Review do YouTube Music para Android

Aproveitando o período do final do ano, resolvi experimentar gratuitamente, por 30 dias o serviço de streaming de músicas (do Google) YouTube Music.

O serviço não é tão bom, ainda, quanto o do Spotify, do qual também sou assinante, mas o seu uso foi interessante o suficiente para me fazer estender um pouco mais o período de análise.

Depois de quase 3 meses de doce procrastinação, decidi, finalmente, fazer o review e contar o que achei do YouTube Music.

A interface gráfica do YouTube Music

Até o momento, o serviço só pode ser acessado via web, pelo endereço https://music.youtube.com — ou pelo app no dispositivo móvel.

Ainda não há aplicativos para o desktop.

Este post se baseia no app do YouTube Music para Android, que pode ser baixado na loja oficial do Google Play.

A interface pode impressionar os novatos, que estão começando a usar este tipo de serviço. Usuários experientes do Spotify, entre outras plataformas de streaming, vão perceber que ainda há muita coisa para ser feita.

De cara, salta aos olhos a falta de espaço para a sinopses e descrições completas das bandas e dos álbuns.

Eu espero que, quando você estiver lendo este texto, muitas coisas tenham melhorado, contudo.

A presença do ícone Hotlist, no rodapé do aplicativo, leva a uma página cheia de “hits do momento”. Acho isso um desperdício completo de espaço no aplicativo — pois creio que a maioria dos assinantes de serviços de streaming de música está fugindo do jabaculê (jabá) ou das porcarias que estão saturando as rádios.

Vai por mim, você provavelmente não vai querer tocar ali…

Catálogo e buscas de títulos no YouTube Music

Alguns usuários (entre novatos e avançados) têm o hábito de reclamar das plataformas, quando não encontram exatamente as músicas que desejam.

Isso não resiste a um exercício básico de lógica: é interesse da plataforma oferecer a maior quantidade de títulos possível, incluindo todos aqueles de que você gosta.

Mas, aqui e ali, vão esbarrar nas restrições mais estapafúrdias da indústria dos direitos autorais — tem música que pode tocar em uma região e em outra não — qualquer que seja o motivo.

Tem clipes que você pode ver tranquilamente no YouTube normal, mas não consegue encontrar a música (o áudio) no app.

Nestes casos, o YouTube consegue contornar o problema, permitindo ouvir apenas o áudio do clipe (poupando, inclusive, a banda da sua conexão).

Do lado da qualidade do áudio, pode deixar a desejar para os ouvidos mais sensíveis ou exigentes, por enquanto.

O mixtape

O recurso que eu mais gostei foi o “mixtape”.

Trata-se de uma seleção feita pelo app, baseado no seu gosto. No meu caso, o mixtape quase sempre acertava, trazendo títulos incríveis, que eu ainda não conhecia.

O mixtape é renovado a cada 24h, desde que você esteja conectado e fica disponível offline, para você ouvir a qualquer momento.

E este é um dos principais motivos de usar serviços de streaming, para mim: conhecer artistas (entre novos e antigos) que ainda não conheço

Conectividade

Este é um dos itens mais importantes a analisar, principalmente se você vai ouvir suas músicas (ou podcasts) no carro ou em outro dispositivo de som — via bluetooth, inclusive.

O app não tem recursos de conectividade próprios, mas tem suporte a Apple AirPlay e ao Google Chromecast, além do bluetooth do seu próprio celular ou tablet.

Eu tive dificuldades para conectar ao bluetooth do carro, no começo, por que os apps de música do meu celular ficavam “brigando entre si”, pela atenção da conexão.

Se você pretende fazer a sua própria análise do app não se esqueça — de contar o que achou, ali embaixo! — desativar ou desinstalar os outros aplicativos concorrentes.

Vale a pena pagar pelo serviço?

Na mesma faixa de preço dos concorrentes, o produto ainda é imaturo e, na versão que usei, ainda era um pouco instável.

Se você pretende começar a pagar por um serviço de streaming, pode ser uma boa opção, se adquirido dentro do plano YouTube Premium, por que vai te livrar das propagandas em todas as sessões do YouTube, além de dar acesso a conteúdo exclusivo.

Mas não concordo que, no momento, valha a pena sair de outros serviços concorrentes para adotar este, para quem só quer streaming de músicas.

