Instale o navegador DuckDuckGo no seu celular e tenha muito mais privacidade.

O aplicativo de navegação na Internet, — ou Duckduckgo privacy browser — tem a proposta de oferecer novos padrões de confiança para seus usuários online.

O básico e o essencial da segurança online, ao fazer buscas e visitar sites na internet, são oferecidos pelo navegador, na forma de bloqueios de trackers (rastreadores), criptografia mais eficiente e um mecanismo de busca próprio.

A ideia é que a obtenção da privacidade, na Internet, seja tão simples quanto fechar as cortinas da sua casa.

Neste post vou abordar a instalação e alguns itens da configuração inicial do navegador DuckDuckGo para Android.

Não se iluda, contudo.

Atualmente, o estado da arte da privacidade só pode ser obtido ou alcançado mantendo distância dos dispositivos móveis.

Como instalar o navegador DuckDuckGo

há vários meios para obter e instalar o seu navegador seguro.

O próprio site possui a APK disponível para sistemas Android (links no final).

Se você tem a intenção de instalar a APK oficial, leia mais sobre o procedimento aqui.

Você também pode obter o app do site/F-Droid.

Configurações iniciais do DuckDuckGo.

Os itens descritos nesta seção são apenas opcionais.

Se quiser, pode começar usar o seu novo navegador sem nada disso.

Pessoalmente, gosto de instalar o widget de busca do DuckDuckGo direto na minha tela inicial.

Para isso, mantenha o dedo pressionado sobre uma área vazia da tela do seu Smartphone e selecione “Widgets”, embaixo.

Em seguida selecione o buscador do DuckDuckGo.

A minha segunda sugestão é configurar como seu navegador padrão.

Para isso, toque no botão de menu, canto superior direito do DuckDuckGo, para a lista do menu aparecer.

Em seguida, selecione “Settings”.

Agora ligue a opção “Set as default browser”.

Você será levado a uma tela de configuração do Android.

Nesta tela você deverá selecionar a opção de navegador padrão, em “App de navegador”.

Uma lista de aplicativos de navegação disponíveis no seu sistema será exibida.

Escolha o DuckDuckGo e… pronto.

Conclusão

A instalação e o uso do DuckDuckGo representa apenas um passo na direção da sua segurança e privacidade online.

Muitos outros passos precisarão ser dados, ainda.

Se você precisa se preocupar com a privacidade e a segurança em nível bem mais alto, o ideal é se afastar do celular, pelo menos nos momentos mais críticos (por exemplo, reunião com setores estratégicos da sua empresa).

Referências

Download da APK: https://github.com/duckduckgo/Android/releases

Download da Play Store: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.duckduckgo.mobile.android

Download da Apple Store: https://itunes.apple.com/us/app/duckduckgo-search-stories/id663592361?mt=8

Download da F-Droid: https://f-droid.org/packages/com.duckduckgo.mobile.android/

Como ler feeds RSS no navegador Google Chrome

Ao tentar abrir uma página, na Internet, contendo um feed RSS, usando o navegador Google Chrome ou Chromium, você vai ser apresentado a uma página exibindo código XML, sem muita utilidade para o que você quer — acompanhar os posts do site.
O navegador do Google, diferente do Firefox, pede que se instale uma extensão para leitura de feeds RSS ou Atom.

feed rss em xml
Código XML cru, no lugar da página de assinatura do feed.
Neste caso, é necessário instalar uma extensão no navegador.

Na loja de apps do Google Chrome (ou Google Web Apps) é possível encontrar vários add ons ou extensões para assinar e ler os feeds dos seus sites favoritos.
Neste post, apresento uma extensão oficial do Google. Ela pode ser obtida através do link abaixo:
https://chrome.google.com/webstore/search/rss%20subscription%20extension?hl=pt-BR&utm_source=chrome-ntp-launcher.

Como você pode ver, há outras opções a experimentar.

Em seguida ative o add on, com um clique.
google rss

Confirme a instalação.
A extensão tem como efeito imediato permitir que as páginas de feeds RSS acessadas sejam exibidas com listas de posts, em vez do código XML.
feed rss

Além disto, quando houver suporte, o ícone de inscrição no feed, ficará colorido (em laranja).
google rss reader

As páginas RSS dos sites que você gosta podem ser acessadas e assinadas (subscribed) com apenas um clique no botão RSS.

Adicione extensões para o GNOME Shell via Google Chrome

O navegador Google Chrome, pode ser usado para baixar e instalar facilmente novas extensões para o GNOME Shell.
Tudo o que você precisa fazer é integrar o navegador à interface — e isto é muito fácil!

Para fazer a configuração, basta dar 3 cliques.
Comece por acessar a página oficial de extensões do GNOME: https://extensions.gnome.org/.

Quando a extensão do navegador não se encontra instalada, a seguinte mensagem é exibida (em inglês: “To control GNOME Shell extensions using this site you must install GNOME Shell integration that consists of two parts: browser extension and native host messaging application.
Click here to install browser extension. See wiki page for native host connector installation instructions.”
.

Em uma tradução livre: “Para controlar o GNOME Shell extensions, usando este site, é necessário clicar aqui para instalar a extensão do navegador… ”

Veja, na imagem abaixo, aonde você tem que clicar.
gnome shell extension para chrome

Após clicar no link, o Google Chrome irá levá-lo ao painel da loja de apps do navegador, aonde você precisa confirmar a instalação.
gnome shell extension google chrome

chrome extension install confirm

Feita a confirmação, o Chrome prosseguirá com a instalação.
Quando estiver pronto, ele avisa, com a seguinte tela:
google chrome confirmation

Agora retorne ao site de instalação de extensões do GNOME: https://extensions.gnome.org/.

Se tudo correu bem, as extensões já poderão ser vistas e ativadas/desativadas.

Possíveis erros

Embora eu tenha me referido ao Google Chrome no decorrer do texto, na verdade, fiz todos os meus testes dentro do Google Chromiumque é “um pouquinho diferente”.
Deu tudo certo, aqui.

Eventualmente, pode haver uma tela com uma mensagem de erro, como a que é exibida abaixo.
erro google chrome

Neste caso, sugiro clicar no link dado, para verificar se você está com tudo pronto para receber a extensão no seu sistema.
Em geral, você pode resolver o problema com a instalação de um pacote extra na sua distro Linux.
Para isto, abra um terminal e execute o gerenciador de pacotes da sua distribuição (apt, dnf, yum etc.)
No Debian ou no Ubuntu, use o apt, assim:


sudo apt install chrome-gnome-shell

Pode ser necessário reiniciar o seu navegador, para ver os efeitos do procedimento.
Boa sorte! 😉

Como baixar e instalar uma versão mais atual do Firefox no Linux

O Debian tem, por política, a segurança e a estabilidade como prioridades.
Por isto é que não é a melhor distribuição para quem deseja usar as versões mais atualizadas de seus softwares preferidos.

O Debian é uma ótima distro para ter instalada em um computador de trabalho, em que a estabilidade do sistema é prioridade.
Se, a partir daí, você precisa instalar um ou outro aplicativo específico mais atualizado, a solução ideal é configurar os backports.
Através deste recurso, é possível instalar uma versão mais nova do Firefox, de maneira simples e limpa — veja como, no artigo Instale a versão mais atualizada do Firefox a partir dos backports.

Mesmo o Debian “testing” usa uma versão stable do Firefox (usualmente, o Firefox-ESR).
Infelizmente, para instalar as edições beta ou nightly do Firefox, os backports são insuficientes — principalmente no “testing”.
Para estes casos, use as soluções que seguem.
Não esqueça de conferir também este outro método de instalação através dos repositórios oficiais.

Download e instalação do Firefox direto do site da Mozilla

Faça o download da versão que você deseja direto do site da Mozilla — veja os links de download ao final do artigo, na sessão de Referências.
Em seguida, descompacte o arquivo baixado, dentro do diretório /opt, de acordo com o exemplo abaixo:


sudo tar xvjf ~/Downloads/firefox-57.0.4.tar.bz2

Não esqueça de alterar o meu exemplo, para contemplar o nome correto do seu arquivo, aí.
Com isto já será possível rodar o programa. Se você o instalou em /opt/firefox, pode executá-lo assim:


/opt/firefox/firefox

Se quiser executar o navegador digitando somente o seu nome, na CLI, será necessário criar um link simbólico (symlink) para o executável, em /usr/local/bin. Veja o meu exemplo:


sudo ln -s /opt/firefox/firefox-bin /usr/local/bin/firefox

# agora, execute o firefox:
firefox 

Para tornar o Firefox o navegador padrão do sistema, é possível fazer a seleção de dentro do navegador ou na CLI.
No segundo caso, se ainda estiver com o terminal aberto, rode o seguinte comando:


/opt/firefox/firefox-bin --setDefaultBrowser

# ou apenas
firefox --setDefaultBrowser

Por último, para fazer o programa aparecer no Dash do GNOME, quando pressionada a tecla Super, crie um arquivo .desktop em ~/.local/share/applications/:


gedit ~/.local/share/applications/firefox.desktop

Copie o seguinte conteúdo para dentro do arquivo, grave e saia do editor.

[Desktop Entry]
Name=Firefox
Comment=Navegador Mozilla Firefox
GenericName=Firefox 
X-GNOME-FullName=Firefox 
Exec=/opt/firefox/firefox-bin %u
Terminal=false
X-MultipleArgs=false
Type=Application
Icon=/opt/firefox/browser/icons/mozicon128.png
Categories=Network;WebBrowser;
MimeType=text/html;text/xml;application/xhtml+xml;application/xml;application/vnd.mozilla.xul+xml;application/rss+xml;application/rdf+xml;image/gif;image/jpeg;image/png;x-scheme-handler/http;x-scheme-handler/https;
StartupWMClass=Firefox
StartupNotify=true

firefox no dash do GNOME

Pode ser necessário reiniciar o GNOME ou a sessão atual para poder ver os resultados acima.
Se quiser, é possível arrastar o ícone do Firefox para a doca do GNOME.

Referencias

Firefox Stable: https://www.mozilla.org/en-US/firefox/.

Firefox Beta: https://www.mozilla.org/en-US/firefox/channel/desktop/#beta.

Firefox Nightly: https://www.mozilla.org/en-US/firefox/channel/desktop/#nightly.

Diferenças entre as versões Stable, Beta, Nightly e ESR do Firefox: https://coisasdogeek.com.br/doc/2016/08/16/firefox-stable-beta-aurora-nightly-ou-esr-qual-a-melhor-versao-do-navegador-para-voce/.

https://wiki.debian.org/Firefox.

Como editar o dicionário do Firefox

Com frequência você pode desejar adicionar palavras, como nomes próprios, ao dicionário do Firefox — e isto pode ser feito facilmente com um clique, com o botão direito do mouse (ou touchpad) sobre a palavra a ser acrescentada, durante a digitação de um texto.
Mas… e se eu adicionar uma palavra por engano???
Neste texto, vou mostrar como proceder para editar o arquivo de palavras do dicionário do Firefox — tanto para adicionar, como para corrigir ou apagar entradas indesejadas.
Para escrever este post, usei uma máquina com o Kde Neon instalado. Nesta distro, o Dolphin é o gerenciador de arquivos padrão.
Mesmo que você use outro sistema operacional ou outro gerenciador, os arquivos se encontram no mesmo lugar. Basta prestar atenção e adequar os exemplos ao seu caso, aí.
No Linux, os arquivos de configuração do seu perfil pessoal costumam ficar ocultos, para evitar acidentes ou poluir a visão do diretório com objetos que raramente são usados.
Para poder ver a pasta .Mozilla, onde se encontram os arquivos de configuração do navegador e do cliente de email Thunderbird, ajuste o seu gestor de arquivos para exibir os arquivos ocultos:

  • No Dolphin, tecle a combinação “Alt + .” ou selecione Hidden files, no menu Exibir.
  • Em outros gestores de arquivos Linux, use a combinação de teclas “Alt + h”.

Em seguida, abra a pasta “.mozilla” e localize a subpasta “firefox”.
Dentro desta última, localize uma outra pasta com um nome estranho. No meu caso, ela se chama “02zZgjsn.default”.
Firefox arquivo do dicionário.
Agora abra o arquivo “persdict.dat”
Dentro deste arquivo, é possível inserir novas palavras, editar as existentes ou remover as que você não deseja mais ou que tenha adicionado por acidente.
Quando terminar, grave o arquivo e reinicie o Firefox.
editar arquivo persdict