Como instalar um compilador COBOL no Linux

O COBOL está, provavelmente, bem longe de ser uma linguagem de programação extinta.
Nunca fui programador COBOL, mas já tive contato com programas e código-fonte escritos nesta linguagem — que nunca me pareceu difícil de entender e aprender, digo de passagem.
No Linux, qualquer programador de COBOL pode se atendido com compiladores — que podem ser baixados e instalados rapidamente dos repositórios da sua distro favorita.
No Debian (versão 9, aqui!) é possível encontrar pacotes voltados para o COBOL, com o comando ‘apt search’:

apt search cobol

O comando acima, funciona no Ubuntu e em qualquer outra distribuição baseada no Debian.
Usuários do openSUSE, podem usar o zypper:

zypper search cobol

Para instalar o compilador open-cobol, no Debian e Ubuntu, use novamente o apt:

sudo apt install open-cobol

No openSUSE, você pode usar o ‘zypper install’ ou o oneClick install.
Não se preocupe se o nome exibido for GNU-Cobol — este é o novo nome do open-cobol, na verdade.
opensuse oneclick install cobol
Usuários Red Hat ou Fedora podem instalar o pacote com o yum:

yum install open-cobol

Para obter a versão instalada, use o parâmetro ‘–version’:

cobc --version
cobc (OpenCOBOL) 1.1.0
Copyright (C) 2001-2009 Keisuke Nishida / Roger While
Built    Mar 01 2014 13:11:28
Packaged Feb 06 2009 10:30:55 CET

Esta versão pode produzir binários compatíveis com até 6 dialetos da linguagem. Veja como obter a lista de dialetos:

cat cobc.help | grep -i '<dialect>' -A7
  -std=<dialect>        Compile for a specific dialect :
                          cobol2002   Cobol 2002
                          cobol85     Cobol 85
                          ibm         IBM Compatible
                          mvs         MVS Compatible
                          bs2000      BS2000 Compatible
                          mf          Micro Focus Compatible
                          default     When not specified

Se você usa o Fedora, pode achar interessante ler sobre como instalar o ambiente de desenvolvimento GNUCobol ou OpenCobol, na sua distro.

Como compilar e instalar o Redshift no Linux

O Redshift é um programa que protege os seus olhos e o seu sono através de algumas configurações automáticas do seu monitor — o aplicativo aquece a temperatura das cores do display, variando a intensidade de acordo com o horário do dia.
entardecer
Neste artigo, expliquei como instalar o Redshift no Ubuntu e dei várias dicas de configuração, para ajustar melhor o funcionamento do aplicativo às suas necessidades.
Neste post, vou mostrar o passo a passo para compilar o Redshift em seu sistema.
A vantagem de compilar seus programas é que você normalmente vai usar código mais atual e mais ajustado.
Mesmo não sendo um “usuário avançado”, você pode se beneficiar ao baixar e compilar o código fonte — isto não é complicado.

  • Software compilado, roda melhor no seu computador.
  • É possível obter versões mais novas do software, no site do desenvolvedor, ainda não disponíveis nos repositórios da sua distro.

Não bagunce o seu sistema: Se o Redshift já estiver instalado, você deve removê-lo, antes de prosseguir.
Se estiver afim, baixe o código do redshift e prossiga na leitura.
Após baixar o pacote com o código do Redshift, note que há um arquivo de texto, chamado HACKING, que contém as instruções para compilar.
Ao final deste arquivo, há uma relação de bibliotecas de desenvolvimento que precisam estar instaladas para você poder compilar o Redshift.
São as dependências:

* autotools, gettext
* libdrm (Optional, for DRM support)
* libxcb, libxcb-randr (Optional, for RandR support)
* libX11, libXxf86vm (Optional, for VidMode support)
* geoclue (Optional, for geoclue support)

Acima, eu destaquei, com fundo mais escuro, as dependências que vou instalar no meu sistema (XUbuntu 14.04).
Além destas, vou ter que instalar o autoconf e o gettext, pacotes de ferramentas necessárias para compilar código em C.
Veja o processo, passo a passo:

sudo apt-get install autotools-dev libxcb1-dev libxcb-randr0-dev gettext autoconf autopoint
./bootstrap
./configure --enable-ubuntu --enable-gui --enable-randr
make
sudo make install

Se o processo for bem sucedido, já dá pra rodar o Redshift.
Se você quiser, pode remover parte dos pacotes instalados:

sudo apt-get purge autotools-dev libxcb1-dev libxcb-randr0-dev gettext autoconf autopoint

Uma vez instalado o programa, eles já não são mais necessários.
Se você tiver interesse em saber como usar as funções básicas do Redshift e como editar o arquivo de configuração do programa, leia este artigo.
Tenha noites/madrugadas produtivas! — e aproveite para compartilhar o post nas redes sociais. 🙂

Referências

Fonte: blog do Jon Lund Steffensen, um dos desenvolvedores.
Leia mais sobre como compilar seus programas no Linux.
Dicas de configuração no Wiki do ArchLinux.
Wikipedia: verbete sobre melatonina.

Como instalar o emulador de terminal drop-down Tilda.

O Tilda é um emulador de terminal com o recurso drop-down ou suspensão, semelhante ao Guake, Yakuake, Terra e o XFCE-terminal — ativado com uma tecla de atalho.
Terminais ou consoles drop-down são muito úteis para executar comandos rápidos — além de oferecerem um efeito visual bem agradável.
tilda featured image
Comumente são acionados com uma tecla de atalho e “surgem” do alto da tela, suspensos acima das outras janelas — e podem ser ocultados a partir da mesma tecla de atalho usada para exibi-los ou quando perdem o foco.

Como instalar o Tilda

No Ubuntu e no Debian, é possível instalar com o apt-get ou aptitude:

sudo apt-get install tilda

ou

sudo aptitude install tilda

No Fedora, use o yum:

yum install tilda

Como baixar e compilar o código fonte

Alternativamente, se você prefere usar a versão mais nova do software, é possível baixar e compilar o código fonte do site do desenvolvedor.
Dá um pouco mais de trabalho, mas tem suas compensações.
No Ubuntu, instale as seguintes bibliotecas:

sudo apt-get install libgtk-3-dev libvte-2.90-dev libconfuse-dev automake autopoint

Se você usa o Fedora (ou outra distro baseada nela), instale as seguintes dependências da seguinte forma:

sudo dnf install git automake libconfuse-devel vte3-devel gtk3-devel glib-devel gettext-devel gcc

Finalmente, baixe os fontes, configure e compile o tilda:

git clone https://github.com/lanoxx/tilda.git
cd tilda/
./autogen.sh --prefix=/usr
make
sudo make install

Executando o tilda

Uma vez instalado, o aplicativo pode ser encontrado no menu do sistema ou ser invocado pelo Dash (Ubuntu) — ou através de outro terminal.
A tecla de atalho padrão do tilda é F1 — e esta é a maneira mais rápida de exibir/ocultar o console do tilda.
Captura de tela do terminal tilda.
O problema é que a tecla F1 costuma estar reservada a outras funções. Mas você pode definir outra nas configurações do aplicativo.
Para abrir as configurações, rode o comando tilda -C.

Referências:

Tilda – official page.
Kernelreloaded.
Tilda — documentação oficial (english).