O KDE Neon é a distro dos que fazem e amam o KDE

Baseada no Ubuntu, a distro KDE Neon é um fork realizado pela própria comunidade de desenvolvedores do KDE Plasma.
O objetivo é ter uma distribuição GNU/Linux para testar as versões mais atuais do ambiente.
kde neon logo

O Neon provê uma maneira fácil e elegante para as pessoas testarem as últimas versões dos softwares que compõem o universo do KDE, à medida em que ele vai evoluindo.

É impossível não comparar com o Kubuntu, claro. Mas a proposta é diferente.
O Kubuntu é uma distro Linux de facto, baseada no Ubuntu.
Já a proposta do KDE Neon é prover o Ubuntu LTS com uma das versões do KDE Plasma, como é explicado abaixo.
Atualmente, os desenvolvedores estão montando o ambiente gráfico sobre o Ubuntu LTS 16.04 Xenial Xerus.
Portanto, a distro continua sendo o Ubuntu — contudo, para facilitar a comunicação, vou continuar a me referir ao KDE Neon como “distro”.
Pode ser instalada a partir de 4 versões ou canais de desenvolvimento:

  1. User Edition LTS — voltada para o ambiente de produção. Se você prefere ter mais estabilidade e um tempo de suporte estendido, este é o melhor KDE Neon para você.
  2. User Edition — voltada para todos os usuários. Se não tiver certeza, baixe sempre esta. Aqui você encontra uma versão do KDE Plasma estável e atualizada com foco no usuário comum.
  3. Developer Edition Stable — O foco deste branch é o desenvolvedor da comunidade KDE. Se você não for desenvolvedor, mas gosta muito do KDE e não se importa de encontrar alguns bugs pela frente, esta edição vai te dar a experiência de uso do software mais atualizado possível, com estabilidade razoável.
    Outro ponto que pode incomodar usuários comuns, na developer edition são as atualizações constantes (diárias) na distribuição.
  4. Developer Edition Unstable — Nesta edição o fluxo das atualizações é mais intenso e você vai se deparar com uma quantidade maior de bugs. Esta é usada pelos desenvolvedores do KDE e é a edição que proporciona uma experiência mais rica em termos de uso de software atualizado.

Lembre-se, quando se fala em stable, unstable ou LTS a referência é o KDE. A versão do Ubuntu é sempre a mesma para todos: a LTS atual.

Quem é o público alvo do KDE Neon

Este é o público a que se destina o produto:

  • desenvolvedores que precisam obter atualizações constantes do KDE e usar a GUI mais avançada possível
  • fãs do KDE, que admiram o trabalho da equipe de desenvolvedores e querem acompanhar a evolução do ambiente e, ocasionalmente contribuir com comentários sobre os rumos do projeto, contar sobre o que está funcionando ou não, nos fóruns sobre o assunto

kde neon logo
A maioria deve optar entre a segunda e a terceira edição.
Os mais aventureiros irão pela Developer Edition Stable. Se você pretende instalar o KDE Neon em uma máquina de trabalho, opte por uma das User Edition, contudo.
A quarta opção pode ser uma boa pedida, se você tiver uma máquina de testes. O que permite que você use os recursos mais avançados que os desenvolvedores colocaram no KDE e, se algo der errado, no máximo será necessário reiniciar o sistema — é o que fazem os usuários de um “outro SO muito popular” e nem reclamam, coitados.
Pessoalmente, gosto mais da interface minimalista do GNOME para trabalhar — mas tenho uma máquina de testes rodando a versão mais atual do Neon há mais de um ano.
Além disso, tenho muitos motivos para gostar do KDE.

Onde baixar o KDE Neon

kde neon site download
O site oficial de download tem uma página com todas as 4 opções reunidas, nesta URL: https://neon.kde.org/download.
Se preferir, pode usar o comando wget, dentro de um terminal, para fazer o trabalho:


# User edition
wget https://files.kde.org/neon/images/neon-useredition/current/neon-useredition-current.iso

# User LTS edition
wget https://files.kde.org/neon/images/neon-userltsedition/current/neon-userltsedition-current.iso

# Developer STABLE edition
wget https://files.kde.org/neon/images/neon-devedition-gitstable/current/neon-devedition-gitstable-current.iso

# Developer UNSTABLE edition
wget https://files.kde.org/neon/images/neon-devedition-gitunstable/current/neon-devedition-gitunstable-current.iso

As imagens são live e, portanto, permitem que você possa testar sem instalar, se quiser.
Para saber como criar um pendrive inicializável, leia este post, por favor.
Se quiser, conte para a gente o que achou do KDE Neon e qual a edição que você prefere. 😉

Conheça o sistema operacional POP!_OS da System76

Denver Colorado skyline
Vista da cidade de Denver, Colorado (EUA)
A System76 é uma empresa norte-americana, sediada na cidade de Denver, no estado do Colorado — no centro geográfico dos Estados Unidos, portanto.
A empresa fabrica e vende computadores e acessórios voltados para a comunidade de usuários de softwares livres.
Para ser mais específico, vende equipamentos pré-instalados com o sistema operacional Ubuntu.
Opcionalmente, é possível baixar os papéis de parede e o tema GTK da System76
O sistema operacional POP!_OS (não esperem que eu mantenha esta grafia…) é um passo a mais para personalizar os excelentes computadores da empresa.

Vamos conhecê-lo melhor e saber o que oferece.

O que é o System76 POP!_OS

De acordo com a empresa, o POP OS foi projetado para os proprietários de seus equipamentos e é baseado no sistema operacional Ubuntu.
Entre estes usuários se encontram designers, programadores, profissionais gráficos que precisam desenvolver modelos 3D sofisticados etc.
O propósito da interface POP é “ser invisível” e atrapalhar o mínimo possível o fluxo do trabalho do usuário, ao mesmo tempo que pretende oferecer possibilidades avançadas de customização.
Uma vez que é baseado no Ubuntu, o POP se beneficia da vastidão de softwares da plataforma, disponível em seus repositórios.

A proposta do POP!_OS sintetiza o que sempre pensei de uma boa interface gráfica: ser simples e não atrapalhar o meu trabalho.
Acredito que o melhor ambiente desktop é aquele que fica fora do nosso caminho, usa o mínimo de recursos e deixa o máximo livre para rodar os aplicativos.

Se o POP vai entregar ou não o que promete… é você quem vai dizer, se fizer o download e o testar.

Como baixar e instalar o POP OS

No momento em que escrevo este post, o produto ainda está em fase Alpha (baseado no Ubuntu 17.04) e tem previsão de lançamento para Outubro de 2017 — neste caso, provavelmente será baseado no Ubuntu 17.10.
O link para download é este: http://iso.system76.com/current/pop-os.iso.
Se preferir, use o wget para baixar a versão atual (current):


wget http://iso.system76.com/current/pop-os.iso

Outras versões (anteriores), podem ser encontradas neste site: http://iso.system76.com/.
A companhia, até agora, não liberou torrents, que costumam ser mais rápidos para baixar.
System76 Galápagos

O Linux precisa, mesmo, de um outro fork do Ubuntu?

Antes desta pergunta, poderíamos também questionar se a comunidade precisa também de mais um desktop gráfico.
E outro sabor do Linux, baseado no Ubuntu?!
Lançar e manter atualizado apenas um tema da empresa, não seria suficiente?

Eu também adoraria perguntar: « Não tinha um nome “mais complicado” para escolher?! »

É claro que o mundo do software livre é feito de diversidade de opções e esta é uma das coisas mais lindas que há, por aqui.
A gente é assim: ama personalizar o nosso ambiente.
Se o local de trabalho tiver centenas de computadores rodando Linux, nenhum será igual ao outro.
A diversidade faz parte deste espírito coletivo.
Mas, enfim, já temos o Linux Mint, Ubuntu (Mate, GNOME, Kubuntu, Neon, Deepin, Xubuntu etc.)
system76 laptop
A Dell também vende computadores com seu Ubuntu OEM pré-instalado. Por que a System76 não poderia personalizar uma distro para atender melhor a seus clientes?
Convenhamos que o pessoal da System76 demonstra muito mais paixão pelo Linux (especificamente, pelo Ubuntu) do que o pessoal da Dell…
A propósito, eu experimentei o POP OS no meu Dell 5448 e gostei. Creio que vou mantê-lo por algum tempo — depois eu volto para o Debian, como sempre… 😉
Comente. Dê sua opinião.

Referências

Site oficial do POP!_OS: https://system76.com/pop.
Site de ofertas de laptops da System76: https://system76.com/laptops.

Conheça o projeto Sputnik: uma parceria entre a Canonical e a Dell para oferecer laptops com Ubuntu para desenvolvedores

Que a Dell vende laptops e PCs com Ubuntu, não é novidade.
Você pode adquirir, hoje, máquinas da linha Inspiron, com o Ubuntu pré-instalado, claro.
Dell XPS 13 Development Edition
O projeto Sputnik nasceu de uma proposta de Barton George, da Dell – ainda, em 2012.
Àquela época já era possível comprar máquinas low end (de baixo custo), da Dell com o sistema operacional Ubuntu 12.04 LTS instalado.
Dell XPS 13 Development Edition
Barton propunha levar o projeto a outro nível — o dos computadores da outra ponta ou high end.
Batizado de Project Sputnik, consistia da iniciativa transparente, de perguntar aos desenvolvedores sobre o que gostariam de ter em um laptop Linux.

Uma de suas primeiras descobertas foi que o público para este tipo de equipamento era maior do que se imaginava.

Em 2015, a linha Precision foi adicionada e os XPS já estão há 6 gerações dentro do projeto.
O Sputnik tomou um grande impulso e vem crescendo 100% a cada ano, desde 2015.
Dell XPS 13 Development Edition

O projeto Sputnik no Brasil

Dell XPS 13 Development Edition
Site da Dell, nos Estados Unidos, oferece 4 modelos do XPS 13 Development Edition com Ubuntu pré-instalado.
O cliente ainda pode optar entre as cores Silver (prata) e Rose Gold (rosa dourado).

A realidade pode ser um tanto desalentadora, uma vez que não há previsão de se estender o projeto ao Brasil.
O Dell XPS 13 modelo 9360 é vendido também na versão brasileira do site da empresa — mas com “outro sistema operacional”.
Ainda assim, nada o impede de instalar o seu próprio Linux.
O problema é que o Ubuntu padrão da Canonical nem sempre é o mesmo que vem instalado nos equipamentos Dell, como explico neste post.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Referências

https://insights.ubuntu.com/2017/06/14/project-sputnik-crazy-idea-to-community-driven-developer-systems/?_ga=2.122658699.1278648682.1497471045-1533849342.1497471045

Como usar Ubuntu com o Arduino

Preparar o seu computador com Ubuntu para trabalhar (ou brincar) com o Arduíno é muito fácil.
A versão 16.04 Xenial Xerus traz, pelo menos, 5 pacotes oficiais para instalar no seu sistema e começar a “fuçar” no seu kit novo.
ubuntu arduino packages
Use o apt search para encontrar os pacotes:


apt search arduino

Sorting... Pronto
Full Text Search... Pronto
arduino/xenial,xenial 2:1.0.5+dfsg2-4 all
  AVR development board IDE and built-in libraries

arduino-core/xenial,xenial 2:1.0.5+dfsg2-4 all
  Code, examples, and libraries for the Arduino platform

arduino-mighty-1284p/xenial,xenial 1-2 all
  Platform files for Arduino to run on ATmega1284P

arduino-mk/xenial,xenial 1.5-2 all
  Program your Arduino from the command line

pd-pduino/xenial,xenial 0.5.1-1 all
  interfacing with the Arduino from within Pure Data (Pd)

Você pode obter informações individuais sobre cada um destes pacotes, com o apt show. Segue um exemplo:


apt show arduino

Vamos conhecer um pouco mais de cada um destes pacotes, nos próximos tópicos.
foto do arduino uno r3

O pacote de softwares arduino no Ubuntu

O primeiro pacote da lista é, provavelmente, o principal.
Ele contém a IDE AVR (2:1.0.5+dfsg2-4) de desenvolvimento da placa e algumas bibliotecas.
Ele requer também a instalação dos pacotes arduino-core (obrigatoriamente) e do arduino-mk (como sugestão).
Com relação à IDE, se você fizer questão e não se importa de compilar um pouco de código, pode obter uma versão mais atual no site http://www.arduino.cc.
Se você está iniciando, isto é tudo o que você vai precisar, por enquanto.

O pacote arduino-core

Como eu disse, este pacote é requerido e instalado automaticamente com o pacote principal do Arduino no Ubuntu.
Ele contém códigos-fonte, códigos exemplo e bibliotecas essenciais ou complementares para você desenvolver para a plataforma.

O pacote arduino-mighty-1284p

Contém os arquivos necessários para rodar a plataforma do processador ATmega1284P.
Se você já olhou a sua placa cuidadosamente e se ela não contém este processador, é muito provável que não precise deste pacote.
atmel arduino atmega 1284p

O pacote arduino-mk

É sugerido, no momento da instalação dos outros.
Com ele é possível programar o seu Arduino direto da linha de comando do Linux.
Entre outros softwares, o pacote contém o utilitário ard-reset-arduino que… faz o que o nome diz: reseta o arduino.
Pode ser necessário, em alguns momentos.

Pure Data com Arduino

O último pacote da lista traz software para comunicação e interação com a placa e troca de dados puros ou pure data.
Este pacote é instalado, como padrão, no Ubuntu Studio e é voltado para as pessoas que usam o hardware para reproduzir sons, áudio etc.
A página oficial do projeto é https://puredata.info/downloads/pduino.
Como resumo, iniciantes apenas precisam instalar o primeiro pacote arduino e, eventualmente, o arduino-mk. São pequenos, leves e ocupam um espaço ínfimo no seu sistema.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Como e onde baixar o Dell OEM Ubuntu?

Donos de laptops ou desktops da Dell que, originalmente, vieram com o sistema operacional Ubuntu instalado podem precisar obter uma nova cópia da ISO de instalação, seja da versão 14.04 LTS Trusty Tahr, 16.04 LTS Xenial Xerus ou superior.
dell inspiron 14 5000
A recomendação, antes de fazer o unboxing do seu equipamento Dell é separar um flash drive (pendrive) para poder criar um sistema de recuperação, durante a instalação do sistema.
Em alguns casos, o procedimento inicial de instalação não prontifica o usuário para criar um dispositivo externo de recuperação — por que ele já está incluído no próprio HDD.
De qualquer maneira, o problema é que inúmeros incidentes podem acontecer durante a vida útil de um notebook Dell:

  • O flash drive pode se perder, se danificar, alguém gravar por cima do seu conteúdo etc.
  • O HDD ou SSD pode ser danificado ou reparticionado desavisadamente.
  • Muitos usuários não sabem que há diferenças entre o Ubuntu Oficial da Canonical e o Dell OEM Ubuntu. Por isso, reparticionam e formatam o sistema inteiro, logo após o unboxing (eu já fiz isso!), para instalar uma versão mais atual do próprio Ubuntu ou uma outra distro Linux.

Contudo, existe (na maioria das vezes) solução possível para os que desejam voltar à versão original do sistema operacional de seu equipamento, no próprio site da Dell.
As exceções ficam por conta de algumas poucas máquinas que, mesmo com certificação da Canonical, não têm total compatibilidade.
Este é o caso, por exemplo do Dell Inspiron 5448 que possui uma placa gráfica híbrida Intel/AMD que, até o momento, não tem total suporte ao Linux.

Nunca é demais repetir que os problemas de compatibilidade de hardware no Linux se deve aos fabricantes que se recusam a fornecer drivers e/ou especificações para que a própria comunidade os desenvolva.

Como obter a ISO Dell OEM Ubuntu

A imagem ISO, que você precisa, é fornecida pela própria Dell, em seu site.
Vá até a página http://www.dell.com/support/home/us/en/19/Drivers/OSISO/linux e forneça a tag de serviço ou service tag do seu equipamento.
Em laptops, a tag é composta de 7 dígitos/caracteres e costuma ficar na parte debaixo, inscrita em uma pequena etiqueta autoadesiva.
No Linux, é possível obter esta informação com o comando lshw:

sudo lshw | grep -i "serial:"

Se você obtiver a mensagem: “Imagem de recuperação indisponível atualmente” ou “Recovery image currently unavailable“, a alternativa é entrar em contato com o suporte da Dell e solicitar o arquivo.
dell tecnical support message
Também chamada de Dell Hosted Recovery Image (Imagem de Recuperação Armazenada pela Dell) ou, ainda, Dell Linux Recovery Image — contém todos os drivers para os dispositivos componentes da sua plataforma de hardware.
Após baixar a imagem .iso ou .img, use o comando dd para gravá-la no pendrive ou um destes outros métodos.