Como quebrar senhas de arquivos rar, 7z e zip

Quebrar senhas de arquivos compactados é sempre possível e, relativamente, fácil. O que varia é o tempo que você vai levar para concluir esta tarefa.
Vou mostrar como revelar a senha de um arquivo compactado em rar,
7z ou zip.
Zipper over blue tissue
O programa rarcrack foi desenvolvido sob a licença GPL, por David Zoltan e é mantido, atualmente, pelo programador dinamarquês Ole Wolf.
Ele é capaz de quebrar senhas não muito complicadas em questão de minutos ou segundos.
Se você tiver uma máquina lenta e uma senha mais complexa pela frente, contudo, esta tarefa pode acabar lhe tomando algumas horas.
O rarcrack usa um algoritmo de força bruta para descobrir a senha do arquivo.

O que é força bruta?

Em criptografia um ataque de força de bruta – ou de busca exaustiva – é um ataque critoanalítico rudimentar, recomendado quando outros métodos não forem possíveis.
O ataque consiste em testar sistematicamente todas as combinações de caracteres possíveis, até encontrar a que corresponde à senha.
Justamente por isto, pode ser um método muito demorado para quebrar a segurança de um arquivo.

Como baixar e instalar o rarcrack

O rarcrack pode ser baixado no site oficial do aplicativo ou instalado direto dos repositórios (se você estiver usando o Debian ou o Ubuntu).
Vamos abordar alguns métodos de instalação — e você pode usar o que achar que serve melhor pra você.

Como instalar o rarcrack no Ubuntu ou Debian

Abra um terminal (Ctrl + Alt +T) e digite os seguintes comandos:

sudo apt-get install rarcrack

Se você estiver usando o Ubuntu 12.04 LTS, deve instalar algumas PPAs primeiro. acrescente as linhas abaixo, ao arquivo /etc/apt/sources.list:

deb http://ppa.launchpad.net/ole.wolf/rarcrack/ubuntu precise main 
deb-src http://ppa.launchpad.net/ole.wolf/rarcrack/ubuntu precise main

Em seguida, execute os seguintes comandos de instalação:

sudo apt-get update
sudo apt-get install rarcrack

Como baixar e compilar o código fonte

Comece por baixar o código fonte no link abaixo:
Site de download do rarcrack.
Ao seguir os passos, abaixo, substitua VERSION pelo número da versão do arquivo baixado:

tar -xjf rarcrack-VERSION.tar.bz2
cd rarcrack-VERSION
$ make
$ make install

Você vai precisar ter privilégios administrativos (root) para executar o último passo, acima.

Como recuperar a senha de um arquivo compactado

O rarcrack é um aplicativo de linha de comando, de execução muito simples.
Normalmente, basta digitar:

rarcrack nome-do-arquivo.zip

Se o rarcrack não reconhecer o tipo seu tipo de arquivo, basta informar:

rarcrack --type zip exemplo.zip

A saída do aplicativo, enquanto ele trabalha, é mais ou menos assim:

RarCrack! 0.2 by David Zoltan Kedves (kedazo@gmail.com)
INFO: the specified archive type: zip
INFO: cracking exemplo.zip, status file: exemplo.zip.xml
Probing: 'la' [457 pwds/sec]
Probing: 'GN' [447 pwds/sec]
Probing: '02D' [451 pwds/sec]
Probing: '0oq' [450 pwds/sec]
Probing: '0Lv' [477 pwds/sec]
Probing: '191' [485 pwds/sec]
Probing: '1wn' [482 pwds/sec]
Probing: '1SA' [459 pwds/sec]
Probing: '2g7' [486 pwds/sec]
Probing: '2Ce' [457 pwds/sec]
Probing: '2YR' [467 pwds/sec]
Probing: '3kI' [451 pwds/sec]
Probing: '3Ho' [468 pwds/sec]
Probing: '45a' [491 pwds/sec]
Probing: '4rY' [471 pwds/sec]
Probing: '4P2' [476 pwds/sec]
Probing: '5cJ' [489 pwds/sec]
Probing: '5AW' [500 pwds/sec]
Probing: '5Yq' [485 pwds/sec]
Probing: '6lP' [483 pwds/sec]
Probing: '6IP' [475 pwds/sec]
Probing: '76I' [493 pwds/sec]
Probing: '7tX' [480 pwds/sec]
Probing: '7R4' [477 pwds/sec]
Probing: '8em' [481 pwds/sec]
Probing: '8Dc' [513 pwds/sec]
Probing: '90L' [487 pwds/sec]
Probing: '9mO' [455 pwds/sec]
Probing: '9Ja' [462 pwds/sec]
Probing: 'a5p' [459 pwds/sec]
GOOD: password cracked: 'abc'

Como você pode ver, no meu caso, o programa revelou que a senha era “abc“.

Como quebrar a senha mais rápido

É possível acelerar o processo, fazendo uso do recurso de multithreads presente em seu processador.
Máquinas mais modernas podem executar vários “pedaços” das tarefas simultaneamente — recurso chamado multithreading.
Para fazer uso deste recurso e ganhar tempo, use o parâmetro --threads.

rarcrack --threads 4 --type zip exemplo.zip
RarCrack! 0.2 by David Zoltan Kedves (kedazo@gmail.com)

INFO: the specified archive type: zip
INFO: cracking exemplo.zip, status file: exemplo.zip.xml
INFO: Resuming cracking from password: '1tC'
Probing: '2hD' [1029 pwds/sec]
Probing: '34Z' [1020 pwds/sec]
Probing: '3OM' [946 pwds/sec]
Probing: '4re' [794 pwds/sec]
Probing: '53l' [787 pwds/sec]
Probing: '5FF' [792 pwds/sec]
Probing: '6hP' [788 pwds/sec]
Probing: '6U5' [790 pwds/sec]
Probing: '7v4' [764 pwds/sec]
Probing: '83t' [711 pwds/sec]
Probing: '8Ef' [760 pwds/sec]
Probing: '9bi' [683 pwds/sec]
Probing: '9I3' [677 pwds/sec]
GOOD: password cracked: 'abc'

Se você quiser saber o número máximo de threads que seu sistema suporta, no Linux, use o comando lshw:

sudo lshw | grep thread
configuração: cores=2 enabledcores=2 threads=4

Uma thread é a menor sequência de uma instrução de um programa, que possa ser executada independentemente por um scheduler.
Saiba mais no Wikipedia.

O rarcrack suporta o máximo de 12 threads
Por fim, se quiser interromper o processo, use Ctrl + C. O aplicativo retoma o trabalho no ponto em que parou, caso você decida executá-lo novamente.

Referências:

https://launchpad.net/~ole.wolf
http://pt.wikipedia.org/wiki/For%C3%A7a_bruta
https://launchpad.net/~ole.wolf/+archive/ubuntu/rarcrack

Dicas para fazer uma faxina no Ubuntu.

O Linux é um sistema operacional que sofre muito pouco (ou quase nada) do mal de ir “se deteriorando” com o tempo. Mas, se você está enfrentando um problema de falta de espaço no sistema e já removeu o que dava pra remover dos seus arquivos pessoais, eu tenho algumas dicas para melhorar um pouco mais a sua situação.
Antes de qualquer coisa, jamais use aplicativos de limpeza, como o Bleachbit, Computer Janitor etc.
Aplicativos deste tipo podem danificar o seu sistema irreparavelmente.
Se você quer, mesmo, limpar o seu sistema, vou descrever como fazê-lo de maneira segura.

Por que você não precisa desfragmentar o Linux

O sistema de arquivos ext4 foi projetado para não fragmentar os arquivos. Ele é extremamente eficiente nisto.
O Linux não grava arquivos em blocos contíguos — ele os grava com espaços antes e depois de cada arquivo.
Com 20% de espaço livre na partição, a fragmentação será insignificante e imperceptível — com menos do que isso, você poderá ter problemas com a fragmentação de arquivos individuais.
Esta vantagem se aplica a quem usa o Linux com os sistemas de arquivo EXT3 ou EXT4. Não se aplica a FAT, FAT32 ou NTFS.

Remova pacotes inúteis de programas já instalados

Após a instalação dos seus programas, os pacotes baixados permanecem na sua máquina. Alguns destes pacotes foram baixados para satisfazer dependências de programas que você nem usa mais. Outros estão lá para o caso de você querer reinstalar e não precisarem ser baixados novamente.
Você pode ver o espaço que ocupam com o comando du (disc usage):

du -h /var/cache/apt/archives/

No meu caso, o resultado foi este:

4,0K	/var/cache/apt/archives/partial
4,0K	/var/cache/apt/archives/apt-fast
353M	/var/cache/apt/archives/

Agora execute o comando administrativo de limpeza:

sudo apt-get clean

Eu consegui eliminar mais de 350 megabytes, aqui:

4,0K	/var/cache/apt/archives/partial
4,0K	/var/cache/apt/archives/apt-fast
112K	/var/cache/apt/archives/

Elimine thumbnails ou miniaturas de imagens

Você já deve ter notado que, ao abrir uma pasta com imagens, com o seu gerenciador de arquivos, o sistema exibe as miniaturas, tornando mais fácil localizar o que você deseja, ali.
Pois bem, estas ficam armazenadas no seu diretório pessoal e, mesmo após apagar a imagem original, elas permanecem lá, dentro de um diretório chamado .thumbnails.
Note que o nome do diretório .thumbnails começa com um ponto — isto indica que se trata de um arquivo/diretório oculto.
Se a pasta .thumbnails não estiver sendo exibida, tecle Ctrl + H, para exibir os arquivos ocultos.
Com o tempo, os thumbnails vão se acumulando e ocupando espaço no seu disco. É seguro removê-los — o sistema os recria à medida que vai precisando deles depois.
Para verificar o espaço ocupado pelas miniaturas, no terminal, use o seguinte comando:

du -h ~/.thumbnails/

Se quiser remover os arquivos no terminal:

rm -vfr ~/.thumbnails/normal/*

Eventualmente, a pasta que armazena as miniaturas pode estar em outro lugar:

rm -f ~/.cache/thumbnails/normal/*

Isto já é o suficiente para manter o seu sistema limpo. Apagar versões antigas do kernel também é um recurso para aumentar o espaço em disco:

LEIA MAIS
Veja como remover versões antigas do kernel — neste artigo, eu mostro como visualizar as várias versões do kernel e como removê-las, recuperando algumas centenas de megabytes em espaço livre.

Divirta-se!

Como ocultar arquivos no Linux

Ocultar arquivos no Linux é relativamente simples e pode ser feito com uma simples renomeação do arquivo.
Esta ação não garante segurança extra. Apenas deixa os arquivos menos óbvios.

exibir ocultar arquivos ubuntu linux
Clique para ampliar

No gerenciador de arquivos da interface gráfica (GUI), usa-se o ^H (Ctrl + H) para ligar/desligar a exibição dos arquivos ocultos.
Você pode ocultar um arquivo qualquer através da renomeação — basta acrescentar um ponto ao início de seu nome.
Na GUI, selecione um arquivo e tecle F2, para alterar o seu nome.
renomear arquivos no ubuntu linux
Clique para ampliar.

Como ocultar e listar arquivos ocultos, no terminal

Na CLI (linha de comando), use o mv para alterar nomes de arquivos:


mv nome_do_arquivo.txt .nome_do_arquivo.txt

Para listar os arquivos ocultos use o ls com a opção ‘-a’:


ls -a

list hidden files in Linux
Como listar arquivos ocultos no Linux.

Quer saber como alterar as cores dos nomes dos arquivos? Então leia sobre o dircolors. 😉