Altere e personalize o som de alerta padrão do GNOME

Estes dias, eu desativei os sons de alerta do meu laptop de trabalho — o que eu tenho que levar para todo lugar aonde vou.
Na vida real, sou tímido e detesto chamar a atenção.
como encontrar os ajustes de som no GNOME
Além disto, não gostei de nenhuma das opções de alerta disponíveis na instalação padrão do GNOME 3 — que são quatro.
opções de ajuste de som.
Estes sons são tocados quando cometemos pequenos erros ou quando o GNOME quer nos dar um aviso:

  • A tecla CAPS LOCK foi pressionada;
  • Você chegou a uma das extremidades de uma lista;
  • O cursor já se encontra no início da linha de comando ou no final dela;
  • etc.

Você pode apenas reduzir a altura, na barra de volume do alerta ou desativá-lo no botão à direita da barra.

Como personalizar o som do alerta do GNOME

Se quiser acrescentar o seu próprio “barulhinho”, siga o procedimento descrito a seguir.
Os sons de alerta padrão ficam armazenados no diretório /usr/share/sounds/gnome/default/alerts/:


ls -l /usr/share/sounds/gnome/default/alerts/

total 76
-rw-r--r-- 1 root root 13322 mai 30 17:29 bark.ogg
-rw-r--r-- 1 root root  8495 mai 30 17:29 drip.ogg
-rw-r--r-- 1 root root 18999 mai 30 17:29 glass.ogg
-rw-r--r-- 1 root root 20011 mai 30 17:29 sonar.ogg

Você pode deixar o seu arquivo de áudio personalizado em qualquer lugar, contudo. Pode ficar no /home, por exemplo.
Só não esqueça de adequar os exemplos, ali embaixo, à sua realidade.
O importante, é que o áudio esteja no formato OGG (preferencialmente), MP3 ou WAV.
Depois de escolher o seu áudio de alerta, informe ao GNOME aonde ele se encontra e como quer que ele seja exibido na lista do painel de controle.
Para isso, abra e edite o arquivo:
/usr/share/gnome-control-center/sounds/gnome-sounds-default.xml


sudo gedit /usr/share/gnome-control-center/sounds/gnome-sounds-default.xml 

Observe que os atuais arquivos já estão descritos em 4 blocos, entre as tags “<sounds>” (no plural).
Acrescente o seu próprio bloco, de acordo com o exemplo abaixo, antes da última tag sounds:


  <sound deleted="false">
    <name>Discreeete</name>
    <name xml:lang="pt">Discreeto</name>
    <name xml:lang="pt_BR">Discreeto</name>
    <filename>/usr/share/sounds/gnome/default/alerts/discreeete.ogg</filename>
  </sound>


Entenda o significado de cada linha, acima:

  1. sound deleted — informa se o item deve ser exibido ou não. Se mudar o valor padrão de false para true, ele não será exibido, tal como se tivesse sido apagado.
  2. name xml:lang — informa qual o nome do item a ser exibido para um determinado idioma. Se você usa o GNOME configurado para português europeu, o valor correto é “pt”. Se você usa o brasileiro, deixe “pt_BR”.
    Se houver usuários do seu sistema que usam outros idiomas, tenha o cuidado de incluí-los ai.
  3. filename — aqui você deve informar o caminho exato do arquivo de áudio.

Volte a abrir o painel de ajuste de som e selecione o seu novo item, na lista.
ajuste de som gnome personalizado

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Como ativar a exibição dos ícones no desktop do GNOME

Não se trata de um bug. O design da interface atual do GNOME 3 aboliu os ícones no desktop.
Mas veja como é maravilhoso o mundo do software livre — ninguém te obriga a nada e você tem opção para tudo.

Se você é o dono do desktop, ele tem que ter o que você quiser que ele tenha.

