Instale centenas de fontes do Google Fonts no Linux

O repositório de fontes Google Fonts disponibiliza gratuitamente quase 900 fontes, que podem ser usadas no GIMP, no seu editor de textos ou para personalizar todo o seu sistema, do jeito que você quiser.
Para ser exato, na última vez que olhei, havia 850 fontes disponíveis — o pacote tem 380 Mb, aproximadamente.

Se preferir, vá até o site e baixe apenas as que gostar.
Neste post vou mostrar como baixar todas de uma só vez.

O Google Fonts é um dos principais locais de hospedagem de fontes “opensource”, na web.
O repositório contém centenas de famílias de fontes disponíveis para download individual ou em um único pacote.

Já abordei este assunto, anteriormente, em um post voltado para o Ubuntu.
Neste texto, quero falar do assunto de maneira mais genérica, para que possa servir a qualquer distribuição GNU/Linux.
Me acompanhe.
google fonts

Prepare o sistema

O script original de instalação foi desenvolvido por Michalis Georgiou.
O que segue, abaixo, é uma reedição da versão modificada pelo Andrew do Webupd8.
Só alterei 2 coisas:

  1. Traduzi para português e
  2. removi a linha de instalação do wget, para tornar o script mais enxuto e universal. Assim ele pode ser executado em qualquer distro, sem precisar ser editado.

Como consequência, você terá que instalar o wget por conta própria, antes de rodar o script.

No Debian e no Ubuntu, use o apt:


sudo apt install wget

No Fedora, use o dnf:


sudo dnf install wget

O script de instalação

Se tiver interesse em dar uma olhada ou baixar o script original, vá até o site no Github: https://raw.githubusercontent.com/hotice/webupd8/master/install-google-fonts

Segue a minha edição:


# Original author: Michalis Georgiou 
# Modified by Andrew http://www.webupd8.org 
# Traduzido para português por Elias Praciano https://elias.praciano.com

_wgeturl="https://github.com/google/fonts/archive/master.tar.gz"
_gf="google-fonts"

# certifica que não há outro arquivo com o mesmo nome
rm -f $_gf.tar.gz

echo "Conectando ao servidor Github. Aguarde...."
wget $_wgeturl -O $_gf.tar.gz

echo "Extração do arquivo baixado..."
tar -xf $_gf.tar.gz

echo "Criação do diretório /usr/share/fonts/truetype/$_gf folder"
sudo mkdir -p /usr/share/fonts/truetype/$_gf

echo "Instalação das fontes .ttf em /usr/share/fonts/truetype/$_gf"
find $PWD/fonts-master/ -name "*.ttf" -exec sudo install -m644 {} /usr/share/fonts/truetype/google-fonts/ \; || return 1

echo "Atualização do cache de fontes..."
fc-cache -f > /dev/null

# Limpeza. Remove o arquivo .tar.gz. O usuário poderá ainda precisar da pasta
rm -f $_gf.tar.gz

echo "Pronto."

Lembre-se, o script depende do programa wget e vai dar erro, se este não estiver instalado.
Copie o código acima e cole dentro do seu editor de textos favorito.
Em seguida, salve o script e saia do editor.
Eu salvei o meu script com o nome gfinstall.sh
Para torná-lo executável, use o chmod:


chmod +x gfinstall.sh

Agora, rode o seu script:


./gfinstall.sh 

Conectando ao servidor Github. Aguarde....
--2018-03-22 10:57:37--  https://github.com/google/fonts/archive/master.tar.gz
Resolvendo github.com (github.com)... 192.30.253.112, 192.30.253.113
Conectando-se a github.com (github.com)|192.30.253.112|:443... conectado.
A requisição HTTP foi enviada, aguardando resposta... 302 Found
Localização: https://codeload.github.com/google/fonts/tar.gz/master [redirecionando]
--2018-03-22 10:57:38--  https://codeload.github.com/google/fonts/tar.gz/master
Resolvendo codeload.github.com (codeload.github.com)... 192.30.253.120, 192.30.253.121
Conectando-se a codeload.github.com (codeload.github.com)|192.30.253.120|:443... conectado.
A requisição HTTP foi enviada, aguardando resposta... 200 OK
Tamanho: não especificada [application/x-gzip]
Salvando em: “google-fonts.tar.gz”

google-fonts.tar.gz                                 [                                               <=>                                                    ]  33,27M  3,72MB/s               


2018-03-22 10:59:21 (3,76 MB/s) - “google-fonts.tar.gz” salvo [405548495]

Extração do arquivo baixado...
Criação do diretório /usr/share/fonts/truetype/google-fonts folder
[sudo] senha para justincase: 
Instalação das fontas .ttf em /usr/share/fonts/truetype/google-fonts
Atualização do cache de fontes...
Pronto.

Terminado o processo de download e instalação, você já pode se servir das novas fontes no sistema.
Experimente abrir as configurações de tema do GNOME ou o seu aplicativo favorito, para ver as novas possibilidades.
fontes google no GNOME

Como baixar pro seu computador as suas imagens do Google Photos

Os vários planos de armazenamento do Google Photos podem caber em mídias físicas de armazenamento (sob o seu poder) — desde pendrives de 16 Gb a drives externos de 1 Tb ou mais.

google photos plano básico de armazenamento

Se você tem um plano básico (como eu), de 15 Gb, pode fazer um backup rápido e fácil dos seus arquivos de imagem.
Eu reservei um pendrive para receber o meu backup.

Como fazer o download das imagens do Google Photos

Para poder baixar as imagens do Google Photos, você precisa configurar o Google drive para conter a pasta de fotos do primeiro.
Para isto, vá até o https://drive.google.com e clique no ícone de menu, no canto superior direito da tela.
Em seguida, selecione Configurações (ou settings)
configurações do google drive

Role a página para baixo e ative a opção “Colocar automaticamente seus itens do Google Fotos em uma pasta em Meu Drive”.
Veja a imagem, abaixo.

A depender do volume de dados armazenado na sua conta do Google Photos, você terá que aguardar um tempo, para que a transferência seja feita.
Quando esta etapa estiver pronta, a pasta Google Photos vai estar acessível no painel “Meu Drive”.
Para baixar o seu conteúdo, clique com o botão direito do mouse sobre o ícone “Google Photos” e, depois, clique em “Fazer download”.
download google photos

Novamente, aguarde o tempo requerido para baixar um pacote .ZIP com todo o conteúdo do Google Photos.
O nome do arquivo (pacote) deve ser algo parecido com ‘Google Photos-20180357G66672167H-008.zip’

Uma vez baixado, ele pode ser descompactado no seu sistema ou armazenado diretamente no local que você achar melhor.

Conclusão

Se você preferir, pode entrar na pasta ‘Google Photos’, a partir do “Meu Drive’ e selecionar apenas o que deseja baixar.

No meu caso, o arquivo de backup ainda tem pouco mais de 1,5 Gb.
Separei um pendrive de 16 Gb. exclusivo para o Google Photos e, portanto, vai dar para armazenar vários backups simultaneamente.
À medida em que o dispositivo for ficando cheio, posso remover os arquivos de backup antigos.
Posso também planejar, com calma, a compra de um pendrive com mais capacidade e, possivelmente, o upgrade da minha conta no Google Photos/Drive.

Se quiser, comente sobre como você prefere manter suas fotos em segurança?

Instale fácil o Google Earth no Linux

O site oficial do aplicativo Google Earth tem pacotes .deb e .rpm, adequados para a instalação tanto em distribuições derivadas do Debian, Ubuntu, Fedora, OpenSUSE etc.
Os exemplos deste texto, por exemplo, foram executados em uma máquina com o KDE Neon — distro criada sobre o Ubuntu 16.04 LTS.
google earth download
Faça o download do seu pacote de instalação no site oficial do Google Earth.
No meu caso, o pacote .deb (64 bit).
Você pode fazer o download simples deste pacote ou permitir que o navegador o abra diretamente no gerenciador do seu sistema.
Se vocẽ optar por baixar o pacote, execute o gerenciador da linha de comando.
Se for um pacote .deb:

sudo dpkg --install ~/Downloads/google-earth-stable_current_amd64.deb

Se optou por um pacote .rpm, execute o comando rpm com privilégios administrativos:

rpm -Uvh ~/Downloads/google-earth-stable_current_amd64.rpm

Após a instalação, o Google Earth já pode ser executado a partir do menu principal da sua distro ou através do Dash (GNOME ou Unity).

Use o Googler, para pesquisar no Google a partir do seu terminal Linux

Uma das coisas que mais faço é pesquisar no Google e no DuckDuckGo.
O primeiro, uso para a maioria das pesquisas triviais do dia a dia e o segundo para aquelas que pedem resultados mais aprofundados e específicos — existem lugares que o Google simplesmente não toca.
apt search googler

A ferramenta de pesquisa de CLI, googler, permite buscar informações no Google e exibí-las direto no seu terminal — com uma infinidade de personalizações possíveis.

