3 maneiras de assistir ao Netflix no Linux

O grande problema do Netflix é a “necessidade” da companhia de proteger o conteúdo contra cópia ilegal.
Em virtude disto, ela cria uma série de dificuldades que, se não são intencionais, são consequência desta “paranoia antipirataria”.
netflix front page
No smartphone Android, a Netflix impede que tiremos screenshots da tela do app — o que dificulta que muitos usuários compartilhem o que estão vendo nas redes sociais.
Softwares com DRM criam situações de risco à sua segurança e você provavelmente deveria avaliar melhor se realmente precisa do Netflix para assistir ao seu conteúdo favorito.
De qualquer maneira, uma destas 3 opções deve servir para você:

  1. Google Chrome — este foi o primeiro navegador a adicionar suporte total a execução de mídias através do Netflix. Qualquer versão atual dele fará o trabalho.
  2. Mozilla Firefox — adicionou suporte ao Netflix após a versão 51.
  3. Use uma máquina virtual… — na minha opinião, esta é a opção mais complicada. Mas, se você já faz uso de uma máquina virtual para rodar o Windows dentro, não custa mesmo nada instalar o app nativo do Netflix para aquela plataforma.

Referências

http://www.makeuseof.com/tag/watch-netflix-linux-4-tricks/.

Diferenças entre Google Chromium e Chrome

O Google Chromium browser e o Google Chrome são 2 navegadores distintos, produzidos pela mesma empresa.
Neste artigo, vou mostrar algumas diferenças sob o ponto de vista de um usuário do sistema operacional Ubuntu 14.04 — mas valem para qualquer outro usuário de qualquer outro sistema operacional.
Quem usa esta versão do Ubuntu, tem 4 versões disponíveis para instalação.
Logotipos Google Chromium vs Chrome
De maneira geral, as descrições dos navegadores são estas:

pacote descrição
chromium-browser O Chromium é um projeto de navegador de código aberto do Google que tem como objetivo construir um software mais seguro, mais rápido e mais estável para todos os usuários de Internet.
O código do Chromium serve de base pro Google Chrome.
google-chrome — uma versão rebranded do Chromium, com alguns poucos recursos adicionados, tal como tracking e um sistema de atualização automática.

A primeira versão é de código aberto e serve de base pra segunda, que incorpora uma quantidade de código proprietário para (supostamente) melhorar a experiência do usuário na internet.

As diferenças, de acordo com o Google

O site oficial do projeto no Google (veja os links abaixo) informa uma série de outras diferenças entre um navegador e outro:

Item Google Chrome Chromium Descrições adicionais
Logo Colorido Azul
Relatório de erros ou crash reporting Precisa ser ligado Não tem
User metrics Precisa ser ativado Não tem Nome dado a uma plataforma desenvolvida pela Wikimedia Editor Engagement Experimentation (E3) para medir as atividades dos usuários, baseado em padrões pré-determinados
Padrões de áudio e vídeo suportados AAC, H.264, MP3, Opus, Theora, Vorbis, VP8, VP9, e WAV Opus, Theora, Vorbis, VP8, VP9, e WAV por padrão Pode variar de acordo com a distro usada
Suporte a Flash Sandboxed PPAPI (non-free) plugin incluído Suporte a plugins NPAPI (unsandboxed) plugins — o que inclui o do Adobe para Chrome (versão 34 e anteriores)
Código Testado por desenvolvedores Chrome Pode ser alterado pelas distribuições Linux
Sandbox Sempre ativado Depende da distro do usuário Obtenha mais informações digitando about:sandbox na barra de navegação e pressionando Enter
Pacotes (linux) deb ou rpm padrão Depende de cada distro
Informações de perfil do usuário Mantidas em ~/.config/google-chrome Mantidas em ~/.config/chromium Esta informação é específica do Linux
Cache Mantido em ~/.cache/google-chrome Mantido em ~/.cache/chromium Esta informação é específica do Linux
Garantia de qualidade Novas versões são testadas antes de enviar aos usuários Depende da distribuição/sistema operacional usado O Google se responsabiliza, no primeiro caso. No segundo, a responsabilidade é de quem distribui/fornece o aplicativo
Google API keys Adicionado pelo Google Depende da distro/sistema operacional do usuário

