tux ninja shutter

O que você precisa para ter um estúdio de edição de fotos profissional no Linux.

O sistema operacional Linux tem diversas ferramentas importantes, desenvolvidas por fotógrafos e para outros fotógrafos.
O GIMP é o principal software de edição e manipulação de imagens — e costuma vir instalado em algumas distribuições.

Quando este não é o caso, é fácil instalar ele e muitos outros programas e utilitários para este tipo de aplicação.
O GIMP tem uma história semelhante à do Photoshop — ambos são oriundos de trabalhos acadêmicos desenvolvidos por estudantes universitários.
Basicamente, fotógrafos usam um computador para armazenar, catalogar, editar etc. suas imagens.
Este post vai lançar uma luz sobre os programas voltados à catalogação e edição de imagens.
Só para contextualizar, este artigo é baseado no Debian.
Se você usa o Ubuntu ou qualquer outra distro baseada nele, recomendo complementar esta leitura com o post Configure o ubuntu para ser um estúdio profissional de fotografia.

Distribuições GNU/Linux prontas para edição de imagens

Existem distribuições que já podem ser baixadas (quase) prontas para começar a trabalhar com suas fotos.
O único problema das opções listadas, abaixo, (EMHO) é que elas podem vir com uma grande quantidade de itens a mais — ainda assim, boa parte do que você precisa, já vai estar lá, pronto para ser usado.
São opções voltadas para o design e criação de conteúdo multimídia, ou seja, vai vir muita coisa que você provavelmente não precisa.

A única pessoa que vai saber qual a melhor opção ou distro Linux para você, é você mesmo(a).
Portanto, recomendo experimentar.
A maioria roda como Live, direto do seu pendrive e, portanto, não haverá necessidade de formatar e instalar absolutamente nada para ter uma ideia do que cada uma faz.

Nenhuma distro é perfeita. Você vai precisar buscar e instalar (ou comprar) uma ou outra ferramenta.
Se é do tipo que gosta de uma instalação leve e limpa, vai também remover o que não precisa.
A grande vantagem, aqui, é poder começar com metade do caminho já percorrido.

O Projeto Fedora Labs tem, entre suas opções, uma distro chamada Design Suite, com vários softwares voltados para o design.

Se você prefere o jeito da Canonical de fazer as coisas, pode ficar feliz e satisfeito com o Ubuntu Studio.
Para a fotografia, a distro destaca o Darktable e o Shotwell.

Além destas, destacam-se a io GNU/Linux e IRO OS.
Ambas são voltadas criação e produção de conteúdo multimídia (imagens, áudio e vídeo).
O IRO OS é feito pensado na portabilidade, ou seja, para rodar de um pendrive. Mais pra baixo, explico por que não gosto desta opção, mas… enfim, trata-se de uma opção.

No resto deste post, vou falar sobre como configurar a sua distro atual, instalando apenas os programas que você vai precisar.

O estúdio de fotografia pronto

Existe muita coisa nesta área que pode ser encontrada direto nos repositórios da sua distro.
Segue uma relação de pacotes de softwares, sugeridos:

  • Argyll — “Sistema de Gerenciamento de Cores, calibrador e perfilador.”
    Trata-se de software ainda experimental e é compatível com o ICC.
    Dá suporte “à criação precisa de perfis ICC para scanners, impressoras CMYK, filmadoras e calibração e perfilamento de displays.
  • Dispcalgui — Interface gráfica para o Argyll
  • icc-profiles-free — Editor de perfis ICC.
  • Darktable e RawTherapee — Softwares de edição de imagens RAW. Saiba mais sobre eles aqui (DarkTable) e aqui (RawTherapee).
  • Entangle — Voltado para fotógrafos que gostam de trabalhar em tethered mode, ou seja, controlar a câmera e a sessão de fotos a partir do computador.
  • GIMP, gimp-data-extras, gimp-gap, gimp-plugin-registry, gimp-ufraw — Editor de fotos GIMP e vários plugins.
  • Phatch — Utilitário GUI para processar fotos em lote. Tem suporte a todos os formatos de imagem mais comuns.
    Pode ser usado para redimensionar, rodar, aplicar perspectiva, sombras etc. em inúmeras fotos, de uma só vez.
  • Rapid Photo Downloader — Aplicativo para importar grande quantidade de fotos de múltiplas câmeras, cartões de memórias e outros dispositivos de armazenamento.

Na linha de comando, rode o comando apt (Debian), para instalar:


sudo apt install argyll, darktable, dispcalgui, entangle, gimp, gimp-data-extras, gimp-gap, gimp-plugin-registry, gimp-ufraw, icc-profiles-free, phatch, rapid-photo-downloader, rawtherapee

Se você usa o Fedora, rode o dnf:


sudo dnf install argyll, darktable, dispcalgui, entangle, gimp, gimp-data-extras, gimp-gap, gimp-plugin-registry, gimp-ufraw, icc-profiles-free, phatch, rapid-photo-downloader, rawtherapee

Como encontrar mais

Há muitas outras opções de softwares.
Alguns são redundantes em relação a estes.
Outros são complementares.
No Debian e no Fedora, rode o seu gerenciador de pacotes padrão (apt ou dnf) acompanhado da opção ‘search’:


sudo apt search photography

A busca também pode ser feita na GUI.
Abra o gestor gráfico de instalação de aplicativos para obter mais opções de software para instalar.
pop shop photography search

Acima, captura de tela do gerenciador do POP OS (POP Shop), com a busca pelo termo ‘photography’.
Use outros termos, para encontrar conteúdo relevante para você.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

One thought on “O que você precisa para ter um estúdio de edição de fotos profissional no Linux.”

  1. Vc primeiro tinha de falar do instalador gráfico e a linha de comando como opcional, se o usuário vem do Windows ou do MacOs a linha de comando já assusta e faz o desistir, para eles o Shell representante conhecimento que o designer ou o produtor não possui e não pode perder tempo para aprender e ou tentar,
    o profissional precisa produzir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.