Como alterar a splash screen da inicialização do GIMP

A tela splash é comum na inicialização de softwares aplicativos ou sistemas operacionais.
Ela é usada como “tela de espera”, enquanto alguns arquivos importantes, como bibliotecas, são carregados.

O splash ajuda a “entreter” o usuário, durante a inicialização do software.
No GIMP 2.8, o arquivo de imagem, contendo o splash se chama gimp-splash.png.
No Linux (o meu é o Debian 10), ela pode ser encontrada em /usr/share/gimp/2.0/images — e você precisa ter privilégios administrativos para editar ou trocar este arquivo.
gimp splash pasta

Use a imagem que quiser, mas fique atento a estas 2 dicas:

  1. Grave a imagem com o nome ‘gimp-splash.png’ e no formato PNG — dentro do diretório /usr/share/gimp/2.0/images
  2. Use tamanhos pequenos e compactos. Não use imagens que demorem para carregar.

Para usuários Windows (me corrijam se eu estiver errado), a pasta certa é C:\Documents and Settings*user_name*.gimp-2/share/gimp/2.0/images.

Aonde encontrar splash screens prontas

No GNOME-Looks é possível encontrar centenas de opções prontas de splash screens, para baixar.
Este é o link: https://www.gnome-look.org/browse/cat/194/.

gimp splash original
Imagem original da splash screen do GIMP.

Como adicionar pincéis ao GIMP

Formatos novos de pincéis podem ser facilmente adicionados ao GIMP.
Os novos itens podem ser usados em ferramentas, como pincel, aerógrafo etc.

O pacote gimp-data-extras, acrescenta instantaneamente inúmeros formatos de pincel — também chamados brushes — para usuários Linux. Saiba mais aqui.
gimp brushes

Outra forma de adicionar itens ao seu painel de escolha e configuração de pincéis/aerógrafo é baixar da Internet.
Para isto basta abrir o seu buscador favorito e procurar (por exemplo) por “download gimp brushes“.

Geralmente, vários tipos e formatos de pincéis são agrupados em um único pacote (.zip, .7z, .tar.xv etc.)
O importante é que o conteúdo deste pacote tem que ser transferido para a pasta certa.
Para usuários Linux, a pasta correta é ~/.gimp-2.8/brushes.
Como é uma pasta escondida, pode ser necessário teclar Ctrl+H, para fazê-la aparecer no seu gerenciador de arquivos.
Na imagem abaixo, você pode ver a minha pasta pessoal brushes, com alguns itens já adicionados.

Onde encontrar mais brushes para o GIMP

Sites, como o DeviantArt, o Github e o Gnome-look costumam ter bastante opções.
Veja algumas sugestões que eu testei:
No DeviantArt: https://www.deviantart.com/resources/applications/gimpbrushes/popular-all-time/?offset=0
No textureMate: http://texturemate.com/content/brushpacks
No GNOME Look: https://www.gnome-look.org/browse/cat/191/ord/latest/.

Como adicionar texturas ao GIMP

O programa de manipulação de imagens, GIMP pode receber uma série de melhorias com a instalação de plugins, addons, temas, texturas, paletas etc.
Neste texto, vou mostrar como é fácil acrescentar patterns (texturas), que você pode usar para preencher áreas das suas imagens.

O post se baseia no GIMP 2.8, rodando em um sistema operacional Debian GNU/Linux 10 “Buster” testing.
Como estas configurações são universais, creio que vale para qualquer outro sistema operacional ou distro Linux.
Comente, ali embaixo, para eu e outros leitores ficarmos sabendo como tudo correu pra você. Não esqueça de citar o seu sistema operacional.

Dentro da sua pasta pessoal de arquivos, fica guardada a pasta de configuração do GIMP.
No meu sistema, o nome dela vai ser ~/.gimp-2.8/.
Para usuários windows, a pasta deve ser C:\Program Files\GIMP 2\share\gimp\2.8\ ou C:\Arquivos de Programas\GIMP 2\share\gimp\2.8\
Se a sua versão (do GIMP) for divergente da minha, o número provavelmente será diferente.
Dentro da pasta de configurações, há outra, específica para receber as texturas. ou patterns, adicionais.
pasta de texturas do gimp

Vou seguir dando exemplos apenas com o Linux.
Tente adequar as informações deste post à sua situação aí.

O importante é que você precisa copiar os arquivos de textura para dentro da pasta Patterns, conforme a imagem acima.

Como obter novas texturas para o GIMP

Usuários Linux, podem buscar um set com dezenas de novos itens, dentro dos repositórios oficiais. Saiba como fazer isso aqui.

Adicionalmente, dá para encontrar novos pacotes com patterns no GitHub, no DeviantArt ou fazendo buscas com o Google ou DuckDuckGo.
O site Gnome-Looks tem uma página com uma série de pacotes de texturas. Confira no link: https://www.gnome-look.org/browse/cat/192/.

Há várias opções de texturas em http://texturemate.com/content/patterns.
Tente também os links deste site: http://designbeep.com/2011/10/11/40-sets-of-free-and-extremely-useful-patterns-for-your-designs/.

