivos de configuração do navegador e do cliente de email Thunderbird, ajuste o seu gestor de arquivos para exibir os arquivos ocultos:

  • No Dolphin, tecle a combinação “Alt + .” ou selecione Hidden files, no menu Exibir.
  • Em outros gestores de arquivos Linux, use a combinação de teclas “Alt + h”.

Em seguida, abra a pasta “.mozilla” e localize a subpasta “firefox”.
Dentro desta última, localize uma outra pasta com um nome estranho. No meu caso, ela se chama “02zZgjsn.default”.
Firefox arquivo do dicionário.
Agora abra o arquivo “persdict.dat”
Dentro deste arquivo, é possível inserir novas palavras, editar as existentes ou remover as que você não deseja mais ou que tenha adicionado por acidente.
Quando terminar, grave o arquivo e reinicie o Firefox.
editar arquivo persdict

Gerencie seus links e páginas preferidas com o Buku

Todo mundo precisa gerenciar seus bookmarks ou links para páginas favoritas.
Uma boa gestão das suas páginas favoritas, pode ser a diferença entre gastar tempo precioso, (re)caçando a informação nos mecanismos de busca e ir direto ao ponto.
buku gestor de favoritos e bookmarks
O Buku, a princípio tem a desvantagem de não ser portável, como os gestores online.
Contudo, tem outras vantagens, como a segurança — criptografia, possibilidade de manter backup dos atuais bookmarks de seus navegadores etc.
Desenvolvido por Arun Prakash Jana, o Buku já tem pacotes de instalação disponíveis nos repositórios de várias distribuições Linux.
No Debian, ele pode ser instalado via apt:

sudo apt update
sudo apt install buku

Após a instalação, já é possível fazer uso do aplicativo, direto no terminal.
Para adicionar um novo link, use o ‘–add’:

buku --add https://elias.praciano.com

O aplicativo pode atualizar seu banco de dados em relação aos campos dos bookmarks online.
Se a opção ‘–update’ for dada sem acompanhamento algum, todos os títulos do banco de dados são atualizados.

buku --update

O ideal é copiar o endereço da barra do navegador para a linha de comando do Buku.
Caso o endereço contenha caracteres especiais, como ‘;’ ou ‘&’, coloque-o todo entre “aspas duplas” ou ‘aspas simples’.

Criptografia e privacidade

Muitas pessoas, em caso de roubo ou acesso não autorizado, não gostariam de expôr as páginas que guardam nos favoritos.
O Buku guarda as suas informações, usando criptografia AES 256 bit.
Para ativar o dispositivo de segurança, use a opção ‘–lock’ e para destravar, use ‘–unlock’:

buku --lock
Password: 
Password: 

File encrypted

Não esqueça de destravar, quando quiser fazer uso do banco de dados novamente:

buku --unlock
Password: 
File decrypted

how to encrypt buku database

Como realizar buscas dentro do banco de dados do Buku

De acordo com a página do manual do aplicativo, a busca funciona por meios misteriosos… 😉
Use a opção ‘–sall’, para realizar uma busca por todas as páginas que contenham a palavra ‘geek’:

buku --sall geek
1. https://elias.praciano.com [1]
   > Elias Praciano - Os tutoriais do geek

2. https://coisasdogeek.com.br/doc [2]
   > Coisas do Geek | Revista Geek
Results, ranges (x-y,(a)ll) to open: 

A opção ‘–sall’ quer dizer search all, ou “busca tudo”.
Como você pôde ver, no resultado acima, é possível abrir imediatamente (no navegador padrão do seu sistema) as páginas encontradas:

  • se teclar 1, abre https://elias.praciano.com
  • se teclar 2, abre https://coisasdogeek.com.br/doc
  • se teclar a, abre todas as opções listadas, acima
  • … ou tecle Ctrl C, para cancelar

Você pode procurar por mais de uma palavra, também:

buku --sall tutoriais elias

O buku irá mostrar todas as entradas que coincidam com as 2 palavras sugeridas acima:

1. https://elias.praciano.com [1]
   > Elias Praciano - Os tutoriais do geek

Results, ranges (x-y,(a)ll) to open: 

Veja as opções de busca:

  • --sany — abreviatura para search any. Faz a busca por qualquer uma das ocorrências descritas na linha de comando.
  • --sall — faz a busca por itens no banco de dados que contenham todas todas as ocorrências.
  • --deep — procura por coincidências entre substrings, ou seja, se “aprofunda” nas palavras.
    Por exemplo, se você procurar por “suse”, ele poderá retornar conteúdo com “openSuSE”.
  • --sreg — abreviatura para search regular expression. Faz a busca por expressões regulares.
  • --stag — faz as buscas pela tag fornecida na linha de comando

Você pode usar ‘–sall’ ou ‘–sany’ para listar todas entradas, se quiser:

buku --sall ""
1. https://elias.praciano.com [1]
   > Elias Praciano - Os tutoriais do geek

2. https://coisasdogeek.com.br/doc [2]
   > Coisas do Geek | Revista Geek

3. https:www.debian.org [3]

4. https://www.debian.org [4]
   > Debian -- The Universal Operating System

Results, ranges (x-y,(a)ll) to open: ^C
Interrupted.

Como remover um entrada de endereço favorito

Os bookmarks indesejados podem ser removidos com a opção ‘–delete’, acompanhada do número do índice dela no banco de dados.
Veja um exemplo:

buku --delete 3

ou vários índices de uma só vez. No exemplo, abaixo, como remover do 3 ao 6:

buku --delete 3-6
Bookmarks from index 3 to 6 deleted

Referências

Perfil do desenvolvedor no Github: https://github.com/jarun.
Página oficial do Buku no Github: https://github.com/jarun/Buku.
https://itsfoss.com/buku-command-line-bookmark-manager-linux/

Instale a versão mais atual do navegador Opera

O Opera é, hoje, um navegador tradicional e que traz uma história repleta de novos conceitos introduzidos nesta categoria de softwares.
Nunca foi o aplicativo de acesso a Internet mais usado, porém, sempre teve, e mantém, uma comunidade de usuários fiel e bastante entusiasmada.
Vale a pena experimentá-lo e se dar a chance de saber quais os motivos deste entusiasmo.
opera speed dial screen
Neste texto, vou mostrar o processo de instalação no sistema operacional GNU/Linux Debian 9.0 “Stretch” Testing.
O procedimento é válido para o Ubuntu e outras versões do Debian.

Como instalar o Opera

Vá até o site principal do Opera: https://www.opera.com e faça o download do pacote de instalação.
Existe, para usuários Red Hat, Fedora e openSUSE um pacote RPM para instalação também.
Depois de baixado o pacote, use o dpkg para fazer a instalação.

sudo dpkg -i Downloads/opera-stable_40.0.2308.62_amd64.deb

— Nota: No meu caso, precisei instalar estes 2 pacotes antes do comando acima:

sudo apt install apt-transport-https libcurl3

Se você usa o Fedora/openSUSE, use o rpm:

rpm -ivh Downloads/opera-stable_40.0.2308.62_amd64.rpm

Está pronto para ser usado — inclusive com o corretor ortográfico em português.

As extensões do navegador Opera

Se você está prestes a conhecer o Opera agora, sugiro dar uma olhada nas extensões do navegador.
Para isso, clique no ícone do Menu, no canto superior esquerdo e selecione Extensões, Obter extensões.
extensões do opera
Usuários do Ubuntu, com a interface gráfica GNOME, podem instalar o suporte às extensões do Gnome-shell, via PPA:

sudo add-apt-repository ppa:ne0sight/chrome-gnome-shell
sudo apt-get update
sudo apt-get install chrome-gnome-shell

Depois disto, instale o suporte no site do Opera, aqui: https://addons.opera.com/pt-br/extensions/details/gnome-shell-integration/?display=en

Instale a versão mais atualizada do navegador Iceweasel (Firefox) no Debian a partir dos backports

A partir dos backports do Debian, é possível adiantar uma geração da distro para alguns pacotes de software específicos — e, assim, você pode usar uma versão mais atual do seu aplicativo favorito, sem necessariamente, fazer um upgrade de toda a distro.
Configurar o Debian para incluir um repositório de backports é muito fácil e já foi explicado aqui (dê uma olhada!).
Neste texto, vou mostrar o procedimento para baixar o Iceweasel Beta (Firefox Beta), dos backports oficiais Debian/Mozilla.
Iceweqsel official logo

Como configurar e instalar o Iceweasel Beta no Debian

A equipe de desenvolvedores Debian Mozilla disponibiliza várias versões de alguns pacotes relacionados ao Mozilla para uso nos diferentes sistemas Debian.
As instruções, que seguem, mostram como instalar a versão Iceweasel Beta (equivalente ao Firefox Beta) no Debian 8.x Jessie.
Se quiser checar, antes, a versão instalada do Iceweasel, use este comando:

iceweasel --version
Mozilla Iceweasel 38.4.0

Para dar início ao processo, adicione ao sources.list a seguinte linha: deb http://mozilla.debian.net/ jessie-backports iceweasel-beta.
Veja como:

cp /etc/apt/sources.list /etc/apt/sources.list.backup-2015-11-15 # backup para o caso de querer voltar atrás...
echo "deb http://mozilla.debian.net/ jessie-backports iceweasel-beta" >> /etc/apt/sources.list

Só pra lembrar, estes comandos precisam ser executados com privilégios administrativos.
A seguir, baixe e instale a chave pública da Mozilla Foundation:

wget http://mozilla.debian.net/pkg-mozilla-archive-keyring_1.1_all.deb
dpkg --install pkg-mozilla-archive-keyring_1.1_all.deb
gpg --check-sigs --fingerprint --keyring /etc/apt/trusted.gpg.d/pkg-mozilla-archive-keyring.gpg --keyring /usr/share/keyrings/debian-keyring.gpg pkg-mozilla-maintainers

Enfim, atualize a sua distro em relação aos repositórios e faça o upgrade do Iceweasel:

apt update
apt install -t jessie-backports iceweasel
iceweasel --version
Mozilla Iceweasel 42.0

Iceweasel help software version
Com esta atualização, você estará com o navegador Firefox Beta, instalado no seu sistema — apenas o nome e o logo são diferentes. O código é o mesmo.

Referências

Como configurar o Debian para backports: https://elias.praciano.com/2015/11/use-as-versoes-mais-novas-de-seus-programas-favoritos-com-os-backports-no-debian/
Debian Mozilla Team: http://mozilla.debian.net/.
As várias versões do Firefox: Stable, Beta, Aurora.

Google Chrome Stable, Beta e Dev. Qual deles eu devo usar?

Softwares com desenvolvimento ativo, como é o caso do navegador Google Chrome, estão sempre recebendo constantes melhorias. Por isto, costumam ser distribuídos em diferentes versões.
No caso do Chrome, ele está disponível para download na versão “normal”, beta e dev.
Neste texto, vou mostrar as diferenças entre as versões, qual a mais adequada para você e como baixar a sua versão.

  • Se você tem interesse em saber a diferença entre o Google Chrome e o Google Chromium, clique aqui.
  • Para conhecer as diferenças entre o Firefox Nightly, Firefox Aurora, Firefox Beta e Firefox Stable (ou “normal”), clique aqui.

Para começar a clarear o assunto, os desenvolvedores do Google não chamam esta diferenciação de “versões”, mas de “canais de desenvolvimento”.
Desta forma, você tem basicamente 3 canais de desenvolvimento a partir dos quais pode baixar o seu navegador Google Chrome.

Como saber a versão ou canal de desenvolvimento usado pelo meu Google Chrome?

Você pode obter a versão de desenvolvimento da sua cópia do Google Chrome, clicando sobre o ícone do menu, no canto superior direito e, em seguida, clicando em Sobre.
Menu de confuguração do Google Chrome - by Elias Praciano
Uma outra forma de chegar ao mesmo lugar é fornecendo a URL chrome://chrome/ (só funciona dentro do navegador Chrome). Veja um exemplo na imagem abaixo:
Google Chrome
No seu smartphone, as informações de versão podem ser ligeiramente diferentes.
Já nas primeiras linhas, é possível ver a versão do navegador e se ele é stable, beta ou dev.
Forneça a URL chrome://version/ no seu navegador Chrome:
Chrome-version-beta-dev

O que é Stable, Beta e Dev?

Antes de partir para a ação, é bom saber o que se vai encontrar pela frente:

  • Stable — Este canal é plenamente testado pelas equipes de desenvolvimento do Chrome OS. É a melhor opção para quem busca segurança e estabilidade para navegar na Internet e usar seus aplicativos web.
    A versão Stable é atualizada a cada 2 a 3 semanas e recebe as mudanças maiores a cada 6 semanas.
  • Beta — Este canal é voltado para quem prefere usar um navegador seguro e usufruir das novidades e dos novos recursos, adicionados pelos desenvolvedores. É atualizado a cada semana e recebe as maiores mudanças a cada 6 semanas.
    Normalmente, é o meu navegador principal no meu smartphone.
  • Dev — Este canal é para quem prefere usar os recursos mais avançados, assim que são lançados e não se importa com alguns bugs aqui ou ali.
    O ciclo de atualizações deste canal é mais curto (2 vezes por semana, em geral).

Os links para download estão ao final do artigo.

Razões para experimentar o Dev

O Google Chrome Dev é a versão em desenvolvimento, a estabilidade não é prioridade aqui — ele vai apresentar bugs e te “deixar na mão”.
Não é recomendado ter apenas este navegador instalado no seu celular, tablet ou notebook.
Isto posto, uso bastante esta versão e, na minha experiência, ele costuma funcionar muito bem e com raros erros.
Se você é desenvolvedor de aplicativos, tem um site e gostaria de testar o seu comportamento com os novos recursos do navegador do Google, ele foi feito pra você.

O app Google Chrome Dev vale a pena ser instalado se você está projetando um aplicativo ou um site para dispositivos móveis e deseja prever como eles irão rodar em dispositivos móveis.
Além disto, você poderá verificar sempre os mais novos recursos do Chrome, antes que eles sejam disponibilizados ao público geral.

O Chrome Dev está disponível para várias plataformas: Mac, Windows, Linux e ChromeOS (usado no Chromebook).
Escolha e faça seus downloads abaixo e nos conte o que achou do aplicativo na sessão de comentários.

Referências

Download do Google Chrome Stable: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.android.chrome.
Download do Google Chrome Beta: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.chrome.beta.
Download do Google Chrome Dev: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.chrome.dev.