Baixe e instale o novo Firefox Nightly no Linux.

Sempre que a Mozilla disponibiliza uma nova versão do Firefox, a tendência é que a sua distro Linux, seja qual for, a incorpore automaticamente na sua próxima atualização.
Para verificar a versão atual do seu Firefox, clique em Ajuda/Sobre o Firefox ou Help/About Firefox:
about firefox nightly
Se você estiver sempre atualizando o seu sistema e não tiver pressa, em alguns dias, a nova versão do navegador já estará sendo automaticamente instalada em seu sistema pela atualização normal — mais um motivo para manter tudo atualizado.
Neste post, vamos falar da versão nightly ou noturna do navegador Firefox.
Ela tem este nome por que é resultado de todo o trabalho feito durante o dia, pelos desenvolvedores.
Teoricamente, no fim de cada expediente, o sistema é empacotado e disponibilizado para quem quiser testar.

O que é o Firefox Nightly?

Este artigo é para quem “gosta de viver no limite” — seja no Linux, no Android ou qualquer outra plataforma.
Conheça as diferenças entre as versões do Firefox: Stable, Aurora e Nightly
A versão Nightly de um software costuma ser a sua última versão disponível, ou seja, a mais atual.
Costuma incorporar os últimos avanços implementados pelos desenvolvedores. Estes recursos, poderão (ou não) estar presentes na próxima versão estável do aplicativo, uma vez que se trata de uma versão de testes.
E é importantíssimo que eu diga, aqui, não espere estabilidade da versão Nightly do Firefox

  1. Não use para fazer coisas sérias, para trabalhar etc.
  2. Não é recomendado usá-lo em máquinas de produção.
  3. Sim, você pode usar outras versões, junto, no mesmo computador: a nightly convive bem com as outras versões mais estáveis.

Quero enfatizar que esta versão pode funcionar bem em alguns dias e em outros não.
Quando não funcionar, tudo o que você pode fazer, é esperar pela versão do dia seguinte.

Você foi avisado. Siga por sua própria conta e risco.
firefox nightly background

Como baixar e instalar o Firefox Nightly

Você pode baixar a sua versão do navegador Firefox neste site: http://nightly.mozilla.org/.
Escolha a versão mais adequada à sua plataforma (sistema operacional).
O Nightly tem edições para Windows, Linux, Android etc. Este post se baseia na instalação da versão para Linux 64 bits — portanto, se sua plataforma for outra, adeque os procedimentos descritos às especifidades da sua situação.
O arquivo baixado terá um nome semelhante a firefox-XX.0a1.en-US.linux-x86_64.tar.bz2.
Abra um terminal (no Ubuntu, use Ctrl + Alt + T) e vá para o diretório onde o pacote de instalação foi baixado.
Descompacte o arquivo e entre no diretório criado:

tar xvvjf firefox-49.0a1.en-US.linux-x86_64.tar.bz2
cd firefox

Antes de executar o binário do Firefox, feche qualquer outra versão do navegador que estiver aberta no seu sistema… e boa sorte!

./firefox

Se, mais tarde, quiser remover o programa, basta apagar o diretório que foi criado.

O que esperar da versão nightly do Firefox

Você pode esperar qualquer coisa da nightly build ou development edition de qualquer software — inclusive nada, ou seja, que ele simplesmente nem funcione.
Se este for o caso, faça o download no dia seguinte — as atualizações saem a cada 24h.
Nesta fase do desenvolvimento o aplicativo recebe atualizações diárias e o que não funcionou num dia ou funcionou mal, pode funcionar linda e maravilhosamente no outro — é prudente não ser otimista.
Se isto te incomoda, software em desenvolvimento não é para você.
firefox nightly sreenshot

Motivos para usar a versão nightly

Há basicamente 2 motivos para usar softwares alfa, beta ou nightly:

  1. Conhecer e testar as novidades antes de todos os seus amigos e colegas.
  2. Ajudar os desenvolvedores a melhorar os aplicativos que você gosta — no caso do Firefox, ele envia aos desenvolvedores informações sobre o seu uso e possíveis crashes para que possam melhorar o produto.

O que fazer depois de instalar o Firefox Nightly

Instale os add on do Nightly Tester Tools:
Encontre a ferramenta aqui: https://addons.mozilla.org/en-US/firefox/addon/nightly-tester-tools/.
screenshot firefox nightly tools
Portanto, se baixar o espírito aventureiro e quiser experimentar, sinta-se à vontade para compartilhar a sua experiência nos comentários e dizer o que achou.

Use as versões mais novas de seus programas favoritos com os backports no Debian

Se você está rodando a versão estável do Debian, é por que prefere um ambiente seguro contra falhas, em detrimento de usar as versões mais avançadas dos seus softwares preferidos.
Tudo funciona bem, mas você sente que poderia se beneficiar de alguns recursos mais avançados, que só foram incluídos nas versões mais atualizadas de alguns aplicativos — mesmo que estes não sejam estáveis.
Uma das soluções é instalar a versão unstable ou testing do Debian, onde estão as versões mais novas dos seus aplicativos. — Mas, aí, você perde o argumento da estabilidade.
É para estes casos que existem os backports do Debian.
powered by Debian badge
Os backports são pacotes recompilados do canal de desenvolvimento testing e, em alguns casos, do canal unstable — para rodar sem as novas bibliotecas, onde for possível, dentro da distro stable.

A recomendação é ser conservador para escolher os softwares que você deseja manter atualizados “no limite”.

Neste texto, vou mostrar como configurar o recurso através da linha de comando — que é quase sempre o modo mais fácil e rápido, embora não seja muito bonito pra maioria das pessoas.
Para escrever este post, estou usando o Debian 8.2 “Jessie”, cuja fonte de backports é o Debian 9.0 “Stretch”. Procure adequar os procedimentos à versão da sua distro.
Se ainda restarem dúvidas, dê uma olhada nos links contidos neste texto e ao final, para obter mais informações.

Como configurar os backports

Segue o procedimento para incluir uma linha ao ‘sources.list’ (a começar pelo backup):

su -c 'cp /etc/apt/sources.list /etc/apt/sources.list.backup-2015-11-14'
su -c 'nano /etc/apt/sources.list'

Forneça a senha do root e adicione as seguintes linhas ao final do arquivo:

# Backports repository
deb http://http.debian.net/debian jessie-backports main contrib non-free

Agora, atualize os repositórios:

su -c 'apt update'

Como instalar um pacote de softwares do repositório backports

O repositório backports estará desabilitado — como procedimento padrão de segurança.
Para pesquisar dentro deste repositório ou instalar pacotes de softwares backported ou “backportados”, é necessário indicar explicitamente o seu desejo.
Veja um exemplo:

aptitude -t jessie-backports install nome-do-pacote

A opção ‘-t’ especifica que o jessie-backports é a versão alvo.
Com este comando, uma versão mais atualizada do nome-do-pacote será instalada, no lugar da versão padrão do Debian stablese houver uma disponível, claro.

Referências

Wiki Debian: https://wiki.debian.org/Backports.
Relação de pacotes do Jessie backports: https://packages.debian.org/jessie-backports/.

Como criptografar seus arquivos com o gpg

O GnuPG, ou GPG, é uma ferramenta completa e poderosa que permite encriptar e proteger suas informações e sua comunicação.
O software oferece um sistema versátil de gestão de chaves, bem como módulos de acesso para todos os tipos de diretórios de chaves públicas.
logo do GnuPG
Neste artigo, vou mostrar como usar as opções básicas de encriptar e decriptar arquivos, na linha de comando — muito embora possa ser facilmente integrada a outras aplicações gráficas.
Por ser software livre o GnuPG respeita sua liberdade, sua privacidade e tem código aberto — que pode ser auditado.

O aplicativo vem já instalado nas grandes distribuições Linux — o que inclui o Fedora, o Ubuntu, Linux Mint, Debian etc. — e segue os padrões definidos pelo OpenPGP.

A sua distro Linux provavelmente vem com a versão clássica, disponível nos repositórios (que tem foco na portabilidade).
É possível baixar outras versões estáveis e mais avançadas, com suporte a outros recursos, no site oficial (veja os links ao final do artigo).

Mesmo que você não tenha nada a esconder, o uso de encriptação ajuda a preservar a privacidade das pessoas com quem você se comunica e dificulta a vida dos burocratas que comandam sistemas de vigilância, mundo afora.

Se você tem informações importantes a esconder — tais como dados da sua empresa, você está em boa companhia. Este é o sistema usado por Edward Snowden para esconder documentos comprometedores.

Como encriptar com o gpg

O comando pode ser usado para encriptar e decriptar eficientemente arquivos no Linux, FreeBSD e outros sistemas operacionais. Pode ser usado, também para criar assinaturas digitais.
Abra um terminal (Ctrl + Alt +T, no Ubuntu) e experimente os exemplos que seguem.
Para simplesmente criptografar um arquivo no Linux, use o gpg com a opção -c.
No exemplo, abaixo, o gpg é usado para encriptar o arquivo historico.txt:


gpg -c historico.txt

Após fornecer a senha e confirmar, o sistema irá criar um segundo arquivo historico.txt.gpg, já criptografado — este é o arquivo seguro.
gpg confirmar senha
Se este arquivo tiver informações sensíveis, é prudente apagar o original.


rm historico.txt

Tenha cuidado especial também com suas senhas.
Use senhas seguras para sua conta de usuário e senhas de frase para sua chave GnuPG secreta.
A sua senha é a parte mais frágil de todo o sistema de encriptação —. Programas de ataque por força bruta ou dicionário são fáceis de fazer e implementar.

Como decriptar um arquivo, com o gpg

Aproveitando o exemplo já dado, vou mostrar abaixo como recuperar os dados do arquivo encriptado historico.txt.gpg. É simples:


gpg historico.txt.gpg

gpg-password-decriptar-box
Diferenças entre um arquivo “normal” e criptografado:


ls -lah hist*

-rw-r--r-- 1 justincase henry 805 Jan 20 16:16 historico.txt
-rw-r--r-- 1 justincase henry 318 Jan 20 14:57 historico.txt.gpg

Se você esquecer a senha, será impossível reverter a criptografia.
O arquivo com extensão .gpg é um arquivo binário, em oposição ao original .txt.

Como usar o padrão ASCII

Você pode criar arquivos encriptados no padrão ASCII, em vez de usar o padrão OpenPGP (binário e mais seguro), com a opção -a.
Veja como:


gpg -ac historico.txt

O procedimento resultará na criação do arquivo historico.txt.asc, cujo conteúdo pode ser visto assim:


cat historico.txt.asc 

-----BEGIN PGP MESSAGE-----
Version: GnuPG v1

jA0EAwMCOg2umLcrybhgycBpiRafCJBUEyKIyDMfXzEfCd+PwJVxI/+63ypL8lFZ
7+0YgzmSee+sooLTplJGbvlAVz23Y2KCcgmOC3v0URvUkT+7qhCsWLqYP0J21Ikr
Ie3DpqYwWxi9jeZ6Ae8cQDu0tUNVDV4zyV4Oim/DQZk7WwpIXgwwjnbfHEtdLqX3
etfq5OD8FMJN2nPoigIwLF6oq3m+CWGC64BqRx8QS81qMk6W8qmssC9iFYk84Csp
jOebc98pPjnt/5tnkHuISMRicLjtWKvlok2P80Nmv6h6WjkfpMmMZ4vAlkM7GtLl
IHiU9rPp31djpwpQoNQQN8VzJxMq4IdR0JAMaOUSV/oY6Q3voJOW8NW4+sOgLqAr
Ur9Tzwn+WMOo2pxBdjZ0/xI4mG6txDy6YLlh
=Tp7M
-----END PGP MESSAGE-----

Referências

UC Browser: um navegador rápido para Android

Vou mostrar, neste post, por que você deveria se dar a chance de conhecer o UC Browser para Android.
A velocidade da navegação é algo que salta aos seus olhos, já no primeiro uso.
squirrel mascot
Se você já experimentou outros navegadores, como o Chromium ou o Firefox, vai se surpreender agradavelmente também com os outros recursos do UC Browser — que se pronuncia you see browser e cujo mascote é um esquilo.

Os recursos do UC Browser

uc browser logoTal como vários outros navegadores, o UC Browser tem o recurso de pré carregamento de páginas a partir do servidor.
Que eu me lembre, pré carregar as páginas que o usuário requisitou, comprimir e só depois enviar é algo inventado pelo navegador Opera. O UC Browser, elevou isto tudo a um outro nível.
Conheça outros de seus recursos:

  • Modo acelerado — Ao requisitar uma página, no UC Browser, este envia uma ordem aos servidores para comprimir os dados e, em seguida, enviá-los a você. Isto trás 2 ganhos fundamentais pro usuário: páginas comprimidas carregam mais rápido e consomem menos largura de banda.
  • Complementos — Todo recurso “a mais”, que se colocar dentro de um aplicativo, vai trazer consigo um maior consumo de processamento e memória.
    Permitir que os usuários adicionem, através de complementos, apenas os recursos desejados, ajuda a melhorar a experiência de navegação.
  • Gerenciador de downloads — o navegador tem uma seção, a partir da qual é possível acompanhar os seus downloads e, se necessário, interromper uma transferência que não mais te interesse.
  • Compartilhamento — quando as opções de compartilhamento padrão não satisfazem, use o sistema de compartilhamento do UC Browser.

Velocidade nas redes sociais

Captura de tela facebook no smartphone - uc browserO UC Browser é muito eficiente para entregar as páginas das redes sociais.
Muitas pessoas (eu!) não gostam de usar os aplicativos do Facebook ou do Twitter para acessar as redes — acho-os muito pesados e lentos.
A experiência de uso das redes sociais através deste navegador foi surpreendente.
Só isto já vai ser suficiente para você ter vontade de recomendar o aplicativo aos seus amigos.
Se você ainda quiser, pode aumentar ainda mais a velocidade de carregamento das páginas do Facebook.
Para isto, ative o Acelerador do Facebook nas configurações do aplicativo.
Com o acelerador ligado, o UC Browser, deixa de carregar, parte dos componentes visuais do “face”, para mostrar logo a informação que é relevante. Pode ser uma boa opção quando estiver fora de casa e sem wi-fi.

Complementos

O aplicativo vem com alguns complementos padrão — dos quais, alguns já estarão ativos.
Você pode também pode buscar e acrescentar outros complementos ao UC Browser, para ter mais conforto no uso.
Entre os complementos já existentes:

  • Compartilhamento — permite compartilhar rapidamente uma página nas redes sociais ou enviar o seu endereço para algum amigo, via email, bluetooth, wi-fi direct etc.
  • Buscar na página — permite realizar uma busca, por um texto, na página atual.
  • Scanner de códigos QR — pra quem tem o hábito de usar códigos QR, o plugin traz uma forma eficiente de uso.
  • A área de colagem permite guardar vários textos copiados para colar onde você quiser depois.
  • Captura de tela — embora o Android já tenha o recurso de captura de tela, este permite recortar a parte da tela que você deseja capturar.
  • Modo rápido — com este complemento, é possível alterar o modo de visualização da página.
  • Bloqueio de anúncios — impede a exibição da maioria dos tipos de anúncios na web.
    Por um lado, isto evita certos abusos — mas, por outro, impede que os sites que trazem informações úteis faturem um dinheiro que os ajuda a se manter na Internet. Pense nisto.
  • UC Widget — posiciona no canto da sua tela principal um widget para acessar algumas das opções do UC Browser mais rápido.
  • eyeNight mode — Uma das minhas funções preferidas. Ela ajuda a controlar o brilho e o contraste da tela do navegador para tornar o seu uso mais confortável à noite.

A maioria dos recursos do navegador são intuitivos fáceis de achar, mesmo para quem ainda não tenha muita experiência com a web móvel.

Download

O aplicativo UC Browser, pode ser baixado no Google Play ou no site oficial.
Vá para a página de download, usando o seu smartphone, e clique no logo do navegador, abaixo:
uc browser logo
ou ir para a página oficial.
Depois de baixar e instalar o UC Browser, Sinta-se à vontade para deixar a sua opinião para outros usuários sobre o navegador, para compartilhar esta página e, se tiver alguma dica, o espaço é todo seu 😉

Grave suas atividades no Linux com o recordMyDesktop

Veja como instalar e usar o recordMyDesktop, um aplicativo que grava as ações na tela do computador.
Útil para gamers que desejam registrar toda a ação de um jogo, para quem deseja montar um tutorial em vídeo, sobre algum assunto, para quem deseja gravar para fins de suporte técnico uma situação na tela.
Com o objetivo de ser um gravador de sessão (em vídeo), o recordMyDesktop consegue ser muito eficiente e simples de usar.
Tem 2 modos de operação:

  • Com uma interface gráfica, que permite ajustar e ativar uma série de recursos.
  • execução a partir do terminal.

O aplicativo gera arquivos container OGG — um padrão aberto.

Instale o recordMyDesktop no Ubuntu

O programa pode ser baixado direto dos repositórios oficiais. Instale-o clicando no botão abaixo:
Clique para baixar e instalar o aplicativo
Se preferir usar o apt-get, abra um terminal copie e cole o comando abaixo:

sudo apt-get install gtk-recordmydesktop

Como instalar o recordMyDesktop em outras distros

No Debian, use o aptitude:

aptitude install gtk-recordmydesktop

No Fedora e no CentOS, use o yum:

yum install gtk-recordmydesktop

Você pode encontrar pacotes deste software, de versões mais novas, no site oficial do aplicativo:
http://recordmydesktop.sourceforge.net/downloads.php
O aplicativo vem disponível em uma versão que faz uso da biblioteca QT, ideal para usuários do KDE — neste caso, ele terá o nome “qt-recordMyDesktop” e tem o mesmo funcionamento que a versão GTK.
Usuários mais avançados, podem instalar apenas a versão em modo texto do aplicativo. No Debian ou no Ubuntu, isso se faz assim:

sudo apt-get install recordmydesktop

A desvantagem de instalar apenas esta versão é que se perde o módulo de configuração visual, que torna mais confortável escolher que parâmetros se deseja usar para fazer as gravações.
Independente disto, o último tópico deste artigo vai mostrar alguns exemplos de uso do recordMyDesktop a partir da linha de comando.

O uso do gtk-recordMyDesktop

Ubuntu recordmydesktop tela
gtk-recordmydesktop grave sua sessão no LinuxA tela inicial do aplicativo é simples e espartana. Ela permite que você já comece logo a gravar sua sessão.
Para iniciar uma gravação, você pode clicar em Gravar na janela principal.
Na barra de estado, superior da tela do seu computador, há um botão avermelhado que mostra um submenu (se for clicado), a partir do qual é possível iniciar gravações, pausar ou terminar.
Ao terminar, o aplicativo converte a gravação e cria um arquivo, com nome padrão out.ogv.
Ao clicar no botão Salvar como (veja figura acima), você pode mudar o nome do arquivo de saída, de acordo com sua preferência.
O botão Selecionar janela permite escolher uma área específica da tela para ser “filmada” — o que ajuda a manter o foco do vídeo para uma determinada ação, ao excluir todo o restante da tela da gravação.
Outro benefício de selecionar um janela é que o seu arquivo de vídeo pode ficar menor — e, consequentemente demora menos para converter e consome menos banda para transferir via Internet.
Você pode cancelar a conversão do arquivo, pressionando o botão Cancelar na tela de visualização do progresso.

