TestDisk featured official logo

Recupere o seu sistema de arquivos com o TestDisk

O TestDisk é uma ferramenta poderosa e útil para recuperar dados de dispositivos de armazenamento, como HDs, SSDs, pendrives, cartões de memória etc.
Originalmente, foi projetado para recuperar partições perdidas, danificadas e/ou fazer discos, que não estão dando boot mais, voltar a dar boot — quando estes sintomas forem causados por softwares defeituosos, vírus ou remoção acidental da tabela de partições.
A tarefa de recuperar tabelas de partições é relativamente fácil com o TestDisk.
testdisk logo
Neste texto, vou apresentar o aplicativo, mostrar como ele pode ser instalado e dar algumas dicas iniciais para o processo de recuperação dos dados.

O que dá pra fazer com o TestDisk

Dentre as tarefas possíveis com o aplicativo, a wiki oficial (link no final do texto) cita as seguintes:

  • Concertar a tabela de partições e recuperar partições removidas acidentalmente
  • Recuperar o setor de boot de uma partição FAT32 a partir do seu backup
  • Reconstruir setores de inicialização (boot sectors) de partições FAT12/FAT16/FAT32
  • Consertar tabelas FAT
  • Rebuild NTFS boot sector
  • Recover NTFS boot sector from its backup
  • Corrige o MFT, usando o MFT mirror
  • Localiza o Backup SuperBlock dos sistemas de arquivos ext2, ext3 e ext4
  • Recupera arquivos apagados da FAT, da exFAT, partições NTFS e ext2
  • Copia arquivos apagados a partir de sistemas FAT, exFAT, NTFS, ext2, ext3 e ext4

O utilitário tem recursos voltados para usuários novatos e avançados.
Se você tem pouco conhecimento sobre técnicas de recuperação de dados, pode usar o TestDisk apenas para coletar informações detalhadas sobre um dispositivo que não está inicializando e enviá-las para a análise de um técnico.
Sistemas operacionais suportados pelo TestDisk:

  • DOS
  • Windows (NT4, 2000, XP, 2003, Vista, 2008, Windows 7 (x86 & x64), Windows 10
  • Linux
  • FreeBSD, NetBSD, OpenBSD
  • SunOS
  • MacOS X

Ao final do texto, segue o link para download do aplicativo para a sua plataforma preferida.
Neste artigo, vou focalizar o uso do TestDisk no Linux (Debian 8.2, para ser mais preciso) — você pode facilmente adequar os conceitos explicados aqui a outra distribuição GNU/Linux ou plataforma de sistema operacional.

Sistemas de arquivos suportados

De acordo com a wiki, o TestDisk suporta os seguintes sistemas de arquivos:

  • BeFS ( BeOS )
  • BSD disklabel ( FreeBSD/OpenBSD/NetBSD )
  • CramFS, Compressed File System
  • DOS/Windows FAT12, FAT16 and FAT32
  • XBox FATX
  • Windows exFAT
  • HFS, HFS+ and HFSX, Hierarchical File System
  • JFS, IBM’s Journaled File System
  • Linux btrfs
  • Linux ext2, ext3 and ext4
  • Linux GFS2
  • Linux LUKS encrypted partition
  • Linux RAID md 0.9/1.0/1.1/1.2
  • RAID 1: mirroring
  • RAID 4: striped array with parity device
  • RAID 5: striped array with distributed parity information
  • RAID 6: striped array with distributed dual redundancy information
  • Linux Swap (versions 1 and 2)
  • LVM and LVM2, Linux Logical Volume Manager
  • Mac partition map
  • Novell Storage Services NSS
  • NTFS ( Windows NT/2000/XP/2003/Vista/2008/7 )
  • ReiserFS 3.5, 3.6 and 4
  • Sun Solaris i386 disklabel
  • Unix File System UFS and UFS2 (Sun/BSD/…)
  • XFS, SGI’s Journaled File System
  • Wii WBFS
  • Sun ZFS

Como instalar o TestDisk

Em distribuições baseadas no Debian, como é o caso do Ubuntu, Linux Mint e várias outras, é possível baixar e instalar diretamente dos repositórios oficiais, com o comando apt-get:

sudo apt-get install testdisk

se você prefere usar o aptitude (ideal, no Debian):

sudo aptitude install testdisk

Para executar o aplicativo, rode o comando testdisk no terminal.
Captura de tela do testdisk
A versão, que você vê na imagem acima, é a versão em modo texto.
Você também pode encontrar o TestDisk dentro de várias distribuições Live CD — ideal para suporte técnico ou no caso de você ter perdido acesso ao seu sistema por causa de problemas no disco rígido.
Como usar:

  • Para fazer uso do aplicativo, use as setas (no teclado), para se movimentar entre as opções do menu.
  • Para prosseguir e confirmar suas opções, use a tecla Enter.
  • Você pode usar a tecla ‘q’ (quit) para voltar às opções anteriores.
  • Para gravar as mudanças, use a tecla ‘y’ (yes) e Enter, para confirmar.
  • A opção ‘Write” é usada para registrar as mudanças na MBR (Master Boot Record).

Por fim, é necessário ter privilégios administrativos (superusuário) para usar a maior parte dos recursos do programa.

Alguns detalhes que você precisa entender

Antes de começar a trabalhar na recuperação do seu sistema de arquivos, é preciso entender que não há garantias de que você irá recuperar coisa alguma depois de um acidente ou desastre.
Suas chances de recuperar dados importantes são aleatórias — boa sorte!
Prepare-se psicologicamente para o pior.
Por mais que eu queira simplificar esta tarefa, a recuperação de dados é algo complexo e você pode facilmente causar mais danos ao sistema, piorando ainda mais a situação.

Se as informações são muito importantes para você, pergunte-se se não vale mais a pena pagar a um especialista para realizar os procedimentos necessários para a recuperação.

Não raro, a tarefa exige destreza no uso da linha de comando, conhecimento sobre partições, geometria de discos rígidos, compilações e, possivelmente, entender o conteúdo de arquivos a partir de um hex editor.
É muito importante não fazer nada, antes de ter certeza do que você está fazendo.

Referências

Como recuperar seu sistema de arquivos com o FSCK: https://elias.praciano.com/2014/03/como-verificar-e-consertar-seu-sistema-de-arquivos-no-ubuntu/
Download do TestDisk: http://www.cgsecurity.org/wiki/TestDisk_Download
Wiki do TestDisk, no CGISecurity: http://www.cgsecurity.org/wiki/TestDisk
Dedoimedo: http://www.dedoimedo.com/computers/linux-data-recovery.html

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

2 comentários sobre “Recupere o seu sistema de arquivos com o TestDisk”

  1. Elias o seu blog é muito bacana, principalmente para quem não domina o Linux.
    Apenas sugiro a inclusão de uma ferramenta de impressão, para arquivar o conteúdo.
    Grato pelas dicas e conteúdo sempre pertinente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *