Capa do tutorial para compilar o redshift

Como compilar e instalar o Redshift no Linux

O Redshift é um programa que protege os seus olhos e o seu sono através de algumas configurações automáticas do seu monitor — o aplicativo aquece a temperatura das cores do display, variando a intensidade de acordo com o horário do dia.
entardecer
Neste artigo, expliquei como instalar o Redshift no Ubuntu e dei várias dicas de configuração, para ajustar melhor o funcionamento do aplicativo às suas necessidades.
Neste post, vou mostrar o passo a passo para compilar o Redshift em seu sistema.
A vantagem de compilar seus programas é que você normalmente vai usar código mais atual e mais ajustado.
Mesmo não sendo um “usuário avançado”, você pode se beneficiar ao baixar e compilar o código fonte — isto não é complicado.

  • Software compilado, roda melhor no seu computador.
  • É possível obter versões mais novas do software, no site do desenvolvedor, ainda não disponíveis nos repositórios da sua distro.

Não bagunce o seu sistema: Se o Redshift já estiver instalado, você deve removê-lo, antes de prosseguir.
Se estiver afim, baixe o código do redshift e prossiga na leitura.
Após baixar o pacote com o código do Redshift, note que há um arquivo de texto, chamado HACKING, que contém as instruções para compilar.
Ao final deste arquivo, há uma relação de bibliotecas de desenvolvimento que precisam estar instaladas para você poder compilar o Redshift.
São as dependências:

* autotools, gettext
* libdrm (Optional, for DRM support)
* libxcb, libxcb-randr (Optional, for RandR support)
* libX11, libXxf86vm (Optional, for VidMode support)
* geoclue (Optional, for geoclue support)

Acima, eu destaquei, com fundo mais escuro, as dependências que vou instalar no meu sistema (XUbuntu 14.04).
Além destas, vou ter que instalar o autoconf e o gettext, pacotes de ferramentas necessárias para compilar código em C.
Veja o processo, passo a passo:

sudo apt-get install autotools-dev libxcb1-dev libxcb-randr0-dev gettext autoconf autopoint
./bootstrap
./configure --enable-ubuntu --enable-gui --enable-randr
make
sudo make install

Se o processo for bem sucedido, já dá pra rodar o Redshift.
Se você quiser, pode remover parte dos pacotes instalados:

sudo apt-get purge autotools-dev libxcb1-dev libxcb-randr0-dev gettext autoconf autopoint

Uma vez instalado o programa, eles já não são mais necessários.
Se você tiver interesse em saber como usar as funções básicas do Redshift e como editar o arquivo de configuração do programa, leia este artigo.
Tenha noites/madrugadas produtivas! — e aproveite para compartilhar o post nas redes sociais. 🙂

Referências

Fonte: blog do Jon Lund Steffensen, um dos desenvolvedores.
Leia mais sobre como compilar seus programas no Linux.
Dicas de configuração no Wiki do ArchLinux.
Wikipedia: verbete sobre melatonina.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *