ranger thumbnail

Experimente o gerenciador de arquivos (CLI) Ranger no Linux (ou no Mac)

O Ranger é um gestor de arquivos de linha de comando (CLI), escrito em Python.
O programa possui todas as funções presentes nos gestores mais usados, como o Nautilus, no Ubuntu.

Para quem não tem problemas com a CLI, como interface de execução de seus aplicativos, o Ranger ainda oferece a vantagem da velocidade de execução.

O programa permite executar tarefas relacionadas à gestão de arquivos com poucos toques no teclado, usando teclas simples ou composições de atalhos de teclado.

O uso do mouse é opcional.

Para ficar de acordo com a documentação oficial, no restante do texto, vou grafar o nome do utilitário em minúsculas.

Como instalar o ranger

Abra um terminal e execute o gestor de pacotes da sua distro, para fazer a instalação dele. Segue um exemplo, usando o apt (Debian/Ubuntu):


sudo apt install ranger

Junto com o utilitário, é instalado o navegador de Internet w3m — também com interface em modo texto ou CLI.

Outras extensões são instaladas e podem ser usadas à medida em que forem necessárias, como o rifle, para abrir arquivos.
As configurações permitem definir outros programas para executar tarefas específicas a partir do ranger.

Se precisar visualizar alguma imagem ou outro tipo de arquivo de dentro do ranger, ele abrirá o visualizador padrão do sistema.
Se você usa apenas o modo texto, no seu sistema, recomendo instalar o feh, para visualizar suas imagens.

Como usar o ranger

Ao rodar o programa, ele irá mostrar os arquivos dentro do diretório (pasta) atual.
Use as setas do teclado para percorrer os diretórios e pressione Enter, para realizar ações em relação aos arquivos.

Você pode sair do programa, a qualquer momento, pressionando a tecla ‘q’.

Configuração do ranger

O ranger cria um subdiretório com arquivos de configuração básica no home, ou seja, em ‘~/.config/ranger/’
Muitas configurações, contudo, continuarão a ser lidas nos arquivos principais, fora do seu diretório home.
Para ter acesso completo à configuração do aplicativo, copie todos os arquivos pertinentes ao seu diretório particular, com o seguinte procedimento:


ranger --copy-config=all

creating: /hem/justincase/.config/ranger/rifle.conf
creating: /hem/justincase/.config/ranger/commands.py
creating: /hem/justincase/.config/ranger/commands_full.py
creating: /hem/justincase/.config/ranger/rc.conf
creating: /hem/justincase/.config/ranger/scope.sh

> Please note that configuration files may change as ranger evolves.
  It's completely up to you to keep them up to date.

> To stop ranger from loading both the default and your custom rc.conf,
  please set the environment variable RANGER_LOAD_DEFAULT_RC to FALSE.

Os dois avisos, dados ao final da execução do comando, acima, dão conta de:

  1. Os desenvolvedores do programa podem introduzir eventuais modificações na forma como os arquivos de configuração funcionam ou na sua estrutura. Portanto, caberá a você fazer esta atualização.
  2. Para forçar o programa a carregar apenas as configurações personalizadas do usuário, altere o valor da variável de ambiente RANGER_LOAD_DEFAULT_RC para FALSE.
    Este procedimento pode ser feito assim, na linha de comando:

    
    RANGER_LOAD_DEFAULT_RC=FALSE
    
    

    Leia mais sobre variáveis de ambiente aqui: variáveis de ambiente no Linux.

Esquemas de cores do ranger

Ainda no diretório de arquivos de configurações do ranger, é possível alterar o esquema (ou tema) atual de cores do programa, caso você esteja insatisfeito com o que está vendo.

Para isso abra o arquivo ~/.config/ranger/rc.conf e localize a linha

set colorscheme default

Você pode usar uma das 4 opções: default (padrão), jungle, snowou solarized.
Pessoalmente, gosto do tema default. Mas o snow também é legal. (y)

Você pode criar novos esquemas e gravá-los em ~/.config/ranger/colorschemes.

Teclas de navegação dentro do ranger

O programa usa as mesmas teclas do editor Vim.

Basicamente, é isso aqui:

  • → ↓ ↑ ← as setinhas do teclado
  • h — para subir na hierarquia de diretórios
  • gg — para ir ao início da lista
  • G — para ir ao fim da lista

A linha de comando

O ranger tem uma linha de comando, a partir da qual, é possível executar comandos da shell.
Para acessar a CLI interna do ranger tecle ‘!’.

O utilitário possui também comandos internos, como o ‘du’ — que mostra o uso atual do diretório (tal como na shell).
Há outros comandos, que podem ser acessados a partir do pressionamento da tecla ‘d’. Experimente.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.