Como lidar com um celular com o botão Power quebrado

Dos poucos botões físicos presentes em um smartphone ou tablet, o botão Power ou Iniciar é um dos mais importantes.
Ele é responsável pelo desbloqueio/bloqueio, por desligar/ligar o aparelho.
Se ele deixar de funcionar, a situação pode ser complicada.
O ideal, nestes casos, é levar o aparelho à assistência técnica.
As soluções abordadas, neste post, não têm a pretensão de serem definitivas — mas apenas tentar melhorar a situação temporariamente.

Reinicie pelo terminal

Se você tem um aparelho rooteado, pode usar o terminal para facilmente reiniciá-lo.
Se ainda não tiver, instale um aplicativo de terminal no seu dispositivo móvel.
Abra o terminal e digite o comando reboot e aguarde.
Se você usa alguma versão anterior ao 4.2.2 do Android, é possível que este método funcione sem rooting.

Aplicativos que reinicializam o sistema

Há vários aplicativos na Play Store Android.
Android Play Store Screenshot
A (quase) totalidade deles requer que seu aparelho seja rooteado, contudo.
Uma das exceções é o Real Reboot.
Este aplicativo promete reinicializar dispositivos sem root que usem Android, nas versões anteriores ou iguais a 4.2.1 — leia suas instruções de uso com cuidado.

Técnicas para ligar o celular sem usar o botão de início

Para quem está com problemas no botão de ligar o aparelho, o ideal é não desligá-lo nunca — ou, pelo menos, até conseguir resolver definitivamente o problema.
Para resolver esta situação, há alguns métodos, que variam em função das diversas marcas e modelos. Vamos abordar, a seguir, algumas destas técnicas.
Se o botão Power estiver completamente danificado, o próximo hack não irá servir para você.
Caso o problema do botão seja apenas mau contato, que impede de mantê-lo pressionado pelo tempo necessário para conseguir ligar seu aparelho — mas você ainda consegue ter alguns “resquícios” de contato, esta abordagem pode resolver o seu problema.
Outra coisa: eu não sei se funciona em outros aparelhos desta ou de outra marca. Eu só testei esta solução no Motorola (Lenovo) Moto G 3 e G 4 plus.
Siga o passo a passo:

  1. Com o aparelho desligado, conecte o cabo de força e simultaneamente, pressione o botão de diminuir o volume por alguns segundos.
  2. Vai aparecer a tela do bootloader, que permite realizar diversas operações que podem ser selecionadas com os botões de aumentar/diminuir o volume.
  3. A que queremos realizar é a operação START padrão.
    Para conseguir selecionar esta opção será necessário ter um mínimo (um “restinho”…) de contato no botão Power do aparelho.
    Vá apertando o botão em várias direções, com calma, até conseguir o contato.

Motorola Moto G 3 menu de serviços
Se tudo der certo, o seu aparelho irá iniciar graciosamente.
Se você tem um Samsung Galaxy, o método que segue pode funcionar para você.
Siga os passos:

  1. Com aparelho desligado, remova a capa traseira, deixando exposta a bateria do aparelho;.
  2. insira o cabo de força nele e aguarde aparecer o ícone de carregamento da bateria;
  3. quando a tela acender, exibindo o ícone da bateria, remova o plugue de força do celular rapidamente;
  4. imediatamente depois, remova a bateria, o suficiente para desencostá-la dos conectores de metal e a recoloque imediatamente no lugar de novo

Após alguns segundos, o aparelho deverá começar a carregar.
Esta técnica exige um pouco de destreza e você talvez precise praticar um pouco antes de conseguir realizá-lo corretamente.
Você deve ter o cuidado de garantir que a bateria esteja totalmente carregada, antes de iniciar o procedimento.
Veja o vídeo abaixo, para ter uma ideia de como fazer:


Leia outros artigos relacionados à bateria em dispositivos Android

Abra o aparelho e tente limpar as conexões do botão

Caso o aparelho esteja fora da garantia e você não queira gastar dinheiro com a assistência técnica, pode tentar abrir o smartphone para ter acesso ao conector do botão de início.
Eu não recomendo esta solução para quem não tem prática em abrir e consertar equipamentos eletrônicos — embora eu acredite que esta seja a solução mais lógica para o problema.
Se você quiser se arriscar, faça-o por sua própria conta e risco ou leve à assistência técnica (que é mais seguro).

Como desbloquear a tela sem o botão Power

Esta situação parece mais complicada do que realmente é.
O problema é que, comumente, precisamos apertar o botão de desbloqueio para chegar a tela de autenticação — onde você introduz um desenho, uma senha, um número PIN etc.
De certa forma, há 2 desbloqueios a serem feitos — o primeiro é feito com o botão Power.
Se você está com o celular nestas condições, sugiro desativar qualquer senha de acesso.
Este primeiro desbloqueio pode ser feito de outras formas:

  1. Ativando a câmera com um gesto ou através de um botão específico (que esteja funcionando). Depois disto, basta sair da câmera para usar o celular.
  2. Pedindo para alguém te ligar. Neste caso basta recusar a ligação para usar o aparelho.

Use nossa página de busca para encontrar mais artigos sobre o Android

Instalar um aplicativo desenvolvido para desbloquear o celular

Na linha de aplicativos de desbloqueio físico, há alguns que usam os sensores do aparelho para desbloqueá-los e permitir que o usuário se autentique.
Um deles é o Gravity Unlock.
Veja o vídeo para entender como ele pode ajudar a “despertar” a tela do celular:
.
Espero que algumas (ou pelo menos uma) destas soluções sejam úteis para resolver seu problema.
Se você quiser compartilhar outra solução conosco, sinta-se à vontade para comentar ali embaixo.

Conheça os sensores do seu smartphone ou tablet

Smartphones atuais podem ter mais de 20 sensores importantes que auxiliam no seu funcionamento, fornecem informações aos aplicativos e recolhem dados do ambiente ou do próprio usuário.
Alguns são de hardware, outros são de software e há os que combinam as funções de outros sensores, adicionando novas funcionalidades ao sistema.
Neste post, vou mostrar os mais comuns, encontrados nos dispositivos mais vendidos. Você pode obter mais informações sobre os sensores presentes no seu aparelho, consultando o seu manual.

Os tipos de sensores presentes nos smartphones

Já sabemos que estes aparelhos têm funções que vão muito além de telefonar.
Além de acessar as redes sociais e se comunicar através de inúmeros aplicativos, você pode jogar videogames avançados que fazem de todo o aparelho um joystick.
Aplicações de monitoramento de atividades físicas também são muito comuns aos usuários de celulares — e em função destas, os celulares passaram incorporar biometria e análise de funções do corpo do seu portador.
Se você contar as câmeras (frontal e traseira) e a tela de toque, um smartphone comum incorpora facilmente mais de 12 sensores em seu sistema.

Relação de sensores no Samsung Galaxy S4
Clique para ver detalhes.

Informações básicas sobre sensores em smartphones Android

Os aparelhos Android tem embutidos sensores que medem movimento, orientação e são capazes de obter várias informações sobre as condições do ambiente que os cerca.
Estes sensores podem oferecer dados precisos aos aplicativos (que os interpretam), que permitem monitorar o ambiente e estabelecer suas condições atuais, além de detectar eventuais mudanças.
Um aplicativo de jogo pode monitorar as leituras do sensor de gravidade do aparelho para calcular os gestos e movimentos do usuário — como o tilt, chacoalho, rotação, giro etc.
Um aplicativo de meteorologia pode fazer uso do sensor de temperatura e de humidade para calcular e informar o ponto de orvalho.

O cálculo do ponto de orvalho tem importância na aviação, mas também serve para indicar desconforto térmico — se relacionar os fatores temperatura, pressão atmosférica e umidade.
(Wikipedia)

Um aplicativo de viagens pode usar o sensor de campo magnético, associado ao acelerômetro, para informar o rumo que se está tomando.

Sensores suportados pela plataforma Android

De acordo com a documentação oficial, disponibilizada para desenvolvedores, a plataforma Android suporta 3 categorias abrangentes de sensores:

  • Sensores de movimentação — estes sensores medem as forças de aceleração e as forças rotacionais através de 3 eixos. Esta categoria inclui os acelerômetros, os sensores de gravidade, o giroscópio e os sensores de vetor rotacional
  • Sensores de ambientação — estes sensores colhem vários dados do ambiente que cerca o seu aparelho, tais como a temperatura do ar, a pressão atmosférica, iluminação do local e umidade. A categoria inclui barômetros, fotômetros e termômetros.
  • Sensores de posicionamento — detectam o posicionamento físico do dispositivo móvel. Esta categoria envolve os sensores de orientação e magnetômetros.

Você pode acessar os sensores disponíveis no seu dispositivo.
Os desenvolvedores Android dispõem de um framework para testar os sensores do aparelho, mas você pode baixar aplicativos que fazem isto pra você na Play Store.
Com eles é possível realizar os seguintes testes:

  • Determinar que sensores estão disponíveis no seu dispositivo.
  • Determinar as capacidades individuais de cada sensor, tais como sua abrangência máxima de área, seu fabricante, seu consumo de energia, requisições energéticas e sua resolução.
  • Capturar dados crus (ainda não interpretados por um aplicativo) vindos do sensor e definir a taxa mínima de dados que ele deve repassar.
  • Registrar ou remover o registro de aplicativos com privilégios de obter dados de um determinado sensor.

Obviamente, alguns destes recursos só estão disponíveis para aparelhos rooteados.
Veja, na tabela abaixo, os tipos de sensores suportados pela plataforma Android:

Sensor Tipo Descrição Usos
Acelerômetro HW Mede a força da aceleração em m/s2 aplicada ao dispositivo em todos os três eixos físicos (x, y e z), incluindo a força da gravidade. detecção de movimento (ao chacoalhar, ao bater etc.)
Termômetro (temperatura ambiente) HW Mede a temperatura em graus Celsius. Monitoramento da temperatura do ambiente.
Gravidade HW e SW Mede a força da gravidade em m/s2 aplicada a um dispositivo em todos eixos físicos. Detecção de movimento (chacoalho, batida, toque etc.)
Giroscópio HW Analisa a rotação em rad/s em torno de cada um dos 3 eixos. Detecção da rotação (giro, virada etc.)
Luz HW Detecta e analisa a intensidade da iluminação ambiente em lx. Adaptar o brilho da tela em função da iluminação local.
Aceleração linear HW e SW Mede a força de aceleração em m/s2 aplicada ao aparelho em todos os 3 eixos físicos (x, y e z), excluída a força da gravidade. Monitoramento da aceleração ao longo de um único eixo.
Campo magnético HW Mede os valores do campo magnético ao redor do dispositivo relativo a todos os 3 eixos em µT. Criar uma bússola.
Orientação SW Mede graduação da rotação que o dispositivo faz em torno dos 3 eixos físicos. Através de uma API, o desenvolvedor pode obter dados da matriz de inclinação e de rotação, com o uso do sensor de gravidade associado ao sensor de campos magnéticos. Determinar a posição do aparelho.
Pressão HW Mede a pressão ambiente do ar em hPa ou mbar. Monitorar as alterações na pressão atmosférica.
Proximidade HW Mede a proximidade em relação a um objeto em cm a partir da tela. Determinar se o smartphone está próximo ao ouvido/rosto do usuário.
Umidade relativa HW Mede a umidade relativa do ambiente em percentuais (%). Monitorar o ponto de orvalho, absoluto e umidade relativa.
Vetor de rotação SW e HW Mede a orientação de um dispositivo, providenciando os 3 elementos do seu vetor de rotação. Detecção de movimento e de rotação.
Temperatura HW Mede a temperatura do dispositivo em graus Celsius. Este sensor varia entre os diversos dispositivos Android e tem sido substituído pelos fabricantes monitor de temperatura ambiente. Monitorar temperaturas.
HW = Hardware; SW = Software.

Além destes, as câmeras e os microfones também contam, embora não estejam relacionados.
É importante lembrar que a versão instalada do Android, dá suporte ou não a determinados recursos.
O uso de sensores combinados, pode criar novas situações e possibilidades via aplicativos, como um sensor de movimento, que ativa a câmera quando detecta a presença de alguém — o que dá chance para criar softwares de vigilância, prevenção de furtos etc.

Referências