shotwell about

Use o shotwell para transferir imagens da sua câmera para o computador

O aplicativo Shotwell faz parte dos repositórios oficiais de várias distribuições GNU/Linux e pode ser usado para visualizar, organizar e editar suas imagens.
De fato, ele pode vir pré-instalado apenas na versão “visualizador” em algumas distribuições.

Se você não o tiver instalado aí, use o gerenciador de pacotes da sua distro para encontrá-lo.
O visualizador básico, contudo, se já estiver presente, é o suficiente para quem apenas quiser transferir arquivos de imagens de um cartão de memória ou diretamente da câmera.
Shotwell install

Transferência de imagens

Usualmente, ao inserir um cartão (micro)SD no leitor do laptop, o Nautilus irá abrir o seu conteúdo e mostrar um botão de sugestão “para abrir as imagens no Shotwell”, conforme a imagem abaixo.
Shotwell botão no nautilus

Ao clicar no botão “Shotwell”, o visualizador irá exibir as últimas imagens importadas.

Para acessar o cartão de memória, o dispositivo de armazenamento externo ou a câmera, clique em “Mass storage…” dentro da aba lateral, à esquerda.

A depender da velocidade de acesso do dispositivo, pode demorar um pouco para exibir os arquivos de imagens disponíveis para transferência.
janela do shotwell

Neste ponto, eu costumo clicar em “Importar todas”, no rodapé (à direita) da janela do Shotwell.
Com esta opção, apenas os arquivos que ainda não foram transferidos, serão baixados.
Não se preocupe. Você não vai acabar com arquivos redundantes no seu computador.

Quando ele terminar a importação, irá perguntar se mantém os arquivos no dispositivo de armazenamento externo ou acoplado. É seguro selecionar “Apagar”, para liberar espaço.
Se houver arquivos redundantes, você será avisado também.
arquivos redundantes

Na aba “Última importação”, são mostrados os arquivos que você transferiu recentemente.

Você também pode ver os seus arquivos dentro do gerenciador de arquivos da sua distro. Como comportamento padrão, o Shotwell irá criar uma pasta com o ano constante nas informações de gravação de seus arquivos (2018, 2019 etc) dentro da pasta Imagens, no seu sistema.

Outras subpastas (subdiretórios) serão criados para os meses e dias relativos a cada imagem.

O Shotwell lida com seus arquivos RAW

Se você costuma fotografar em RAW, o Shotwell irá baixar suas imagens neste formato, sempre retirando a versão em JPEG, embutida (embedded) no arquivo “cru”.
Assim, o gerenciador de arquivos irá exibir as duas versões (RAW e JPEG) lado a lado na pasta.
Ubuntu Nautilus

Este comportamento torna mais ágil a análise das imagens, de outros visualizadores que só podem ler JPEG. Este formato é carregado muito mais rápido, o que permite fazer uma pré-seleção (i.e. jogar fora o que você não quer, por exemplo) muito mais eficiente e ágil.

Atualmente, o Shotwell tem suporte a edição das imagens RAW — não destrutiva, claro.

Ou seja, o Shotwell não modifica suas fotografias originais.
As edições (corte, ajuste de cores etc.) são guardadas em um arquivo à parte, enquanto o original permanece intocado.
Ao carregar a imagem novamente, o banco de dados de retoques será consultado para mostrá-la com as alterações que você fez.
Isto quer dizer que sempre será possível desfazer as alterações feitas em suas imagens, usando o Shotwell.

A tecla Shift também pode ser usada, para mostrar as imagens na tela, conforme estavam originalmente.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.