Baixe e instale o novo Firefox Nightly no Linux.

Sempre que a Mozilla disponibiliza uma nova versão do Firefox, a tendência é que a sua distro Linux, seja qual for, a incorpore automaticamente na sua próxima atualização.
Para verificar a versão atual do seu Firefox, clique em Ajuda/Sobre o Firefox ou Help/About Firefox:
about firefox nightly
Se você estiver sempre atualizando o seu sistema e não tiver pressa, em alguns dias, a nova versão do navegador já estará sendo automaticamente instalada em seu sistema pela atualização normal — mais um motivo para manter tudo atualizado.
Neste post, vamos falar da versão nightly ou noturna do navegador Firefox.
Ela tem este nome por que é resultado de todo o trabalho feito durante o dia, pelos desenvolvedores.
Teoricamente, no fim de cada expediente, o sistema é empacotado e disponibilizado para quem quiser testar.

O que é o Firefox Nightly?

Este artigo é para quem “gosta de viver no limite” — seja no Linux, no Android ou qualquer outra plataforma.
Conheça as diferenças entre as versões do Firefox: Stable, Aurora e Nightly
A versão Nightly de um software costuma ser a sua última versão disponível, ou seja, a mais atual.
Costuma incorporar os últimos avanços implementados pelos desenvolvedores. Estes recursos, poderão (ou não) estar presentes na próxima versão estável do aplicativo, uma vez que se trata de uma versão de testes.
E é importantíssimo que eu diga, aqui, não espere estabilidade da versão Nightly do Firefox

  1. Não use para fazer coisas sérias, para trabalhar etc.
  2. Não é recomendado usá-lo em máquinas de produção.
  3. Sim, você pode usar outras versões, junto, no mesmo computador: a nightly convive bem com as outras versões mais estáveis.

Quero enfatizar que esta versão pode funcionar bem em alguns dias e em outros não.
Quando não funcionar, tudo o que você pode fazer, é esperar pela versão do dia seguinte.

Você foi avisado. Siga por sua própria conta e risco.
firefox nightly background

Como baixar e instalar o Firefox Nightly

Você pode baixar a sua versão do navegador Firefox neste site: http://nightly.mozilla.org/.
Escolha a versão mais adequada à sua plataforma (sistema operacional).
O Nightly tem edições para Windows, Linux, Android etc. Este post se baseia na instalação da versão para Linux 64 bits — portanto, se sua plataforma for outra, adeque os procedimentos descritos às especifidades da sua situação.
O arquivo baixado terá um nome semelhante a firefox-XX.0a1.en-US.linux-x86_64.tar.bz2.
Abra um terminal (no Ubuntu, use Ctrl + Alt + T) e vá para o diretório onde o pacote de instalação foi baixado.
Descompacte o arquivo e entre no diretório criado:

tar xvvjf firefox-49.0a1.en-US.linux-x86_64.tar.bz2
cd firefox

Antes de executar o binário do Firefox, feche qualquer outra versão do navegador que estiver aberta no seu sistema… e boa sorte!

./firefox

Se, mais tarde, quiser remover o programa, basta apagar o diretório que foi criado.

O que esperar da versão nightly do Firefox

Você pode esperar qualquer coisa da nightly build ou development edition de qualquer software — inclusive nada, ou seja, que ele simplesmente nem funcione.
Se este for o caso, faça o download no dia seguinte — as atualizações saem a cada 24h.
Nesta fase do desenvolvimento o aplicativo recebe atualizações diárias e o que não funcionou num dia ou funcionou mal, pode funcionar linda e maravilhosamente no outro — é prudente não ser otimista.
Se isto te incomoda, software em desenvolvimento não é para você.
firefox nightly sreenshot

Motivos para usar a versão nightly

Há basicamente 2 motivos para usar softwares alfa, beta ou nightly:

  1. Conhecer e testar as novidades antes de todos os seus amigos e colegas.
  2. Ajudar os desenvolvedores a melhorar os aplicativos que você gosta — no caso do Firefox, ele envia aos desenvolvedores informações sobre o seu uso e possíveis crashes para que possam melhorar o produto.

O que fazer depois de instalar o Firefox Nightly

Instale os add on do Nightly Tester Tools:
Encontre a ferramenta aqui: https://addons.mozilla.org/en-US/firefox/addon/nightly-tester-tools/.
screenshot firefox nightly tools
Portanto, se baixar o espírito aventureiro e quiser experimentar, sinta-se à vontade para compartilhar a sua experiência nos comentários e dizer o que achou.

Experimente o novo Ubuntu Xenial Xerus 16.04 LTS

O Ubuntu 16.04 já está disponível para download e você já pode experimentar a próxima versão estável do seu sistema operacional preferido — Sim! Ele é LTS!
(veja link de download ao final do texto)
Ubuntu 16.04 LTS screenshot
Dentro do objetivo de usar as redes sociais (e escrever este post), o Ubuntu 16.04 não revelou problemas de instabilidade.
No momento em que o usei, o suporte ao idioma português (Brasil) ou PT-Br não estava 100% completo — compreensível e esperado nesta fase do projeto e em uma distro live.
Portanto, fiquei por conta do corretor nativo do Firefox, enquanto escrevia este texto.
Como se trata de uma daily version, os problemas encontrados hoje, podem estar perfeitamente corrigidos amanhã — se quiser continuar usando, é importante manter o seu sistema atualizado.
Ubuntu 16.04 screenshot details

Como é uma versão LTS, o Xenial Xerus terá suporte prolongado de 5 anos, com direito a atualizações de software, de segurança e correções de erros — além de habilitação a novos componentes de hardware que surjam neste período.

Desempenho e instalação

Ubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus captura de tela screenshot
A prometida otimização do Unity 7 fez valer todos os recursos do hardware antigo, presente no meu notebook de testes — um Toshiba Satellite A200, com 2 Gb de memória RAM e um processador Intel Core 2 Duo T8300 (64bit), rodando a 2.4GHz.
Acrescente-se que o teste foi feito de um pendrive (a máquina não possui HD nem SSD).
Nestas condições, não deu para esperar um bom desempenho ao executar aplicações mais pesadas — e nem me arrisquei, com medo de perder parte do meu trabalho… 😉

Sob o ponto de vista do desempenho, a surpresa não poderia ter sido melhor.
A máquina de testes tem aproximadamente 8 anos de idade e o Ubuntu esta rodando de um flash drive.
Os desenvolvedores estão fazendo um bom trabalho, sem dúvida!

Já que não não me aventurei com aplicativos mais pesados, me dei por satisfeito em poder executar o navegador e abrir varias abas e janelas e executar alguns aplicativos básicos — de configuração e de captura de telas.
Os bons resultados que estão sendo alcançados pelas equipes de desenvolvimento da Canonical são reflexo e consequência da sua integração com as equipes do Debian, que também estão fazendo um trabalho primoroso, do seu lado.
A instalação no pendrive seguiu os passos relatados neste artigo, caso você queira obter mais detalhes.
Depois do Download, portanto, eu logo já estava com o sistema pronto para testar.

Calendário do desenvolvimento do Ubuntu 16.04

Ubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus screenshot
A versão em analise, neste texto, é “pre alpha” — sob hipótese alguma deve ser instalada em ambiente de trabalho ou de produção.
O que mais se pode esperar em uma versão de desenvolvimento é que tenha um comportamento errático e que dê (muitos) problemas.
Usar versões Alpha e Beta dos seus softwares preferidos é uma excelente forma de ajudar as equipes de desenvolvimento — para isto, deixe ligados todos as opções para enviar feedback aos programadores sobre o comportamento do seu sistema.
Ate a data prevista para lançamento da versão final do Xenial Xerus, 21 de Abril, há muito trabalho a ser feito.
O calendário prevê, 2 versões Alpha, 2 Beta e um release candidate. Veja as datas de lançamento:

  • Alpha 1 – 31 de Dezembro de 2015.
  • Alpha 2 – 28 de Janeiro de 2016.
  • Feature Freeze — 18 de Fevereiro de 2016 — a partir desta fase os desenvolvedores param de adicionar recursos ao sistema.
  • Beta 1 – 15 de Fevereiro de 2016.
  • UI Freeze — 10 de Marco de 2016 — a partir desta fase os desenvolvedores param de incluir recursos na interface gráfica, ou User Interface (UI).
  • Beta Final– 24 de Marco de 2016.
  • Kernel Freeze — 07 de Abril de 2016 — a partir desta fase os desenvolvedores param de introduzir mudanças no kernel.
  • Release Candidate – 14 de Abril de 2016
  • Ubuntu 16.04 LTS Final – 21 de Abril de 2016 — Data prevista para lançamento do produto.

Ubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus – o X da questão

Esquilo terrestre africano Xerus Inauris
A versão anterior do Ubuntu (15.10 Wily Werewolf) fazia referência a um simpático animal, cujo nome começa com `W` —
A letra subsequente é o `X`.

`Xenial` é um adjetivo, cujo significado é hospitaleiro, amigável — friendly.
`Xerus`, é o nome de uma espécie de esquilo africano.

Os Xerus são esquilos terrestres (que não vivem nas árvores) africanos. São das criaturas mais sociáveis que habitam a África do Sul, em relação a seus vizinhos.
Enquanto muitos mamíferos têm natureza competitiva (e, por vezes, sangrenta), os Xerus sempre preferem a colaboração e a cooperação — mesmo entre espécies diferentes.
Outra razão pela qual o `X` é importante nesta versão do Ubuntu é que esta será a última versão a vir com o servidor X instalado.
A partir da próxima versão do Ubuntu, a Canonical irá empacotar o seu próprio servidor, o Mir, junto com o Unity 8.

Referências

Onde fazer o download do Ubuntu 16.04 LTS Daily (versão de desenvolvimento): http://cdimage.ubuntu.com/daily-live/current/.
Como instalar no pendrive: https://elias.praciano.com/2015/11/como-instalar-o-linux-em-um-pendrive-com-o-comando-dd/.

Instale a versão mais atualizada do navegador Iceweasel (Firefox) no Debian a partir dos backports

A partir dos backports do Debian, é possível adiantar uma geração da distro para alguns pacotes de software específicos — e, assim, você pode usar uma versão mais atual do seu aplicativo favorito, sem necessariamente, fazer um upgrade de toda a distro.
Configurar o Debian para incluir um repositório de backports é muito fácil e já foi explicado aqui (dê uma olhada!).
Neste texto, vou mostrar o procedimento para baixar o Iceweasel Beta (Firefox Beta), dos backports oficiais Debian/Mozilla.
Iceweqsel official logo

Como configurar e instalar o Iceweasel Beta no Debian

A equipe de desenvolvedores Debian Mozilla disponibiliza várias versões de alguns pacotes relacionados ao Mozilla para uso nos diferentes sistemas Debian.
As instruções, que seguem, mostram como instalar a versão Iceweasel Beta (equivalente ao Firefox Beta) no Debian 8.x Jessie.
Se quiser checar, antes, a versão instalada do Iceweasel, use este comando:

iceweasel --version
Mozilla Iceweasel 38.4.0

Para dar início ao processo, adicione ao sources.list a seguinte linha: deb http://mozilla.debian.net/ jessie-backports iceweasel-beta.
Veja como:

cp /etc/apt/sources.list /etc/apt/sources.list.backup-2015-11-15 # backup para o caso de querer voltar atrás...
echo "deb http://mozilla.debian.net/ jessie-backports iceweasel-beta" >> /etc/apt/sources.list

Só pra lembrar, estes comandos precisam ser executados com privilégios administrativos.
A seguir, baixe e instale a chave pública da Mozilla Foundation:

wget http://mozilla.debian.net/pkg-mozilla-archive-keyring_1.1_all.deb
dpkg --install pkg-mozilla-archive-keyring_1.1_all.deb
gpg --check-sigs --fingerprint --keyring /etc/apt/trusted.gpg.d/pkg-mozilla-archive-keyring.gpg --keyring /usr/share/keyrings/debian-keyring.gpg pkg-mozilla-maintainers

Enfim, atualize a sua distro em relação aos repositórios e faça o upgrade do Iceweasel:

apt update
apt install -t jessie-backports iceweasel
iceweasel --version
Mozilla Iceweasel 42.0

Iceweasel help software version
Com esta atualização, você estará com o navegador Firefox Beta, instalado no seu sistema — apenas o nome e o logo são diferentes. O código é o mesmo.

Referências

Como configurar o Debian para backports: https://elias.praciano.com/2015/11/use-as-versoes-mais-novas-de-seus-programas-favoritos-com-os-backports-no-debian/
Debian Mozilla Team: http://mozilla.debian.net/.
As várias versões do Firefox: Stable, Beta, Aurora.

Google Chrome Stable, Beta e Dev. Qual deles eu devo usar?

Softwares com desenvolvimento ativo, como é o caso do navegador Google Chrome, estão sempre recebendo constantes melhorias. Por isto, costumam ser distribuídos em diferentes versões.
No caso do Chrome, ele está disponível para download na versão “normal”, beta e dev.
Neste texto, vou mostrar as diferenças entre as versões, qual a mais adequada para você e como baixar a sua versão.

  • Se você tem interesse em saber a diferença entre o Google Chrome e o Google Chromium, clique aqui.
  • Para conhecer as diferenças entre o Firefox Nightly, Firefox Aurora, Firefox Beta e Firefox Stable (ou “normal”), clique aqui.

Para começar a clarear o assunto, os desenvolvedores do Google não chamam esta diferenciação de “versões”, mas de “canais de desenvolvimento”.
Desta forma, você tem basicamente 3 canais de desenvolvimento a partir dos quais pode baixar o seu navegador Google Chrome.

Como saber a versão ou canal de desenvolvimento usado pelo meu Google Chrome?

Você pode obter a versão de desenvolvimento da sua cópia do Google Chrome, clicando sobre o ícone do menu, no canto superior direito e, em seguida, clicando em Sobre.
Menu de confuguração do Google Chrome - by Elias Praciano
Uma outra forma de chegar ao mesmo lugar é fornecendo a URL chrome://chrome/ (só funciona dentro do navegador Chrome). Veja um exemplo na imagem abaixo:
Google Chrome
No seu smartphone, as informações de versão podem ser ligeiramente diferentes.
Já nas primeiras linhas, é possível ver a versão do navegador e se ele é stable, beta ou dev.
Forneça a URL chrome://version/ no seu navegador Chrome:
Chrome-version-beta-dev

O que é Stable, Beta e Dev?

Antes de partir para a ação, é bom saber o que se vai encontrar pela frente:

  • Stable — Este canal é plenamente testado pelas equipes de desenvolvimento do Chrome OS. É a melhor opção para quem busca segurança e estabilidade para navegar na Internet e usar seus aplicativos web.
    A versão Stable é atualizada a cada 2 a 3 semanas e recebe as mudanças maiores a cada 6 semanas.
  • Beta — Este canal é voltado para quem prefere usar um navegador seguro e usufruir das novidades e dos novos recursos, adicionados pelos desenvolvedores. É atualizado a cada semana e recebe as maiores mudanças a cada 6 semanas.
    Normalmente, é o meu navegador principal no meu smartphone.
  • Dev — Este canal é para quem prefere usar os recursos mais avançados, assim que são lançados e não se importa com alguns bugs aqui ou ali.
    O ciclo de atualizações deste canal é mais curto (2 vezes por semana, em geral).

Os links para download estão ao final do artigo.

Razões para experimentar o Dev

O Google Chrome Dev é a versão em desenvolvimento, a estabilidade não é prioridade aqui — ele vai apresentar bugs e te “deixar na mão”.
Não é recomendado ter apenas este navegador instalado no seu celular, tablet ou notebook.
Isto posto, uso bastante esta versão e, na minha experiência, ele costuma funcionar muito bem e com raros erros.
Se você é desenvolvedor de aplicativos, tem um site e gostaria de testar o seu comportamento com os novos recursos do navegador do Google, ele foi feito pra você.

O app Google Chrome Dev vale a pena ser instalado se você está projetando um aplicativo ou um site para dispositivos móveis e deseja prever como eles irão rodar em dispositivos móveis.
Além disto, você poderá verificar sempre os mais novos recursos do Chrome, antes que eles sejam disponibilizados ao público geral.

O Chrome Dev está disponível para várias plataformas: Mac, Windows, Linux e ChromeOS (usado no Chromebook).
Escolha e faça seus downloads abaixo e nos conte o que achou do aplicativo na sessão de comentários.

Referências

Download do Google Chrome Stable: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.android.chrome.
Download do Google Chrome Beta: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.chrome.beta.
Download do Google Chrome Dev: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.chrome.dev.

Qual Ubuntu escolher?

O Ubuntu é um sistema operacional, de código aberto, com mais de 20 milhões de usuários, ao redor do mundo.
Ao acessar o site de download do Ubuntu no Brasil ou o site internacional, uma versão do Ubuntu é apresentada por padrão. Mas, será que ela é a mais indicada para você?
qual ubuntu escolher
Este texto é orientado a ajudar as pessoas escolher a versão mais adequada do Ubuntu para instalar.

Qual o melhor Ubuntu para máquinas mais antigas?

A cada 6 meses, uma versão nova do Ubuntu é lançada – tradicionalmente, nos meses de Abril e Outubro. Desta forma, você sempre tem uma versão atualizada para instalar e usar.
Não importa se sua máquina é nova ou velha — instale sempre a versão mais atual do Linux. As versões atualizadas vem sempre com correções de erros e melhorias pro seu hardware. Se a sua máquina for antiga, há uma probabilidade crescente de ela ser contemplada com uma maior quantidade de melhorias e correções de erros conhecidos.
Se você acredita que os recursos visuais das novas versões tornam a máquina mais lenta, há meios para desligá-los. Não faz sentido optar por uma versão velha e ultrapassada do Linux.
Se a sua máquina tem recursos muito restritos, então você talvez deva considerar instalar outra distro Linux ou uma das variações do Ubuntu para máquinas com recursos limitados — mas siga a regra: opte sempre pela mais atual.

O que é Ubuntu LTS?

LTS, em inglês, quer dizer Long Term Support — “suporte prolongado“, em português.
Para quem usa um computador em produção, para trabalho e necessita de mais estabilidade e confiabilidade, há as versões LTS do Ubuntu, nas quais a Canonical refreia seu ímpeto para empacotar os softwares mais novos e que ainda não foram suficientemente testados.
As versões LTS são voltadas ao público corporativo, profissionais liberais ou qualquer outra pessoa que precise privilegiar a estabilidade e a confiabilidade.
A Canonical tem atualizado as versões LTS a cada 2 anos. Cada uma delas tem 5 anos de tempo de suporte. Ou seja, A LTS mais estável, hoje, é a 12.04 — com suporte previsto até 2017.
Desta forma, sempre haverá 2 LTS disponíveis: uma estável e outra mais estável ainda.
Se você acha que a estabilidade não é tão importante e prefere ter os programas mais atualizados instalados em sua máquina, vá para a versão mais nova que houver disponível no site, independente de ser LTS ou não.
Em ambiente de produção, a versão LTS mais estável é a mais recomendada.
Aqui a regra sobre optar pela mais atual deve ser quebrada, caso você tenha uma necessidade maior de estabilidade. Pela lógica, a versão LTS anterior (no caso, a 12.04) tem mais tempo de estrada que a 14.04 — e, portanto, é a opção recomendada.

Ubuntu Alpha e Beta

Estas versões são o oposto das LTS: são versões de teste, que usam as últimas versões dos softwares disponíveis e com muito pouca estabilidade.
Se você tiver mais de um computador, pode separar uma máquina exclusiva para testes — e, nela, pode experimentar a versão Beta ou Alpha do Ubuntu.
As versões Alpha precedem as Beta e são, portanto, mais instáveis.

Por que eu deveria instalar Ubuntu Alpha ou Beta?

Em primeiro lugar, você não deve instalar software beta em máquinas de produção. Neste estágio, os programas ainda são muito instáveis e podem atrapalhar mais do que ajudar.
Há basicamente 2 motivos para instalar versões de teste de softwares:

  • Conhecer o que há de mais novo no desenvolvimento daquele software. Quando a versão estável for lançada, você já terá mais intimidade com ele do que a maioria das pessoas;
  • Ajudar no desenvolvimento — os beta-testers são muito bem vindos na comunidade Ubuntu. Uma das melhores maneiras de ajudar a sua distro favorita é usar sua versão beta e dar retorno sobre o que achou, como funcionou, os problemas que teve etc.
    Alguns projetos dão créditos aos seus beta-testers mais ativos.

Ubuntu 32-bit ou 64-bit?

A versão 32-bit é a escolha mais segura para quem tem máquina com recursos limitados.
Os desenvolvedores já portaram seus softwares ou os tem reescrito para o ambiente 64-bit — que aproveita muito melhor a capacidade e os recursos de seu hardware.
Se o seu sistema de hardware é 64-bit e você não tiver algum “motivo especial” para usar uma versão 32-bit, vá de 64-bit.

Ubuntu, Kubuntu, Xubuntu ou Lubuntu

A relação de derivados ou spins do Ubuntu é bem grande.
Como é impossível um único sistema operacional satisfazer a toda a sua base de usuários, desenvolvedores criam customizações a partir da distro original, para atender a usuários com necessidades diferenciadas.
O assunto merece um post exclusivo — por isto, vou procurar ser o mais sucinto possível aqui.
Instalar uma distro Linux em um pendrive, para testar, é sempre um bom ponto de partida, para começar a conhecer as opções que você tem.
Tanto o Ubuntu quanto o Kubuntu são opções com bastante recursos visuais. O ambiente gráfico do Ubuntu usa o Unity, que tem uma concepção bem moderna e que se integra bem a dispositivos com tela de toque.

LEIA MAIS:

O Xubuntu e o Lubuntu são voltadas para quem prefere mais simplicidade, menos recursos visuais e um ambiente mais rápido e ágil. São ótimas para quem tem uma máquina mais antiga ou para quem usa netbooks.
Espero ter conseguido demonstrar as qualidades e as diversas possibilidades do Ubuntu. Se você tiver alguma dica ou experiência pessoal, sinta-se à vontade para compartilhar com a gente, nos comentários.