Neste caso, os ícones estão apenas com a sua exibição desativada.
Você pode usar o gsettings para ativá-los novamente. A mesma ferramenta pode ser usada para reverter o processo, como irei mostrar abaixo.
Para ativar os ícones, use a seguinte linha de comando:


gsettings set org.gnome.desktop.background show-desktop-icons true

gnome 3 com ícones na área de trabalho
O efeito deve ser imediato. Se isto não ocorrer, tente sair e entrar novamente no GNOME.
Para desativar o recurso, basta atribuir o valor “false” à variável show-desktop-icons:


gsettings set org.gnome.desktop.background show-desktop-icons false

Ative a exibição de atalhos e ícones na área de trabalho com o gnome-tweak-tool

O mesmo efeito pode ser alcançado com o uso da ferramenta gráfica gnome-tweak-tool, presente em muitas das distribuições Linux atuais.
Trata-se de uma ferramenta gráfica, voltada para realizar ajustes mais detalhados ou tunar a interface do GNOME.
gnome-tweak-tool ativar ícones na área de trabalho
Dentro do painel de ajustes (settings) da ferramenta, selecione a aba “Área de trabalho” e ative a opção “ícones da área de trabalho”.

Como remover o GNOME do Debian e instalar outro desktop gráfico

Se você não gosta do GNOME e prefere usar outro ambiente ou desktop gráfico, há um método muito simples para remover e, se quiser, instalar outro desktop que você goste mais.
O GNOME é, atualmente, o desktop gráfico padrão de distribuições importantes, como o Fedora, o Debian e o Ubuntu.
Mas, no mundo do software livre, ninguém é obrigado a usar ou gostar de nada.
Neste post, vou mostrar:

  • Como remover o GNOME totalmente e deixar o seu desktop apenas com a interface texto (CLI).
  • Opcionalmente, como escolher e instalar outro ambiente gráfico.

Devo advertir que os meus exemplos rodaram bem em uma máquina com conexão Ethernet. Você pode ficar sem conexão, se estiver dependendo de uma placa de rede Wi-Fi/Wireless com suporte precário por parte do fabricante.


Comece por programar o sistema para iniciar na CLI:


systemctl set-default multi-user.target

Leia mais sobre como usar o systemctl para configurar o Linux para iniciar na CLI ou GUI.
Agora reinicie o computador:


systemctl reboot

Quando o sistema voltar autentique-se (de preferência como root) e prossiga com o comando tasksel:


tasksel remove gnome-desktop

debian remover gnome
O trabalho de remoção do GNOME, a esta altura, foi concluído.

Como instalar um outro ambiente desktop gráfico no Debian

Se você quiser, pode usar o mesmo tasksel para selecionar outro desktop gráfico para instalação no seu sistema:


tasksel

tasksel seleciona ambiente gráfico
Como você pode ver, na tela do tasksel, é possível escolher mais de um ambiente gráfico para instalação.
Ao optar por instalar um destes desktop gráficos, não se esqueça de reajustar o padrão de volta para o ambiente gráfico:


systemctl set-default graphic.target

Experimente o ambiente de desenvolvimento integrado GNOME-BUILDER

Toda ajuda é bem vinda para desenvolver os seus programas? Ou você é do tipo que prefere um editor básico (como o Vim), para escrever o seu código?
O GNOME-BUILDER ainda está em fase de desenvolvimento e pode não ser a IDE de programação mais adequada para muitos usuários.
Mas tenho certeza de que ele vale a tentativa, em função de algumas de suas excelentes características — a leveza, por exemplo.
Neste texto, quero apresentar esta IDE e mostrar como instalar no seu sistema.
Se você gostar (ou não), sinta-se à vontade para comentar posteriormente sobre o aplicativo.

O que é o GNOME BUILDER

O Builder é uma nova IDE (Integrated Development Environment ou ambiente de desenvolvimento integrado), voltada para o ambiente desktop GNOME.
Não há impedimento para rodar o aplicativo no KDE ou em qualquer outro lugar, claro. Mas ele é voltado para o desenvolvimento de softwares para GNOME.
Não tem a intenção de ser uma IDE genérica, portanto, mas específica para desenvolvedores de aplicações GNOME.

Se você gosta do GNOME e tem a intenção de desenvolver para este desktop environment, o projeto é para você.

As linguagens de programação padrão, por enquanto, são C, C++, Python e Vala.
gnome builder IDE
O ambiente também tem integração ao GIT e várias licenças padrão para você escolher antes de começar o seu projeto.
Chama a atenção também a presença de um simulador do GNOME, que permite testar seu trabalho em versões diferentes da que se encontra instalada em seu sistema.

Como instalar o GNOME BUILDER

Se você tem o desejo de usar a versão mais atual do programa, deveria considerar baixar o código fonte, compilar e instalar o aplicativo.
Neste caso, baixe a versão mais nova deste site: https://download.gnome.org/sources/gnome-builder/.
Usuários Debian (eu testei no Stretch) ou Ubuntu, podem fazer a instalação normal, a partir dos repositórios:

apt install gnome-builder

A IDE também está disponível nos repositórios das versões mais recentes do Fedora e do openSUSE.
opensuse cli zypper info gnome-builder
Para instalar no Fedora, use o dnf:

dnf install gnome-builder

No openSUSE, use o zypper:

zypper install gnome-builder

Referências

https://download.gnome.org/sources/gnome-builder/.
https://wiki.gnome.org/Apps/Builder.

Use o wallch para alternar o papel de parede no desktop Linux.

Com o aplicativo wallch — abreviatura de wallpaper changer (ou alternador de papel de parede) — a troca de imagens é feita automaticamente.
Trata-se de um gerenciador de papéis de parede (mas suas opções vão além disso, como veremos).

O wallch é feito pelo pessoal do Mellori Studio.
É livre — mas você pode contribuir financeiramente com o projeto, se quiser — e introduz vários recursos que trazem de volta a magia dos wallpapers.
wallch screenshot

Como instalar o Wallch

O software tem suporte a distribuições GNU/Linux em distribuições
No Ubuntu, é possível instalar a partir dos repositórios oficiais:

sudo apt install wallch

Possíveis problemas com o wallch

Pode haver várias razões para o Wallch não funcionar como o previsto no seu sistema. Segue as mais comuns:

  1. O seu ambiente Desktop não é suportado pelo aplicativo.
    O Wallch 4.0 tem suporte total aos desktop environments GNOME, Mate, LXDE e XFCE.
    Se o seu não faz parte desta lista, o Wallch irá rodar normalmente, mas provavelmente não produzirá qualquer efeito no seu desktop.
  2. Se o seu ambiente desktop está entre os suportados, também é provável que o Wallch, não o tenha conseguido detectar adequadamente.
    O fato é que o Wallch tenta fazer a detecção ao rodar pela primeira vez, baseado nos arquivos de configuração presentes na sua instalação.
    é um jogo de adivinhação, contudo.
    Portanto, você pode fazer sua própria verificação, no menu de preferências.
  3. O seu Desktop Manager pode estar congelado ou travado, por algum motivo. Neste caso, reiniciar a sessão, pode resolver o problema.
  4. O Wallch nem chega a rodar. Se você executa o aplicativo, já na inicialização, verifique o ícone na gaveta ou barra de status do sistema. Ali, é onde as mensagens de notificação (erros, avisos etc) são exibidas.
    É o local onde a explicação para o não funcionamento pode ser encontrado.

Referências

http://melloristudio.com/wallch/.
http://www.omgubuntu.co.uk/2016/12/8-bit-day-wallpaper-changes-day.
http://www.noobslab.com/2016/05/wallch-4-wallpaper-manager-live-clock.html.
http://danny.care/bitday/download/.
http://imgur.com/a/gmgJZ.