Dell XPS 13 é o melhor laptop para programadores Linux?

A linha de notebooks Dell XPS é uma das mais caras da empresa e, provavelmente, do mercado.
Com acabamento e componentes “de primeira”, contudo, estes equipamentos são as alternativas da Dell aos concorrentes da Apple ou da Sony/Positivo (Vaio), entre outros.

Leves, os notebooks XPS podem ser facilmente carregados de um canto a outro (em casa ou no escritório) — o que favorece as pessoas que gostam ou precisam trabalhar em ambientes diferentes.

Em artigo recente, no LinuxJournal, o colunista Petros Koutoupis fez uma análise do Dell XPS 13 Developer Edition Laptop, um produto do projeto Sputnik da Dell.

O projeto não tem correspondente no Brasil, mas o notebook está lá, presente nos canais de venda da empresa — com algumas diferenças.

O modelo testado por Koutoupis, vendido nos EUA, vem com 16 Gb de memória RAM e Ubuntu 18.04 LTS pré-instalado. No Brasil, a Dell insiste em vender uma máquina incrível como essa, com um sistema operacional ruim (você sabe qual…) — o que significa que vamos ter o (delicioso) trabalho de formatar e instalar o nosso SO preferido.

O review do Dell XPS 13

Sob o ponto de vista do colunista do LinuxJournal, o equipamento apresenta alguns pontos negativos. E vamos falar deles primeiro:

  • Não é um grande problema, mas é desagradável ainda se deparar com a tecla “windows” (tecla Super). Talvez não seja tão caro a Dell nos fazer a gentileza completa, substituindo o layout desta tecla por algo mais agradável.
  • A sensibilidade do touchpad e do touchscreen irão pedir um tempo para você se acostumar. No caso da tela sensível ao toque, pode acontecer de ativar o Dock do Ubuntu involuntariamente, ao ajustar a tela. O mesmo vale para a proximidade das teclas direcionais com as teclas PgUp e Pgdn — pedem um tempo para se acostumar.
  • A posição da câmera, na parte inferior da tela, oferece um péssimo ângulo (de cima para baixo) para você se mostrar para as pessoas. E, se você se preocupa com a privacidade, neste local, não é tão fácil tapar a câmera.
  • Além da entrada para fones de ouvido e cartão microSD, o resto é USB-C. Portanto, planeje a compra de adaptadores, caso pretenda conectar equipamentos antigos ao laptop.
  • Por fim, o autor relatou alguns problemas com o modo hibernação — a maquina não voltava, obrigando-o a desligar e ligar novamente o sistema. Isto significa que você provavelmente terá que fazer alguns ajustes: desligando a hibernação ou estendendo o período antes da suspensão.

Entre os pontos positivos, o autor destacou os seguintes:

  • O design externo — linhas simples e leveza do produto.
  • Tela sensível ao toque, extensa e suporte a 4K.
  • O áudio é de ótima qualidade — o que inclui um microfone que permite realizar videoconferências com total clareza.
  • O consumo de energia é muito bom. Além disso, o laptop permite checar o nível da bateria através de indicadores de led, na parte lateral, sem a necessidade de ligar ou sair do modo de suspensão. O autor deu nota máxima para este quesito.
  • A performance é tudo o que se espera deste produto da Dell — ou seja, é excelente.

conclusões

Koutoupis relatou ter tido uma experiência muito positiva com a máquina &mdash: “é poderosa e plenamente capaz de lidar com todo tipo de situações encontradas por desenvolvedores”.

Por ser leve, oferece mobilidade facilitada, permitindo que você o carregue para todos os lugares e retome o seu trabalho de maneira muito eficiente.

O sistema operacional Ubuntu brilha e mostra perfeita integração ao hardware.

Vale o investimento, de acordo com Petros.

Referências

Artigo de Petros Koutoupis: https://www.linuxjournal.com/content/review-dell-xps-13-developer-edition-laptop.
Página da Dell no Brasil: https://www.dell.com/pt-br/shop/notebooks-dell/novo-xps-13/spd/xps-13-9370-laptop.
Informações sobre o projeto Sputnik: https://elias.praciano.com/2017/06/conheca-o-projeto-sputnik-uma-parceria-entre-a-canonical-e-a-dell-para-oferecer-laptops-com-ubuntu-para-desenvolvedores/.
Outros posts sobre produtos Dell: https://elias.praciano.com/?s=dell+notebook.
Página da loja Dell na Amazon: https://amzn.to/2PuiyuQ.

Dicas de notebooks Dell, de entrada, com Linux pré-instalado 2018.

