Use o wallch para alternar o papel de parede no desktop Linux.

Com o aplicativo wallch — abreviatura de wallpaper changer (ou alternador de papel de parede) — a troca de imagens é feita automaticamente.
Trata-se de um gerenciador de papéis de parede (mas suas opções vão além disso, como veremos).

O wallch é feito pelo pessoal do Mellori Studio.
É livre — mas você pode contribuir financeiramente com o projeto, se quiser — e introduz vários recursos que trazem de volta a magia dos wallpapers.
wallch screenshot

Como instalar o Wallch

O software tem suporte a distribuições GNU/Linux em distribuições
No Ubuntu, é possível instalar a partir dos repositórios oficiais:

sudo apt install wallch

Possíveis problemas com o wallch

Pode haver várias razões para o Wallch não funcionar como o previsto no seu sistema. Segue as mais comuns:

  1. O seu ambiente Desktop não é suportado pelo aplicativo.
    O Wallch 4.0 tem suporte total aos desktop environments GNOME, Mate, LXDE e XFCE.
    Se o seu não faz parte desta lista, o Wallch irá rodar normalmente, mas provavelmente não produzirá qualquer efeito no seu desktop.
  2. Se o seu ambiente desktop está entre os suportados, também é provável que o Wallch, não o tenha conseguido detectar adequadamente.
    O fato é que o Wallch tenta fazer a detecção ao rodar pela primeira vez, baseado nos arquivos de configuração presentes na sua instalação.
    é um jogo de adivinhação, contudo.
    Portanto, você pode fazer sua própria verificação, no menu de preferências.
  3. O seu Desktop Manager pode estar congelado ou travado, por algum motivo. Neste caso, reiniciar a sessão, pode resolver o problema.
  4. O Wallch nem chega a rodar. Se você executa o aplicativo, já na inicialização, verifique o ícone na gaveta ou barra de status do sistema. Ali, é onde as mensagens de notificação (erros, avisos etc) são exibidas.
    É o local onde a explicação para o não funcionamento pode ser encontrado.

Referências

http://melloristudio.com/wallch/.
http://www.omgubuntu.co.uk/2016/12/8-bit-day-wallpaper-changes-day.
http://www.noobslab.com/2016/05/wallch-4-wallpaper-manager-live-clock.html.
http://danny.care/bitday/download/.
http://imgur.com/a/gmgJZ.

Como fazer troca de papel de parede aleatória e automática no Openbox

O Openbox é uma das opções de gerenciador de janelas mais leves, rápidas e flexíveis na sua configuração.
É muito rápido, se usado dentro de ambientes desktop, como o GNOME ou o KDE. Alguns o usam dentro do ambiente criado pelo XFCE.
openbox logo
Mas é dentro do LXDE (padrão no Lubuntu) é que se pode obter o melhor equilíbrio entre recursos de software disponíveis e a velocidade do Openbox.
Neste texto, vou mostrar como configurar o papel de parede do sistema, usando o aplicativo feh e como incluí-lo em um pequeno script, para alterar automaticamente e aleatoriamente os papéis de parede do ambiente.
O post se baseia em uma instalação Lubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus padrão. Nesta situação, a quantidade de papéis de parede pode ser muito limitada, como é possível observar, nos diretórios padrão de wallpapers:

ls /usr/share/lxde/wallpapers/
lxde_blue.jpg  lxde_green.jpg  lxde_red.jpg
_

ou…

ls /usr/share/lubuntu/wallpapers/
1604-lubuntu-default-wallpaper.png  lubuntu-default-wallpaper.png
lubuntu-default-wallpaper.jpg

Nos exemplos deste texto, os papéis de parede estão localizados em ‘~/Imagens/wallpapers’ e foram baixados deste perfil no deviantart.

Use o feh para trocar o papel de parede no Openbox

O Openbox, por si, não tem a capacidade de trocar o papel de parede.
Para isto, as pessoas usam aplicativos a parte.
Neste artigo, vou mostrar o uso do feh. Mas, você pode encontrar outros ótimos aplicativos para realizar esta tarefa na central de programas ou através do apt:

apt search wallpaper

O comando, acima, vai mostrar também alguns pacotes de papéis de parede que podem ser baixados para a sua distro.
Para instalar o feh, no Ubuntu ou no Debian, use o apt:

sudo apt install feh

O feh pode ser utilizado apenas como visualizador de imagens — e, como a maioria dos programas desta categoria, permite alterar o plano de fundo do X, entre outras coisas.

feh Imagens/wallpapers/talaxy_by_lucaciavatta-d9ezfor.png 

Clique no meio da imagem escolhida, com o botão direito do mouse ou touchpad e selecione File -> Background -> Set Tiled, Set Scaled, Set Centered ou Set Filled.
feh visualizador de imagens e troca de papel de parede
Você pode fazer a mudança do papel de parede direto na linha de comando com uma das opções seguintes:

  • --bg-center para centralizar a imagem de fundo.
  • --bg-fill para preencher todo o fundo da tela com a imagem, mantendo sua proporção.
  • --bg-max faz o mesmo que o –bg-fill, mas adiciona bordas negras ao redor da imagem, quando não for possível manter a proporção.
  • --bg-scale para preencher completamente a tela, mesmo com sacrifício da proporção.
  • --bg-tile repete a imagem até preencher o fundo da tela. Indicado para imagens pequenas.

Veja um exemplo:

feh --bg-scale Imagens/wallpapers/magnaplaza_by_lucaciavatta-d9dabv7.jpg
_

Em um exemplo de configuração de 2 monitores, é possível distribuir a imagem pelas telas. Veja como fazer:

feh --bg-scale --no-xinerama Imagens/wallpapers/seateal_by_lucaciavatta-d9cyc64.jpg 

Na imagem, abaixo, exemplo de configuração física com 2 monitores (um em cima, outro embaixo).
feh background no xinerama

Como tornar a imagem de fundo persistente após reiniciar o sistema

Para manter a imagem de fundo persistente através do boot/reboot do sistema, é necessário adicioná-lo a um arquivo de configuração.
A solução, que segue, faz uso do autostart do Openbox. Se você não tiver intimidade com este recurso, leia este texto.
O feh, costuma manter em seu arquivo de configuração a última opção feita.
Você pode ver isto aqui:

cat ~/.fehbg 
#!/bin/sh
feh --no-xinerama --bg-scale '/home/justincase/Imagens/wallpapers/seateal_by_lucaciavatta-d9cyc64.jpg'

Como se vê, trata-se de um pequeno arquivo de script, que pode ser executável. Para isto é necessário dar-lhe as permissões adequadas:

chmod +x ~/.fehbg

Agora, adicione o ~/.fehbg ao final do arquivo ‘autostart’:

echo "~/.fehbg" >> ~/.config/openbox/autostart

Como fazer com que o feh selecione imagens aleatórias para papel de parede

Crie um script com o seguinte conteúdo:

#! /usr/bin/env sh
 WALLPAPERS="/home/justincase/Imagens/wallpapers/"

 desktop_bg=$(find "$WALLPAPERS" -type f | shuf | head -n 1) &&
 exec feh --bg-scale "$desktop_bg"

Eu nomeei o meu script como wallpaper.sh e o guardei em ~/bin.
Tome o cuidado de editar o seu script e dar à variável WALLPAPERS o endereço correto do diretório onde você guarda as suas imagens favoritas para o fundo da tela.
Verifique se o script está funcionando, executando-o algumas vezes.
Se tudo estiver ok, adicione-o ao autostart, no lugar do ‘.fehbg’.

Referência

https://wiki.debian.org/Openbox#Wallpapers.

Como iniciar automaticamente programas e scripts no Openbox

O Openbox é um gerenciador de janelas extremamente configurável, poderoso e leve.
Pode ser instalado e usado em qualquer distro GNU/Linux e costuma ser recomendado para configurações de hardware mais limitadas ou para quem deseja gastar o mínimo de recursos com sistema operacional e liberar o máximo do poder de processamento para seus aplicativos.
openbox logo
O gestor de janelas Openbox está na categora stacking window mangager, ou seja, organiza as janelas (tal como a maioria, que você provavelmente já conhece) umas sobre as outras, à medida em que vão sendo abertas.
O Openbox pode ser usado dentro de ambientes de trabalho mais sofisticados, como o KDE, GNOME ou XFCE. Mas, para quem está mais preocupado com a economia de recursos, o usual é ter o ambiente do LXDE ao redor do Openbox.
Neste texto, uso o Lubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus, com LXDE e Openbox.
Pode haver pequenas variações na instalação do Openbox e no local em que se encontram seus arquivos de configuração, em função das diferentes distribuições Linux.
Mesmo assim, não é difícil se encontrar e fazer algumas pequenas adaptações.
lubuntu logo

Onde encontrar o arquivos de configuração do Openbox

O Openbox guarda os arquivos de configurações gerais (que valem para todos os usuários do sistema) dentro do diretório:
/etc/xdg/openbox/
Os arquivos de configuração que você deve editar estão dentro do seu /home, contudo.
No meu caso:
/home/justincase/.config/openbox/
O arquivo a configurar é o ‘autostart’, que não está presente no meu diretório pessoal de configurações. Portanto, vou copiar o do sistema para dentro da minha pasta de configurações pessoais:

cp /etc/xdg/openbox/autostart ~/.config/openbox/
### para verificar o conteúdo do arquivo
### recém criado:
cat ~/.config/openbox/autostart

Tudo o que precisa ser feito, agora é abrir o ‘autostart’ e incluir, no final do arquivo, os nomes dos programas ou comandos que você deseja executar a cada inicialização do Openbox.
No meu caso, acrescentei uma linha de comando com o xrandr, para ajustar o segundo monitor do meu sistema.
Veja, abaixo, como ficou o meu autostart:

cat .config/openbox/autostart 
#
# These things are run when an Openbox X Session is started.
# You may place a similar script in $HOME/.config/openbox/autostart
# to run user-specific things.
#

# If you want to use GNOME config tools...
#
#if test -x /usr/lib/i386-linux-gnu/gnome-settings-daemon >/dev/null; then
#  /usr/lib/i386-linux-gnu/gnome-settings-daemon &
#elif which gnome-settings-daemon >/dev/null 2>&1; then
#  gnome-settings-daemon &
#fi

# If you want to use XFCE config tools...
#
#xfce-mcs-manager &

# Configura o 2o. monitor
xrandr --output LVDS1 --under VGA1

Se quiser saber como configurar o papel de parede no autostart e como montar um script que escolhe suas imagens de fundo aleatoriamente, leia este artigo.

Como configurar 2 ou mais monitores no LXDE

O LXDE é o ambiente gráfico padrão de sistemas operacionais, como o Lubuntu.
Se, por um lado, ele vem acompanhado de menos recursos e “perfumarias” visuais, por outro lado, é mais leve e rápido.
Em máquinas mais modestas, com 2 GB ou menos de memória RAM, o LXDE pode ser o ambiente gráfico ideal.
Se você trabalha com um segundo monitor acoplado ou, eventualmente, conecta um projetor ou um datashow ao seu laptop, este artigo vai ajudar você a configurar este conjunto de equipamentos.

Use a configuração gráfica do LXDE para ajustar os 2 monitores

lxde monitor video conf
Ao ligar o laptop com os 2 monitores previamente conectados, quando o ambiente gráfico tiver subido, ambos já terão sido, provavelmente, reconhecidos.
O que pode incomodar é que a configuração padrão pode não ser a adequada para você.
A configuração padrão, com os 2 monitores espelhados, usualmente é a ideal para usar com um datashow ou um projetor.
Caso não saiba, o efeito “espelhado” se refere a ter a mesma imagem exibida no monitor LCD nativo do notebook e nos outros dispositivos conectados à placa gráfica.
Se você quiser que um monitor trabalhe como continuação do outro, vai precisar fazer um pequeno ajuste.
Comece por abrir o painel de configurações ou Preferências referente ao vídeo ou monitor.
Se quiser, é possível executar direto o aplicativo de configuração lxrandr. Tecle ‘Alt+F2’, digite lxrandr e tecle Enter.
Veja a figura:
LXDE - lxrandr - configuração do monitor
Se o segundo dispositivo de imagem estiver sendo reconhecido, o painel apresentará algumas opções de uso.
LXDE - configuração básica do monitor
Use o botão Aplicar, para experimentar as opções antes de Salvar.

O painel avançado de configurações de monitores

No painel avançado, ficam os ajustes finos referentes ao conjunto de equipamentos.
É possível definir a posição de cada dispositivo de exibição, em relação ao monitor nativo.
Você pode também configurar a resolução e a refresh rate de cada um dos monitores.
LXDE - configurações avançadas do monitor
Tal como no painel de configurações básicas, neste é possível Aplicar as configurações temporariamente, antes de Salvar permanentemente.

Como fazer os ajustes no terminal

O programa lxrandr, de que falei até agora, é um frontend ou uma interface gráfica para outro programa: o xrandr.
O xrandr vai funcionar melhor direto no terminal.
Abra um terminal com ‘Ctrl + Alt + T’ e experimente algumas linhas de comando.
Se for usado com a opção ‘–dryrun’, o xrandr não irá aplicar as alterações pedidas. Mas irá mostrar uma descrição do que o comando irá fazer, além de avisar sobre possíveis erros:

xrandr --dryrun --output LVDS1 --primary --output VGA1 --right-of LVDS1 

O comando acima pede para que o monitor LCD do notebook (LVDS1) seja o ‘primário’; que o monitor externo (VGA1) fique à direita do LVDS1.
O resultado, abaixo, mostra a nova disposição dos monitores:

crtc 0: disable
screen 0: 2048x768 540x202 mm  96.25dpi
crtc 0:     1024x600  58.59 +0+0 "LVDS1"
crtc 1:     1024x768  75.08 +1024+0 "VGA1"

Você adequar esta fórmula para a maioria das configurações desejada.
Use:

  1. --right-of— para posicionar o monitor VGA1 à direita
  2. --left-of— para posicionar o monitor VGA1 à esquerda
  3. --above— para posicionar o monitor VGA1 acima
  4. --below— para posicionar o monitor VGA1 abaixo

O comando xrandr dispõe do recurso de autocompletar, ou seja, você pode usar a tecla ‘TAB’ para obter dicas de uso, enquanto escreve.
Leia outros posts que abordam o uso do comando xrandr aqui.

As novidades pro Xubuntu e Lubuntu em 2014

Em Abril próximo (2014), teremos a chegada da nova versão do Ubuntu 14.04 LTS, de codinome Trusty Tahr. Trata-se de uma versão de suporte estendido (até 2019), voltada para usuários corporativos, ou não, que precisam menos de novidades e mais de performance, eficiência e estabilidade.
Conhecidas como spin offs, as distros derivadas, Lubuntu e Xubuntu, são voltadas para um grupo de usuários mais restrito – entre os quais, uns querem mais performance, outros mais estabilidade ainda. Estas distros conseguem satisfazer a estes dois grupos, entre os quais, há proprietários de PC mais antigos que não suportam o peso dos recursos do Ubuntu “tradicional”.
Eu fui escarafunchar os foruns dos desenvolvedores para ver o que eles têm preparado para nós. Eu não esperava muita coisa… e me surpreendi.

O que esperar do Xubuntu 14.04 LTS?

A equipe de desenvolvedores já passou por um processo de brainstorming, em Outubro; concluiu o projeto do que vai ser o Xubuntu 2014 em Novembro e estão a todo vapor para lançar o produto em Abril – até o momento, ninguém tem data marcada. Sabemos que ainda é cedo.
As maiores mudanças de que se tem notícia em relação ao visual do Xubuntu é a presença confirmada do xfdesktop 4.11, o gerenciador do Xfce e a chegada do Light-locker. Mas, quando se trata de uma versão LTS, o que as pessoas mais perguntam é “o que tem embaixo deste capô?”.
A equipe de desenvolvimento se concentra sobretudo no que pode aumentar a estabilidade e a eficiência do sistema. Neste ponto se destacam as seguintes correções e melhorias no xfdesktop:

  • Correção de problemas relacionados a memory leaking ou vazamento de memória
  • Mudanças de papéis de parede
  • Suporte a renomear múltiplos ícones ao mesmo tempo
  • Suporte a dispositivos removíveis adicionais
  • Correção de alguns problemas com o esvaziamento da lixeira

Há ainda planos fazer as seguintes mudanças:

  • Adicionar o Mugshot — um aplicativo de configuração das informações sobre o usuário
  • Substituição do editor de menus Alacarte, pelo MenuLibre
  • Uso do Light-locker, no lugar do xscreensaver

Mudanças visuais

xfce 4 whisker menuHá propostas de incluir o Whisker Menu, um poderoso lançador de aplicativos (app launcher). Visualmente, este aplicativo tem algo do menu Iniciar (Windows), do menu do Cinnamon (Linux Mint) e do lançador Kickoff (KDE).

O que esperar do Lubuntu 14.04 LTS?

É interessante ressaltar que a equipe de desenvolvedores do Lubuntu irá lançar o seu primeiro LTS — a adição de novos recursos e incrementos visuais andam a passos lentos, nesta distro. De fato, as prioridades continuam a ser a correção de bugs e tornar o sistema mais eficiente.
Segundo desenvolvedores, o projeto já está delineado e, exceto pelo pcmanfm (gerenciador de arquivos), todos os componentes estão “congelados” e não sofrerão mais modificações nos próximos meses – em outras palavras, só correção de bugs e atualizações nas traduções, até a data de lançamento.

Mudanças visuais

lxde qt razor-qt desktop
O LXqt – uma mescla do Razor-qt e o LXDE é a tendência da nova interface visual, desde o ínicio de 2013, e deve estar presente na versão final, em 2014.
Em vez de migrar do Gtk 2 para Gtk 3, os desenvolvedores decidiram-se pelo uso da bibloteca Qt, para sustentar o gerenciador de janelas. Parece que foi uma decisão acertada.