Crie uma planilha a partir dos dados exif das suas fotografias

Incluir dados EXIF das suas imagens pode ajudar a entender melhor como você fotografa, como hobby ou a trabalho.
Estes dados podem ajudar a entender aonde você precisa melhorar, que tipo de lente você realmente precisa (caso pense em comprar uma nova) etc.

Um tempo atrás, montei uma planilha ilustrativa do meu uso da Canon EFS 18-55mm (uma das lentes mais comuns em kits) e fiquei impressionado com o fato de que eu quase não fotografava abaixo dos 35mm de distância focal. Raramente usava o ajuste de 18mm.

Se eu tivesse o objetivo de comprar uma lente nova, àquela época, já estariam claras as minhas distâncias focais favoritas.
Como eu era iniciante na fotografia, entendi que precisava, mesmo, praticar o uso do ângulo mais aberto.

O uso da planilha me proporcionou a descoberta de novos momentos de diversão, fotografando cenas de rua e paisagens.

Neste post, vou mostrar como montei a minha planilha. Você pode alterar facilmente os meus exemplos para adequá-los às suas necessidades e às lentes que você tem aí.
Fique à vontade para me contar os resultados que obteve (e o que vai fazer com eles) nos comentários! 🙂

Baixe e instale o exiftool

O exiftool é uma ferramenta voltada para usuários avançados, desenvolvida por Phil Harvester em linguagem Perl.
O aplicativo pode ser usado para alterar os dados EXIF — mas vamos focar apenas algumas de suas propriedades de leitura de arquivos de imagens.

Se você já deu uma olhada em outros posts deste site, deve ter percebido que fotografo com uma Canon e uso o Linux, como sistema operacional, no computador.
Portanto os meus exemplos irão girar em torno destes 2 elementos. Contudo o exiftool tem versões para MacOS e Windows também — ou seja, tudo o que você ler aqui, pode ser aplicado ao seu sistema sem problema algum.

Usuários Linux, em geral, já têm o exiftool instalado por padrão em seus sistemas. Os demais, podem encontrar o software para download no site oficial (links ao final do texto).

Como extrair dados EXIF dos arquivos de imagens

O EXIF é uma sigla para Exchangeable Image File Format ou formato de arquivo de imagem intercambiável.
Apesar de se referir a arquivos de imagens, o formato pode ser encontrado em arquivos de áudio e vídeo também — dentre os mais de 200 tipos suportados, como FLAC, MP3, MP4, AVI, CRW, JPEG etc).

Há várias ferramentas disponíveis para ler e manipular este tipo de informação, o exiftool é uma delas.
Para obter dados legíveis para a nossa planilha eletrônica, vamos usar um recurso simples, chamado piping, que consiste em direcionar a saída geral do comando para um arquivo de texto:

exiftool sequencia-de-comandos > arquivo.txt

Para executar o exiftool em todos os arquivos JPEG do diretório (pasta) atual, use-o assim:


exiftool *.jpg

Para enviar o resultado para um arquivo texto, faça o piping:


exiftool *.jpg > info-imagens.txt

Você pode usar o nome que quiser para o seu arquivo txt. O fato é que ele pode ser aberto no seu programa de planilha favorito, do jeito que ele se encontra.

Para obter uma formatação mais adequada para planilhas, use a opção ‘-T’, na linha de comando:


exiftool *.jpg -T > info-imagens.txt

Se você prefere trabalhar apenas sobre as imagens RAW, indique isso na linha de comando:


exiftool -ext cr2 -T ./ info-imagens.txt

Acima, indicamos que as imagens de leitura deveriam as “cruas” da Canon (-ext cr2). Se as suas são da Nikon, use ‘-ext nef’.

Se você usa equipamento da Canon, pode formatar a saída de acordo com as tags próprias da marca:


exiftool -ext cr2 -T -canon ./ info-imagens.txt

Acrescente a opção ‘-r’ para ir “mais longe”, ou seja, pesquisar recursivamente em todos os subdiretórios:


exiftool -ext cr2 -T -canon -r ./ info-imagens.txt

Use o comando grep para refinar os resultados. No exemplo abaixo, filtramos a saída do comando, para exibir apenas as informações pertinentes à lente Canon EFS 18-55mm:


exiftool -ext cr2 -T -canon -r ./ | grep "18.0 - 55.0" > info-imagens.txt

Outra forma de obter a lista é indicando exatamente quais as tags você quer obter, apenas.
Assim, é possível obter um arquivo de dados (em texto) muito mais enxuto:


exiftool -FileName -Lens -LensType -LensID -ExposureTime -FocalLength -Aperture -ISO -T -ext cr2 -r ./ > info-imagens.txt

Em geral, para mim, apenas isso é o suficiente:


exiftool -FocalLength -Aperture -ISO -T -ext cr2 -r ./ > info-imagens.txt

Isto é tudo que você precisa para ter um arquivo usável para a sua planilha. No LibreOffice, já é possível trabalhar em cima destes dados. Veja a imagem abaixo:

planilha libreoffice
Como eu usei a minha Canon com a lente do kit EFS 18-55mm

No meu caso, removi/ocultei todas as colunas que não seriam relevantes para as minhas análises de uso da lente em questão.
Adicionei, ao final das colunas com os valores de abertura, ISO e distância focal os cálculos das médias.

No LibreOffice, a média é calculada com o uso da função de mesmo nome, indicando entre parênteses a primeira células e a última da coluna com os valores que queremos.

No meu caso, ficou assim:

=MÉDIA(F5:F1551)

Desta forma, pude verificar que fotografava predominantemente usando valores de aberturas de 6.5, ISO 650 e distância focal de 49mm.

Quais foram os seus resultados?

Referências

Download do exiftool: https://www.sno.phy.queensu.ca/~phil/exiftool/.
Mais artigos sobre o exiftool: https://elias.praciano.com/?s=exiftool+RAW.

Como pesquisar em arquivos .ODT, com o comando grep

Infelizmente, o comando grep não consegue enxergar o conteúdo de arquivos .odt, bem como muitos outros arquivos que não sejam puro texto.
Arquivos binários, como é o caso, não são transparentes para o uso do grep.

Neste texto, vou mostrar como fazer a conversão do seu arquivo .odt e, durante o processo, o grep captura o conteúdo e faz a busca pelas strings que você sugere, na linha de comando.
Para isto, o utilitário odt2txt faz a conversão do .odt e repassa o resultado ao comando grep.
A sintaxe é assim:

odt2txt --stdout nome-do-arquivo.odt | grep -i string-a-ser-pesquisada

Veja um exemplo:


odt2txt --stdout Documentos/Linux\ Cloud.odt | grep -i linux

A Evolução do GNU/Linux
Distribuições GNU/Linux
Certificação Linux
Mercado Linux
Conhecendo a Arquitetura do Sistema Linux
Linux Inside: Instalação Desktop Debian e CentOS

Com a opção ‘–stdout’, o utilitário odt2txt desvia o resultado para a saída padrão do sistema.
Em seguida, o grep é chamado para interceptar o resultado, no modo texto e exibir as linhas que contém a cadeia de caracteres solicitada.

Leia mais sobre o comando grep.

Melhore o desempenho do LibreOffice, desabilitando o Java

Se a execução do LibreOffice está lenta pra você, é possível melhorar um pouco a situação desativando o Java.
O LibreOffice (e o brOffice ou OpenOffice), não depende do Java para funcionar — apenas algumas de suas funções dependem dele.
Java no LibreOfficeA performance do LibreOffice pode ter uma melhora sensível, ao desabilitar o Java no programa e você provavelmente não irá sentir falta dele. Se eu estiver errado, basta voltar atrás nas alterações. 😉
Siga os passos:

  • Abra o LibreOffice e selecione o menu Ferramentas;
  • Em seguida, selecione Opções;
  • No painel de opções, clique em Avançado;
  • Agora, desative a opção Utilizar um JRE (Java Runtime Environment)

Java no LibreOffice
Clique para ampliar.

Pronto.
Ao reiniciar o LibreOffice, espero que você perceba alguma melhora no sistema.

