Mudanças cosméticas para fazer após instalar o Ubuntu 18.04

Segue minhas sugestões de ajustes na interface, para fazer logo após a instalação do Ubuntu 18.04 LTS, ou Bionic Beaver para os íntimos.
Pode parecer bobagem, mas há certos aspectos visuais do sistema operacional que podem facilitar muito a nossa vida.

O Bionic Beaver representa uma nova fase do sistema operacional da Canonical — que passou a usar o GNOME, como o seu principal ambiente desktop.
Justamente por usar um ambiente mais maduro e bem estabelecido (desde 1999), várias possibilidades se tornaram concretas para usuários mais exigentes.
Em resumo, dá para configurar e ajustar muita coisa aqui.

Neste texto, vou abordar o GNOME, como interface gráfica específica do Ubuntu. Se você tiver interesse, leia sobre as primeiras configurações do GNOME no Debian — um texto mais aberto/genérico.

Altere o papel de parede do Ubuntu

Vamos começar pelas coisas mais simples e banais. 😉
Toque com o botão direito do mouse sobre uma área vazia da área de trabalho e selecione “Alterar plano de fundo”.
ubuntu desktop wallpaper

A seguir, escolha o plano de fundo principal do sistema e plano de fundo da tela de autenticação.
ubuntu papel de parede

Configure a barra lateral (doca) do Ubuntu

Ainda dentro da janela de configurações, logo abaixo da aba “Plano de fundo”, clique/toque na aba “Doca” (veja a imagem abaixo).
ubuntu doca configuração

Destas 3 opções, gosto de ajustar as duas primeiras:

  1. “Ocultar Doca Automaticamente” — para ter mais espaço na área de trabalho, para visualizar suas imagens, editar seu código ou texto etc.
  2. “Tamanho do ícone” — para mim o tamanho ideal varia entre 32 e 36.
  3. “Posição no ecrã (na tela)” — Neste caso, mantenho o padrão à esquerda (left).

Notificações e privacidade

Logo abaixo da aba “Doca”, selecione “Notificações”.
Neste caso, eu costumo desligar a opção de “Notificações na tela de bloqueio”, para ter mais privacidade quando me afasto do laptop.
ubuntu notificações

Ajuste do som de notificação de erro

Na seção “Som”, dentro da aba “Efeitos de som”, prefiro usar, dentre as opções disponíveis, o som “Copo”.
ubuntu configurações de som e áudio.

Aumentar o volume do áudio além dos 100% pode resultar em danos ao hardware e perda na qualidade do som. Se você está insatisfeito com volume dos alto-falantes do seu laptop, usar um speaker, uma caixa de som externa ou fones de ouvido pode ser uma solução mais eficiente.

Se preferir personalizar mais ainda este item, leia Altere o som de alerta padrão do GNOME.

Configure o brilho padrão da tela do seu monitor

Mais abaixo, na aba lateral “Energia”, é possível selecionar o brilho padrão da tela do seu laptop, entre outros itens de economia de energia.
Eu uso muito o meu laptop ligado na tomada, portanto, as opções retratadas na imagem, abaixo, podem não ser as ideais para você.
ajuste do brilho do monitor no Ubuntu GNOME

Monitores e luz noturna

Se você tiver mais de um monitor, o Linux já deve ter reconhecido ambos e ajustado a tela para eles.
Caso isto não tenha ocorrido, vá para a aba lateral “Monitores” e faça os ajustes que julgar necessários.

O ajuste de luz noturna, do GNOME, é um recurso que pode trazer mais conforto para os seus olhos — principalmente se precisar usar o computador à noite.
ubuntu monitores

Ele “aquece” gradativamente as cores da tela, à medida em que vai entardecendo, com o por do sol.

O ajuste reduz a emissão de luz azul, o que pode preservar o seu sono e diminuir o cansaço, entre outros benefícios.
Ajuste da luz noturna no Ubuntu.

Se você não trabalha com edição de imagens fotográficas à noite, vale a pena experimentar o recurso.
A tela é autoexplicativa mas, se você tiver mais dúvidas, abordei o assunto com maior profundidade aqui.