Como instalar o jogo M.A.R.S. via Flatpak no Debian

O M.A.R.S. é um jogo de tiro feito para 2 jogadores, baseado na plataforma OpenGL.
Conta com naves espaciais, navegando em um espaço bidimensional e governado pelas leis da gravidade.

Você precisa ter configurado o suporte a Flatpak no seu sistema, antes de prosseguir. Veja aqui, como fazer isso.

A história do jogo

No ano 3547, as civilizações de toda a nossa Galáxia estão organizadas, cada qual em seu planeta.

Uma grande guerra se aproxima e toma vulto. Você é um dos famosos guerreiros, chamados para defender seu planeta dos “vizinhos invejosos”.

Ao lado da “grande guerra”, paira uma ameaça ao seu sistema planetário. Uma nave gigante, de invasores desconhecidos, carregando uma arma monolítica de destruição em massa, se aproxima e representa um perigo bem maior.

Recursos presentes no jogo

  1. gráficos 2D, com design único ao jogo
  2. suporte a modo multiplayer ou single
  3. naves espaciais personalizáveis e quantidade de armas, além de itens especiais
  4. suporte a vários idiomas e inteligência artificial, que provẽ reações diferentes, nas mesmas situações

mars shooter game

O jogo pode ser encontrado no Flathub (link abaixo):

https://flathub.org/apps/details/net.sourceforge.mars-game

Divirta-se!

Já pensou em ter dispositivos específicos para as funções que usa mais no celular?

Uma das ideias, deste post, é gastar (beeeeem) menos na aquisição do seu próximo celular e se sentir tecnologicamente muito mais bem servido.
O principal ponto é deixar que ele realize melhor as funções básicas do dia a dia, sem esquentar ou sobrecarregar o seu orçamento.

Já para aquelas funções específicas, que você mais aprecia, gaste o dinheiro restante para adquirir um equipamento de verdade.
Este post tem alguns links com sugestões de compra.
Se, eventualmente, você decidir fazer alguma através deles, vai me ajudar a ganhar uma pequena comissão. 😉

Mas antes disso, deixa eu te dar algumas dicas que podem ser bem interessantes e facilitar um pouco mais a sua vida.
Ao final do post, conto como eu mesmo aplico os conceitos discutidos aqui, no meu cotidiano.

Por que diabos eu deveria andar com outro aparelho, além do meu celular?

Acredite ou não, conheço gente que anda com 3 celulares no bolso…

Celulares são projetados para atender a uma enorme gama de tarefas e necessidades de seus usuários:

  1. Atender a chamadas telefônicas (… e eu quase não uso mais para isso).
  2. Acessar sites na Internet.
  3. Ler livros, gibis, revistas, jornais, blogs etc.
  4. Ver filmes, séries, documentários, tutoriais e “aleatoriedades” no YouTube.
  5. Ouvir seus podcasts favoritos.
  6. Jogar videogames.
  7. Tirar fotos, gravar vídeos, áudios etc.
  8. Acessar as suas redes sociais.
  9. Realizar serviços de Internet banking, controlar cartões de crédito etc.

… eu sei! A lista é bem mais extensa do que isto.

O primeiro problema é que a bateria não dura o dia todo, rodando a maior parte destas funções.
Outro problema é o sobreaquecimento do aparelho, que reduz drasticamente sua vida útil — e pode levar para “a lata do lixo”, em pouco menos de um ano, um aparelho que te custou uma “pequena” fortuna.

Estou escrevendo este post por que acredito que este dinheiro pode ser melhor gasto 😀

Pense na possibilidade de comprar equipamento específico para as funções que usa mais

A ideia, aqui, é não sobrecarregar um aparelho projetado para servir a múltiplas funções, com apenas uma ou duas.
A lógica é simples: é impossível o aparelho atender a todas as necessidades dos usuários do mundo.
Se você gosta muito de jogar, várias horas por dia, pense na possibilidade de comprar um videogame portátil.
Parece que é mais caro… mas pode não ser!
Um console de videogame portátil custa menos que um smartphone high end (ou topo de linha).
Você duvida? Veja algumas opções:

  1. Nintendo DS,
  2. Nintendo Switch
  3. ou um Playstation Vita.

Outras atividades também mantém a tela ligada por muito tempo — como a leitura ou assistir vídeos.
A leitura pode ser melhor satisfeita com um leitor digital — os modelos mais baratos são aparelhos pequenos, leves e podem ser transportados junto com o celular — seja no bolso ou na bolsa 😉

Se você é do tipo que prefere ver vídeos, pense em adquirir um Kindle Fire, da Amazon ou um tablet barato só para esta função.
Todos os modelos de console de videogame portáteis, citados acima, suportam apps de streaming de vídeos (Hulu, Amazon Prime, Netflix, YouTube etc).