Você pode achar este texto um pouco longo.
O fato é que pretendo mostrar o funcionamento do programa através de exemplos práticos. Portanto, se achar melhor, pule direto para a parte que te interessa e guarde a página nos seus favoritos, para futuras consultas.
O aplicativo foi desenvolvido para encontrar termos de pesquisa no Google Search, no Google Site Search e no Google News.
O desenvolvedor enumera os seguintes recursos do programa:

  • Rapidez na execução e visual limpo — sem propagandas e usando as cores padrão do seu terminal
  • Possibilidade de abrir imediatamente o navegador com os resultados que você quer
  • Possibilidade de navegar pelos resultados, usando o omniprompt
  • Desabilita o sistema de correção ortográfica automática e faz a busca exatamente pela string que você pediu
  • Permite delimitar a operação pela duração, pelo país/domínio específico e pelas preferências de idioma
  • Tem suporte às keywords (palavras-chave) do Google, tais como ‘filetype:pdf’, ‘site:elias.praciano.com’ etc.
  • Opcionalmente, abre o primeiro resultado direto no navegador — tal como o “estou com sorte” ou I’m feeling lucky
  • Faz buscas “sem parar”, ou seja dispara novas operações a partir do omniprompt, sem sair do aplicativo
  • Tem suporte a proxy
  • Tem suporte ao recurso de autocompletar da shell (Bash, Zsh e Fish)
  • O pacote tem pouquíssimas dependências e é pequeno

googler google results

Instalação do googler

O aplicativo tem pacotes de instalação disponíveis nos repositórios das principais distribuições.
No Ubuntu 16.04 LTS, pode ser instalado com o apt:

sudo apt update
sudo apt install googler

Em outras distribuições, instale como pacote Git. Veja o procedimento, a seguir.
Se não tiver o Git instalado, instale-o:

sudo apt install git

Continue, com a instalação do googler:

cd /tmp
git clone https://github.com/jarun/googler.git
cd googler
sudo make installcd auto-completion/bash/
cd auto-completion/bash/
sudo cp googler-completion.bash /etc/bash_completion.d/

No Ubuntu 16.04 LTS, ou superior, é possível instalar o aplicativo de uma PPA. Veja o passo a passo:

sudo add-apt-repository ppa:twodopeshaggy/jarun
sudo apt update
sudo apt install googler 

Como usar o googler

googler cli interface
A interface padrão, neste caso, irá pedir que você forneça as palavras chave da busca.
Em seguida, basta teclar Enter e aguardar o resultado.
Se quiser, também pode indicar os termos da busca, direto na linha de comando:

googler debian 9 stretch

Do lado esquerdo do título de cada item encontrado, há um número (índice).
Para abrir o navegador na página específica daquele índice, basta indicar o número dele para o googler e teclar Enter — ou clique direto nos links da busca.


Para sair da busca, a qualquer momento, tecle ‘q’, ‘Ctrl D’ ou ‘Ctrl C’.

Opções avançadas de pesquisa no Google

Se você prefere fazer buscas com características específicas no Google, pode usar alguns parâmetros extra, na linha de comando — conforme os exemplos que seguem.
Para delimitar ou estender a quantidade de resultados, use ‘–count’:

googler --count 5 debian

Para obter os resultados a partir de um determinado ponto, use ‘–start’. No exemplo, abaixo, pedimos para exibir 3 resultados a partir do 55o item da busca:

googler --count 3 --start 55 debian
1 RabbitMQ - Installing on Debian / Ubuntu
https://www.rabbitmq.com/install-debian.html
rabbitmq-server is included in standard Debian and Ubuntu repositories. However,
the versions included are often quite old. You will probably get better
results ...

2 Debian | Informática | TechTudo
http://www.techtudo.com.br/tudo-sobre/debian.html
24 de jun de 2015 - Debian é uma distribuição que utiliza o Kernel Linux ou Hurd
em conjunto com outros aplicativos para oferecer um sistema operacional...

3 Debian - expand
https://social.msantana.eng.br/search?tag=Debian
No próximo dia 02 de julho começa a 17ª edição da conferência anual da
comunidade #Debian, #Debconf16, na Cidade do Cabo, África do Sul.

Como você pode ver, pesquisas mais aprofundadas no Google, se tornaram mais fáceis, com o uso deste pequeno programa.
Para fazer uma pesquisa semelhante, dentro de um site específico, use o seguinte exemplo:

googler --count 3 --start 5 debian site:elias.praciano.com
1 debian – Resultados da pesquisa – Elias Praciano
https://elias.praciano.com/?s=debian
Conheça estas duas opções de Linux educacional, baseadas no Debian: Skolelinux
Wheezy e Skolelinux Jessie. O Debian Edu (como também é conhecido) é ...

2 Debian – Elias Praciano
https://elias.praciano.com/category/linux/debian/
Conheça algumas armadilhas que você deve evitar, para não quebrar seu sistema
Debian e manter a solidez, pela qual ele é conhecido. Continue Reading →.

3 Como instalar codecs no Debian – Elias Praciano
Como instalar codecs no Debian
22 de set de 2016 - Resumindo, ao instalar um programa de reprodução de arquivos multimídia, a partir dos repositórios do Debian, diversos codecs serão ...

Você pode fazer a mesma coisa com a opção ‘–site’:

googler ubuntu --site=elias.praciano.com

Para obter os resultados da seção de notícias do buscador Google (News section):

googler --news debian 9 stretch 

Sinta-se à vontade para alterar e (re)combinar os parâmetros e opções dos exemplos dados aqui.
Use a opção ‘–lang’ para restringir as buscas aos sites de língua portuguesa:

googler --count 2 --lang=pt debian 10 codinome

Para restringir as buscas a uma região ou país, baseado no TLD, use a opção ‘–tld’:

googler --count 2 --tld=br debian 11 codinome

Você vai encontrar uma lista completa de TLDs aqui.
Para desabilitar a correção automática do Google, use ‘–exact’:

googler --exact eu amo linux

Como alterar as cores de exibição do resultado

Por padrão, o googler exibe os resultados coloridos no terminal.
Você pode desabilitar este modo de exibição com ‘–nocolor’

googler --nocolor ubuntu

Você também pode alterar as cores da saída do comando, para combinar melhor com o fundo do seu emulador de terminal.
A opção ‘–colors’ é acompanhada de 6 caracteres que irão definir, respectivamente, as cores dos seguintes itens:

  1. índices — o número que precede o título de cada resultado
  2. títulos
  3. URLs
  4. metadata/informações de publicação — somente para o Google News
  5. resumo do conteúdo do site
  6. o prompt, exibido ao final da listagem

Segue a relação de cores e estilos possíveis:
tabela cores bsd lscolors
De acordo com a tabela, defini as cores abaixo para: preto negrito (índice), padrão negrito (título), verde negrito (URL), padrão sem efeito (meta), azul negrito (resumo) e magenta claro negrito (prompt):

googler --count 3 --colors AXCxEN "servidor lamp" site=elias.praciano.com

busca google
Faça as suas próprias experiências.

Opções avançadas do googler

Para usar o aplicativo dentro de um script ou reusar o resultado em outro local, não faz sentido ter o prompt ao final.
Você pode suprimi-lo, com a opção ‘–noprompt’.
Se você usar as opções ‘–first’ ou ‘–lucky’, irá ver apenas o primeiro resultado, equivalente ao “Feeling Lucky?”. Estas opções implicam automaticamente na ‘–noprompt’.
Além disto, elas abrem automaticamente o seu navegador na primeira página do resultado obtido.

googler --lucky linux

Para atravessar um proxy, use a opção ‘–proxy=’
Para conseguir mais velocidade na consulta, use a opção ‘–noua’:

googler --noua --lucky linux

noua é abreviatura para no user agent. A opção remove informações sobre o navegador.
Como consequência, os resultados de alguns sites podem ficar de fora da sua listagem. Por exemplo: YouTube, Google Books etc.
Problemas de conexão, podem ser contornados com a opção ‘–notweak’, que desabilita as otimizações TCP, o protocolo NTLS etc.
Você pode obter os resultados no formato JSON, com a opção –json:

googler --json --count=1 linux
[
  {
    "abstract": "Tux - mascote do Linux Linux é o núcleo do sistema operacional, programa responsável pelo funcionamento do computador, que faz a comunicação entre ...",
    "title": "O que é Linux - Viva o Linux",
    "url": "https://www.vivaolinux.com.br/linux/"
  }
]

Opções da linha de comando

Enquanto você estiver fazendo sua busca, na tela de resultados, é possível dar alguns comandos para o googler.
Veja as teclas de comando do omniprompt:

  • n e pnext e previous, são as teclas de ‘avançar’ e ‘voltar’ na pesquisa
  • index — se refere ao número à esquerda de cada título. Digite-o, seguido de Enter, para abrir o navegador naquela página
  • f — esteja onde estiver, esta tecla te leva de volta à primeira página da pesquisa
  • o — abre o Google, com a pesquisa atual, no seu navegador padrão
  • g — permite iniciar uma nova pesquisa, sem sair do googler
  • * — acompanhado de uma outra string inicia nova busca, com as opções já definidas
  • Ctrl C, Ctrl D, q ou Enter (2X) — termina o aplicativo

Referências

Site oficial no gitHub: https://github.com/jarun/googler.