Atualmente, considero um notebook de entrada, um equipamento com valor inferior a R$2.000,00 ou aproximadamente US$ 500,00.
São máquinas para uso básico mas, quando vem com o Linux instalado, a gente sempre espera algo mais.

A Dell tem algumas opções nesta categoria e eu vou me debruçar sobre as configurações básicas destes equipamentos.
Atualmente, tenho 3 notebooks Dell Inspiron — um deles, é um modelo de entrada (ou entry level, low end etc).

Laptops, nesta categoria, são ideais para:

  1. Navegar na Internet, acessar as redes sociais, ler artigos, tutoriais etc.
  2. Ver vídeos baixados ou via serviços de streaming, como Netflix, Amazon Prime etc.
  3. Rodar diversos aplicativos de edição de textos, de edição de imagens (GIMP, RawTherapee, Darkroom etc).
  4. Programadores(as) obterão ótimo custo/benefício nesta categoria de equipamento, em que é possível rodar as IDEs mais avançadas.

Se quiser executar tarefas mais pesadas, você provavelmente deveria incluir no custo a aquisição de mais memória RAM.

Modelos de entrada não se adequam bem às seguintes tarefas:

  1. Trabalhar com muitas janelas, de vários navegadores abertos (com zilhões de abas abertas em cada janela…). Não, mesmo.
  2. Edição de vídeos, para youtubers ou profissionais de cinema.
    Infelizmente, só dobrar a quantidade memória RAM, não resolve.
    Para este tipo de trabalho, processadores mais parrudos, serão necessários.
  3. Para fotógrafos profissionais, edição de imagens RAW, com 2 programas (tipo o GIMP e o RawTherapee) abertos, ao mesmo tempo, pode ser “incrivelmente chato”.
  4. Programadoras(es) que precisam usar ambientes virtuais para testar seu trabalho em várias plataformas, deveriam pensar em adquirir um modelo intermediário.

Neste post, vou mostrar algumas alternativas de laptops (especificamente da Dell) à venda, em 2018, em uma faixa de preços voltados para consumidores de “orçamento limitado”.
Se deixei escapar algum detalhe, por favor, comente abaixo.

Ah, sim!
Eventualmente, falo de preços e valores…
É desnecessário dizer (mas eu digo, mesmo assim) que eles se referem à data do post e podem ter sido alterados (para mais ou para menos), nos sites das lojas.
Torço para que você tenha a sorte de encontrar os preços mais baixos! 😉

Notebooks Dell com Linux

O Dell Inspiron i15-5552-D10P vem com o Ubuntu 14.04 LTS instalado.
Não é a versão mais atual do Ubuntu, mas é a mais estável, no momento, com suporte garantido até 2019.

Está disponível para venda desde Março/2018 e suas configurações básicas são:

  • Processador Intel® Pentium N3710 (1.60 GHz expansivel até 2.56GHz, 2M de cache)
  • 4GB de memória RAM (DDR3L, 1600MHz)
  • Disco rígido SATA de 500 GB (5400 RPM) e não tem unidade de CD/DVD-ROM
  • Tem placa de vídeo Intel integrada e tela de 15 polegadas

Pessoalmente, não sou fã de carregar notebooks de 15 polegadas por aí, mas é uma ótima máquina para manter em cima da mesa e editar imagens, além de acessar a Internet.
É ótima também para programação, edição de código em múltiplas janelas — mas para trabalhar com virtualização, sua configuração é frágil.

Por aproximadamente R$200,00 a mais, é possível levar este Dell Inspiron i14-5468-D10P, que tem uma tela uma polegada menor que o modelo acima, porém oferece o Ubuntu 18.04, entre outras vantagens, veja só:

  • Tela de 14 polegadas (ponto para a portabilidade!)
  • Processador Intel i3
  • 1 HD com capacidade de armazenamento de 1 Tb.

Esta configuração de hardware permite mais eficiência para edição de imagens e de vídeo (eventualmente).
Um futuro upgrade de memória pode melhorar sensivelmente seu desempenho.

O último modelo desta análise, foi encontrado no site do Submarino.
Trata-se do modelo Dell Inspiron i15-5552-U10P, com outras características que chamam a atenção:
notebook Dell Inspiron

  • Tela de 15 polegadas
  • Processador Intel i5
  • 1 HD com capacidade de armazenamento de 500 Gb. Metade da configuração anterior, portanto

Se você pretende realizar atividades mais intensas, o processador Intel i5 pode ser o mais adequado.
Suas características permitem ir além e fazer até mesmo edição de vídeos ou trabalhar com virtualização.
Para quem faz edição de imagens, a tela maior é um ponto importante.

As principais características do seu hardware elevariam esta máquina a uma categoria superior… mas a baixa capacidade de armazenamento e a pouca memória RAM, impedem este salto.

Infelizmente, o trabalho mais pesado vai exigir mais espaço de armazenamento e mais memória para trabalhar.
Antes de sair da loja, portanto, esta máquina já está clamando por mais memória RAM e, pelo menos, um HD externo para armazenar seus arquivos.

Conclusão

Na minha humilde opinião, a segunda opção é a mais equilibrada, se couber no seu bolso.
Trata-se de uma máquina que diz “a que veio” e não vai exigir qualquer upgrade no médio prazo.
Me diz o que você pensa!

Conheça o projeto Sputnik: uma parceria entre a Canonical e a Dell para oferecer laptops com Ubuntu para desenvolvedores

Que a Dell vende laptops e PCs com Ubuntu, não é novidade.
Você pode adquirir, hoje, máquinas da linha Inspiron, com o Ubuntu pré-instalado, claro.
Dell XPS 13 Development Edition
O projeto Sputnik nasceu de uma proposta de Barton George, da Dell – ainda, em 2012.
Àquela época já era possível comprar máquinas low end (de baixo custo), da Dell com o sistema operacional Ubuntu 12.04 LTS instalado.
Dell XPS 13 Development Edition
Barton propunha levar o projeto a outro nível — o dos computadores da outra ponta ou high end.
Batizado de Project Sputnik, consistia da iniciativa transparente, de perguntar aos desenvolvedores sobre o que gostariam de ter em um laptop Linux.

Uma de suas primeiras descobertas foi que o público para este tipo de equipamento era maior do que se imaginava.

Em 2015, a linha Precision foi adicionada e os XPS já estão há 6 gerações dentro do projeto.
O Sputnik tomou um grande impulso e vem crescendo 100% a cada ano, desde 2015.
Dell XPS 13 Development Edition

O projeto Sputnik no Brasil

Dell XPS 13 Development Edition
Site da Dell, nos Estados Unidos, oferece 4 modelos do XPS 13 Development Edition com Ubuntu pré-instalado.
O cliente ainda pode optar entre as cores Silver (prata) e Rose Gold (rosa dourado).

A realidade pode ser um tanto desalentadora, uma vez que não há previsão de se estender o projeto ao Brasil.
O Dell XPS 13 modelo 9360 é vendido também na versão brasileira do site da empresa — mas com “outro sistema operacional”.
Ainda assim, nada o impede de instalar o seu próprio Linux.
O problema é que o Ubuntu padrão da Canonical nem sempre é o mesmo que vem instalado nos equipamentos Dell, como explico neste post.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Referências

https://insights.ubuntu.com/2017/06/14/project-sputnik-crazy-idea-to-community-driven-developer-systems/?_ga=2.122658699.1278648682.1497471045-1533849342.1497471045

Como e onde baixar o Dell OEM Ubuntu?

Donos de laptops ou desktops da Dell que, originalmente, vieram com o sistema operacional Ubuntu instalado podem precisar obter uma nova cópia da ISO de instalação, seja da versão 14.04 LTS Trusty Tahr, 16.04 LTS Xenial Xerus ou superior.
dell inspiron 14 5000
A recomendação, antes de fazer o unboxing do seu equipamento Dell é separar um flash drive (pendrive) para poder criar um sistema de recuperação, durante a instalação do sistema.
Em alguns casos, o procedimento inicial de instalação não prontifica o usuário para criar um dispositivo externo de recuperação — por que ele já está incluído no próprio HDD.
De qualquer maneira, o problema é que inúmeros incidentes podem acontecer durante a vida útil de um notebook Dell:

  • O flash drive pode se perder, se danificar, alguém gravar por cima do seu conteúdo etc.
  • O HDD ou SSD pode ser danificado ou reparticionado desavisadamente.
  • Muitos usuários não sabem que há diferenças entre o Ubuntu Oficial da Canonical e o Dell OEM Ubuntu. Por isso, reparticionam e formatam o sistema inteiro, logo após o unboxing (eu já fiz isso!), para instalar uma versão mais atual do próprio Ubuntu ou uma outra distro Linux.

Contudo, existe (na maioria das vezes) solução possível para os que desejam voltar à versão original do sistema operacional de seu equipamento, no próprio site da Dell.
As exceções ficam por conta de algumas poucas máquinas que, mesmo com certificação da Canonical, não têm total compatibilidade.
Este é o caso, por exemplo do Dell Inspiron 5448 que possui uma placa gráfica híbrida Intel/AMD que, até o momento, não tem total suporte ao Linux.

Nunca é demais repetir que os problemas de compatibilidade de hardware no Linux se deve aos fabricantes que se recusam a fornecer drivers e/ou especificações para que a própria comunidade os desenvolva.

Como obter a ISO Dell OEM Ubuntu

A imagem ISO, que você precisa, é fornecida pela própria Dell, em seu site.
Vá até a página http://www.dell.com/support/home/us/en/19/Drivers/OSISO/linux e forneça a tag de serviço ou service tag do seu equipamento.
Em laptops, a tag é composta de 7 dígitos/caracteres e costuma ficar na parte debaixo, inscrita em uma pequena etiqueta autoadesiva.
No Linux, é possível obter esta informação com o comando lshw:

sudo lshw | grep -i "serial:"

Se você obtiver a mensagem: “Imagem de recuperação indisponível atualmente” ou “Recovery image currently unavailable“, a alternativa é entrar em contato com o suporte da Dell e solicitar o arquivo.
dell tecnical support message
Também chamada de Dell Hosted Recovery Image (Imagem de Recuperação Armazenada pela Dell) ou, ainda, Dell Linux Recovery Image — contém todos os drivers para os dispositivos componentes da sua plataforma de hardware.
Após baixar a imagem .iso ou .img, use o comando dd para gravá-la no pendrive ou um destes outros métodos.

Qual a diferença entre o Ubuntu que vem instalado nos equipamentos da DELL e o da Canonical?

A Dell e a Canonical trabalham em conjunto para prover os melhores drivers e a máxima compatibilidade entre seus produtos nos laptops e PCs que vêm com o Ubuntu pré-instalado.
Se você quiser ter certeza de que o seu novo equipamento Dell terá compatibilidade com o Ubuntu da Canonical, antes de comprar, verifique a página de certificações oficial da Canonical, no endereço abaixo:
https://certification.ubuntu.com/certification/make/Dell/
Nesta página da Internet, a Canonical exibe os detalhes de hardware (GPU, HDD/SSD, placa de rede etc.) de cada modelo certificado e sua situação em relação ao Ubuntu.
Acontece que equipamentos Dell, certificados pela Canonical, são vendidos com uma versão customizada do Ubuntu pré-instalado — trata-se de uma versão certificada que, garantidamente, irá funcionar naquele equipamento.
de fazer o que quiser com as coisas que comprou.
Este direito se estende, naturalmente, ao seu computador.

O Ubuntu 16.04 LTS Trusty Tahr, que você pode baixar do site da Canonical, não é “exatamente” o mesmo que vem embarcado nos computadores da Dell.
As diferenças estão nos detalhes da configuração do sistema, no kernel e nos drivers que vêm junto.

Em resumo, há diferenças significantes entre os 2 sistemas operacionais:

  • Ubuntu certificado pela Canonical ou Dell OEM Ubuntu para rodar em equipamentos específicos da Dell.
    A Canonical também certifica e modifica o Ubuntu para a instalação em equipamentos de outras fabricantes — como a HP, IBM, Lenovo, Acer etc.
    Entre as várias configurações específicas, o /etc/apt/sources.list aponta para alguns repositórios da Dell.
  • Ubuntu padrão, que baixamos direto da página oficial da Canonical, com configurações genéricas.
    É possível usá-lo em qualquer equipamento, mas você pode ter que se dedicar bastante para conseguir fazê-lo rodar perfeitamente em seu notebook ou laptop Dell.

Para alguns modelos da Dell, a Canonical claramente adverte que não irão funcionar ou irão funcionar mal com a versão padrão do Ubuntu (ou não-certificada).
Nestes casos, não é recomendado trocar o sistema operacional.

Durante a primeira inicialização dos computadores da Dell, com o Ubuntu, o sistema irá pedir um pendrive para gravar o sistema de recuperação.
Com isso, será possível testar outros sistemas e, se você não ficar satisfeito com as mudanças, sempre poderá voltar ao padrão da fábrica.

Veja a animação da pré-instalação do Ubuntu 14.04 LTS em laptops Dell

Conclusão

É da natureza do usuário do Linux querer sempre mais e não se satisfazer com o básico.
Acredito que você tem o direito de instalar o sistema operacional que quiser em seu computador.
Mas prepare-se para ter um trabalho extra para configurar o seu sistema, caso não queira fazer uso do Ubuntu que veio pré-instalado nele.