Configurações do perfil do usuário

Lá na tela de autenticação, gosto de ter a minha foto ou uma imagem personalizada para me identificar — mesmo sendo a única pessoa a usar o meu laptop de trabalho.
Ainda dentro do painel de configurações, selecione a aba lateral “Detalhes” e, em seguida, “Usuários”.
Este painel de configuração permite adicionar novos usuários ao seu sistema e, entre outras coisas, trocar senhas e escolher uma imagem de identificação de cada usuário.
configurações de usuário

Alguns ajustes do painel podem requerer que se faça o desbloqueio, no canto superior direito da janela.

Quais são as configurações visuais que você costuma fazer, logo após a instalação do Ubuntu? 😉

O KDE Neon é a distro dos que fazem e amam o KDE

Baseada no Ubuntu, a distro KDE Neon é um fork realizado pela própria comunidade de desenvolvedores do KDE Plasma.
O objetivo é ter uma distribuição GNU/Linux para testar as versões mais atuais do ambiente.
kde neon logo

O Neon provê uma maneira fácil e elegante para as pessoas testarem as últimas versões dos softwares que compõem o universo do KDE, à medida em que ele vai evoluindo.

É impossível não comparar com o Kubuntu, claro. Mas a proposta é diferente.
O Kubuntu é uma distro Linux de facto, baseada no Ubuntu.
Já a proposta do KDE Neon é prover o Ubuntu LTS com uma das versões do KDE Plasma, como é explicado abaixo.
Atualmente, os desenvolvedores estão montando o ambiente gráfico sobre o Ubuntu LTS 16.04 Xenial Xerus.
Portanto, a distro continua sendo o Ubuntu — contudo, para facilitar a comunicação, vou continuar a me referir ao KDE Neon como “distro”.
Pode ser instalada a partir de 4 versões ou canais de desenvolvimento:

  1. User Edition LTS — voltada para o ambiente de produção. Se você prefere ter mais estabilidade e um tempo de suporte estendido, este é o melhor KDE Neon para você.
  2. User Edition — voltada para todos os usuários. Se não tiver certeza, baixe sempre esta. Aqui você encontra uma versão do KDE Plasma estável e atualizada com foco no usuário comum.
  3. Developer Edition Stable — O foco deste branch é o desenvolvedor da comunidade KDE. Se você não for desenvolvedor, mas gosta muito do KDE e não se importa de encontrar alguns bugs pela frente, esta edição vai te dar a experiência de uso do software mais atualizado possível, com estabilidade razoável.
    Outro ponto que pode incomodar usuários comuns, na developer edition são as atualizações constantes (diárias) na distribuição.
  4. Developer Edition Unstable — Nesta edição o fluxo das atualizações é mais intenso e você vai se deparar com uma quantidade maior de bugs. Esta é usada pelos desenvolvedores do KDE e é a edição que proporciona uma experiência mais rica em termos de uso de software atualizado.

Lembre-se, quando se fala em stable, unstable ou LTS a referência é o KDE. A versão do Ubuntu é sempre a mesma para todos: a LTS atual.

Quem é o público alvo do KDE Neon

Este é o público a que se destina o produto:

  • desenvolvedores que precisam obter atualizações constantes do KDE e usar a GUI mais avançada possível
  • fãs do KDE, que admiram o trabalho da equipe de desenvolvedores e querem acompanhar a evolução do ambiente e, ocasionalmente contribuir com comentários sobre os rumos do projeto, contar sobre o que está funcionando ou não, nos fóruns sobre o assunto

kde neon logo
A maioria deve optar entre a segunda e a terceira edição.
Os mais aventureiros irão pela Developer Edition Stable. Se você pretende instalar o KDE Neon em uma máquina de trabalho, opte por uma das User Edition, contudo.
A quarta opção pode ser uma boa pedida, se você tiver uma máquina de testes. O que permite que você use os recursos mais avançados que os desenvolvedores colocaram no KDE e, se algo der errado, no máximo será necessário reiniciar o sistema — é o que fazem os usuários de um “outro SO muito popular” e nem reclamam, coitados.
Pessoalmente, gosto mais da interface minimalista do GNOME para trabalhar — mas tenho uma máquina de testes rodando a versão mais atual do Neon há mais de um ano.
Além disso, tenho muitos motivos para gostar do KDE.

Onde baixar o KDE Neon

kde neon site download
O site oficial de download tem uma página com todas as 4 opções reunidas, nesta URL: https://neon.kde.org/download.
Se preferir, pode usar o comando wget, dentro de um terminal, para fazer o trabalho:


# User edition
wget https://files.kde.org/neon/images/neon-useredition/current/neon-useredition-current.iso

# User LTS edition
wget https://files.kde.org/neon/images/neon-userltsedition/current/neon-userltsedition-current.iso

# Developer STABLE edition
wget https://files.kde.org/neon/images/neon-devedition-gitstable/current/neon-devedition-gitstable-current.iso

# Developer UNSTABLE edition
wget https://files.kde.org/neon/images/neon-devedition-gitunstable/current/neon-devedition-gitunstable-current.iso

As imagens são live e, portanto, permitem que você possa testar sem instalar, se quiser.
Para saber como criar um pendrive inicializável, leia este post, por favor.
Se quiser, conte para a gente o que achou do KDE Neon e qual a edição que você prefere. 😉

Conheça o sistema operacional POP!_OS da System76

Denver Colorado skyline
Vista da cidade de Denver, Colorado (EUA)
A System76 é uma empresa norte-americana, sediada na cidade de Denver, no estado do Colorado — no centro geográfico dos Estados Unidos, portanto.
A empresa fabrica e vende computadores e acessórios voltados para a comunidade de usuários de softwares livres.
Para ser mais específico, vende equipamentos pré-instalados com o sistema operacional Ubuntu.
Opcionalmente, é possível baixar os papéis de parede e o tema GTK da System76
O sistema operacional POP!_OS (não esperem que eu mantenha esta grafia…) é um passo a mais para personalizar os excelentes computadores da empresa.

Vamos conhecê-lo melhor e saber o que oferece.

O que é o System76 POP!_OS

De acordo com a empresa, o POP OS foi projetado para os proprietários de seus equipamentos e é baseado no sistema operacional Ubuntu.
Entre estes usuários se encontram designers, programadores, profissionais gráficos que precisam desenvolver modelos 3D sofisticados etc.
O propósito da interface POP é “ser invisível” e atrapalhar o mínimo possível o fluxo do trabalho do usuário, ao mesmo tempo que pretende oferecer possibilidades avançadas de customização.
Uma vez que é baseado no Ubuntu, o POP se beneficia da vastidão de softwares da plataforma, disponível em seus repositórios.

A proposta do POP!_OS sintetiza o que sempre pensei de uma boa interface gráfica: ser simples e não atrapalhar o meu trabalho.
Acredito que o melhor ambiente desktop é aquele que fica fora do nosso caminho, usa o mínimo de recursos e deixa o máximo livre para rodar os aplicativos.

Se o POP vai entregar ou não o que promete… é você quem vai dizer, se fizer o download e o testar.

Como baixar e instalar o POP OS

No momento em que escrevo este post, o produto ainda está em fase Alpha (baseado no Ubuntu 17.04) e tem previsão de lançamento para Outubro de 2017 — neste caso, provavelmente será baseado no Ubuntu 17.10.
O link para download é este: http://iso.system76.com/current/pop-os.iso.
Se preferir, use o wget para baixar a versão atual (current):


wget http://iso.system76.com/current/pop-os.iso

Outras versões (anteriores), podem ser encontradas neste site: http://iso.system76.com/.
A companhia, até agora, não liberou torrents, que costumam ser mais rápidos para baixar.
System76 Galápagos

O Linux precisa, mesmo, de um outro fork do Ubuntu?

Antes desta pergunta, poderíamos também questionar se a comunidade precisa também de mais um desktop gráfico.
E outro sabor do Linux, baseado no Ubuntu?!
Lançar e manter atualizado apenas um tema da empresa, não seria suficiente?

Eu também adoraria perguntar: « Não tinha um nome “mais complicado” para escolher?! »

É claro que o mundo do software livre é feito de diversidade de opções e esta é uma das coisas mais lindas que há, por aqui.
A gente é assim: ama personalizar o nosso ambiente.
Se o local de trabalho tiver centenas de computadores rodando Linux, nenhum será igual ao outro.
A diversidade faz parte deste espírito coletivo.
Mas, enfim, já temos o Linux Mint, Ubuntu (Mate, GNOME, Kubuntu, Neon, Deepin, Xubuntu etc.)
system76 laptop
A Dell também vende computadores com seu Ubuntu OEM pré-instalado. Por que a System76 não poderia personalizar uma distro para atender melhor a seus clientes?
Convenhamos que o pessoal da System76 demonstra muito mais paixão pelo Linux (especificamente, pelo Ubuntu) do que o pessoal da Dell…
A propósito, eu experimentei o POP OS no meu Dell 5448 e gostei. Creio que vou mantê-lo por algum tempo — depois eu volto para o Debian, como sempre… 😉
Comente. Dê sua opinião.

Referências

Site oficial do POP!_OS: https://system76.com/pop.
Site de ofertas de laptops da System76: https://system76.com/laptops.

Como remover o GNOME do Debian e instalar outro desktop gráfico

Se você não gosta do GNOME e prefere usar outro ambiente ou desktop gráfico, há um método muito simples para remover e, se quiser, instalar outro desktop que você goste mais.
O GNOME é, atualmente, o desktop gráfico padrão de distribuições importantes, como o Fedora, o Debian e o Ubuntu.
Mas, no mundo do software livre, ninguém é obrigado a usar ou gostar de nada.
Neste post, vou mostrar:

  • Como remover o GNOME totalmente e deixar o seu desktop apenas com a interface texto (CLI).
  • Opcionalmente, como escolher e instalar outro ambiente gráfico.

Devo advertir que os meus exemplos rodaram bem em uma máquina com conexão Ethernet. Você pode ficar sem conexão, se estiver dependendo de uma placa de rede Wi-Fi/Wireless com suporte precário por parte do fabricante.


Comece por programar o sistema para iniciar na CLI:


systemctl set-default multi-user.target

Leia mais sobre como usar o systemctl para configurar o Linux para iniciar na CLI ou GUI.
Agora reinicie o computador:


systemctl reboot

Quando o sistema voltar autentique-se (de preferência como root) e prossiga com o comando tasksel:


tasksel remove gnome-desktop

debian remover gnome
O trabalho de remoção do GNOME, a esta altura, foi concluído.

Como instalar um outro ambiente desktop gráfico no Debian

Se você quiser, pode usar o mesmo tasksel para selecionar outro desktop gráfico para instalação no seu sistema:


tasksel

tasksel seleciona ambiente gráfico
Como você pode ver, na tela do tasksel, é possível escolher mais de um ambiente gráfico para instalação.
Ao optar por instalar um destes desktop gráficos, não se esqueça de reajustar o padrão de volta para o ambiente gráfico:


systemctl set-default graphic.target

Como desativar/ativar o modo gráfico no Linux com o systemd

Você pode usar o systemd e seu comando systemctl para informar o sistema se quer usar sempre a interface gráfica ou apenas a de linha de comando.
O recurso permite a opção, sem desinstalar absolutamente nada e é facilmente reversível, como irei mostrar.
Com todos as críticas que se possa ter ao systemd — e algumas delas são muito justas — temos que reconhecer que trouxe algumas comodidades e a uniformização de alguns procedimentos.
O que vou descrever, neste artigo, foi testado no Fedora 26 Workstation — mas é aplicável em qualquer outra distro que faça uso do systemd.

Use o systemctl para determinar a interface padrão no seu sistema

Você pode usar o comando systemctl para gerenciar a interface padrão — fazendo a troca entre GUI (modo gráfico) e CLI (modo texto).
Para ver qual é o padrão, neste momento, use o comando assim:


systemctl get-default 

graphical.target

O resultado “graphical.target” indica que a GUI é a interface padrão (no meu sistema). Se fosse a CLI, o get-default iria resultar em “multi-user.target”


Use a caixa de busca do site para localizar mais posts sobre o systemd.
fedora systemd systemctl
Para mudar a interface padrão para o modo texto, na próxima inicialização do sistema, use o set-default:


systemctl set-default multi-user.target

Created symlink /etc/systemd/system/default.target → /lib/systemd/system/multi-user.target.

Este comando pede autenticação de administrador do sistema e só terá efeito após o reboot.
Você reiniciar o sistema com o próprio systemctl:


systemctl reboot

fedora systemd cli systemctl
Para desfazer o procedimento – e voltar a usar a interface gráfica como padrão – use o seguinte comando:


systemctl set-default graphical.target

Removed /etc/systemd/system/default.target.
Created symlink /etc/systemd/system/default.target → /lib/systemd/system/graphical.target.

É simples assim. 😉