Mudanças cosméticas para fazer após instalar o Ubuntu 18.04

Segue minhas sugestões de ajustes na interface, para fazer logo após a instalação do Ubuntu 18.04 LTS, ou Bionic Beaver para os íntimos.
Pode parecer bobagem, mas há certos aspectos visuais do sistema operacional que podem facilitar muito a nossa vida.

O Bionic Beaver representa uma nova fase do sistema operacional da Canonical — que passou a usar o GNOME, como o seu principal ambiente desktop.
Justamente por usar um ambiente mais maduro e bem estabelecido (desde 1999), várias possibilidades se tornaram concretas para usuários mais exigentes.
Em resumo, dá para configurar e ajustar muita coisa aqui.

Neste texto, vou abordar o GNOME, como interface gráfica específica do Ubuntu. Se você tiver interesse, leia sobre as primeiras configurações do GNOME no Debian — um texto mais aberto/genérico.

Altere o papel de parede do Ubuntu

Vamos começar pelas coisas mais simples e banais. 😉
Toque com o botão direito do mouse sobre uma área vazia da área de trabalho e selecione “Alterar plano de fundo”.
ubuntu desktop wallpaper

A seguir, escolha o plano de fundo principal do sistema e plano de fundo da tela de autenticação.
ubuntu papel de parede

Configure a barra lateral (doca) do Ubuntu

Ainda dentro da janela de configurações, logo abaixo da aba “Plano de fundo”, clique/toque na aba “Doca” (veja a imagem abaixo).
ubuntu doca configuração

Destas 3 opções, gosto de ajustar as duas primeiras:

  1. “Ocultar Doca Automaticamente” — para ter mais espaço na área de trabalho, para visualizar suas imagens, editar seu código ou texto etc.
  2. “Tamanho do ícone” — para mim o tamanho ideal varia entre 32 e 36.
  3. “Posição no ecrã (na tela)” — Neste caso, mantenho o padrão à esquerda (left).

Notificações e privacidade

Logo abaixo da aba “Doca”, selecione “Notificações”.
Neste caso, eu costumo desligar a opção de “Notificações na tela de bloqueio”, para ter mais privacidade quando me afasto do laptop.
ubuntu notificações

Ajuste do som de notificação de erro

Na seção “Som”, dentro da aba “Efeitos de som”, prefiro usar, dentre as opções disponíveis, o som “Copo”.
ubuntu configurações de som e áudio.

Aumentar o volume do áudio além dos 100% pode resultar em danos ao hardware e perda na qualidade do som. Se você está insatisfeito com volume dos alto-falantes do seu laptop, usar um speaker, uma caixa de som externa ou fones de ouvido pode ser uma solução mais eficiente.

Se preferir personalizar mais ainda este item, leia Altere o som de alerta padrão do GNOME.

Configure o brilho padrão da tela do seu monitor

Mais abaixo, na aba lateral “Energia”, é possível selecionar o brilho padrão da tela do seu laptop, entre outros itens de economia de energia.
Eu uso muito o meu laptop ligado na tomada, portanto, as opções retratadas na imagem, abaixo, podem não ser as ideais para você.
ajuste do brilho do monitor no Ubuntu GNOME

Monitores e luz noturna

Se você tiver mais de um monitor, o Linux já deve ter reconhecido ambos e ajustado a tela para eles.
Caso isto não tenha ocorrido, vá para a aba lateral “Monitores” e faça os ajustes que julgar necessários.

O ajuste de luz noturna, do GNOME, é um recurso que pode trazer mais conforto para os seus olhos — principalmente se precisar usar o computador à noite.
ubuntu monitores

Ele “aquece” gradativamente as cores da tela, à medida em que vai entardecendo, com o por do sol.

O ajuste reduz a emissão de luz azul, o que pode preservar o seu sono e diminuir o cansaço, entre outros benefícios.
Ajuste da luz noturna no Ubuntu.

Se você não trabalha com edição de imagens fotográficas à noite, vale a pena experimentar o recurso.
A tela é autoexplicativa mas, se você tiver mais dúvidas, abordei o assunto com maior profundidade aqui.

Configurações do perfil do usuário

Lá na tela de autenticação, gosto de ter a minha foto ou uma imagem personalizada para me identificar — mesmo sendo a única pessoa a usar o meu laptop de trabalho.
Ainda dentro do painel de configurações, selecione a aba lateral “Detalhes” e, em seguida, “Usuários”.
Este painel de configuração permite adicionar novos usuários ao seu sistema e, entre outras coisas, trocar senhas e escolher uma imagem de identificação de cada usuário.
configurações de usuário

Alguns ajustes do painel podem requerer que se faça o desbloqueio, no canto superior direito da janela.

Quais são as configurações visuais que você costuma fazer, logo após a instalação do Ubuntu? 😉

Adicione extensões para o GNOME Shell via Google Chrome

O navegador Google Chrome, pode ser usado para baixar e instalar facilmente novas extensões para o GNOME Shell.
Tudo o que você precisa fazer é integrar o navegador à interface — e isto é muito fácil!

Para fazer a configuração, basta dar 3 cliques.
Comece por acessar a página oficial de extensões do GNOME: https://extensions.gnome.org/.

Quando a extensão do navegador não se encontra instalada, a seguinte mensagem é exibida (em inglês: “To control GNOME Shell extensions using this site you must install GNOME Shell integration that consists of two parts: browser extension and native host messaging application.
Click here to install browser extension. See wiki page for native host connector installation instructions.”
.

Em uma tradução livre: “Para controlar o GNOME Shell extensions, usando este site, é necessário clicar aqui para instalar a extensão do navegador… ”

Veja, na imagem abaixo, aonde você tem que clicar.
gnome shell extension para chrome

Após clicar no link, o Google Chrome irá levá-lo ao painel da loja de apps do navegador, aonde você precisa confirmar a instalação.
gnome shell extension google chrome

chrome extension install confirm

Feita a confirmação, o Chrome prosseguirá com a instalação.
Quando estiver pronto, ele avisa, com a seguinte tela:
google chrome confirmation

Agora retorne ao site de instalação de extensões do GNOME: https://extensions.gnome.org/.

Se tudo correu bem, as extensões já poderão ser vistas e ativadas/desativadas.

Possíveis erros

Embora eu tenha me referido ao Google Chrome no decorrer do texto, na verdade, fiz todos os meus testes dentro do Google Chromiumque é “um pouquinho diferente”.
Deu tudo certo, aqui.

Eventualmente, pode haver uma tela com uma mensagem de erro, como a que é exibida abaixo.
erro google chrome

Neste caso, sugiro clicar no link dado, para verificar se você está com tudo pronto para receber a extensão no seu sistema.
Em geral, você pode resolver o problema com a instalação de um pacote extra na sua distro Linux.
Para isto, abra um terminal e execute o gerenciador de pacotes da sua distribuição (apt, dnf, yum etc.)
No Debian ou no Ubuntu, use o apt, assim:


sudo apt install chrome-gnome-shell

Pode ser necessário reiniciar o seu navegador, para ver os efeitos do procedimento.
Boa sorte! 😉

Configure o seu navegador Firefox para acessar e instalar as extensões do GNOME

Há, pelo menos, duas coisas muito fáceis, que você já deveria ter feito, se usa o Linux com o ambiente gráfico GNOME.
A primeira delas é configurar o seu navegador Firefox para acessar a página oficial de extensões do GNOME, a partir da qual é possível entrar em contato com um universo de possibilidades incríveis para a sua interface gráfica.

A segunda é conhecer as extensões possíveis e começar a experimentar.
Este assunto foi abordado no post O que fazer depois de instalar o GNOME e vou procurar me aprofundar um pouco neste tópico, a seguir.

Se o seu navegador ainda não estiver pronto para deslanchar todo o potencial do GNOME Shell, uma advertência será exibida no topo da página de acesso, conforme a imagem abaixo.

Para chegar lá, clique no link:

https://extensions.gnome.org/.

Se a página estiver aparecendo em inglês para você, clique em “Click here to install browser extension“.
Clique na figura, abaixo, para obter mais detalhes.
gnome extension

Em seguida o navegador irá pedir mais 2 confirmações, conforme as próximas imagens:
permitir extensão.

Depois do download, a segunda permissão (para instalar) precisa ser dada:
Add extension.

Depois disso basta rolar a página para ver as extensões disponíveis.
As que você “ligar”, serão instaladas e ativadas.
Para remover, basta voltar à página e “desligar” a extensão.
Me conte quais as suas preferidas, depois de experimentar um pouco.

Como integrar o Gmail ao seu desktop GNOME

O aplicativo gnome-gmail pode ser usado para disparar o site do gmail direto do seu desktop.
Escrito em Python, trata-se de um pequeno script que trabalha abrindo o seu navegador padrão, direto no site do serviço do Google.

Não é um aplicativo cliente de email completo, como o Evolution, o Geary ou o Thunderbird, portanto.
O script torna mais ágil o acesso à interface web do Gmail. Apenas isso.
Você pode continuar a usar o seu cliente de email favorito e, eventualmente, quando precisar acessar o site, basta rodar o script direto do Dash.
Dash gnome gmail

O GNOME Gmail integra a interface web do serviço de email do Google ao seu ambiente de trabalho.
Toda vez que for requisitado um serviço de email, o sistema irá abrir a página gmail.com.

Como instalar o GNOME-gmail

Para realizar a instalação do aplicativo, abra o painel de instalação de Programas e procure por “gnome-gmail” ou apenas “gmail”.
instalação do gnome-gmail

Se prefere usar a CLI, para instalar via apt, rode o comando:


sudo apt install gnome-gmail

Estou usando o Debian, em meus exemplos, mas este app deve estar disponível para outras distribuições.

Depois de instalado, o aplicativo vai perguntar se você deseja que o website https://gmail.com seja o recurso padrão para enviar mensagens de correio eletrônico do seu sistema.
Responda “sim” ou “não”.
gmail padrão

Em seguida, irá requisitar a conta de email, que se deseja abrir.

Se o seu navegador padrão já estiver autenticado, através da conta indicada, o seu conteúdo irá abrir direto.
Muito simples, não é?

3 editores de código para Debian e Ubuntu

O Linux é uma plataforma valiosa para desenvolvedores(as). É estável e cresceu pelas mãos de programadores.
A concepção inicial era ser um sistema operacional feito por e para desenvolvedores, mas o projeto acabou crescendo muito além disso.

O GNU/Linux, hoje, é para todos.
É possível afirmar que apenas alguns nichos de usuários é que não irão encontrar utilidade para o sistema operacional do pinguim (sorte que não sou um deles) 😉

Programadores(as), dispõem de um enorme “manancial” de ferramentas e documentação, dentro da plataforma GNU/Linux.
Parte já vem instalada por padrão.
Outra parte pode ser baixada dos repositórios da sua distro (ou seja, a lojinha de apps).
Debian Ubuntu Instalar programas

Este post, tem algumas limitações — ou a lista ficaria insanamente grande.
Só vale editores gráficos (GUI) e que estejam presentes na lista do aplicativo Programas (Debian/GNOME).
Por exemplo, o Kate é tão bom quanto o Gedit, para editar código — mas é voltado ao KDE.
Nada impede que o usuário instale software para KDE no GNOME, mas isto vai contra algumas regras básicas de uso do Linux

Se você percebeu que deixei algum software de fora, por favor, use a sessão de comentários para avisar.

O Gedit

Este é um dos itens padrão de qualquer instalação que usa o desktop GNOME — ou seja, é pré-instalado.
O editor tem suporte a dezenas de linguagens de programação.gedit editor

Conta com suporte a syntax highlighting e vários outros recursos, via plugins.
Abaixo, painel para alterar o tema visual do editor.
temas do Gedit

GVim

Derivado do Vim, editor de textos CLI, esta versão mantém todos os atalhos de teclado e comandos do original e adiciona a possibilidade de realizar as tarefas pela GUI, com o mouse, claro.
gvim editor

Podemos dizer que o Vim é algo muito poderoso na CLI, mas isto seria verdade também na sua versão gráfica?
Eu acredito que traz todas as suas vantagens para o ambiente gráfico, sim. Mesmo sendo um ávido usuário do editor na CLI, também gosto do conforto de usar o conceito de “apontar e clicar” no meu editor favorito, de vez em quando.

Outra vantagem do editor é que você pode levar e usar toda a sua base de conhecimento no Vi e Vim.

Pluma

Este seria o editor padrão do Ubuntu MATE, assim como o Kate e o Kwrite são do KDE e o Gedit do GNOME.
Não recomendo usar editores de outros ambientes desktop apenas pelo princípio de manter o sistema enxuto.
Ao instalar programas do KDE, em um ambiente GNOME, várias novas bibliotecas (QT, por exemplo) são acrescentadas ao sistema, que ficará “inchado” apenas para satisfazer aquele programa novo.
editor texto pluma

O Pluma irá acrescentar, além do pacote do editor, em si, o mate-dekstop (393 Kb) e o próprio Pluma (12.8 MB).
Neste caso, o pacote adicional do Mate, representa apenas uma pequena fração do carro-chefe.
Vale a pena experimentá-lo, portanto.

O que ficou de fora

Eu fiz um esforço para não incluir editores mais avançados, como o Geany e o Aptana (entre outros).
Estes programas são IDEs (Ambientes de Desenvolvimento Integrado) e, portanto, não são “apenas editores de texto”.

Tem outras sugestões de editores, que não abordei neste post?
Então, comente sobre isso 😉