Diferença entre o Chromium e o Chrome no Ubuntu

No Ubuntu, é possível ver as diferentes opções de instalação com o comando apt-get, executado em um terminal:

apt-cache search browser | grep chrom

O resultado vai mostrar 4 possibilidade de instalação (no Ubuntu 14.04 LTS):

chromium-browser-dbg - chromium-browser debug symbols
chromium-chromedriver - WebDriver driver for the Chromium Browser
unity-chromium-extension - Unity WebApp extension for the chromium browser
oxideqt-chromedriver - Web browser engine library for Qt (chromedriver build)
chromium-browser - Chromium web browser, open-source version of Chrome
chromium-browser-l10n - chromium-browser language packages
chromium-codecs-ffmpeg - Free ffmpeg codecs for the Chromium Browser
chromium-codecs-ffmpeg-extra - Extra ffmpeg codecs for the Chromium Browser
google-chrome-beta - The web browser from Google
google-chrome-stable - The web browser from Google
google-chrome-unstable - The web browser from Google
  1. chromium-browser — como já explicado, a versão de código aberto (que eu recomendo)
  2. google-chrome-beta — versão mais atualizada, com código proprietário. Voltada a quem deseja conhecer primeiro todas as novidades do produto e não se importa muito quando este “dá pau”.
  3. google-chrome-stable — versão mais estável e mais testada, com código proprietário. Voltado para ambiente de produção e usuários que precisam de um produto estável, mesmo que não venha com os recursos mais avançados.
  4. google-chrome-unstable — apesar do nome, é uma versão razoavelmente testada e estável. Mas não deve ser usada em ambiente de produção.

Assim, espero ter contribuído para elucidar a questão e ajudar você a fazer a melhor escolha.
Divirta-se!

Referências

O comando grep e suas aplicações.
AskUbuntu – descrição do pacote chromium-browser — http://packages.ubuntu.com/lucid/chromium-browser
Diferenças entre o Chromium vs Chrome — https://code.google.com/p/chromium/wiki/ChromiumBrowserVsGoogleChrome
O que são user metricshttp://www.mediawiki.org/wiki/User_Metrics

Como importar os favoritos do Chromium pro Firefox

Eu estou dando uma chance pro Firefox, que parece rodar melhor dentro das versões mais recentes do Ubuntu e, para isto, vou importar os meus favoritos do Chromium, para usar no novo navegador.
Aqui, vou mostrar um passo a passo para trazer os seus favoritos do Google Chromium ou Chrome para dentro do navegador Firefox.

Como fazer backup dos seus favoritos no Chromium ou Chrome

Leve o ponteiro do mouse para cima da barra de favoritos do seu navegador e clique sobre um dos itens com o botão direito do mouse.
Em seguida selecione a opção Gerenciador de favoritos.
No painel de gestão de favoritos, selecione Organizar e, em seguida, Exportar favoritos para arquivo HTML…. Escolha um nome e grave o arquivo.
Este é o procedimento para fazer backup do Chromium. A seguir, vou mostrar como usar este backup dentro do Firefox.

Como importar o arquivo de favoritos de outro navegador pro Firefox

Clique no menu Favoritos no Firefox e selecione Exibir todos os favoritos.
No painel Biblioteca, clique no meu Importar e backup e selecione Importar dados de outro navegador. Em seguida, selecione o navegador do qual você deseja importar os dados.

importar e backup do chromium pro firefox
Clique para ampliar.

Vai aparecer uma tela referente ao navegador escolhido, na qual você poderá escolher exatamente as informações que deseja importar de lá.
No caso de estar em inglês, a opção Favoritos corresponde a Bookmarks.
Se isto não funcionou, ou não apareceu qualquer navegador como opção para importar dados (como no meu caso), siga pro próximo item, abaixo.

Como importar dados em HTML pro Firefox

Se não deu certo do jeito anterior, a alternativa é usar dentro do Firefox o arquivo de backup que você gerou, lá no começo deste artigo.
Ainda, dentro do menu Importar e backup, selecione Importar favoritos em HTML…. A seguir, localize e selecione o arquivo de backup gerado no Google Chromium.

como importat favoritos do chromium no firefox
Clique para ampliar

Uma vez feita a importação, surge uma nova pasta com os seus novos favoritos. Você pode alterar o nome da pasta ou arrastar os itens novos para reorganizá-los dentro dos menus de favoritos já existentes no Firefox.
Favoritos, Firefox, organizar e renomear os menus
Clique para ampliar

Divirta-se e não se esqueça de compartilhar o artigo nas redes! 😉

Como instalar flash pro navegador Google Chrome ou Chromium, no Ubuntu

Vou mostrar como instalar rápido e fácil o flash no navegador Google Chromium ou Chrome — no Ubuntu 14.04. O procedimento pode ser efetuado em apenas 3 passos e, provavelmente funcionará em outras distros.

Como instalar flash pro Chromium no Ubuntu 14.04

O Ubuntu 14.04 já incorpora a maioria dos pacotes do repositório Multiverse, o que já reduz os passos para instalar o flash para um.
Clique no botão abaixo, e instale o aplicativo:
Clique para baixar e instalar o aplicativo
Se preferir, abra um terminal e digite (ou copie e cole…):

sudo apt-get install pepperflashplugin-nonfree

Após a instalação, reinicie o seu navegador.
Tudo deve estar “nos conformes”

Como instalar o flash em versões anteriores do Ubuntu

No terminal, adicione os repositórios Multiverse com o comando add-apt-repository, assim:

sudo add-apt-repository "deb http://us.archive.ubuntu.com/ubuntu/ saucy universe multiverse"
sudo add-apt-repository "deb http://us.archive.ubuntu.com/ubuntu/ saucy-updates universe multiverse"

Atualize a lista de pacotes:

sudo apt-get update

Em seguida, instale o plug-in do flash:

sudo apt-get install pepperflashplugin-nonfree

Reinicie o navegador e veja se tudo está funcionando como o esperado.
Divirta-se! 😉

Videoconferência com o appear.in

Você quer conversar com uma ou mais pessoas distantes e gostaria de não precisar instalar mais um app no seu computador ou telefone?
Gostaria também de não ter que pedir para os outros instalarem?
Usar um aplicativo web, pode oferecer a mesma funcionalidade do Whatsapp, Skype etc. sem a necessidade de adicionar qualquer porcaria inútil a mais no seu dispositivo móvel.
Se você já tem um navegador (Chrome, Firefox etc.), então já tem tudo o que precisa para começar a usar um webapp de videoconferência para até 8 pessoas.

Este é o caso do Appear.in.
É gratuito; não exige que se faça login ou registro. É só acessar o site.
appear.in google chrome

Como funciona

Ele foi desenvolvido para fazer uso do WebRTC e, portanto, pode ser usado em qualquer navegador atual, como o Google Chrome, Opera, Mozilla FireFox etc.

O QUE É WebRTC?

Logo WEBRTCO WebRTC é um projeto aberto e gratuito que fornece novas habilidades a navegadores web com suporte a Real-Time Communications (RTC), através de APIs JavaScript simples.

Desenvolvido pela subsidiária de uma das maiores companhias de telecomunicação móvel do mundo, a estatal norueguesa Telenor.
Telenor Group Logo

A equipe de desenvolvimento tinha como objetivo entregar um software simples pro usuário.
A minha opinião é de que conseguiram.
Tudo o que você precisa já deve estar aí.
Você sequer vai precisar de um login.
Ao entrar, será requisitada a criação de uma sala de conversação — e, por “criar”, entenda-se “dar um nome”.
Se você não tiver um nome em mente, o aplicativo sugere um pra você. Aceite-o e entre na sala de conversação.
O link que aparece no topo, na barra de endereços do seu navegador, é o link que você vai passar para as outras pessoas que você deseja que entrem na sala.
É simples assim.
Pode começar a videoconferência.

A segurança no Appear.in

O site do software informa que ele usa comunicação P2P ou ponto a ponto (peer-to-peer).
Em outras palavras, nada é armazenado nos servidores da empresa.
O fluxo de vídeo corre encriptado via SSL entre os participantes da conferência.

Dispositivos testados

Testei em alguns celulares e notebooks.
O software funcionou como o esperado.

teste appear.in no celular
Clique para ampliar

Como não tive paciência para esperar que alguém fosse entrar pra conversar comigo, fiz a experiência de conversar comigo mesmo.
Meio sem graça, eu sei… :p