Pode ser necessário reiniciar o GIMP para poder ter acesso às novas texturas.
Nas versões mais novas do aplicativo, basta atualizar a exibição de patterns, na barra inferior da janela de texturas.
janela de seleção de texturas

Como adicionar temas ao GIMP

O GIMP, como muitos outros aplicativos GTK, aceita temas e personalização de ícones.
Já que o visual do programa, na sua instalação padrão, não se integra muito bem ao tema principal do sistema operacional, o usuário pode se sentir liberado para fazer outras escolhas estéticas.

Basicamente, tudo o que você precisa fazer é encontrar o pacote do tema desejado e extrair seu conteúdo para a pasta de temas do GIMP.
Sim, a instalação padrão do GIMP, já vem uma pasta própria para receber arquivos de temas.
GIMP Tema Dark

A instalação default oferece um tema com ícones pequenos, como alternativa para quem deseja melhorar o aproveitamento do espaço, enquanto trabalha com o aplicativo.

A pasta de temas fica em ~/.gimp-x.x/themes — em que “x.x” é a versão do GIMP.
No meu caso, o nome da pasta é ~/.gimp-2.8/themes.

É dentro desta pasta, que os arquivos dos temas devem ficar.

Conteúdo atual da minha pasta de temas GIMP 2.8
Conteúdo atual da minha pasta de temas GIMP 2.8

Os sites de temas costumam oferecer pacotes em tar.gz, tar.xv, .ZIP etc.
O importante é que você faça a extração do conteúdo de cada pacote na pasta de temas, que mencionei acima.

Para ver os temas adicionados, inicie o GIMP e abra o painel Preferências, dentro do menu Editar.
Em seguida, selecione a aba Tema.
Lista de temas para GIMP

Lembre-se de reiniciar o GIMP, para ver os novos temas adicionados à relação.

Onde encontrar temas para o GIMP

GIMP Tema Pro

Há vários sites com temas para aplicativos GTK/GNOME.
O Gnome-looks é um deles: https://www.gnome-look.org/browse/cat/268/.
Use o seu mecanismo de busca favorito, para encontrar temas. Veja alguns exemplos:

Temas no DeviantArt: https://duckduckgo.com/?q=gimp+themes+deviantart&t=h_&ia=images.
Temas no GitHub: https://github.com/search?utf8=%E2%9C%93&q=gimp+theme&type=.

Como trabalhar com presets no GIMP

No mundo dos softwares proprietários, estão trocando e distribuindo presets a torto e a direito… e no GIMP?!
Como posso criar e usar presets no GIMP?

O GIMP cria presets automaticamente e ainda permite gerenciar seus ajustes personalizados de inúmeras formas.

O que são presets?

Ao editar imagens dentro do GIMP – ou qualquer outro editor – você sempre vai querer obter os melhores resultados.

Às vezes apanhamos um pouco (ou muito) para conseguir obter aqueles ajustes perfeitos de tons/tonalidades para determinados tipos de imagens.
Não é um trabalho fácil.

Como criar presets no GIMP?

Geralmente, os ajustes necessários para obter o melhor tom costumam ser o balanco de cores, saturação, matiz, curvas etc.
No GIMP, tais ajustes ficam agrupados no menu Ferramentas/Ferramentas de Cores.
gimp - ferramentas de cor

Ao editar fotos relativamente similares, pode se beneficiar de aplicar o mesmo conjunto de ajustes que funcionou em uma delas, nas outras.
Preset, quer dizer pré-ajustado.
Com este recurso, não é necessário memorizar tudo o que foi feito na imagem anterior.
Os presets, permitem usar os ajustes aplicados à imagem anterior em qualquer outra.
menu de presets

Se você tem um conjunto de 10 fotos de flores, só precisa fazer os ajustes de tons na primeira e reaplicá-lo nas outras fotos.
É para isto que servem os presets — é para poupar o seu tempo.

Outra forma de usar os presets, é aplicar efeitos prontos em suas imagens, semelhantes aos dos filtros do Instagram, Flickr, Google Photos etc.

A cada vez que você realiza um ajuste nas ferramentas de cores (exceto a “dessaturação”, “posterizar” e outros plugins prontos), o GIMP já salva automaticamente, como um preset — pronto para ser usado outras vezes.
Como padrão, cada preset é gravado com um título, que inclui a data e a hora de sua criação — mas você pode (e deve) usar nomes que ajudem a entender melhor o que aquele “pré-ajuste” específico faz.
nome do preset

Você também pode gravar seus presets favoritos em arquivos, para levá-los a outro computador ou compartilhar com outras pessoas.

Como gravar seus presets em arquivos

Para alguns fotógrafos ou editores excepcionais, os presets podem ser valiosos.
É comum distribuírem seus pré-ajustes entre seus clientes ou seguidores na rede social.
Alguns profissionais vendem seus presets, para Lightroom, por exemplo.
Não há qualquer impedimento para você vender os que criou no GIMP.
Como eu disse antes, dá para gravar seus presets em arquivos — para guardar, distribuir, comercializar etc.
Para isso, selecione um dos seus presets do menu dropdown e clique sobre o símbolo de menu, à direita do painel de ajustes.
Em seguida selecione “Exportar configurações para arquivo”.
gimp exportar preset

Você pode salvar o seu arquivo aonde quiser.
Para ter um acesso mas fácil a seus presets, sugiro usar uma pasta específica, no seu sistema, para eles.
gravar presets no GIMP