Configurações do gtk-recordMyDesktop

As configurações básicas, na tela inicial, permitem controlar a qualidade final do vídeo e do som, com duas barras deslizantes.
Opcionalmente, o botão Avançado, vai levar o usuário para uma segunda tela, com mais configurações para gravar o seu vídeo.
Como você pode observar, a maioria delas é autoexplicativa.
gtk-recordmydesktop

Arquivos

A primeira aba da tela de configurações, permite escolher a pasta do Diretório de trabalho na qual o arquivo de gravação “cru” (raw) ficará armazenado temporariamente — ele será apagado, ao final da conversão.
Já vi, em fóruns de usuários, com bastante memória RAM, a sugestão de configurar o recordMyDesktop para usar um diretório montado na memória do sistema — mas isto pode ser um tanto quanto arriscado.
A opção Overwrite existing files, sobrescreve arquivos existentes se tiverem o mesmo nome dos arquivos novos.

Performance

recordmydesktop performance configuraçãoAs opções de configuração, nesta aba, afetam a performance da gravação e, em parte, a qualidade final do vídeo.
Uma dica, aqui, é alterar os valores por etapas – em vez de alterar tudo de uma vez, faça algumas experiências antes de gravar “pra valer”.

  • Quadro por segundo — A quantidade padrão (15) costuma ser suficiente para gravar ações em telas estáticas.
    Se você deseja gravar jogos de ação, contudo, deve usar taxas bem maiores.
  • Encode on the fly — Codificar durante a gravação, se você estiver usando uma máquina robusta, vai reduzir o tempo de espera para converter o seu vídeo, ao final da sessão.

Como reduzir o uso da CPU

Se você acredita que o consumo do processamento da CPU está muito alto e dificultando realizar as tarefas que você deseja gravar, tente algumas (ou todas) as dicas, que seguem, para conseguir framerates mais altos e uma gravação melhor:

  • Ative o quick subsampling — esta opção descarta pixeis desnecessários para amostra, aliviando o peso do arquivo final.
    Veja, abaixo, no tópico sobre uso do aplicativo na linha de comando.
  • Ative a compressão zero — esta opção está disponível na aba do menu Performance, na GUI.
  • Se possível, reduza a profundidade de cores, na configuração da sua placa de vídeo.
  • Se isto não resolver, tente reduzir a janela (área de captura) para um espaço menor.
    Desta forma, você grava apenas o que interessa, em vez de toda a tela.

Como rodar o recordMyDesktop na linha de comando

Esta é uma das minhas formas preferidas de execução deste aplicativo — pela simplicidade.
Antes de iniciar, na linha de comando, você vai fornecer todas as informações sobre a maneira com que você deseja que o aplicativo seja executado.
Quando terminar a gravação, pode dar um Ctrl + C no terminal de onde você iniciou o recordMyDesktop.
A maneira mais simples de iniciar a gravação é com o seguinte comando:

recordmydesktop video.ogv

Para codificar (encoding) o vídeo durante a captura, use a seguinte opção:

recordmydesktop --on-the-fly video.ogv

Para demarcar uma área de captura:

recordmydesktop -x X_pos -y Y_pos --width largura --height altura -o video.ogv

Para descartar pixeis desnecessários (e reduzir o consumo de CPU) e determinar uma taxa de 60 quadros por segundos:

recordmydesktop --quick-subsampling --fps 60 -o video.ogv

Se não quiser gravar o som:

recordmydesktop --no-sound -o video.ogv

Configure as teclas de controle

No exemplo abaixo, a combinação de teclas Ctrl + Alt + d pausa a gravação e Ctrl + Alt + d a finaliza:

recordmydesktop --pause-shortcut Control+Mod1+d --stop-shortcut Control+Mod1+f -o video.ogv

Os controles padrão para pausar e parar, são Ctrl + Alt + p e Ctrl + Alt + s.
Pode ser necessário alterar, para evitar conflitos com arquivos que já façam uso destas combinações de teclas para suas próprias funções.
Enfim, para estabelecer um tempo (3 segundos, por exemplo) para o recordMyDesktop esperar, antes de começar a gravar, use o seguinte parâmetro:

recordmydesktop --delay 3 -o video.ogv