captura de tela do gerenciador de arquivos acessando um servidor WEBDAV

Como acessar arquivos na nuvem com o WebDAV

Com o protocolo WebDAV, é possível acessar arquivos armazenados na nuvem de qualquer servidor compatível.
Neste post, vou usar, como exemplo, um servidor de aplicativos (e arquivos) na nuvem ownCloud, para mostrar como o acesso pode ser feito para copiar, criar, remover, alterar e compartilhar arquivos.
captura de tela do gerenciador de arquivos acessando um servidor WEBDAV

O protocolo WebDAV transforma a web em uma mídia passível de ser lida e escrita.
O WebDAV (Web Distributed Authoring and Versioning) é uma extensão do HTTP, que facilita a colaboração entre usuários na edição e manipulação de documentos e arquivos na Internet. (Wikipedia)

O meu servidor de arquivos na nuvem, fica no endereço http://localhost e os exemplos, que seguem serão baseados nestes valores — altere-os, para que o tutorial se adeque à sua realidade.

Acesse seus arquivos no servidor, usando qualquer gerenciador de arquivos

Atualmente, qualquer gerenciador de arquivos, no Linux, tem a capacidade de acessar um servidor via WebDAV — isto inclui: o Dolphin (KDE), o Nautilus (Ubuntu), o Thunar (Xubuntu) etc.
Basta ter o servidor funcionando e fornecer o endereço correto.
No meu caso, o endereço a ser acessado é o seguinte:
dav://localhost/owncloud/remote.php/webdav/
Nota: Se sua conexão ao servidor é HTTPS (segura), use davs:// em vez de dav://.
No Nautilus, clique em Arquivo e selecione a opção de Conectar ao servidor.
Forneça o nome de usuário e a senha, já cadastrados, para ter acesso aos seus arquivos.

Captura de tela do gerenciador de arquivos thunar com o submento de contexto aberto
Clique para ver detalhes.

Não se esqueça de adicionar o endereço aos favoritos ou marcadores para não precisar mais digitar tudo nas próximas vezes.

Clientes WebDAV

A Microsoft introduziu o suporte ao WebDAV no Windows 98, em um recurso chamado web folders.
O Mac OS X, a partir da versão 10, suporta o WebDAV, como um sistema de arquivos — o que permite ao montar diretórios remotos no servidor, usando o mecanismo tradicional do BSD.
Usuários Linux podem montar diretórios WebDAV com o uso dos módulos davfs2 e e fusedav, que os monta como sistemas de arquivos Coda ou FUSE.
O KDE tem suporte nativo ao WebDAV, o que permite acessar servidores remotos naturalmente com o Konqueror ou o Dolphin (a escolhe é sua) ou de qualquer outro aplicativo, com direito a interação direta e controle total.
Todas as outras aplicações, que fazem uso da GIO library, o que inclui o Nautilus, o Thunar (XFCE) etc. têm acesso ao WebDAV, com o uso do GNOME Virtual File System (GVFS) ou Sistema de Arquivos Virtual GNOME.

LEIA MAIS

Referências:

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *