Como baixar vídeos do Youtube no celular

O Youtube está repleto de vídeos, para todos os gostos.
Eu, mesmo, não tenho tempo de ver tudo o que gostaria e, quando tenho, muitas vezes estou em algum local em que não há conexão Wi-Fi ou ela é muito lenta.

Nas salas de espera — com as costumeiras revistas chatas e TVs ligadas em programas depressivos — é onde melhor se aproveita o tempo vendo uma palestra de nosso interesse, uma videoaula, o último upload do nosso youtuber favorito etc.
Só não esqueça de usar fones de ouvido… 😉

Já mostrei como fazer download de vídeos do Youtube para o seu PC/laptop, com o uso do youtube-dl — uma ferramenta superflexível a ponto de permitir baixar vídeos de muitos outros sites.
Também ensinei como instalar o YouTube Go, que também é um app de download de vídeos para Android — não esqueça de ler!

Baixe e configure o Youtube Cacher

Como o próprio nome indica, o aplicativo vai usar o cache do próprio app do Youtube (que você precisa ter já instalado no seu celular) e convertê-lo para um formato que possa ser lido por outros players, além de gravá-lo em algum outro local do seu sistema de armazenamento — uma vez que o app do Youtube sempre apaga o cache, para liberar espaço.

  1. O primeiro passo é baixar o aplicativo a partir do repositório do F-Droid.
    Se você ainda não tem o F-Droid, veja como instalá-lo aqui.
  2. Em seguida, procure pelo app e clique em “Instalar”.
    youtube cacher download
  3. Após a instalação, é possível encontrar o Youtube Cacher na relação de apps instalados no seu aparelho, Basta procurar por “youtube”.
    Para baixar seu vídeo, cole a URL dele na caixa de download:
    baixar vídeos do youtube no Android

Conheça o projeto Debian Pure Blends

As distribuições Debian Pure Blends são uma solução para grupos de pessoas com necessidades específicas.
Além de prover coletâneas de pacotes de softwares voltados para determinados ramos de aplicações, garantem uma maneira mais fácil de instalação do sistema operacional, como um todo.
Debian Pure Blends
Os Pure Blends cobrem os interesses particulares de categorias profissionais, acadêmicas ou de pessoas — o que inclui crianças, estudantes, cientistas, gamers, advogados, equipes médicas, deficientes visuais etc.
O objetivo é simplificar a instalação e a administração de computadores para o público-alvo e conectá-los aos desenvolvedores dos pacotes que serão usados.
Um exemplo, é o Debian educacional ou Skolelinux, voltado para o ambiente educacional, como um todo.

O Skolelinux, é um blend de pacotes de programas voltados para o ambiente escolar — administração da secretaria e da sala de aula, aplicações educativas, de apoio ao professor etc.

Conheça alguns dos Pure Blends lançados

Trata-se de um trabalho em progresso e depende muito da contribuição de voluntários, que possam testar os aplicativos, ajudar na correção de bugs, traduzir e elaborar a documentação etc.
Segue uma relação de opções, acompanhadas de descrições e links para a página de cada projeto:

Blend Descrição Link
DebiChem O objetivo do DebiChem é oferecer ao usuário uma plataforma de softwares adequada a profissionais, estudantes e docentes de química http://blends.debian.org/debichem/tasks
Debian Games Tal como o SteamOS (que também é baseado no Debian), tem o objetivo de prover um ambiente de softwares voltado para todo o tipo de jogos que você puder encontrar para instalar, desde arcades, aventuras a simulação e estratégia. http://blends.debian.org/games/tasks
Debian Edu ou Skolelinux Tem o objetivo de oferecer um sistema adequado para uso educacional e na administração escolar. http://blends.debian.org/edu/tasks
Debian GIS GIS é abreviatura para Geographical Information System ou Sistema de Informação Geográfica. https://www.debian.org/blends/gis/get/metapackages | Download
Debian Junior Distro Debian voltada para o público infantil. http://blends.debian.org/junior/tasks
Debian Med O objetivo deste blend é oferecer um sistema aberto, completo e livre para atividades ligadas a cuidados médicos e pesquisa na área.
Para isto, o Debian Med integra softwares livres e de código aberto, relacionados a imagens médicas, bioinformática, infraestrutura de TI clínica, entre outros do Debian.
http://blends.debian.org/med/tasks
Debian Multimedia Seu objetivo é transformar o Debian em uma plataforma completa de trabalho e edição de áudio e vídeo. http://blends.debian.org/multimedia/tasks
Debian Science Este blend provê um ambiente pronto para cientistas e pesquisadores. http://blends.debian.org/science/tasks

Tal como este, outras grandes distribuições GNU/Linux, também têm projetos semelhantes.
O Fedora labs, atualmente, oferece aproximadamente 6 spins, voltados para astronomia, design, games, robótica, segurança, ciências e criação de músicas.
O openSUSE também tem projetos neste sentido e, um dos que se destacam, é justamente o openSUSE-Edu Li-f-e (Linux for Education), apresentado no site openSUSE-Education. Como o nome diz, é voltada para a área educacional.

Como converter uma instalação Debian existente para um dos Pure Blends

Se você não quiser ou não encontrar uma versão atual do seu Pure Blend desejado, pode converter a distro atual adicionando os metapackages do blend.
Durante a instalação do Debian netinstall os metapacotes são apresentados na tela do tasksel.
Debian Pure Blends
Se você “pulou” esta parte, ainda é possível chegar lá, pela linha de comando, com o tasksel:

tasksel --new-install

Não esqueça que este aplicativo altera substancialmente o seu sistema e precisa ser executado com privilégios administrativos.
Para ter uma instalação final limpa e eficiente, não faça a conversão. Opte pela reinstalação do sistema e, quando o tasksel aparecer, escolha o blend que você quer.

O que vem por aí

Há vários outros projetos se encaminhando para criar blends para outras áreas.
Sugiro pesquisar pelos links, no texto e no final, para obter mais informações.
Destacam-se, entre os projetos de blends, em progresso, estes dois:

Referências

https://www.debian.org/blends/.
https://wiki.debian.org/DebianPureBlends.
https://blends.debian.org/blends/ch02.html.
https://en.wikipedia.org/wiki/Debian_Pure_Blend.

Onde baixar o seu Debian

Tanto usuários iniciantes como os mais avançados podem ter alguma dificuldade para encontrar uma versão específica do Debian para baixar.
Tal como a maioria das grandes distribuições GNU/Linux, o Debian é oferecido em diversos sabores ou blends – além de versões.
O site oficial vai sempre direcioná-lo para o download da última imagem estável (stable), que é empacotada sem softwares proprietários e satisfaz 100% quem tem o espírito de liberdade.
Mas, se esta não for “exatamente” a que você deseja, este artigo pretende ajudar as pessoas a navegar pelos servidores Debian e encontrar a exata versão desejada.
debian badge
Segue uma lista de canais oficiais de download dos “debians” disponíveis.
Sempre que possível, procure baixar via torrent — a forma mais rápida de obter sua distro GNU/Linux. Com este método e uma boa conexão, é possível estar com um pendrive pronto para iniciar a instalação em questão de minutos.
Se não tiver CD/DVD à mão, todas as imagens ISO, disponíveis, podem ser gravadas em pendrive, se preferir.

Onde encontrar o Debian Stable 100% livre

A versão estável, oficial, do Debian vem sem os drivers proprietários. Em alguns notebooks mais atuais (como os da Dell) você pode ter problemas, nos passos iniciais da instalação, por que serão exigidos os tais drivers — provavelmente para a instalação da placa de rede e da GPU. Vamos abordar este assunto, em particular, ainda neste artigo.
Você pode encontrar Debian principal, nos seguintes lugares:

  • Debian stable — a versão atual, para 10 arquiteturas diferentes pode ser encontrada aqui: http://cdimage.debian.org/mirror/cdimage/release/current/.
    Neste site, escolha a arquitetura desejada e, em seguida, selecione sua melhor opção de download: bittorrent, ISO ou jigdo — cada um destes métodos se subdivide em CD ou DVD. Obviamente, ao baixar o DVD, você terá um pouco mais de softwares à mão.
    Ao fazer a instalação a partir de um CD, você terá menos softwares instalados na sua máquina, mas o processo terminará mais cedo.
    Se você prefere passar ainda menos tempo dentro do procedimento de instalação e prefere fazer isto por si mesmo, depois, opte pelos netinstall — como iremos explicar, mais adiante.
    Se quiser um link mais específico, este é o do torrent do Debian, para arquitetura 64 bits, para gravar em DVD ou pendrive: http://cdimage.debian.org/mirror/cdimage/release/current/amd64/bt-dvd/.

    A arquitetura PC de 64 bits é chamada amd64, enquanto a de 32 bits é chamada i386. Fique atento(a) a estes detalhes.

    Se você preferir, pode baixar a imagem em CD, via torrent, no site http://cdimage.debian.org/mirror/cdimage/release/current/amd64/bt-cd/. Note que há o CD 1, CD 2 …
    Normalmente, você só precisa do CD 1, para instalar o Debian básico — o restante dos softwares pode ser baixado da Internet à medida em que você precisar.
    Em casos em que a conexão é muito lenta e há planos de instalar em vários computadores, (aí, sim!) vale a pena baixar todos os CDs/DVDs, contudo.
    O Debian netinstall é uma versão mínima do sistema operacional, semelhante ao Ubuntu Mini, voltado a entregar o sistema mais básico possível.
    Por ter tamanho reduzido, pode ser baixado muito rapidamente.
    Ao final da instalação, o tasksel vai perguntar sobre o perfil de sistema que você deseja e, só aí, irá fazer download do restante. Portanto, se você quer começar o mais rápido possível a instalar o Debian no seu equipamento ou deseja uma versão mais customizada do Debian, sugiro esta opção.

  • Debian Stable Live CD/DVD — permite usar o sistema operacional enquanto instala. Assim, você sempre poderá consultar algum site na web durante o processo e verificar se todo o seu equipamento irá funcionar bem com o sistema operacional.
    Você pode encontrar esta opção no site http://cdimage.debian.org/mirror/cdimage/release/current-live/ — disponível apenas para as arquiteturas PC 32 ou 64 bits.
    Tal como as outras, se subdivide também nos sabores com GNOME, KDE, Cinnamon, LXDE, XFCE, Mate e Standard. Esta última, entrega um sistema sem o ambiente gráfico — que pode ser instalado depois. O Standard pode também ser ideal para servidores.
  • Debian Stable for Openstack — Para rodar o Debian stable dentro de uma ou mais máquinas virtuais, baixe a versão pronta Openstack aqui http://cdimage.debian.org/mirror/cdimage/openstack/current/.
    Este assunto é abordado com mais profundidade neste texto.
  • Debian Blends ou Debian Pure Blends é um trabalho em progresso.
    A proposta é oferecer uma distro especializada a determinadas necessidades ou a um determinado grupo (profissional) de pessoas.
    Os blends oferecem coletâneas específicas de softwares (também chamadas de meta-pacotes ou meta-packages). Além disto, oferecem métodos de instalação e configuração mais facilitados para propósitos determinados.
    A ferramenta de instalação Tasksel, permite instalar em qualquer distro Debian/Ubuntu (e derivados) meta-pacotes voltados para crianças, cientistas, gamers, advogados, médicos, pessoas com deficência visual etc.
    Por exemplo, o pure blend para crianças, retira da distro tudo o que não interessa e deixa apenas os aplicativos voltados para este público

    Em outras palavras, dos mais de 22.000 pacotes de softwares presentes no Debian, um pure blend é constituído de uma seleção específica destes aplicativos, voltados para um determinado grupo de usuários/profissionais.

    Oficialmente, podem ser encontrados aqui: http://cdimage.debian.org/mirror/cdimage/blends-live/current/.

  • Saiba mais sobre o assunto, nesta página.

Onde encontrar o Debian Testing

Se você já leu Experimente as novidades do Debian antes de todo mundo, então já teve uma boa introdução sobre o Debian Testing e sabe os prós e os contras de usar esta versão.
Veja aonde baixar esta versão:

Onde encontrar o Debian (Stable e Testing) non-free ou firmware

Software e hardware proprietário podem ser um empecilho para usar o seu sistema operacional favorito.
Se você quiser, pode baixar o seu Debian, através de qualquer um dos métodos descritos acima, sem se preocupar muito com este “detalhe”.
O pacote adicional de firmwares proprietários pode ser oferecido durante a instalação ou depois.
Veja 3 soluções possíveis para este caso, da mais complexa para a mais simples (na minha humilde opinião):

  • Prossiga com a instalação, sem se importar com a falta dos arquivos pedidos. Quando tudo tiver terminado, altere o arquivo sources.list — neste caso, adicione os repositórios non-free e contrib.
  • A outra solução é fazer o download antecipadamente do pacote de firmwares para a distribuição que você pretende instalar.
    Em seguida, descompacte o pacote e grave os arquivos em um pendrive à parte.
    Quando o firmware for pedido, insira o pendrive para que o programa de instalação encontre o que precisa, para prosseguir.
    O pacote pode ser encontrado neste site: http://cdimage.debian.org/cdimage/unofficial/non-free/firmware/.
  • Já que vai se sujeitar a usar drivers proprietários, instale logo o Debian, cuja imagem inclua todos os firmwares, conforme será demonstrado a seguir.

Veja, a seguir, onde encontrar a imagem non-free do Debian — ou seja, com os firmwares proprietários.
Nestes sites, o Debian é comumente chamado de “firmware”, seguido da versão e das outras características da distro.

Se você quer o Testing non-free o site oficial é o que segue.
No momento em que escrevo, o sabor disponível é a Standard. Durante o procedimento de instalação, o tasksel irá perguntar qual o ambiente gráfico desejado.
Neste momento será possível, opcionalmente, escolher um dos vários Pure Blend do Debian.
Veja onde encontrá-lo.

Espero que isto ajude você a encontrar, baixar e desfrutar de um dos melhores sistemas operacionais existentes.

Como baixar e instalar o Debian Sid Unstable?

Ok. Os limites da segurança e da estabilidade do software não se aplicam a você. Eu o respeito por isso.
Principalmente, se você tiver uma máquina exclusiva para testes, gosta do Debian e está disposto a ajudar no desenvolvimento.
Neste post, vou falar brevemente sobre o Debian Unstable (codinome Sid), discutir algumas razões para não usá-lo e, por fim, mostrar como obter e instalar a sua versão.
Como você provavelmente já sabe, cada nova edição do Debian recebe um nome alusivo a um dos personagens da saga Toy Story.
debian sid unstable badge
A edição Unstable tem nome fixo: Sid, o garoto da vizinhança que maltrata os brinquedos.
É nesta distribuição que boa parte da ação, no mundo dos desenvolvedores Debian, acontece.
Embora seja considerada uma autêntica distribuição Debian, não vai ser possível encontrar uma edição completa em CD/DVD/Bluray para baixar diretamente do site.

O que acontece é que, ao contrário da Stable e da Testing, a Unstable é uma distro que nunca será lançada.

Em vez de lançamento, os pacotes de softwares são enviados pelos desenvolvedores ao repositório central e, dali, propagados para um release de fato.
As atualizações de segurança não são geridas pelo time usual. Na verdade, o Sid não recebe atualizações de segurança da mesma forma que os outros canais da distro.

O Sid é alvo de mudanças diárias massivas, incluindo atualizações de bibliotecas localizadas — o que pode resultar em um sistema bastante instável. Use-o por sua própria conta e risco!

Por outro lado, há argumentos bastante concretos para não chamar o Sid de instável — vale conhecê-los!

Em que computador (não) devo instalar o Sid?

Jamais em um servidor ou em um computador de produção.
Isto posto, se você acredita que saberá lidar com um sistema Debian “quebrado”, se vai saber resolver um problema da libpam0g (impedindo-o de logar no sistema), vá em frente. Mas use em um computador de testes, ok?

Desenvolvedores que usam o Sid em seus notebooks de trabalho, são comuns. Mas são espertos (ou calejados) o suficiente para não inventar de fazer atualizações no dia anterior a uma apresentação.

Uma alternativa menos radical, é usar a versão Testing do Debian. Esta é a versão que uso, no momento e raramente dá problema.
Uma outra alternativa, mais racional, é rodar o Sid em uma máquina virtual.
Esta última opção permite que você brinque à vontade, conheça plenamente o novo sistema e — se algo der errado — não há consequências mais graves para você.
Por outro lado, usar a versão de desenvolvimento do Debian em uma máquina virtual, não ajuda a entender como ele se comporta no seu hardware real.

Onde fazer o download do Debian Unstable

O Sid pode ser encontrado na página oficial https://www.debian.org/devel/debian-installer/.
Se houver mais de uma imagem Alpha faça download da mais recente, para ter o código mais atual (e menos estável) ou pegue a imagem mais antiga para ter um código também atual, porém menos instável.
Se optar por rolar a página mais para baixo, vai encontrar outros métodos de instalação e outros releases:

Note que os links, acima, são voltados para a arquitetura AMD 64 bit, que serve para processadores Intel também. Se você precisa de uma imagem construída para outra arquitetura, vai encontrar na página.
Se preferir, há um método alternativo para atualizar a sua distro Debian atual direto para o unstable. Se você acredita que este método pode ser mais adequado e simples, leia este texto.
Boa sorte!

O comando wget em 10 exemplos

O wget é a melhor opção para fazer download de arquivos, quase sempre, em função de sua flexibilidade e agilidade. É um dos meus aplicativos preferidos, por tornar simples várias situações complexas.

  • baixar arquivos grandes;
  • baixar vários arquivos recursivamente;
  • baixar arquivos sem minha interação;
  • baixar uma grande quantidade de arquivos etc.
LEIA MAIS

Vou mostrar, neste artigo, o meu jeito preferido de baixar arquivos via wget.

Download de um simples arquivo

Veja como baixar o Ubuntu 14.04 64 bits via wget:

wget http://releases.ubuntu.com/trusty/ubuntu-14.04-desktop-amd64.iso

Note que, enquanto baixa o arquivo, o wget exibe algumas informações:

  • o percentual de download já completado;
  • a quantidade de bytes baixados;
  • a velocidade de download atual;
  • o tempo restante para completar a tarefa.

Neste caso, especificamente, não costumo usar o wget. Creio que torrents ainda são a forma mais eficiente de baixar a minha distro preferida.
Veja como baixar o torrent do Ubuntu via wget:

wget http://releases.ubuntu.com/saucy/ubuntu-13.10-desktop-i386.iso.torrent

Neste exemplos, o wget vai gravar o arquivo baixado no diretório corrente. Fique atento.
wget download torrent ubuntu 13.10

Como baixar um arquivo com wget e salvar com nome diferente ou em diretório diferente

A maneira como wget grava os nomes dos arquivos baixados nem sempre é a mais adequada para a sua situação. Para estes casos, use o parâmetro -O. Veja como:

wget http://releases.ubuntu.com/saucy/ubuntu-13.10-desktop-i386.iso.torrent -O UbuntuSaucySalamander.torrent

O mesmo pode ser feito se você quiser gravar em um diretório diferente do atual:

wget http://releases.ubuntu.com/saucy/ubuntu-13.10-desktop-i386.iso.torrent -O ~/Downloads/UbuntuSaucySalamander.torrent

Como limitar a velocidade de download do wget

Ao executar o aplicativo, ele vai buscar usar toda a banda possível, para terminar logo a tarefa. Em alguns casos, isto pode ser um grande problema – imagine um servidor de produção.
Com o parâmetro --limit-rate, é possível restringir o uso da banda em níveis seguros. Veja como baixar o Ubuntu 14.04 LTS com velocidade limitada a 300k

wget --limit-rate=300k http://releases.ubuntu.com/saucy/ubuntu-13.10-desktop-i386.iso.torrent

wget download ubuntu 14.04
Quando baixar arquivos pequenos, você pode não sentir muita diferença ao fazer neste aspecto, uma vez que o wget não “limita” a banda. Na verdade, ele pausa o processo várias vezes, pelo tempo necessário para que, ao todo, ele fique dentro do limite médio especificado pelo usuário.

Como continuar um download interrompido

Para reiniciar um download no ponto em que ele parou, use a opção -c:

wget -c http://cdimage.ubuntu.com/daily-live/current/trusty-desktop-amd64.iso

Se você não usar esta opção, o wget vai entender que deve criar um novo arquivo – e vai acrescentar “.1” ao final do nome do novo arquivo, para te ajudar a diferenciar os dois.

Faça download em background

É possível deixar o wget rodando “nos bastidores”, enquanto você trabalha no mesmo terminal. Você pode, por exemplo rodar vários wget nos bastidores, usando este método – que é essencialmente útil quando há um grande número de grandes arquivos para ser baixados, mesmo que de sites diferentes. Veja como:

wget -b http://cdimage.ubuntu.com/daily-live/current/trusty-desktop-amd64.iso
Continuando em plano de fundo, pid 28553.
A saída será escrita em “wget-log”.
Solaris-8:~$ 

Como padrão, o wget irá enviar um log desta atividade pro arquivo wget-log. Você pode olhar este log, durante a atividade da seguinte forma:

tail -f wget-log
16950K .......... .......... .......... .......... ..........  1%  458K 45m5s
 17000K .......... .......... .......... .......... ..........  1%  549K 45m1s
 17050K .......... .......... .......... .......... ..........  1%  480K 44m59s
 17100K .......... .......... .......... .......... ..........  1%  442K 44m57s
 17150K .......... .......... .......... .......... ..........  1%  542K 44m53s
 17200K .......... .......... .......... .......... ..........  1%  490K 44m51s
 17250K .......... .......... .......... .......... ..........  1%  505K 44m48s

Se quiser interromper todos os processos do wget em execução, use o seguinte comando:

killall wget

Disfarce de navegador com –user-agent

Alguns sites desabilitam seus downloads quando detectam que não estão sendo feitos por um navegador. Veja como usar o wget “disfarçado” de Firefox:

wget --user-agent="Mozilla/5.0 (X11; U; Linux i686; en-US; rv:1.9.0.3) Gecko/2008092416 Firefox/3.0.3" http://cdimage.ubuntu.com/daily-live/current/trusty-desktop-amd64.iso

Neste caso, usei o site do cdimage.ubuntu apenas como exemplo. O site é feito para permitir downloads do wget sem quaisquer disfarces.

Estabeleça um número de tentativas

Conexões problemáticas podem causar interrupções no seu download. Você pode estabelecer um número de tentativas pro wget.

wget --tries=100 http://cdimage.ubuntu.com/daily-live/current/trusty-desktop-amd64.iso

Por padrão, o wget sempre faz 20 tentativas. Portanto, use este parâmetro para especificar número de tentativas diferente deste padrão.
Para especificar um número infinito de tentativas, use tries=0.
Ao obter os seguintes erros, o wget vai parar de tentar imediatamente:

  • connection refusedconexão recusada pelo servidor
  • file not found (erro 404) – arquivo não encontrado

Como baixar um site completo via wget

Segue o comando para fazer download de um site completo, usando o parâmetro --mirror

wget --mirror -p --convert-links -P ./LOCAL http://www.site.com.br

em que:

  • –mirror – liga as outras opções do wget adequadas para fazer o espelhamento do site em questão
  • -p – baixa todos os arquivos necessários para que o site inteiro possa ser exibido localmente
  • –convert-links – depois de baixar, converte os links em documentos para visualização local
  • -P – grava todos os arquivos baixados dentro do diretório especificado

Como fazer o wget rejeitar certos tipos de arquivos

Em alguns casos, não quero baixar as imagens ou os arquivos de vídeo .flv… para estes casos, uso a opção --reject. Veja como (repetindo o exemplo anterior):

wget --reject=flv --mirror -p --convert-links -P ./LOCAL http://www.site.com.br

Como fazer download de apenas certos tipos de arquivos

Temos uma situação contrária à anterior. Ainda usando o mesmo exemplo, vamos restringir os downloads aos arquivos PDF:

wget -r -A.pdf --mirror -p --convert-links -P ./LOCAL http://www.site.com.br

Como baixar arquivos de um servidor FTP com o wget

Se for possível fazer uma conexão anônima, use o wget assim:

wget ftp://meuservidor.com.br

Se o servidor exige que se faça login, use o comando assim:

wget --ftp-user=nomedousuario --ftp-password=senhadele ftp://meuservidor.com.br

Faça bom proveito das dicas e, se quiser, dê uma conferida no comando wput (pra fazer uploads)!