Como acessar arquivos na nuvem com o WebDAV

Com o protocolo WebDAV, é possível acessar arquivos armazenados na nuvem de qualquer servidor compatível.
Neste post, vou usar, como exemplo, um servidor de aplicativos (e arquivos) na nuvem ownCloud, para mostrar como o acesso pode ser feito para copiar, criar, remover, alterar e compartilhar arquivos.
captura de tela do gerenciador de arquivos acessando um servidor WEBDAV

O protocolo WebDAV transforma a web em uma mídia passível de ser lida e escrita.
O WebDAV (Web Distributed Authoring and Versioning) é uma extensão do HTTP, que facilita a colaboração entre usuários na edição e manipulação de documentos e arquivos na Internet. (Wikipedia)

O meu servidor de arquivos na nuvem, fica no endereço http://localhost e os exemplos, que seguem serão baseados nestes valores — altere-os, para que o tutorial se adeque à sua realidade.

Acesse seus arquivos no servidor, usando qualquer gerenciador de arquivos

Atualmente, qualquer gerenciador de arquivos, no Linux, tem a capacidade de acessar um servidor via WebDAV — isto inclui: o Dolphin (KDE), o Nautilus (Ubuntu), o Thunar (Xubuntu) etc.
Basta ter o servidor funcionando e fornecer o endereço correto.
No meu caso, o endereço a ser acessado é o seguinte:
dav://localhost/owncloud/remote.php/webdav/
Nota: Se sua conexão ao servidor é HTTPS (segura), use davs:// em vez de dav://.
No Nautilus, clique em Arquivo e selecione a opção de Conectar ao servidor.
Forneça o nome de usuário e a senha, já cadastrados, para ter acesso aos seus arquivos.

Captura de tela do gerenciador de arquivos thunar com o submento de contexto aberto
Clique para ver detalhes.

Não se esqueça de adicionar o endereço aos favoritos ou marcadores para não precisar mais digitar tudo nas próximas vezes.

Clientes WebDAV

A Microsoft introduziu o suporte ao WebDAV no Windows 98, em um recurso chamado web folders.
O Mac OS X, a partir da versão 10, suporta o WebDAV, como um sistema de arquivos — o que permite ao montar diretórios remotos no servidor, usando o mecanismo tradicional do BSD.
Usuários Linux podem montar diretórios WebDAV com o uso dos módulos davfs2 e e fusedav, que os monta como sistemas de arquivos Coda ou FUSE.
O KDE tem suporte nativo ao WebDAV, o que permite acessar servidores remotos naturalmente com o Konqueror ou o Dolphin (a escolhe é sua) ou de qualquer outro aplicativo, com direito a interação direta e controle total.
Todas as outras aplicações, que fazem uso da GIO library, o que inclui o Nautilus, o Thunar (XFCE) etc. têm acesso ao WebDAV, com o uso do GNOME Virtual File System (GVFS) ou Sistema de Arquivos Virtual GNOME.

LEIA MAIS

Referências:

Como ocultar arquivos no Linux

Ocultar arquivos no Linux é relativamente simples e pode ser feito com uma simples renomeação do arquivo.
Esta ação não garante segurança extra. Apenas deixa os arquivos menos óbvios.

exibir ocultar arquivos ubuntu linux
Clique para ampliar

No gerenciador de arquivos da interface gráfica (GUI), usa-se o ^H (Ctrl + H) para ligar/desligar a exibição dos arquivos ocultos.
Você pode ocultar um arquivo qualquer através da renomeação — basta acrescentar um ponto ao início de seu nome.
Na GUI, selecione um arquivo e tecle F2, para alterar o seu nome.
renomear arquivos no ubuntu linux
Clique para ampliar.

Como ocultar e listar arquivos ocultos, no terminal

Na CLI (linha de comando), use o mv para alterar nomes de arquivos:


mv nome_do_arquivo.txt .nome_do_arquivo.txt

Para listar os arquivos ocultos use o ls com a opção ‘-a’:


ls -a

list hidden files in Linux
Como listar arquivos ocultos no Linux.

Quer saber como alterar as cores dos nomes dos arquivos? Então leia sobre o dircolors. 😉