Instale o suporte ao snap no Debian, ainda hoje.

Se você não tem qualquer justificativa para não usar o recurso de instalação simplificada de softwares, proporcionado pelo SNAP, da Canonical, então por que não o instala?

Tradicionalmente, os softwares são disponibilizados em pacotes, nas distribuições GNU/Linux.
Geralmente, eles mantém registro de todos os outros softwares de que dependem — ou seja, ao instalar um pacote, este irá verificar se o sistema atual já tem os softwares e bibliotecas necessárias para o seu funcionamento.
Se não tiver, o gerenciador de pacotes vai avisar que precisa instalar também o software ou a biblioteca A, B, C etc. para que o novo pacote de softwares possa funcionar adequadamente.

Este processo funciona muito bem, mas os desenvolvedores de softwares para Linux, imaginaram que poderia fazer melhor ainda.
O sistema de empacotamento SNAPD e FLATPAK (vou escrever esses nomes em minúsculas, daqui para frente) oferecem uma metodologia de empacotamento diferente.
Resumidamente, os snapd ou flatpak empacotam todo o “software satélite” necessário para o funcionamento do programa principal, dentro das versões em que os desenvolvedores previram que iriam funcionar.
Todos os componentes de sistema também são empacotados — exceto os mais básicos, como os que permitem acesso a rede entre outros recursos inerentes ao sistema operacional.

Além disto os snaps são imagens de apenas leitura (read only) e trabalham em áreas seguras, isoladas de outros snaps — o que não quer dizer que não possam interagir. Só que mantém a independência.

Os snaps podem ser baixados e adquiridos de uma loja central ou repositório — um conceito com o qual você já deve estar acostumado, se já usa o Linux há algum tempo.

Aliás, do ponto de vista do uso, os snaps não diferem muito do que você já faz com o apt (Debian e Ubuntu) ou com o dnf (Fedora), para citar alguns poucos exemplos de gestores de pacotes.

Você simplesmente instala e desinstala da mesma forma que já fazia.

Não existe conflito ao continuar a usar o método de instalação atual com o que já está acostumado (e que continua a ser o mais indicado) e, quando entender que é mais vantajoso, usa o snap (ou o flatpak).

Neste post vou mostrar como instalar o snapd — um ambiente de gestão que cuida da instalação e da atualização dos seus snaps, com o uso do sistema transacional, bem como da coleta de lixo (garbage collection) de versões antigas de snaps.

O sistema de snaps é uma criação do pessoal do desenvolvimento da Canonical, com o objetivo de tornar os sistema de gestão de softwares ainda mais simples e seguro.

Como instalar o snapd

Uma vez que se trata de “uma cria” da Canonical, quem usa Ubuntu, não precisa se preocupar — por que ele já vem instalado e pronto para usar.
Se você usa o Debian (como eu!), precisa apenas instalar o snapd, assim:


sudo apt install snapd

A partir daí já é possível instalar os snaps que quiser.

Fica a recomendação para continuar a usar o apt normalmente para gerenciar seus softwares e usar o snapd para instalar versões mais novas ou específicas ou, ainda, exclusivas de programas.

Após a instalação, você pode buscar na loja (ainda no terminal) os programas, através de palavras-chave. Veja uma pesquisa por jogos:


sudo snap search game

Name                               Version                     Developer           Notes    Summary
node-games                         0+git.de4e610-dirty         m4sk1n              -        Three fun console games written using Node.
gamecake                           V18.302+git6.615ed9d-dirty  xriss               -        a single exe cross platform game engine
mahjong-game                       1.0                         1bsyl               -        Mahjong game, a one-player game. Based on SDL2
game-2048                          1                           dholbach            -        2048 puzzle game
sudoku-game                        1.0                         1bsyl               -        Sudoku 9x9 game
pingus-game                        0.1                         larryprice          -        Free Lemmings(TM) clone
qt-2048-snap                       1                           keshavnrj           -        Single-player puzzle game.
collision                          2.0.0-2                     brunonova  

...

A lista, acima, está resumida. Na realidade, ele é bem maior.
Você também pode fazer o mesmo procedimento com o comando ‘find’:


sudo snap find game

Para instalar um pacote de softwares (snap), use o comando ‘install’, seguido do nome do snap:


sudo snap install quake-shareware

Download snap "core" (4486) from channel "stable"             21% 3.19MB/s 22.5s
quake-shareware 0.3 from 'njmcphail' installed

… e para remover, use o ‘remove’:


sudo snap remove quake-shareware

snap store

Você pode encontrar loja online, aqui.

wolfendoom: baldes of agony

Foi fácil, não é?
Leia muito mais sobre os snaps, aqui.

Passe as fotos da câmera ou do cartão de memória mais rápido para o seu computador.

O aplicativo rapid-photo-downloader faz o que o nome promete.
Quando o programa está no ar, basta conectar um cartão de memória ou a sua câmera via USB para ver na tela todos os thumbnails das suas fotos.

Dali pra frente, é só selecionar o que você quer transferir. Por padrão, todos os arquivos já ficam selecionados.
Sim. O programa tem suporte a imagens RAW.

Pode ser instalado a partir dos repositórios oficiais da sua distro GNU/Linux.
Abra o app de instalação de programas (a lojinha da sua distro) e procure por ‘rapid-photo-downloader’.

Na imagem, acima, tela de instalação do aplicativo no POP Shop.

Se preferir usar a CLI, abra um terminal e instale, com o apt (ou dnf, se você usa o Fedora):


sudo apt install rapid-photo-downloader

Uma vez instalado, pressione a tecla Super e procure pelo ‘rapid-photo…’

Quando estiver carregando, insira o seu cartão de memória ou conecte sua câmera.
O aplicativo também irá detectar que seu celular está conectado — mas precisa estar no modo de transferência de fotos (PTP).

O Rapid Photo Downloader se diferencia de outros aplicativos do gênero por ser bem mais rápido que os outros.
Ele reconhece e importa rapidamente todo o seu set de imagens.
Pode ser usado para renomear um grande conjunto de arquivos.
Este é mais um dos programas, para Linux, desenvolvido por fotógrafos para fotógrafos.

Site do aplicativo: http://www.damonlynch.net/rapid/index.html.

Adicione extensões para o GNOME Shell via Google Chrome

O navegador Google Chrome, pode ser usado para baixar e instalar facilmente novas extensões para o GNOME Shell.
Tudo o que você precisa fazer é integrar o navegador à interface — e isto é muito fácil!

Para fazer a configuração, basta dar 3 cliques.
Comece por acessar a página oficial de extensões do GNOME: https://extensions.gnome.org/.

Quando a extensão do navegador não se encontra instalada, a seguinte mensagem é exibida (em inglês: “To control GNOME Shell extensions using this site you must install GNOME Shell integration that consists of two parts: browser extension and native host messaging application.
Click here to install browser extension. See wiki page for native host connector installation instructions.”
.

Em uma tradução livre: “Para controlar o GNOME Shell extensions, usando este site, é necessário clicar aqui para instalar a extensão do navegador… ”

Veja, na imagem abaixo, aonde você tem que clicar.
gnome shell extension para chrome

Após clicar no link, o Google Chrome irá levá-lo ao painel da loja de apps do navegador, aonde você precisa confirmar a instalação.
gnome shell extension google chrome

chrome extension install confirm

Feita a confirmação, o Chrome prosseguirá com a instalação.
Quando estiver pronto, ele avisa, com a seguinte tela:
google chrome confirmation

Agora retorne ao site de instalação de extensões do GNOME: https://extensions.gnome.org/.

Se tudo correu bem, as extensões já poderão ser vistas e ativadas/desativadas.

Possíveis erros

Embora eu tenha me referido ao Google Chrome no decorrer do texto, na verdade, fiz todos os meus testes dentro do Google Chromiumque é “um pouquinho diferente”.
Deu tudo certo, aqui.

Eventualmente, pode haver uma tela com uma mensagem de erro, como a que é exibida abaixo.
erro google chrome

Neste caso, sugiro clicar no link dado, para verificar se você está com tudo pronto para receber a extensão no seu sistema.
Em geral, você pode resolver o problema com a instalação de um pacote extra na sua distro Linux.
Para isto, abra um terminal e execute o gerenciador de pacotes da sua distribuição (apt, dnf, yum etc.)
No Debian ou no Ubuntu, use o apt, assim:


sudo apt install chrome-gnome-shell

Pode ser necessário reiniciar o seu navegador, para ver os efeitos do procedimento.
Boa sorte! 😉

Configure o seu navegador Firefox para acessar e instalar as extensões do GNOME

Há, pelo menos, duas coisas muito fáceis, que você já deveria ter feito, se usa o Linux com o ambiente gráfico GNOME.
A primeira delas é configurar o seu navegador Firefox para acessar a página oficial de extensões do GNOME, a partir da qual é possível entrar em contato com um universo de possibilidades incríveis para a sua interface gráfica.

A segunda é conhecer as extensões possíveis e começar a experimentar.
Este assunto foi abordado no post O que fazer depois de instalar o GNOME e vou procurar me aprofundar um pouco neste tópico, a seguir.

Se o seu navegador ainda não estiver pronto para deslanchar todo o potencial do GNOME Shell, uma advertência será exibida no topo da página de acesso, conforme a imagem abaixo.

Para chegar lá, clique no link:

https://extensions.gnome.org/.

Se a página estiver aparecendo em inglês para você, clique em “Click here to install browser extension“.
Clique na figura, abaixo, para obter mais detalhes.
gnome extension

Em seguida o navegador irá pedir mais 2 confirmações, conforme as próximas imagens:
permitir extensão.

Depois do download, a segunda permissão (para instalar) precisa ser dada:
Add extension.

Depois disso basta rolar a página para ver as extensões disponíveis.
As que você “ligar”, serão instaladas e ativadas.
Para remover, basta voltar à página e “desligar” a extensão.
Me conte quais as suas preferidas, depois de experimentar um pouco.

Monitore sua conexão WiFi com o Wavemon

O programa Wavemon (Wave Monitor ou monitor de onda, em tradução livre), permite analisar o estado da sua conexão à rede local com muito pouco consumo de recursos do seu sistema.
O wavemon é o programa ideal para rodar em um computador como o Raspberry Pi ou, mesmo, em um laptop parrudo — caso a economia dos recursos de processamentos sejam importantes para você.

Instalação do Wavemon

O aplicativo faz parte dos repositórios das grandes distribuições GNU/Linux.
Ele pode ser facilmente instalado usando o gerenciador padrão da sua distro, portanto: apt, dnf, yum, pacman etc.
No Debian e no Ubuntu, ele pode ser instalado com o apt:


sudo apt install wavemon

Lendo listas de pacotes... Pronto
Construindo árvore de dependências       
Lendo informação de estado... Pronto
Os NOVOS pacotes a seguir serão instalados:
  wavemon
0 pacotes atualizados, 1 pacotes novos instalados, 0 a serem removidos e 51 não atualizados.
É preciso baixar 51,3 kB de arquivos.
Depois desta operação, 122 kB adicionais de espaço em disco serão usados.
Obter:1 http://deb.debian.org/debian testing/main amd64 wavemon amd64 0.8.2-1 [51,3 kB]
Baixados 51,3 kB em 1s (64,2 kB/s)          
A seleccionar pacote anteriormente não seleccionado wavemon.
(Lendo banco de dados ... 160782 ficheiros e directórios actualmente instalados.)
A preparar para desempacotar .../wavemon_0.8.2-1_amd64.deb ...
A descompactar wavemon (0.8.2-1) ...
Configurando wavemon (0.8.2-1) ...
A processar 'triggers' para man-db (2.8.3-2) ...

Uma vez instalado, basta rodar, da linha de comando (sem privilégios):


wavemon

Instale o wavemon no laptop e movimente-se dentro da casa ou do escritório, para descobrir aonde o sinal do WiFi é mais forte ou mais fraco.

wavemon

Uso básico do Wavemon

Como é possível observar, na imagem acima, o aplicativo provê, de cara, algumas informações bem interessantes.
Segue algumas dicas básicas de uso do programa.

Para começar, use a tecla ‘q’ para sair do wavemon, a qualquer momento. A tecla F10 tem o mesmo efeito.

O aplicativo tem várias telas de monitoramento ou de trabalho.
Podem ser selecionadas através das teclas de função (F1, F2 etc.)
A tela principal é a de informações gerais — e pode ser acionada com a tecla F1.

Com a tecla F2, é possível acessar o histograma referente ao nível do sinal de rede.

Como obter informações dos roteadores dos vizinhos

Faça um scan na vizinhança e determine a força dos sinais dos roteadores ao seu redor.
Para isso, você deve acessar a tela F3 – Scan, que permite varrer a rede local e obter informações sobre os sinais dos roteadores próximos.
wavemon

Estas informações (imagem acima) são disponibilizadas para quem entrou no wavemon usando privilégios administrativos.