O meu cotidiano

Eu também uso o celular para ouvir músicas, ver vídeos em serviços de streaming (YouTube, Netflix, Amazon Prime e Vimeo).
Eventualmente, também jogo no celular e tenho o app do Kindle instalado para ler meus ebooks.
Contudo, prefiro assistir ao streaming na SmartTV e jogar no Playstation.
O aparelho que carrego é sempre o Kindle básico — é fino e cabe no mesmo bolso que o celular.
Adoro fotografar e tenho minha câmera DSLR mas, usualmente, o celular é o que está sempre à mão.
Para esta função, já pensei em optar pelo Moto Z2 Play com um snap Hasselblad, mas os reviews me desencorajaram… 😉

E você? Quais são as funções do seu celular que acredita que poderiam ser melhor realizadas por outro dispositivo específico?

Conheça o PornTime, a versão adulta do PopCornTime

Se você conhece o PopCorn Time, não vai ter dificuldades para usar este aplicativo incrível — mas é só para adultos.
A versão distribuída para download, é em formato binário e isto torna difícil fazer uma auditoria do aplicativo e entender bem o que ele faz ou não.

Se você se preocupa com a sua segurança ao ver pornô, esta pode não ser a melhor opção.

O PornTime está disponível para Windows, MacOS X, iOS, Android e Linux — o site de download detecta automaticamente a sua plataforma.
Neste post, vamos mostrar como instalá-lo no GNU/Linux — em uma máquina Debian 9 “Stretch”. O procedimento é o mesmo para qualquer distro Linux, contudo.

Vá até o site e https://porntime.ws/ e faça o download para a sua plataforma — que tende a ser detectada automaticamente.

porntime wait screen
Depois de fazer o Download, descompacte o arquivo principal no local desejado e rode o binário:


tar xvzf PornTimeX64.tar.gz
./PornTime

porntime screenshot warning

No canto superior direito, é possível fazer buscas pelo que você deseja ver.
No menu, à esquerda, você encontra as categorias e os tipos de mídia que podem ser vistos.

Antes de encerrar, sugiro ler este artigo sobre como ver pornô de forma ética.

Divirta-se!

Veja conteúdo adulto da Internet através do Gnaughty

O programa Gnaughty cumpre a tarefa de encontrar e baixar automaticamente conteúdo adulto (estou falando de sexo), tal como filmes e imagens pornôs, de um diretório conhecido.
O aplicativo tem uma interface amigável e pode ser uma ferramenta incrível para acessar suas perversões mais inconfessáveis, diretamente no seu desktop.
instinto selvagem sharon stone & Michael Douglas

Vantagens do Gnaughty

Com uma função específica de facilitar seu contato com conteúdo para maiores o Gnaughty possui várias vantagens — inclusive se comparar com o acesso via navegador comum:

  • O aplicativo não tem spyware, adware
  • É Software Livre, distribuído sob a licença GPL.
  • Tem suporte a uma ampla variedade de categorias pornô.
  • Suporte a downloads paralelos e rápidos.
  • Automaticamente organiza o conteúdo em pastas e subpastas.
  • Você pode visualizar conteúdo diretamente do aplicativo.
  • Suporte a proxy.
  • e muito mais…

Como instalar o gnaughty

Você pode ir até o site oficial do Gnaughty, para baixar os pacotes binários ou o código fonte.
Se você usa o Debian, pode baixar a instalar com o seguinte procedimento:

wget https://launchpad.net/~troy43/+archive/ppa/+files/gnaughty_1.2.5ppa_amd64.deb
sudo dpkg -i gnaughty_1.2.5ppa_amd64.deb
gnaughty

O mesmo procedimento pode ser usado para instalar no Ubuntu.