LibreOffice: como iniciar mais rápido

Se você é uma das pessoas que sentem que o LibreOffice demora muito para abrir no seu sistema, este artigo vai te ajudar a melhorar este aspecto no desempenho do aplicativo.
LibreOffice mais rápidoUm #geek de verdade evita incentivar o consumismo ou compras desnecessárias. Afinal, o sentido de ser um geek ou um nerd é justamente a disposição de aproveitar ao máximo o recurso que você tem em mãos.
Contudo, se você está sentindo o seu sistema, como um todo, mais lento, talvez precise, mesmo, fazer algum upgrade no hardware, que pode começar com um aumento na quantidade de memória RAM.
Isto posto, vamos ver o que dá pra fazer com o que temos aqui.

Instale o LibreOffice na bandeja do sistema

Esta solução, em si, já consome uma quantidade de memória RAM — portanto, ela é voltada para quem usa muito o LibreOffice.

DICA

Se você usa pouco este aplicativo, não recomendo seguir os procedimentos descritos a seguir. É melhor conviver com uma eventual lentidão para carregar o LibreOffice do que manter uma série de coisas pré-carregadas na memória do sistema, que raramente são usadas.
Aconselho fechar todos os aplicativos desnecessários, antes de abrir o LibreOffice.
Se você precisa trabalhar com o navegador aberto, pelo menos, feche todas as abas e janelas que puder. Deixe aberto apenas o estritamente necessário — assim, o LibreOffice terá mais espaço na memória e tempo do processador para trabalhar.

Se você decidiu seguir em frente, abra o LibreOffice e clique em Ferramentas. Depois, selecione Opções (costuma ser o último item do menu Ferramentas).

LibreOffice - Menu Ferramentas
Clique para ampliar.

No painel de opções, selecione, à esquerda, a sessão Memória, para abrir um painel de opções secundário.
Este contém uma série de ferramentas de configuração do uso da memória no LibreOffice. Entre as principais, eu destaco a que define a quantidade máxima de ações a desfazer (o Ctrl + z, em outras palavras) e a quantidade de memória que deve ser reservada pelo sistema para uso do aplicativo.
LibreOffice - painel de configurações de uso da memória
Clique para ampliar.

Clique, para marcar a opção Ativar o iniciador rápido da bandeja do sistema e, em seguida, pode sair do painel.
O ícone do LibreOffice já estará presente na bandeja do sistema — a partir do qual, você pode abrir mais rápido um novo documento ou um arquivo já existente.

Como usar ou instalar temas no libreOffice, OpenOffice, brOffice

Introdução

A nova versão do LibreOffice 4.1 vem causando alguma sensação e, na minha humilde opinião, isto não ocorre por causa dos novos recursos.
O LibreOffice e seu irmão OpenOffice vêm incomodando sobremaneira uma gigante do software, baseada em Redmond por que são bons produtos e estão sendo adotados por várias grandes empresas e instituições mundo afora.

Personas

Personas firefox beta logo
Esta nova versão permite usar os mesmos temas do Personas, um addon ou extensão pro navegador da Mozilla Foundation, Firefox.
Você encontra aqui os temas:
Página de temas Personas do Firefox

Seleção de temas
Clique para ampliar.

Clique no menu Ferramentas e, depois, no item Opções.A seguir, selecione Aparência, na lista de opções do painel à esquerda.
Clique em Tema próprio e no botão Selecionar um tema.
Visitar os temas do Firefox
Clique para ampliar.

Na pequena caixa de diálogo clique em “Visitar os temas do Firefox” e você será levado à página dos temas.
Escolha o tema desejado e clique sobre ele para ir à sua página específica. Ao chegar lá, você só precisa selecionar e copiar o endereço da página do seu tema Personas.
Clique para ampliar
Clique para ampliar

Depois de copiar o endereço da página volte para a caixa de diálogo anterior e cole-o no local indicado.
Onde colar o endereço da página que contém o tema Persona da sua escolha.
Clique para ampliar

Feito isto, clique no botão OK e aguarde. Em máquinas mais lentas, a troca do tema pode ser um pouco demorada.
Divirta-se! 😉