Google Chrome Stable, Beta e Dev. Qual deles eu devo usar?

Softwares com desenvolvimento ativo, como é o caso do navegador Google Chrome, estão sempre recebendo constantes melhorias. Por isto, costumam ser distribuídos em diferentes versões.
No caso do Chrome, ele está disponível para download na versão “normal”, beta e dev.
Neste texto, vou mostrar as diferenças entre as versões, qual a mais adequada para você e como baixar a sua versão.

  • Se você tem interesse em saber a diferença entre o Google Chrome e o Google Chromium, clique aqui.
  • Para conhecer as diferenças entre o Firefox Nightly, Firefox Aurora, Firefox Beta e Firefox Stable (ou “normal”), clique aqui.

Para começar a clarear o assunto, os desenvolvedores do Google não chamam esta diferenciação de “versões”, mas de “canais de desenvolvimento”.
Desta forma, você tem basicamente 3 canais de desenvolvimento a partir dos quais pode baixar o seu navegador Google Chrome.

Como saber a versão ou canal de desenvolvimento usado pelo meu Google Chrome?

Você pode obter a versão de desenvolvimento da sua cópia do Google Chrome, clicando sobre o ícone do menu, no canto superior direito e, em seguida, clicando em Sobre.
Menu de confuguração do Google Chrome - by Elias Praciano
Uma outra forma de chegar ao mesmo lugar é fornecendo a URL chrome://chrome/ (só funciona dentro do navegador Chrome). Veja um exemplo na imagem abaixo:
Google Chrome
No seu smartphone, as informações de versão podem ser ligeiramente diferentes.
Já nas primeiras linhas, é possível ver a versão do navegador e se ele é stable, beta ou dev.
Forneça a URL chrome://version/ no seu navegador Chrome:
Chrome-version-beta-dev

O que é Stable, Beta e Dev?

Antes de partir para a ação, é bom saber o que se vai encontrar pela frente:

  • Stable — Este canal é plenamente testado pelas equipes de desenvolvimento do Chrome OS. É a melhor opção para quem busca segurança e estabilidade para navegar na Internet e usar seus aplicativos web.
    A versão Stable é atualizada a cada 2 a 3 semanas e recebe as mudanças maiores a cada 6 semanas.
  • Beta — Este canal é voltado para quem prefere usar um navegador seguro e usufruir das novidades e dos novos recursos, adicionados pelos desenvolvedores. É atualizado a cada semana e recebe as maiores mudanças a cada 6 semanas.
    Normalmente, é o meu navegador principal no meu smartphone.
  • Dev — Este canal é para quem prefere usar os recursos mais avançados, assim que são lançados e não se importa com alguns bugs aqui ou ali.
    O ciclo de atualizações deste canal é mais curto (2 vezes por semana, em geral).

Os links para download estão ao final do artigo.

Razões para experimentar o Dev

O Google Chrome Dev é a versão em desenvolvimento, a estabilidade não é prioridade aqui — ele vai apresentar bugs e te “deixar na mão”.
Não é recomendado ter apenas este navegador instalado no seu celular, tablet ou notebook.
Isto posto, uso bastante esta versão e, na minha experiência, ele costuma funcionar muito bem e com raros erros.
Se você é desenvolvedor de aplicativos, tem um site e gostaria de testar o seu comportamento com os novos recursos do navegador do Google, ele foi feito pra você.

O app Google Chrome Dev vale a pena ser instalado se você está projetando um aplicativo ou um site para dispositivos móveis e deseja prever como eles irão rodar em dispositivos móveis.
Além disto, você poderá verificar sempre os mais novos recursos do Chrome, antes que eles sejam disponibilizados ao público geral.

O Chrome Dev está disponível para várias plataformas: Mac, Windows, Linux e ChromeOS (usado no Chromebook).
Escolha e faça seus downloads abaixo e nos conte o que achou do aplicativo na sessão de comentários.

Referências

Download do Google Chrome Stable: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.android.chrome.
Download do Google Chrome Beta: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.chrome.beta.
Download do Google Chrome Dev: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.chrome.dev.