Como desinstalar programas no Linux

É um fato: instalo muita coisa por impulso. Os métodos são o mais variados possível — os de remoção também. Mas, nem sempre, o caminho é exatamente o inverso.

Central de programas do ubuntu - como instalar ou desinstalar programas no Ubuntu
Clique para ampliar.

Ao instalar um software através da Central de Programas do Ubuntu, a desinstalação deve ser feita através deste mesmo aplicativo.
Se você usou o apt-get para instalar, use-o para desinstalar. Isto vale para qualquer um dos outros métodos: aptitude, dpkg, rpm, yum, tarballs etc.
Pra quem usa Debian ou Ubuntu, a documentação oficial do Debian dá conta de que o apt-get e o aptitude gerenciam as dependências de forma diferente. Portanto, evitar usar os dois para gerenciar a instalação/desinstalação de aplicativos, pode evitar dores de cabeça.

Como remover pacotes de softwares instalados no Debian ou Ubuntu

Se você instalou com o apt-get:

sudo apt-get remove nome_do_pacote

Use a opção purge para remover também os arquivos de configuração:

sudo apt-get --purge nome_do_pacote

Se você instalou um pacote .deb, com o dpkg:

sudo dpkg --remove nome_do_pacote

Você pode usar a opção --purge aqui também:

sudo dpkg --purge nome_do_pacote

Se você não tem intenção de reinstalar o aplicativo, deve usar a opção purge, para manter o seu sistema limpo.
O comando aptitude tem a mesma sintaxe do apt-get.

Como remover pacotes de aplicativos com o rpm e yum

O rpm é semelhante ao dpkg, só que é usado no Red Hat, Novell e no IBM AIX.
Este comando remove os arquivos binários, as bibliotecas e os arquivos de configuração:

rpm --erase nome_do_pacote

O yum é um frontend para o rpm e é usado no Fedora, no RedHat, no CentOS, entre outros. Tem a seguinte sintaxe:

yum remove nome_do_pacote

Como remover aplicativos instalados a partir do código fonte — tarballs

Instalar aplicativos a partir do código fonte é uma prática comum e muita gente gosta de poder compilar a partir do código fonte os seus programas — por que este método dá todo o poder que você precisa para otimizar seu software em relação ao seu hardware.

Use o comando make para desinstalar

Este é o método mais fácil, mas nem sempre é suportado pelos pacotes de aplicativos que vêm em tarballs.
Há casos em que tudo o que precisa ser feito, é remover o diretório em que você instalou os arquivos.
Normalmente, os arquivos INSTALL e README, presentes no próprio diretório em que você descompactou e compilou o(s) aplicativo(s) que deseja desinstalar agora, contém instruções de desinstalação.
Para desinstalar com o make, entre neste mesmo diretório e rode o comando make:

make uninstall

Conclusão

Use o manual man do seu sistema para obter mais informações de uso do seu software de gerenciamento de pacotes.
Se eu puder reforçar um conselho, para quem usa Debian, Ubuntu etc. é que use apenas um ou outro, no que tange o aptitude e o apt-get, para evitar bagunçar o seu sistema na gestão das dependências.
No mais, divirta-se experimentando novos programas.

Conteúdo relacionado pelo Google

Como instalar aplicativos até 4x mais rápido no Ubuntu — use o apt-fast!

Este artigo vai mostrar como acelerar a instalação de softwares em sistemas baseados no Debian, como o Ubuntu. Há várias outras maneiras preferíveis de se fazer isto. Mas, se você já experimentou mudar o mirror padrão dos seus repositórios, checou sua conexão com a Internet etc… e nada disso surtiu o efeito esperado, tente usar o apt-fast.
Trata-se de um shell script que envolve o aptitude e o apt-get e tem o objetivo de acelerar o download dos pacotes. Algumas análises apontaram velocidade de download 4 vezes maior pelo apt-fast do que via apt-get — quanto maior o volume de dados, maior a diferença a favor do apt-fast.

apt-get a life
apt-get a life!

Internamente, o script faz uso da ferramenta de download aria2, que baixa os arquivos em “fragmentos”, vindos de múltiplos mirrors (servidores espelho), simultaneamente – de maneira semelhante a como você baixa via torrent.
Trata-se de uma ferramenta desenvolvida por Matt Parnell e colaboração de Dominique Lasserre, entre vários outros.

Como instalar

Vamos ver o processo de instalação em 4 distribuições diferentes. Se quiser, você pode pular direto para a sua – mas não esqueça de ler a última sessão deste tutorial, onde vamos explicar como fazer alguns ajustes importantes no Ubuntu.

PCLinuxOS

Software integrante dos repositórios do PCLinuxOS, é nesta distro que ele é mais facilmente instalado. Veja como:

sudo apt-get install apt-fast

Debian

No Debian o procedimento começa com a instalação do aria2:

sudo apt-get install aria2

Em seguida, vamos baixar os pacotes de instalação via wget:

wget https://github.com/ilikenwf/apt-fast/archive/master.zip

Quando o arquivo terminar de baixar, descompacte-o:

unzip master.zip

vamos entrar no diretório que foi criado e copiar o executável pro diretório /usr/bin, onde outros programas do sistema já se encontram:

cd apt-fast-master
sudo cp apt-fast /usr/bin

Vamos copiar o arquivo de configuração pro lugar adequado:

sudo cp apt-fast.conf /etc

Os arquivos da documentação pro man:

sudo cp ./man/apt-fast.8 /usr/share/man/man8
sudo gzip /usr/share/man/man8/apt-fast.8
sudo cp ./man/apt-fast.conf.5 /usr/share/man/man5
sudo gzip /usr/share/man/man5/apt-fast.conf.5

Pronto! Isto deve resolver a história no Debian.

Ubuntu e Linux Mint

No Ubuntu ou no Linux Mint, o processo se resume a 3 passos – adicionar um repositório, atualizar a lista e instalar. Comece adicionando a PPA do apt-fast:

sudo add-apt-repository ppa:apt-fast/stable

PPA add-apt apt-fast
Com o próximo comando, vamos re-sincronizar os arquivos de índice no sistema:

sudo apt-get update

E, finalmente, a instalação:

sudo apt-get install apt-fast

Note que, durante o processo de instalação, no Ubuntu/Mint, você poderá optar entre usar o apt-get ou o aptitude. Opte pelo que você já tem o costume de usar.
apt-get ou aptitude
Para o resto das opções que lhe forem apresentadas, pelo sistema de instalação, apenas pressione Enter. Faça alterações apenas se tiver certeza absoluta do que está fazendo. Mais tarde, se desejar, é possível alterar estas configurações.

Configurações do apt-fast — sintonia fina

Neste ponto, o aplicativo já está instalado. Alguns ajustes, na lista dos mirrors a ser usada pelo programa são interessantes. O ideal é que sejam escolhidos apenas aqueles que estiverem hospedados em servidores geograficamente próximos a você. Lembra que o objetivo de tudo isto é aumentar velocidade do download nas instalações? Então vamos lá.
Para inserir os repositórios do Ubuntu/Mint, estabelecidos no Brasil, abra o arquivo /etc/apt-fast-conf e mude a linha:

MIRRORS=('none')

por:

MIRRORS=('http://mirror.globo.com/ubuntu/archive/, ftp://ubuntu.c3sl.ufpr.br/ubuntu/, http://ubuntu.c3sl.ufpr.br/ubuntu/, http://ubuntu.mirror.pop-sc.rnp.br/ubuntu/, http://mirror.unesp.br/ubuntu/, http://sft.if.usp.br/ubuntu/, ftp://sft.if.usp.br/ubuntu/, http://ubuntu-archive.locaweb.com.br/ubuntu/, http://ubuntu.laps.ufpa.br/ubuntu/, http://www.las.ic.unicamp.br/pub/ubuntu/, ftp://ftp.las.ic.unicamp.br/pub/ubuntu/')

No caso do Debian use o texto abaixo:

MIRROR=('
http://download.unesp.br/linux/debian/, ftp://ftp.br.debian.org/debian/, ftp://ftp.br.debian.org/debian/, ftp://debian.c3sl.ufpr.br/debian/, http://debian.c3sl.ufpr.br/debian/, http://sft.if.usp.br/debian/, ftp://linorg.usp.br/debian/, http://linorg.usp.br/debian/, ftp://ftp.pucpr.br/debian/, ftp://debian.las.ic.unicamp.br/debian/, http://debian.las.ic.unicamp.br/debian/, http://debian.pop-sc.rnp.br/debian/, ftp://debs.pelotas.ifsul.edu.br/debian/, http://debs.pelotas.ifsul.edu.br/debian/')

Como usar o apt-fast

Você pode usá-lo da mesma maneira que usa o apt-get:

sudo apt-fast install nome-do-pacote

Mais informações podem ser encontradas nas páginas do manual:

man apt-fast

Conteúdo relacionado pelo Google