Introdução ao editor de textos Vim

O editor de textos Vim ou vi foi lançado em 1991 e já passou dos 25 anos de existência.
É um editor profissional, para ser usado por hackers, programadores e power users (usuários avançados).

É chamado de “vi” em sistemas UNIX e no Mac OS X. Mas, usualmente, este é apenas um link para o Vim — que é uma evolução, uma versão mais avançada do vi.
Já recebeu alguns prêmios importantes, como o Linux World Editor’s Choice Award (1999) e foi escolhido pelos leitores do Linux Journal, seguidas vezes, entre 2001 e 2005.

O programa se destaca por ser um programa voltado para quem deseja obter o máximo da eficiência durante a escrita.
Foi concebido para permitir realizar todas as ações necessárias de edição sem ter que afastar as mãos do centro do teclado — embora tenha suporte a uso do mouse e uma versão GUI (interface gráfica), com botões clicáveis e menus suspensos, igual a qualquer outro editor de sua categoria (programação).
Contudo, usar o Vim com o mouse é ignorar o que há de melhor no editor.

Vim ascii art

O Vim é um editor de textos altamente configurável. Foi criado para tornar muito mais eficiente a edição de qualquer tipo de texto.
É estável (sólido como uma rocha), tem desenvolvimento ativo e continua a receber melhorias.
Entre os seus recursos, citam-se:

  1. Persistência, suporte a vários níveis de “desfazer” e a múltiplas camadas de arquivos.
  2. Um completo sistema de plugins que ajuda a estender suas funções.
  3. Suporte a centenas de linguagens de programação e a formatos diferentes de arquivos.
  4. Sistema de busca e substituição poderoso.
  5. Facilmente integrável a várias ferramentas e aplicativos no seu sistema.

No post “Por que eu uso o Vim para programar“, conto os motivos pessoais que me levaram a escolher este editor.

Como iniciar o uso do Vim

Para iniciar o editor na CLI, use o seguinte comando em seu terminal:


vim meutexto.txt

Este comando pode ser usado no MS-DOS prompt ou no terminal do Mac ou do Linux.
O vim irá iniciar a edição do arquivo meutexto.txt.
tela inicial do editor vim

A tela inicial irá exibir o cursor no topo da janela.
Na barra de status, embaixo, é exibido o nome do arquivo atual, seguido dos números da linha e da coluna em que o cursor se encontra.
Nota: Neste momento, o Vim ainda não está pronto para começar a edição.
Entenda porque…

Os modos de operação do Vim

Um dos conceitos do projeto do Vim, que costuma pegar os iniciantes “de calças curtas”, é o de funcionar em 2 modos:

  1. Existe um modo de inserção, para digitar texto. Ali é que se insere texto novo ou se apaga caracteres no Vim
  2. e existe um modo de comando, para gravar, abrir arquivos, desfazer ações, copiar e colar etc.

Se você se confundir e começar a digitar texto no modo de comando ou tentar dar comandos no modo de inserção vai ter resultados diferentes do que deseja.
Portanto, é importante entender este conceito agora, logo no começo.

O modo de inserção (i) é para digitar; o modo de comando (ESC) é para realizar operações relacionadas ao seu texto ou ao arquivo.

O Vim sempre inicia no “modo de comando”.
A partir daí, você vai dizer ao programa o que quer fazer — abrir um outro arquivo, sair do editor, obter ajuda etc.
Se quiser digitar texto, tem que entrar no “modo de inserção”. Para isto, tecle ‘i’.
Observe que o Vim informa na barra de status que se encontra no “modo de inserção”.
Para voltar ao modo de comando, pressione a tecla ‘ESC’.

A possibilidade de variar entre “modos”, é uma característica de editores modais.

Dentro do modo de comando, é possível fornecer comandos para o programa na barra de status ou linha de comando do editor.
Os comandos devem começar com ‘:’ (dois pontinhos).
Muitos comandos de ajuste do editor podem começar com ‘:set’ — que veremos mais tarde.
Se você fornecer apenas esta expressão, sem nada a acompanhar, o vim irá mostrar como suas variáveis de ambiente/funcionamento estão ajustadas.
Para gravar um arquivo, por exemplo, use o comando ‘:w’ (w = write).
No artigo Comandos do Vim, falamos sobre alguns comandos básicos para usar no editor.
A melhor maneira de entender é usando o programa.
Com o tempo, isto vai se tornando natural.

Como sair do Vim

Algumas pessoas se habituaram a dizer que o assunto é complicado, o que me levou a escrever um artigo inteiro sobre como sair do Vim.
De maneira resumida, use um dos seguintes comandos para sair do Vim:

  • :q para sair simplesmente
  • :wq para gravar e depois sair
  • :q! para sair sem gravar

Dica para novatos

Um dos problemas para quem está iniciando é entender o conceito de “modos” e frequentemente esquecer “em que modo estou”.
A barra de status, com frequência muda, para mostrar (ou não) outras informações.
Por isto é comum digitar um comando, quando você queria apenas começar a digitar texto.
Para evitar esta confusão, comece sempre teclando ‘ESC’, para garantir que esteja no modo de comando. Depois, você decide o que irá fazer. Se quiser começar a digitar texto, tecle ‘i’, ainda no modo de comando.
Se você bagunçar o seu texto por engano, volte ao modo de comando (ESC) e tecle ‘u’ (undo) para desfazer a última ação.


Leia mais sobre como movimentar o cursor dentro do Vim.

Referências

Você pode ler o manual do Vim com o comando ‘:help’
ASCII Art: http://www.patorjk.com/software/taag/.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *