O touchpad parou de funcionar após atualização do Debian.

Há várias situações que podem desaguar em que um touchpad multitoque deixe de funcionar no seu sistema operacional, do nada.
No caso descrito neste post, isto ocorreu após uma atualização no GNOME 3.20.x, no Debian 9 Stretch (ainda em “Testing“, nesta data).
A gente sabe que o Testing é uma distro GNU/Linux razoavelmente bem estável, apesar do nome. Mas, enfim, estas situações sempre podem ocorrer.
O cenário é o de um notebook Dell Inspiron 5448 com teclado multitoque.
De acordo com o desenvolvedor Michael Biebl, muitos laptops recentes não possuem mais botões de mouse/touchpad.
Em vez disto, parte da superfície de toque corresponde a estes botões ou você pode configurar gestos (toques com 1 ou mais dedos, por exemplo).
Esta é uma tendência, em parte, imposta pelos smartphones.

O problema

O que aconteceu, no caso em questão, foi que o GNOME 3.20 deixou de dar suporte às configurações non-libinput dentro do aplicativo gnome-control-center.
gnome control center touchpad settings
Mas você ainda pode configurar o synaptics manualmente.

libinput é uma biblioteca que manipula dispositivos de entrada para servidores de display e outras aplicações que necessitam lidar diretamente com esta categoria de dispositivos.

A biblioteca libinput provê detecção de hardware, manipulação de dispositivos, processamento de eventos e abstrações
Para poder ter acesso às configurações do mouse/touchpad no GNOME Control Center, é necessário ter o xserver-xorg-input-libinput instalado.
Ele provavelmente está instalado, mas o pacote do xserver-xorg-input-synaptics ganhou prioridade sobre ele — o que vai impedir que você faça a configuração pelo painel de controle no momento presente.
Os desenvolvedores estão a par da situação e isto pode mudar futuramente.

A Solução

Se você não quer configurar o synaptics “na mão” e prefere ter de volta o método do painel de controle, remova o pacote do synaptics, assim:

sudo apt remove xserver-xorg-input-synaptics

Em seguida, reinicie o X ou o sistema.
A solução foi a descrita nesta thread da lista de discussão do Debian https://lists.debian.org/debian-user/2016/06/msg00061.html.

Referências

https://packages.debian.org/testing/main/libinput-bin.

Instale a versão mais atualizada do navegador Iceweasel (Firefox) no Debian a partir dos backports

A partir dos backports do Debian, é possível adiantar uma geração da distro para alguns pacotes de software específicos — e, assim, você pode usar uma versão mais atual do seu aplicativo favorito, sem necessariamente, fazer um upgrade de toda a distro.
Configurar o Debian para incluir um repositório de backports é muito fácil e já foi explicado aqui (dê uma olhada!).
Neste texto, vou mostrar o procedimento para baixar o Iceweasel Beta (Firefox Beta), dos backports oficiais Debian/Mozilla.
Iceweqsel official logo

Como configurar e instalar o Iceweasel Beta no Debian

A equipe de desenvolvedores Debian Mozilla disponibiliza várias versões de alguns pacotes relacionados ao Mozilla para uso nos diferentes sistemas Debian.
As instruções, que seguem, mostram como instalar a versão Iceweasel Beta (equivalente ao Firefox Beta) no Debian 8.x Jessie.
Se quiser checar, antes, a versão instalada do Iceweasel, use este comando:

iceweasel --version
Mozilla Iceweasel 38.4.0

Para dar início ao processo, adicione ao sources.list a seguinte linha: deb http://mozilla.debian.net/ jessie-backports iceweasel-beta.
Veja como:

cp /etc/apt/sources.list /etc/apt/sources.list.backup-2015-11-15 # backup para o caso de querer voltar atrás...
echo "deb http://mozilla.debian.net/ jessie-backports iceweasel-beta" >> /etc/apt/sources.list

Só pra lembrar, estes comandos precisam ser executados com privilégios administrativos.
A seguir, baixe e instale a chave pública da Mozilla Foundation:

wget http://mozilla.debian.net/pkg-mozilla-archive-keyring_1.1_all.deb
dpkg --install pkg-mozilla-archive-keyring_1.1_all.deb
gpg --check-sigs --fingerprint --keyring /etc/apt/trusted.gpg.d/pkg-mozilla-archive-keyring.gpg --keyring /usr/share/keyrings/debian-keyring.gpg pkg-mozilla-maintainers

Enfim, atualize a sua distro em relação aos repositórios e faça o upgrade do Iceweasel:

apt update
apt install -t jessie-backports iceweasel
iceweasel --version
Mozilla Iceweasel 42.0

Iceweasel help software version
Com esta atualização, você estará com o navegador Firefox Beta, instalado no seu sistema — apenas o nome e o logo são diferentes. O código é o mesmo.

Referências

Como configurar o Debian para backports: https://elias.praciano.com/2015/11/use-as-versoes-mais-novas-de-seus-programas-favoritos-com-os-backports-no-debian/
Debian Mozilla Team: http://mozilla.debian.net/.
As várias versões do Firefox: Stable, Beta, Aurora.

Experimente, antes dos seus amigos, o Debian Stretch!

O Debian Stretch, em outras palavras, é a versão de testes do sistema operacional Debian GNU/Linux.
Esta é a versão que sucederá a atual distribuição Debian 8.0 (também chamada Jessie).
Trata-se do futuro Debian 9.0.
Neste artigo vou explicar por que ele tem este nome e mostrar alguns bons motivos para você começar a usá-lo agora.

Debian 9.0 StretchQuem é Stretch?
Quem acompanha o desenvolvimento do Debian, sabe que os nomes das distros são baseados nos personagens de Toy Story.
Stretch é um octopus de brinquedo, feito de borracha e ventosas distribuídas em seus braços. Seu corpo é cor púrpura, com glitter espalhado por toda a superfície.
É uma personagem feminina . Seu nome, na versão em português do filme, é Estica.
Na versão em inglês, a personagem é dublada pela atriz Whoopi Goldberg.
“Muito boa em ganhar jogos de azar. Acaba se tornando mensageira de Ken e Barbie quando eles passam a tomar contato com os brinquedos que foram para a casa de Bonnie”. (Wikipedia)

O ciclo de vida da distro Debian Stretch

O Debian testing é rolling release — ou seja, o sistema é atualizado continuamente e está em estado de desenvolvimento constante.
Ele só deixa este estado quando se torna stable.

Conheças as datas mais importantes do Stretch:

  • 09 de Novembro de 2014 — Anúncio do apelido ou codinome da distro Stretch
  • 26 de Abril de 2015 — Lançamento da distro Debian Jessie, início oficial da fase de desenvolvimento da Stretch
  • Verão de 2016 — Entre os meses de Julho e Agosto (verão nos EUA), os desenvolvedores estarão correndo para concluir a distro
  • 05 de Setembro de 2016 — A distro começa a entrar na fase final e os desenvolvedores começam a parar de introduzir novos recursos. Fase chamada Transition freeze
  • 05 de Novembro de 2016 — Softfreeze. Fase em que não se introduzem mais novos recursos. Os desenvolvedores se concentram em corrigir erros e caçar bugs
  • 05 de Dezembro de 2016 — The freeze. Tecnicamente, os desenvolvedores estão focados em eventuais erros críticos. Aproxima-se a data de lançamento do Stretch.
    O fato é que a Debian prima por lançar sua distro quando ela estiver pronta. Ou seja, não existe uma data fixa (pelo menos, não ainda) para seu lançamento

Debian Stretch

Motivos para usar o Debian testing

Neste momento (veja a data deste artigo), a distro Stretch está em uma fase de desenvolvimento testing — ela é mais estável que a Unstable.
Fora do ambiente de produção, há algumas boas razões para usar software em estágio beta ou alfa de desenvolvimento:

  • Testar e fornecer o feedback aos desenvolvedores é uma ótima forma de ajudar a aprimorar os aplicativos que você gosta. Neste caso, você precisa deixar sempre ligadas as opções que retornam informações de uso aos programadores.
  • Ao usar versões Beta e Alpha de programas, você entra em contato com os mais novos recursos, que só serão disponibilizados ao público geral na versão estável.
    De maneira geral, você irá desfrutar sempre de um ambiente de software mais moderno e avançado.
  • Distribuições no estado testing não tem bugs críticos ao lançamento relatados. Por outro lado, não recebem atualizações de segurança com a mesma prioridade que a stable.

Se você se sentir confortável, pode ir além e ajudar mais ativamente no projeto (ajudando a traduzir, sugerindo melhorias etc) — e, além de usufruir destas melhorias, pode levar crédito pelo seu trabalho.

Motivos para não usar o Stretch

Existe também alguns motivos para evitar software nesta fase de desenvolvimento.

Em máquinas de produção, você só deve instalar software estável. Para estes casos, portanto, a versão adequada do Debian é a Stable.

Uma vez que o desenvolvimento se encontra muito ativo, praticamente todo dia há correções de bugs e atualizações de aplicativos para baixar.
Se você se incomoda em atualizar constantemente (quase todo dia) o seu sistema, não deve usar o Stretch antes de sua versão estável ser lançada.
No que toca as atualizações de segurança, a prioridade é sempre a versão Stable.
O Stretch se beneficia do esforço do time de segurança em relação ao projeto do Unstable — contudo, há uma espera de, no mínimo, 2 dias antes da migração.
Algumas vezes as correções de segurança pode ser suspensas em função de eventos mais importantes, que concentram a maior parte dos esforços das equipes de desenvolvimento.
Portanto, se você precisa de um ambiente seguro, o seu Debian deveria ser o Stable.
Leia mais sobre Qual Debian Escolher.

Onde baixar o Debian testing

Veja, nos links abaixo, onde obter mais informações e como conseguir a sua distro:

O texto Onde baixar o seu Debian, traz uma relação extensa de onde encontrar as várias versões do Debian.
Have fun! 😉