capa do tutorial MySQL

Como inserir o resultado de uma query SELECT em uma tabela MySQL

Neste post vou mostrar como pegar o resultado de uma consulta MySQL e gravá-lo em uma tabela preexistente, em vez de exibi-lo.
Se você deseja criar uma nova tabela a partir de uma query SELECT, sugiro ler o artigo Como criar uma tabela a partir de uma declaração SELECT no MySQL.
Mountain high and mysql logo
O servidor MySQL normalmente retorna o resultado de um SELECT ao cliente que o requisitou.
Se você faz uma requisição a partir do terminal cliente MySQL, é para onde os resultados serão enviados e exibidos.
Neste texto vou mostrar como enviar os resultados de um SELECT para dentro de uma outra tabela.
Copiar resultados de uma tabela para outra pode ser útil em vários casos:

  1. Se você estiver desenvolvendo um algoritmo que modifica uma tabela, certamente seria mais seguro trabalhar em uma cópia — o que evita ter que lidar com as consequências de um desastre em cima de informações importantes para você ou para a empresa em que você trabalha.
  2. Em algumas operações, pode ser interessante trabalhar em uma tabela temporária e, mais tarde, copiar os dados conferidos para a tabela definitiva.
  3. Você pode usar o recurso em um script, que toma dados de uma tabela maior e cria uma pequena tabela de serviços e vai atualizando a tabela principal aos poucos (ou em horários de menor fluxo na rede).
  4. Se você está aprendendo MySQL, pode ser interessante transferir dados para tabelas “de aprendizado” e deixar as tabelas de produção em paz.

Vou mostrar como usar o INSERT ... SELECT para obter informações de uma tabela e inseri-las em outra.
Para isto, vou fazer uso das tabelas ClientesCidades e CliCred. Sugiro adequar os exemplos às suas próprias tabelas. Contudo, se quiser, você pode pegar as minhas mal acabadas tabelas aqui.

Como inserir os resultados da query em uma tabela

A tabela CliCred tem 3 campos coincidentes com a tabela ClientesCidades. Veja o que o comando EXPLAIN mostra (em destaque):

EXPLAIN CliCred;
+-----------+-----------------------+------+-----+---------+----------------+
| Field     | Type                  | Null | Key | Default | Extra          |
+-----------+-----------------------+------+-----+---------+----------------+
| id        | mediumint(8) unsigned | NO   | PRI | NULL    | auto_increment |
| cc_nome   | varchar(255)          | YES  |     | NULL    |                |
| cc_cidade | varchar(255)          | YES  |     | NULL    |                |
| cc_cred   | mediumint(9)          | YES  |     | NULL    |                |
| cc_limite | mediumint(9)          | YES  |     | NULL    |                |
+-----------+-----------------------+------+-----+---------+----------------+
5 rows in set (0.00 sec)

Embaixo, após o comando EXPLAIN, destaquei os campos que correspondem aos que foram destacados em cima:

EXPLAIN ClientesCidades;
+---------------+-----------------------+------+-----+---------+----------------+
| Field         | Type                  | Null | Key | Default | Extra          |
+---------------+-----------------------+------+-----+---------+----------------+
| id            | mediumint(8) unsigned | NO   | PRI | NULL    | auto_increment |
| NomeCliente   | varchar(255)          | YES  |     | NULL    |                |
| IdadeCliente  | mediumint(9)          | YES  |     | NULL    |                |
| CidadeCliente | varchar(255)          | YES  |     | NULL    |                |
| CredCliente   | mediumint(9)          | YES  |     | NULL    |                |
+---------------+-----------------------+------+-----+---------+----------------+
5 rows in set (0.00 sec)

Cada uma destas 2 tabelas tem 100 registros.
Ao final da operação, a tabela ClientesCidades terá recebido os 100 registros da tabela CliCred — e passará a ter 200 registros.
Veja:

INSERT INTO ClientesCidades (NomeCliente, CidadeCliente, CredCliente) SELECT cc_nome, cc_cidade, cc_cred FROM CliCred; 

Vamos analisar o comando dado:

  • INSERT INTO ClientesCidades — Determina em que tabela ocorrerá a alteração (inserção de novos dados).
  • (NomeCliente, CidadeCliente, CredCliente) — Estes são os campos (as colunas) que serão alterados na tabela ClientesCidades.
  • SELECT cc_nome, cc_cidade, cc_cred FROM CliCred — Seleciona os valores contidos nos campos cc_nome, cc_cidade, cc_cred na tabela CliCred, para inserir na primeira tabela.

Veja uma listagem parcial (apenas os 10 últimos registros) da nova tabela ClientesCidades:

SELECT * FROM ClientesCidades where id > 190;
+-----+-------------------+--------------+----------------+-------------+
| id  | NomeCliente       | IdadeCliente | CidadeCliente  | CredCliente |
+-----+-------------------+--------------+----------------+-------------+
| 191 | Paula Wiley       |         NULL | St. Catharines |         187 |
| 192 | Cathleen Thornton |         NULL | Rouvroy        |         289 |
| 193 | Laurel Espinoza   |         NULL | Boneffe        |         131 |
| 194 | Amber Sparks      |         NULL | Kailua         |         256 |
| 195 | Elizabeth Bean    |         NULL | Beaconsfield   |         147 |
| 196 | Eleanor Cleveland |         NULL | Rosciano       |         295 |
| 197 | Virginia Dillon   |         NULL | Metairie       |         209 |
| 198 | Jana Dyer         |         NULL | Birori         |         135 |
| 199 | Kendall Reid      |         NULL | Westkapelle    |         274 |
| 200 | Katell Robinson   |         NULL | Colonnella     |         149 |
+-----+-------------------+--------------+----------------+-------------+
10 rows in set (0.03 sec)

Em uma análise do resultado, note que:

  1. o último valor do campo id, em ClientesCidades, reflete o acréscimo de mais 100 registros. Agora são 200 registros;
  2. 100 nomes de clientes, de cidades e valores de Crédito foram adicionados nos campos NomeCliente, CidadeCliente e CredCliente;
  3. A tabela CliCred não tem o campo IdadeCliente, por isto o valor NULL (nulo) foi gravado nos campos correspondentes.

Como copiar todos os valores de uma tabela para outra

Isto é bem mais fácil e pode realizado com um comando mais enxuto e menor preocupação com a sintaxe.
Vamos supor a existência das tabelas tabela_Origem e tabela_Destino, ambas com estruturas idênticas.
Para copíar os valores da primeira para dentro da segunda, use o seguinte comando:

INSERT INTO tabela_Destino SELECT * FROM tabela_Origem;

E se eu quisesse copiar apenas as informações sobre clientes com créditos superiores a 300?
Vamos retomar (e alterar) o exemplo acima:

INSERT INTO ClientesCidades (NomeCliente, CidadeCliente, CredCliente) SELECT cc_nome, cc_cidade, cc_cred FROM CliCred WHERE cc_cred > 300; 

Como, no caso da minha tabela, nenhum cliente tem valor de crédito superior a 300, o resultado foi este:

Query OK, 0 rows affected (0.00 sec)
Records: 0  Duplicates: 0  Warnings: 0

Uma última dica: Você pode usar a mesma tabela como origem e destino.

Divirta-se e tenha um bom aprendizado!

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), desenvolvedor web e geek, nos mais diversos assuntos. Entusiasta de software livre e hacker de LEGO, acredito em repassar meu conhecimento e ajudar as pessoas sempre que for possível.

4 comentários sobre “Como inserir o resultado de uma query SELECT em uma tabela MySQL”

  1. Boa noite

    se for possível me explique como eu faço para sacar os dados do seguinte modo.

    1- Tenho 2 bancos de dados:

    exemplo 1: db teste1
    exemplo 2: db teste2

    no db teste 1 tenho uma tabela com nome estados/siglas onde contem os estados e as siglas

    na db teste2 preciso copiar da db teste1 a sigla dos estados….

    e na hora de preecher o formulario seleciono o value estado sigla + cidade e salvo utilizando um INSERT INTO db teste1 tabela estado

  2. top mais preciso de um que pego os resultados e jogue dentro de um span2 resutado por resutado dai fazer uma row com 5 spam dai quando completa os 5 spam2 cria outra row e assim em diante

  3. Insert com select, numa única execução da query gera na tabela destino várias cópias de um mesmo registro. Coisa que deveria acontecer conforme a quantidade de execuções da query. O que pode ser feito?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *