Como transferir arquivos entre o Kindle e seu computador

Há basicamente 2 formas de transferir fácil os arquivos para o seu leitor digital Kindle.
Você pode usar um cabo USB ou enviar através do email.

Este texto se baseia na oitava geração do Kindle básico.
No lado do computador, eu uso o Linux (Debian 9 Stretch). Digo isso apenas por que as imagens podem ser um pouco diferentes das que você tem aí, contudo, os procedimentos são os mesmos.

Como conectar e transferir arquivos entre o computador e o Kindle via USB

Este método é ótimo para quem deseja fazer backup de seus arquivos contidos no Kindle também, caso tenha razões para não confiar muito no backup automático feito na nuvem.
Comece por conectar o cabo ao Kindle e ao PC/laptop.
kindle usb light power button connect
Ao conectar, o Kindle entra no USB Drive Mode.
Este é o modo padrão e permite, enquanto carrega, fazer eventuais transferências de arquivos.
Use o gerenciador de arquivos do seu sistema para acessar o Kindle como um drive comum.
kindle no gerenciador de arquivos

Acesse a pasta ‘documents’, dentro do Kindle, onde também são armazenados os arquivos adquiridos através da loja da Amazon ou baixados da Internet.
Se quiser que algum documento de texto seja acessível de dentro do navegador do Kindle, transfira-o para este local.
kindle gerenciador de arquivos

Nativamente, os formatos suportados pelo Kindle são AZW, AZW3, TXT, PDF, unprotected MOBI e PRC.
Outros padrões também podem ser lidos, como HTML5/CSS3, DOC, DOCX e EPUB.
Além deles, a plataforma suporta arquivos de imagens JPEG, GIF, PNG, e BMP.

Quando terminar de transferir arquivos, desmonte ou ejete o dispositivo, antes de desconectar o cabo.

A desconexão inadequada do Kindle pode ocasionar danos aos seus arquivos. Fique atenta(o).


Leia outras dicas sobre o Kindle, neste site.

Como enviar arquivos para ler no seu Kindle via email

Você pode enviar arquivos de texto e imagens, que satisfaçam certos formatos, para o seu Kindle pessoal sempre que quiser.
É fácil, mas precisa configurar o seu perfil online primeiro.

Para comprar na Amazon, você provavelmente cadastrou um perfil no site da empresa.
Ao adquirir o seu kindle, a Amazon cria automaticamente um email para você — tipo ‘seunome@Kindle.com’.
O seu email @Kindle.com, contudo, só poderá receber mensagens vindas de uma outra conta de email autorizada. E é você quem autoriza.
kindle send files via email
Vá até o seu perfil na Amazon, para fazer as configurações necessárias.
Você pode usar o link acima ou ir para o site https://amazon.com.br e se autenticar.
Uma vez dentro, clique no menu “Contas e Listas” e selecione “Gerencie seu conteúdo e dispositivos”.

Em seguida, selecione a aba “configurações”
como enviar email para o kindle

Agora, role até a seção “Lista de e-mails aprovados para o envio de documentos pessoais” e clique em “Adicionar um novo endereço…”
como adicionar email aprovado a conta do Kindle

Você pode adicionar mais de uma conta de email autorizadas a enviar documentos para o seu kindle.
Por exemplo, o email do professor da faculdade, o colega do trabalho etc.
Só não esqueça de avisar às pessoas que esta não é uma “conta de email normal” — mas apenas um meio de enviar documentos de um determinado tipo, diretamente para você.

Que tipos de arquivos podem ser mandados para o meu Kindle

Este método funciona para enviar arquivos nos seguintes formatos:

  • Microsoft Word (.doc, .docx)
  • Rich Text Format (.rtf)
  • HTML (.htm, .html)
  • Documentos de texto (.txt)
  • Documentos compactados (zip , x-zip)
  • Mobi book

Você também pode enviar imagens do tipo JPEGs (.jpg), GIFs (.gif), Bitmaps (.bmp), e imagens PNG (.png).

Os documentos em PDF poderão passar por um processo de conversão “ainda experimental”.
Portanto, reduza as suas expectativas, aí…

As versões mais atuais (a partir de 2017) do Kindle suportam PDFs protegidos por senha, mas não têm suporte a criptografia em outros documentos.
Portanto, evite guardar dados muito sensíveis no seu Kindle.


Leia outras dicas sobre o Kindle, neste site.

Como tirar screenshots no Kindle

Frequentemente queremos mostrar a outras pessoas a tela de um programa em execução, para facilitar a obtenção da assistência.
Tirar screenshots ou capturas de tela é uma das coisas que mais faço, quando escrevo sobre algum aplicativo ou sistema.

Para escrever artigos sobre o Kindle — com dicas e truques sobre como tirar melhor proveito da plataforma de leitura digital, também achei que seria interessante capturar algumas telas do dispositivo.
Poderia usar uma câmera externa para tirar fotos… mas não é a mesma coisa!
kindle over bed

Como capturar a tela no Kindle básico da 8a. geração

O Kindle básico, ou 8th gen Kindle permite fazer uma captura da tela ao tocar simultaneamente o canto superior direito e o canto inferior esquerdo.
Se tudo der certo, a tela vai “piscar” rapidamente.
As capturas ficam armazenadas no diretório principal (ou raiz) do seu dispositivo.

Como acessar os arquivos com as imagens das capturas

Para poder manipular livremente os arquivos, o ideal é transferi-los do aparelho para o seu computador.
Use um cabo USB para conectar o Kindle ao seu PC ou notebook.
Em seguida, acesse o Kindle usando o gerenciador de arquivos presente no seu PC.
No meu caso, uso o Debian Linux e a tela do meu gerenciador de arquivos é como se pode ver na imagem abaixo.
como capturar tela com o Kindle
É possível abrir diretamente com o seu programa favorito as imagens contidas no e-reader.
As capturas ficam armazenadas em arquivos, cujos nome são compostos pela palavra “Screenshot” seguido da data e da hora em que foram criados.
kindle screenshot files
Se você quiser tratar as imagens e/ou compartilhar, sugiro copiar primeiro para dentro do seu HD/SSD.


Leia outras dicas sobre o Kindle, neste site.

Review da 8a. geração do Kindle básico. Vale o que custa?

Recentemente, aproveitei uma promoção (black friday) para adquirir o meu primeiro Kindle (modelo básico).
Neste momento, faço uma análise das primeiras semanas de uso do aparelho.

O tempo de uso é pequeno, eu sei.
Eu, mesmo, só acredito em reviews feitos após um ano ou mais de uso do produto.
Amazon Kindle and a cup of coffee
Por outro lado, já usei outras marcas de e-reader.
Se você já tem um dispositivo (Kindle ou qualquer outro), sinta-se à vontade para complementar o assunto nos comentários.
Segue as minhas primeiras impressões sobre o dispositivo.

O que é um e-reader

O conceito se refere a um dispositivo de leitura e arquivos de texto e imagens digitais, em formatos variados, como .EPUB, .MOBI, .PDF, .TXT etc.
A quantidade de formatos em que as publicações são disponibilizadas ultrapassa duas dezenas.
Alguns são proprietários, contém DRM e podem impor fortes restrições ao seu aparelho.
Lamento profundamente que as empresas recorram ao uso do DRM para restringir a liberdade dos usuários — causando possíveis brechas de segurança para seus clientes.

Uma das restrições mais desagradáveis é não poder selecionar e compartilhar alguns trechos de livros nas redes sociais.

Como o objetivo dos leitores digitais é o de facilitar a compra/venda direta entre o cliente e o fornecedor do conteúdo, faz sentido imaginar que privilegie a execução de seus formatos proprietários.
Isto quer dizer que eu esperava encontrar problemas para ler arquivos PDF, de texto puro etc.
Na realidade, a coisa não é bem assim…

A cor do Kindle

Isto é muito subjetivo… Mas é claro que o primeiro arrependimento que tive foi a escolha da cor.
Na verdade, o aparelho é lindo na cor branca e nem vou discutir isto.
Contudo, não há beleza que resista às marcas de sujeira que provavelmente virão com o uso.
Costumo ser cuidadoso com as minhas coisas mas… não tenho dúvida de que eu ficaria mais tranquilo e relaxado com um aparelho na cor preta.
Isto vai de cada um. 😉

O design e a carcaça

Ele é leve, o que ajuda a segurá-lo por horas, durante a leitura.
Tablets são mais pesados do que isso — mais um ponto para os e-readers.
A 8a. geração do Kindle básico é 30 gramas mais leve e 1.1 milímetros mais fino que seu antecessor.
De acordo com o site da Amazon, ele pesa 161 gramas.
Com relação ao plástico da carcaça, é desnecessário dizer, mas não pode deixar ele cair —. Ponto para os livros!
E aquele botãozinho liga/desliga não inspira confiança. Parece frágil.
Cuidado com ele.
kindle review botão liga

Leitura

Dá para ler horas, com os olhos fixos na tela antirreflexiva. Até mesmo no sol!
Tem um excelente contraste.
Isto é algo que só um livro de verdade pode oferecer. Aqui, o tablet, como opção de leitura, perde feio.

Duração da bateria

A promessa da Amazon é de que duraria semanas.
Pra mim, não chegou a uma semana, mesmo tendo dado uma carga completa assim que ele chegou às minhas mãos.
Ok. O uso do Bluetooth deve ter influenciado, além dos downloads constantes, normais nos primeiros dias de uso (atualizações, primeiros livros etc.)
A esta altura, portanto, não dá para eu fazer uma avaliação sobre este quesito.

O display e o processador do dispositivo

Pelo preço, isto podia ser bem melhor.
O software do aparelho me passa a impressão constante de que vai “dar pau” durante o uso.
É lento para trabalhar com as imagens.

A aparente dificuldade para renderizar gráficos (em preto e branco!!!) de quadrinhos quebra o ritmo na leitura de gibis.

Se esta é a sua praia, prepare-se para constantemente dar zoom nas imagens, para conseguir ver detalhes, além do texto.
Com isto, é fácil perder o contexto e a fluidez da narrativa.

E os PDFs? Funcionam no Kindle?

Definitivamente, sim!
Mas não é o paraíso… 🙁
O PDF não é um formato nativo do Kindle e a gente tende a culpar a plataforma de estar manifestando uma certa má vontade com este formato de texto.
A gente sabe que a Amazon ganha dinheiro vendendo os livros dela e não “leitores digitais de pê-de-efe” — o problema vai além disto, contudo.
Como formato digital de texto, o PDF tem problemas, por si só.
Você pode fazer buscas por texto dentro deste formato de arquivos, mas não pode alterar as fontes das letras ou o seu tamanho.
Se você consegue ler o texto do jeito que ele está, bem. Se não consegue… paciência!

Usabilidade e experiência do Kindle básico

Infelizmente, o Kindle não consegue me passar a sensação de ter adquirido um aparelho bem feito, de boa qualidade.
Tenho a impressão constante de que ele vai quebrar (no hardware ou no software).
Mas houve algo que me causou uma grande surpresa positiva: o sintetizador de voz.
Na linha básica, é o primeiro modelo a vir com suporte a Bluetooth.

“O leitor de tela VoiceView, disponível por meio de áudio Bluetooth, permite o acesso à maioria dos recursos Kindle quando o idioma selecionado for inglês.”

O VoiceView tem ótima qualidade.
Infelizmente, não está disponível para a literatura em português.
Contudo, pode atender a quem deseja aprimorar seu inglês — você vai lendo e ouvindo a pronúncia.

Conclusão

Este é o modelo de entrada e, por isso, faz sentido “fechar os olhos” para certos inconvenientes.
Para outros, não.
Como disse, escrevi esta análise após um período curto de experiência.
Já usei um Kobo Glo antes (também um modelo de entrada).

É um produto que já tem um certo tempo no mercado e já há processadores bem melhores para se usar. Ou seja, ele poderia ser mais rápido, sem causar impacto no preço.
Ler quadrinhos nele, pode ser frustrante, pelo tamanho e resolução da tela — além da demora para renderizar as imagens.
A tecla liga/desliga parece frágil.
O preço é alto.
Dava para ter incluído uma luz de fundo, pelo preço que custa.

Quanto às cores disponíveis, se fosse comprar de novo, optaria por um na cor preta para mim.
O branco é ótimo para dar de presente (ele enche os olhos à primeira vista).

Ele tem um navegador interno “experimental” razoável (não espere muito dele).
Dá para acessar a página do “Projekt Gutenberg” e baixar milhares de livros clássicos, em vários idiomas gratuitamente.
No site do projeto, muitos livros já estão no formato nativo do Kindle, o que permite usufruir de uma boa qualidade de leitura gratuitamente.
O sintetizador de voz (via bluetooth) não é difícil de configurar (mas podia ser mais fácil) e proporciona uma experiência agradável.
kindle bluetooth

Se o meu aparelho durar, é provável que eu escreva outras vezes sobre ele.

Kobo Glo em análise (com vídeo)

Talvez este não seja um dos mais populares leitores de livros digitais no mercado, mas o aparelho traz boas surpresas, mesmo para quem está começando a se aventurar nesta seara — este é o meu caso.
kobo glo ereaderSe você é do tipo que derruba coisas, continue lendo livros tradicionais (de papel). Não é difícil quebrar um aparelho destes, mesmo que a queda seja pequena.
As análises de outras pessoas mais experientes com ereaders (veja o vídeo) mostram que o Kobo Glo acompanha, sem dificuldade, os produtos concorrentes que lideram o mercado.
Exemplo disto, é que o Kobo Glo já incorporou a iluminação auxiliar de leitura. O aparelho usa a tecnologia ComfortLight, que distribui uniformemente a luz ambiente pela tela — ele é verdadeiramente confortável para leitura, em qualquer lugar (fora de casa, em dia ensolarado, no carro, na sala de espera etc).
O Wi-Fi permite que você compartilhe nas redes sociais a sua leitura ou trechos selecionados do que você leu e gostou.

Especificações técnicas do Kobo Glo

Leitor de livros digitais - Kobo Glo

  • Dimensões (em milímetros): 114 x 157 x 10mm
  • Peso (em gramas): 185g
  • Processador: 1GHz
  • Display: 6″ E Ink XGA Pearl screenscale
  • Resolução: 1024x758px e 16 níveis de cinza
  • Tela: de toque, responsíva, com glare-free, o que evita reflexos. A tela é resistente, ainda, a marcas de toques dos dedos
  • Iluminação: Tecnologia ComfortLight embutida que garante uma distribuição uniforme da luz na tela
  • Botões: Liga/desliga o aparelho e liga/desliga a iluminação auxiliar
  • Conectividade: Wi Fi 802.11 b/g/n e conexão Micro USB
  • Armazenamento: 2 GB (1 Gb pro sistema e 1 Gb pro usuário). É possível armazenar até 1000 livros.
    O aparelho tem entrada para cartão de memória Micro SD, com até 32 Gb de capacidade
  • Duração da bateria: até um mês (com o Wi Fi desligado e sem uso da luz auxiliar)
  • Formatos de arquivo suportados:
    1. Livros: EPUB, PDF e MOBI
    2. Imagens: JPEG, GIF, PNG e TIFF
    3. Texto: TXT, HTML, (X)HTML, e RTF
    4. Livros/revistas em quadrinhos (HQs): CBZ e CBR

Meu veredicto

Kobo Glo - Leitor de livros digitaisO aparelho é frágil, enfim, como qualquer celular ou tablet seria. Em resumo: não pode levar quedas — e isto já era de se esperar, né.
Como, qualidades, eu cito a facilidade de carregar o aparelho a qualquer lugar. A leitura de livros, em formato epub é muito cômoda, em qualquer ambiente. O Kobo Glo, permite uma experiência de leitura imersiva e muito agradável.
Uma das coisas que ajudam muito são as grandes possibilidades de configurar o modo de leitura: iluminação, tamanho das letras, das margens e os tipos de caracteres. Eu perco a noção do tempo, quando estou com o Kobo Glo.
Houve coisas que me desagradaram, com certeza. Entre elas a lentidão do aparelho, para ligar e carregar o livro. Depois de carregado o livro não há nenhuma lentidão ou qualquer outro perrengue que possa diminuir o prazer da sua leitura.
Embora o aparelho leia arquivos PDF, CBZ e CBR, ele é péssimo para estes tipos de leitura. Apesar de vir com 1 Gb na memória e um bom processador, me parece que faltou “alguma regulagem”. A experiência de leitura de quadrinhos, em CBZ e CBR foi desagradável pra mim — uma vez que a tela é pequena, somos obrigados a ler com o zoom ligado. Neste ponto, o aparelho é lento pra atualizar as páginas, causando um efeito de “flickering” muito desagradável aos olhos.
Tirando isto, ele é muito bom.
O vídeo abaixo, pode ajudar a conhecer melhor o leitor digital e ainda traz algumas informações complementares, que só daria para mostrar em um vídeo. Compartilhe!