Como converter uma imagem RAW para QCOW2 e vice-versa.

Cada padrão tem suas aplicações, vantagens e desvantagens.
Quando necessário, é possível fazer a conversão entre eles — o que permite testar e analisar qual o melhor para você.
As imagens RAW são muito simples para se trabalhar, mas tem a desvantagem de usar muito espaço no disco. São uma boa opção se você pretende trabalhar com outras plataformas de virtualização, uma vez que todas reconhecem o formato RAW.
O QCOW2 é um formato feito para uso no QEMU. O nome é uma sigla para QEMU Copy On Write.

O formato QCOW usa uma estratégia de otimização do armazenamento que permite expandir o tamanho do disco virtual com o uso — até chegar ao tamanho máximo, definido na sua criação.

O formato QCOW2 usa compressão zlib e tem a opção de ativar a criptografia de seus dados via AES 128 bits.
No artigo Como criar uma máquina virtual Debian em 5 minutos, usamos uma imagem QCOW2 — que permite transmitir uma imagem de 25 GiB dentro de um arquivo de algumas centenas de MiB.

Como converter do formato RAW para QCOW2

Use o qemu-img com a opção ‘convert’ para realizar a tarefa. Veja um exemplo:

qemu-img convert -O qcow2 imagem-original.raw imagem-convertida.qcow2

A seguir, use a opção ‘info’, para obter informações sobre a nova imagem:

qemu-img info imagem-convertida.qcow2

Note, abaixo, que a imagem tem um tamanho virtual de 10GiB, contra apenas 1.3GiB de tamanho físico.

image: image-convertida.qcow2
file format: qcow2
virtual size: 10.0G (2147483648 bytes)
disk size: 1.3G
cluster_size: 65536
Format specific information:
    compat: 1.1
    lazy refcounts: false

Como converter uma imagem QCOW2 para RAW

Ao converter uma imagem QCOW2 para RAW, tenha em mente que ela tem o potencial de se expandir até o tamanho planejado na sua criação. Portanto, use a opção ‘info’ para saber que tamanho é este e certifique-se de que tem espaço em disco físico suficiente para comportar o novo tamanho.

As imagens RAW ocupam todo o espaço físico alocado imediatamente.
As imagens QCOW2 começam usando apenas um espaço pequeno (o necessário) e vão aumentando até o seu tamanho predeterminado, com o tempo.

O processo de conversão é semelhante ao anterior. Veja:

qemu-img convert -O raw imagem-original.qcow2 imagem-convertida.raw

Obtenha informações sobre a imagem:

$ qemu-img info imagem-convertida.raw
image: imagem-convertida.raw
file format: raw
virtual size: 10G (10737418240 bytes)
disk size: 10G

Como criar em 5 minutos uma máquina virtual Debian com o qemu

Você pode criar e começar a usar uma máquina virtual GNU/Linux (Debian ou outra distro Linux) quase instantaneamente, se usar uma imagem pronta, baixada da web.
Com este procedimento, você pula o processo de especificar exatamente o hardware (com todas as suas características e periféricos) a ser emulado e começa a usar uma máquina genérica e pronta pra rodar.
Nada impede que você altere as especificações de hardware depois.
Leve em conta que o tempo dado no título deste post pode ser menor ou maior — depende da velocidade da sua conexão à internet, antes que você me chame de mentiroso.
Debian girl mini

O que você precisa ter para executar a máquina virtual

Você precisa ter uma imagem customizada do seu sistema operacional rodando sobre uma arquitetura.
Você pode encontrar as imagens desejadas em vários lugares da web. Neste artigo, vou usar uma das que estão no site https://people.debian.org/~aurel32/qemu/.
Se você for lá, vai ver que há várias opções, todas Debian, para várias arquiteturas.
Ao terminar este tutorial, nada impede que você experimente outras, dentre as arquiteturas de hardware disponíveis.
Além da imagem escolhida, é necessário ter o programa QEMU instalado no seu sistema.
Recomendo um espaço em disco de 30 GiB livres — uma vez que a imagem usada neste tutorial pode chegar a 25 GiB.

Como executar uma imagem do qemu

Abra um terminal e comece fazendo (se já não o fez) o download da imagem do Debian:

wget https://people.debian.org/~aurel32/qemu/i386/debian_squeeze_i386_standard.qcow2
_

Em seguida, carregue a imagem:

qemu-system-i386 -hda debian_squeeze_i386_standard.qcow2
_

E pronto.

O QCOW é um formato de arquivo para guardar imagens de discos, para uso do QEMU.
Trata-se de uma abreviatura para “QEMU Copy On Write”.
O sistema faz uso de uma estratégia de otimização do armazenamento que “segura” a alocação dos dados a serem gravados até o momento em que sejam necessários.

Uma nova tela deve surgir, com o Debian em execução:
Tela do Qemu executando o Debian 6.0 Squeeze

Detalhes do sistema

Este sistema Debian 6.0 Squeeze vem dentro de uma imagem com 25 GiB, em formato QCOW2.
A imagem standard, corresponde a uma instalação Debian padrão, sem o ambiente gráfico — com apenas 128 MiB de memória RAM, esta situação seria sofrível, para dizer o mínimo.
Se você faz questão do ambiente gráfico, você pode instalá-lo ou optar pela outra imagem https://people.debian.org/~aurel32/qemu/i386/debian_squeeze_i386_desktop.qcow2.
Enfim, os nomes de usuário e senhas:

  • Usuário: root e senha: root.
  • Usuário: user e senha: user.

O teclado padrão é o dos Estados Unidos.
Se você quiser aumentar a quantidade de memória, use a opção -m, assim:

qemu-system-i386 -m 256 -hda debian_squeeze_i386_standard.qcow2

Divirta-se!

Fonte: https://people.debian.org/~aurel32/qemu/i386/README.txt