Copie arquivos com o rsync

Vou mostrar, com alguns exemplos práticos, como o uso do rsync pode ajudar a manter o conteúdo de 2 diretórios (pastas) separados sincronizado – mesmo que estejam em computadores diferentes.
Comando rsync copia arquivos
O comando rsync faz transferências de arquivos entre máquinas, de maneira simplificada e automática e… você nem precisa ter privilégios administrativos para isto.

Alguns dos recursos do Rsync

  • é eficiente para copiar e sincronizar arquivos entre computadores remotos
  • comparado com outros programas, é mais rápido do que o scp – o rsync usa um protocolo que lhe permite atualizar apenas os arquivos que sofreram mudanças
  • consome menos banda, uma vez que só trabalha em cima das atualizações necessárias e usa compressão para transferir dados

Instalação do rsync

Até onde sei, o comando vem instalado por padrão nas várias distro Linux.
Usuários Windows podem fazer o download do rsync aqui.
Usuários do Redhat ou do SuSE, podem instalar o rsync com o seguinte comando:

sudo yum install rsync

Usuários Debian e Ubuntu, podem usar o apt-get:

sudo apt-get install rsync

Sintaxe do comando rsync

Basicamente, você vai rodar o rsync com algumas opções, indicar a origem e o destino da sincronização:

rsync options #origem #destino

Daqui pra frente veremos outros exemplos práticos com o comando rsync.

Como sincronizar dois diretórios locais com o rsync

Vamos usar estes dois como exemplo:

  • /home/Documentos, como origem e
  • /home/backup/Documentos, como destino.

Vou mostrar como copiar a sincronizar recursivamente os diretórios:

rsync -vhr /home/Documentos /home/backup

o comando vai criar, se não houver, uma pasta chamada /home/backup/Documentos e copiar para dentro dela todo o conteúdo da outra pasta. Ao final do processo deverá retornar um relatório semelhante a este:

sent 707.32M bytes  received 2.35K bytes  2.92M bytes/sec
total size is 827.60M  speedup is 1.17

Ao repetir o comando, o rsync irá comparar os arquivos em busca de diferenças, por que ele só irá atualizar os arquivos que foram modificados.

OPÇÕES COMUNS DO RSYNC
  • -v — ativa a verbosidade do comando, pra você poder acompanhar o que está acontecendo durante sua execução;
  • -r — ativa a recursividade, ou seja, copia subdiretórios também;
  • -h — human readable exibe as informações da execução do comando em um formato mais legível, convertendo valores de bytes para mega ou gigabytes onde for necessário para reduzir os tamanhos dos números e tornar o texto mais fácil de ler;
  • -z — comprime os dados, antes de transferir;
  • -a — liga o modo archive que permite a cópia recursiva de arquivos, preservando links simbólicos, permissões de arquivos e timestamps.

Como copiar e sincronizar um arquivo local via rsync

Neste exemplo, vamos sincronizar um único arquivo, em um computador local, entre dois diretórios diferentes:

rsync -zvh Docs/mysql_storage.html /backup/Docs/mysql_storage.html

obtendo como resultado:

mysql_storage.html
sent 1.68K bytes  received 31 bytes  3.43K bytes/sec
total size is 3.38K  speedup is 1.97

Como sincronizar um diretório local com um remoto via SSH

Chegamos a um dos pontos fortes do rsync.
No exemplo que segue, vou copiar os arquivos do diretório /home, no servidor remoto remoto.com.br para um diretório local /backup. O nome de usuário, no exemplo, é justincase:

rsync -avz -e ssh justincase@remoto.com.br:/home /backup

Faça o teste com os seus próprios valores e veja se funciona.

Como importar e exportar seus favoritos do navegador Google Chromium

Esta é fácil.
Quando você precisa remover todos os seus arquivos, formatar um HD, reinstalar tudo etc, quando possível, procura fazer backup de tudo antes.
Algumas pessoas, têm uma série de sites interessantes dentro dos seus favoritos que não gostariam de perder à toa.

Faça login

Login do Google Chrome
Login do Google Chrome
Uma das maneiras mais simples de gerenciar os seus favoritos no Google Chromium é, caso você já tenha uma conta no Google, se autenticar através da seção de Login, no canto superior direito da janela do navegador. A vantagem de usar este método é que você vai ter os seus favoritos sempre à mão, onde quer que esteja. Mesmo que você troque dispositivos de acesso, seja no tablet, no celular, no computador (seu ou de outra pessoa), você se autentica na rede do Google e se sente sempre em casa.
Mas eu não escrevi este artigo para quem quer fazer isto :p

Você quer ser um pouco mais independente?

O navegador oferece também a possibilidade de guardar os seus favoritos (bookmarks) localmente, no seu HD (ou no seu pendrive… aonde você quiser, enfim).
Siga os passos:

  • Clique no menu do Chrome menu, no canto superior direito da janela do aplicativo;
  • Selecione Favoritos > Gerenciador de favoritos;
  • Bookmarks - Gerenciador de favoritos do Google Chromium
    Clique para ampliar a imagem – Importar e exportar favoritos.
  • Na tela do gerenciador, selecione o menu Organizar;
  • Se quiser gravar, fazer backup dos seus favoritos – que podem ser usados em outro navegador, inclusive – use a opção exportar;
  • Para recuperar um backup feito anteriormente, use a opção importar.

Outra forma…

Embora não seja necessária – e nem recomendada pelo fabricante – há uma outra solução: copiar os arquivos da pasta de configurações do Google Chromium.
No Ubuntu, o arquivo de favoritos é este:
~/.config/chromium/Default/Bookmarks
Os métodos mais seguros, contudo, continuam a ser os dois primeiros, já explicados. Lidar diretamente com o arquivo Bookmarks, só deve ser feito se você souber, mesmo, o que está fazendo.

Como copiar e assistir DVDs protegidos no Ubuntu?

Existe um repositório, chamado Medibuntu, que inclui codecs e aplicativos  multimídia e de entretenimento no Ubuntu. Por questões legais, ele não pode vir configurado na distro padrão.
Caso você deseje assistir aos seus filmes em DVD (protegidos) ou, até mesmo, fazer cópias legais para evitar perdas irrecuperáveis, será necessário instalar alguns pacotes deste repositório.

Instale o medibuntu

Tecle Ctrl+Alt+T para abrir um terminal. Nele digite os comandos que seguem, para adicionar o repositório medibuntu ao seu sistema. Junto, vamos adicionar a chave GPG do medibuntu ao seu chaveiro, necessária para autenticar seus pacotes:

sudo wget http://www.medibuntu.org/sources.list.d/$(lsb_release -cs).list --output-document=/etc/apt/sources.list.d/medibuntu.list
sudo apt-get update
sudo apt-get --yes -q --allow-unauthenticated install medibuntu-keyring
sudo apt-get update

Se quiser que alguns aplicativos do repositório medibuntu apareçam na Central de Programas do Ubuntu e informar o bugtracker do medibuntu sobre erros nos programas, você deve instalar os seguintes pacotes:

sudo apt-get --yes install app-install-data-medibuntu apport-hooks-medibuntu

Note que, no comando acima, pode ser necessário usar o parâmetro –force-yes em vez de –yes para garantir a instalação dos pacotes.
A seguir, vamos permitir a instalação de vários codecs para execução de arquivos multimídia. Se você usa um sistema 32bits, digite o seguinte comando:

sudo apt-get install w32codecs libdvdcss2

Se o seu sistema for 64bits, use o seguinte:

sudo apt-get install w64codecs libdvdcss2

Feito isto, já será possível assistir a DVDs protegidos e rodar programas para ripar/copiar seus discos.