Aplicativos de sessão no Ubuntu: quais itens podem ser desativados?

O painel de configuração dos aplicativos iniciados automaticamente, no Ubuntu, pode conter dezenas de itens.
Será que são todos necessários? Quais podem ser desativados com segurança, sem comprometer a estabilidade e a eficiência do seu sistema?
Ubuntu - Aplicativos de sessãoComo você poderá ver, no decorrer do texto, são poucos os itens que podem ser desativados ou removidos sem comprometer a eficiência do sistema.
Há, pelo menos, 2 motivos para isto:

  • Estar “ativado”, não significa “estar ativo” — ou seja, o item está disponível, mas não está consumindo recursos de processamento nem ocupando espaço na memória do sistema.
    Este é o caso do ORCA, leitor de tela que, se não for iniciado por algum evento, jamais ficará ativo e, portanto, não irá consumir recursos do sistema — remover ou desativá-lo, não vai fazer qualquer diferença.
  • Outros itens são importantes, justamente por que agilizam a execução de tarefas rotineiras, como o assistente de montagem — que torna mais eficiente a detecção e montagem de um dispositivo externo (cartão de memória, pendrive, HD externo etc.)
O espírito do Linux

Para quem começou a usar o Linux agora, vale dizer que este sempre foi o “espírito” do Linux: carregar apenas o que é necessário. Você pode ter instalados módulos de placa de som, de rede, etc. — estes só estarão ativos durante o seu uso. Quando param de ser usados, “voltam pra gaveta”.

O que você deve buscar, no painel, são aplicativos específicos para hardwares que não estejam presentes no seu sistema. Um exemplo, seria um aplicativo assistente para melhorar a eficiência da placa gráfica NVIDIA. Se a sua placa gráfica é Intel, ele é obviamente inútil. Ainda assim, esta é uma situação rara.

IMPORTANTE:Ubuntu - aplicativos de sessão

Leia o artigo Como tirar aplicativos do início automático do Ubuntu — ele é importante, caso você não saiba como chegar ao painel de configuração de aplicativos de sessão ou caso você não saiba como fazer para exibir os itens ocultos no painel — eu ensino o “truque”!

Qual a função de cada item da lista, no painel Aplicativos de Sessão?

A lista de itens varia de hardware para hardware, de instalação para instalação. Em linhas gerais, os itens mais comuns são estes:
(Embora eu não recomende a desativação de qualquer um destes itens, marquei em verde os que são seguros para desativar, se você quiser).

Item Descrição
Bluetooth manager Se você não tem hardware de suporte a bluetooth, no seu computador, este item pode ser desativado. Mas você terá que vir aqui reativá-lo e logar novamente no sistema para fazer um simples dongle funcionar.
Antes de desativar, por achar que vai demorar meses até usar um, imagine que vai ter que se lembrar que desativou o item aqui, quando estiver se perguntando por que ele simplesmente não funciona.
Notificações de disco Checa periodicamente as condições de seu disco rígido e avisa se ele estiver com problemas graves a ponto de precisar de troca.
Som de login ou login sound Reproduz o som de login, ao entrar no sistema. É 100% seguro desativar, mas não haverá qualquer melhora no desempenho do sistema, se é isto que você quer.
AT-SPI D-Bus Bus A sigla significa Assistive Technology Service Provider Interface. Os recursos de acessibilidade precisam deste serviço. Se você não faz uso destes recursos, é seguro desativar, mas isto não influi no desempenho do sistema.
Conversão de dados GSettings Você precisa disto ligado. O GConf é um sistema de banco de dados que armazena as configurações de aplicativos.
Backup Monitor Ativa periodicamente o sistema de backup do Déja dup. Partindo do pressuposto de que >u>você já está usando outro sistema de backup, é seguro desativar este.
Assistente de montagem A menos que você prefira montar e desmontar os seus dispositivos manualmente, é melhor deixar este item como está.
Ubuntu One Se você não usa, é seguro remover — até por que o serviço está extinto.
Rede Inicia o applet de conexão à rede. Se você desativar este item, vai ter que iniciar a rede manualmente.
Sistema de som PulseAudio Se você não usa som (em um servidor, por exemplo), é seguro desativar este item também.
Certificado e armazenamento de chaves O chaveiro do Gnome pode ser útil em algum momento. Não vale a pena desativar este item, até por que ele usa muito pouco recursos do sistema
Bate-papo Serviço para integrar o Telepathy ao menu de mensagens. É seguro desativar se você não planeja ter utilidade para ele.
Compartilhamento da área de trabalho ou Desktop sharing Mesmo “ativo”, só entra em ação, se você começar a compartilhar a sua área de trabalho com outros usuários. Desativar este serviço é inócuo.
Arquivos Processo de atualização dos ícones no Nautilus. Melhor não desativar.
Agente de chaves GPG e
Agente de chaves SSH
Ambos são carregados pelo processo gnome-keyring-daemon, que consome recursos ínfimos no seu sistema. Não vale a pena desativar.
Onboard Teclado on-screen — não consome recursos do sistema, pois só é ativado por outros aplicativos, presentes no subpainel de Acesso Universal, no painel de configurações do sistema.
Leitor de tela ORCA Enquanto não for disparado por outros aplicativos, não faz qualquer uso dos recursos do seu sistema.
Compartilhamento de arquivos pessoais Só é disparado quando você começar a compartilhar arquivos. Se você não fizer isto, nenhum recurso do sistema é usado.
PolicyKit Authentication Agent Provê uma sessão D-Bus, usada para mostrar na tela as caixas de diálogo que pedem autorização para executar tarefas que exigem privilégios administrativos. Não desative.
Notificador de atualizações É seguro deixar ativo. Se você desativá-lo, vai ter que verificar manualmente as suas atualizações
Atualizar pastas de usuário Ele não “fica rodando” em background. Este item apenas verifica, na inicialização, se as pastas do usuário (Música, Documentos, Vídeo) estão com os seus nomes adequados ao idioma correspondente à localização (geográfica) do usuário atual. Se for necessário, faz a alteração dos mesmos. Simplesmente deixe-o aí.
Zeitgeist Datahub É um serviço que centraliza todos os dados passivos em um único processo e cria uma interface entre as fontes daqueles dados (também chamados loggers) e o zeitgeist-daemon, com o qual se comunica via D-Bus.
Ao desabilitar este processo, alguns itens do Unity, como a pesquisa do Dash deixarão de funcionar. Não desative, a menos que você saiba o que está fazendo.

Há outros itens, além destes. Listei apenas os mais comuns.
Se você pretende desativar alguns deles, para poupar os recursos do seu sistema, os que estão em fundo verde, na tabela, são seguros. Altere os outros apenas se tiver certeza do que está fazendo.

Como tirar aplicativos do início automático, no Ubuntu

Veja aqui como impedir que aplicativos indesejados iniciem automaticamente, no Ubuntu, editando o painel de “aplicativos de sessão”.
Um dos motivos de se alterar as configurações neste painel é remover aplicativos ou scripts inúteis (pra você) da inicialização automática para melhorar a eficiência do sistema.
logviewO problema é que eles estão nesta lista justamente para tornar o sistema mais ágil e veloz, para a grande maioria dos usuários.
Contudo, se você não é a grande maioria e acredita que o sistema pode se adequar melhor às suas necessidades — este artigo foi feito pra você.

ADVERTÊNCIA

Seja cuidadoso ao alterar as configurações do painel de Aplicativos de Sessão — você pode acabar com um sistema mais lento, mais ineficiente e, possivelmente, “quebrado”. Tenha bom senso.
Se você não tem certeza de que deve ou não fazer algo, então não faça.

Os itens escondidos do painel

Antes de abrir o painel Aplicativos de Sessão ou Autostart, é interessante executar um rápido procedimento, na linha de comando, para ver uma lista de aplicativos mais completa dentro dele.
Por uma questão de segurança, o Ubuntu esconde uma série de aplicativos e scripts, para evitar que o usuário remova da inicialização automática itens importantes pro funcionamento e pra eficiência do sistema.

configurar aplicativos sessão
Clique para ver mais detalhes.

Para ver os aplicativos ocultos no painel, antes de abrí-lo execute o seguinte procedimento, no seu terminal:

cd /etc/xdg/autostart
sudo sed --in-place 's/NoDisplay=true/NoDisplay=false/g' *.desktop

Você pode copiar e colar os comandos daqui pro seu console, para evitar erros de digitação.
Para ver o painel, ative o dash, clicando no ícone do Ubuntu, no canto superior esquerdo do lançador (launcher) ou pressionando a tecla Super, no teclado — agora, procure por “Aplicativos de sessão” e clique no ícone correspondente.
Uma vez aberto o painel, note que você já pode ativar, desativar, adicionar, remover ou editar os aplicativos que iniciarão automaticamente na sua sessão.
Como eu já disse antes, tenha bom senso — uma boa dica é não remover aplicativos indesejados. Você pode apenas desativá-los, clicando na caixa, à esquerda de cada item.
Se houver arrependimento futuro, é fácil voltar atrás: basta reativar o item.

Quais itens podem ser desativados?

Os itens do painel de Aplicativos de sessão — obtenha uma explicação detalhada dos itens mais comuns do painel e saiba quais podem ser removidos com segurança.

Como desfazer a exibição dos itens ocultos

Para ocultar novamente, por segurança, os itens do painel, rode o seguinte comando, no terminal:

cd /etc/xdg/autostart
sudo sed --in-place 's/NoDisplay=false/NoDisplay=true/g' *.desktop

E pode conferir! Já estão todos escondidos e seguros de novo.
Compartilhe!

LibreOffice: como iniciar mais rápido

Se você é uma das pessoas que sentem que o LibreOffice demora muito para abrir no seu sistema, este artigo vai te ajudar a melhorar este aspecto no desempenho do aplicativo.
LibreOffice mais rápidoUm #geek de verdade evita incentivar o consumismo ou compras desnecessárias. Afinal, o sentido de ser um geek ou um nerd é justamente a disposição de aproveitar ao máximo o recurso que você tem em mãos.
Contudo, se você está sentindo o seu sistema, como um todo, mais lento, talvez precise, mesmo, fazer algum upgrade no hardware, que pode começar com um aumento na quantidade de memória RAM.
Isto posto, vamos ver o que dá pra fazer com o que temos aqui.

Instale o LibreOffice na bandeja do sistema

Esta solução, em si, já consome uma quantidade de memória RAM — portanto, ela é voltada para quem usa muito o LibreOffice.

DICA

Se você usa pouco este aplicativo, não recomendo seguir os procedimentos descritos a seguir. É melhor conviver com uma eventual lentidão para carregar o LibreOffice do que manter uma série de coisas pré-carregadas na memória do sistema, que raramente são usadas.
Aconselho fechar todos os aplicativos desnecessários, antes de abrir o LibreOffice.
Se você precisa trabalhar com o navegador aberto, pelo menos, feche todas as abas e janelas que puder. Deixe aberto apenas o estritamente necessário — assim, o LibreOffice terá mais espaço na memória e tempo do processador para trabalhar.

Se você decidiu seguir em frente, abra o LibreOffice e clique em Ferramentas. Depois, selecione Opções (costuma ser o último item do menu Ferramentas).

LibreOffice - Menu Ferramentas
Clique para ampliar.

No painel de opções, selecione, à esquerda, a sessão Memória, para abrir um painel de opções secundário.
Este contém uma série de ferramentas de configuração do uso da memória no LibreOffice. Entre as principais, eu destaco a que define a quantidade máxima de ações a desfazer (o Ctrl + z, em outras palavras) e a quantidade de memória que deve ser reservada pelo sistema para uso do aplicativo.
LibreOffice - painel de configurações de uso da memória
Clique para ampliar.

Clique, para marcar a opção Ativar o iniciador rápido da bandeja do sistema e, em seguida, pode sair do painel.
O ícone do LibreOffice já estará presente na bandeja do sistema — a partir do qual, você pode abrir mais rápido um novo documento ou um arquivo já existente.