Método de instalação do Tails Linux em pendrive, via Ubuntu ou Mint.

O tails-installer é um aplicativo feito pelos desenvolvedores do sistema operacional Tails.
Baseado na versão mais atual do Debian, é um projeto voltado para usuários comuns e profissionais que necessitam ter um nível de privacidade, mas não querem (ou não sabem) se dar ao trabalho de configurar o seu sistema para isto.

O Tails é um Debian, que já vem com as configurações de privacidade, que você precisa, prontas.

Já abordei como instalar este aplicativo no Debian.
Neste post, vou mostrar como instalar o tails-installer no Ubuntu e no Linux Mint.
Nestes 2 sistemas, o aplicativo pode ser obtido através de PPAs.
Há vários motivos para não usarmos PPAs, como metodologia de instalação de novos programas, mas acredito que este caso vale como uma exceção.
tails oficial logo
Sugiro iniciar o download da imagem do Tails, enquanto você continua a leitura deste artigo, a partir deste site: https://tails.boum.org/index.pt.html.

Como instalar a PPA, para Ubuntu e Mint

Abra um terminal e adicione a PPA:


sudo add-apt-repository ppa:tails-team/tails-installer

Em seguida, sincronize o sistema com o repositório:


sudo apt update

… e faça a instalação do utilitário:


sudo apt install tails-installer

Agora, você já pode encontrar o tails-installer a partir dos menus do sistema, do Dash ou apenas rodá-lo da linha de comando:


tails-installer

Na tela de apresentação, selecione a opção “Install”.
tails-installer instalação ou atualização
Agora, siga estes passos:

  1. Selecione a imagem do Tails que você baixou anteriormente.
  2. Selecione corretamente a localização do seu pendrive.
  3. Verifique se as informações estão corretas. O próximo passo irá formatar completamente o dispositivo de armazenamento que você selecionou, acima.
    Se tudo estiver OK, clique em “Install Tails”.

tails-installer
O processo irá demorar (menos de) 15 minutos para ser concluído e pedir que você se autentique para realizar algumas tarefas administrativas no seu pendrive.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Referências

Leia outros posts sobre o Tails.
https://tails.boum.org/install/debian/usb/index.en.html.

Use o tails-installer para rapidamente obter um pendrive com o sistema operacional Tails.

O sistema operacional Tails é uma das formas mais cômodas de se usar um computador e navegar na Internet com mais segurança.
Baseado no Debian GNU/Linux, o Tails vem pré-configurado e acompanhado de ferramentas que ajudam a usar a rede anonimamente — preservando a sua privacidade.
Neste artigo, apresento uma ferramenta que permite instalar o Tails em um pendrive, a partir de um computador com Linux.


Já abordamos outros métodos para instalar uma distro Linux em um flash drive (vulgo pendrive). Dentre estes métodos, o meu preferido é o que usa o comando dd — por que me parece mais simples e rápido. 😉
Neste post, vamos abordar o uso de uma ferramenta de instalação desenvolvida pela própria comunidade de desenvolvedores do Tails.
O tails-installer pode ser instalado a partir dos repositórios oficiais (do backports) do Debian ou via PPA para quem usa Ubuntu ou Linux Mint.

Se você pretende criar vários pendrives com o Tails instalado, este método é muito produtivo.
Mas se você tem a intenção de criar apenas um, sugiro usar um daqueles outros de que falei acima.

Uma outra vantagem do programa, é criar um espaço de armazenamento persistente no pendrive, já criptografado, para você armazenar seus arquivos pessoais, bem como, as suas configurações.
Em outras palavras, o sistema estará sempre pronto para você e não pode ser usado por outras pessoas, sem a sua autorização.
Estranhos não poderão acessar seus dados pessoais, caso você perca seu drive, por exemplo.
O que você precisa ter:

  1. Os backports configurados no Debian.
  2. Instalar o tails-installer
  3. … e obter uma imagem do Tails no site oficial: https://tails.boum.org/index.pt.html.
    Sugiro clicar no link, acima, e já começar a baixar o Tails.

Como instalar o Tails a partir do Debian

No post Como configurar o Debian para os backports, explico com maior detalhamento o procedimento. Se tiver dúvidas, dê uma olhadinha nele!
Se você já tem alguma experiência com o Debian, tudo o que precisa fazer é adicionar a linha, abaixo, ao final do arquivo /etc/apt/sources.list:

deb http://ftp.debian.org/debian stretch-backports main

Em seguida, sincronize os repositórios:


sudo apt update

Instale o programa:


sudo apt install tails-installer

Supondo que já tenha baixado a imagem do Tails, do site citado acima, pode rodar o aplicativo.
debian gnome tails-installer
A tela inicial do tails-installer oferece, como opções, iniciar uma “nova instalação” (install) no pendrive ou atualizar (upgrade) uma instalação preexistente.
Opte pelo primeiro botão “Install“.
tails-installer instalação ou atualização
Indique aonde se encontra o arquivo-imagem, que foi baixado do site do Tails, em seu disco local (1).
Em seguida, indique CUIDADOSAMENTE o local do seu pendrive (2).
Fique atento: este procedimento apaga/remove todos os dados preexistentes no seu pendrive.
Verifique se tudo está correto e, finalmente, clique em “Instalar Tails” (3).
tails-installer
O processo de instalação pode ser um pouco demorado (não mais do que 15 minutos) e, ao final, irá pedir sua autenticação para realizar alguns procedimentos administrativos no seu pendrive.
tela autenticação debian gnome
Após a conclusão, já será possível remover o flash drive do computador e testar seu funcionamento.
instalação concluída
Veja como testar a sua nova instalação, com o QEMU, sem precisar reiniciar o sistema.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

O Tails é uma solução rápida para quem deseja privacidade e segurança ao usar o computador.

Baseado no sistema operacional Debian GNU/Linux, o Tails é uma distro voltada para quem deseja ter privacidade e se comunicar por meios criptografados.
Até esta década, as pessoas têm percorrido um longo caminho na direção indicada pelas grandes corporações, no sentido de obter muito mais conveniências e conforto — ao mesmo tempo em que abrem abrem mão da sua liberdade.
O Tails faz o contrário: te rouba um pouco de conforto e conveniência e dá mais liberdade.
Muitas pessoas preferem usar o Tails instalado em um pendrive ou CD/DVD-ROM. Desta forma, podem usar a Internet e lidar com informações importantes, em segurança, mesmo usando computadores de terceiros (ou públicos).
Mas é possível instalar o Tails em seu PC ou laptop pessoal também, caso você queira estar protegido o tempo todo.

Claro que a segurança de que falamos aqui não é absoluta. Mas eu não consigo pensar, hoje, em uma maneira mais eficiente de oferecer um ótimo nível de segurança para qualquer pessoa do que simplesmente passar a usar o Tails.
Atualmente, é a distribuição Linux recomendada por ninguém menos que Edward Snowden.

Depois de instalado, é possível (e desejável) melhorar ainda mais os seus níveis de segurança, com o Tails.
Sempre que se fala em não abrir mão da conveniência é importante também refletir sobre o quanto seria inconveniente a um jornalista ter reveladas as suas fontes ou apagados, à sua revelia, documentos importantes para uma investigação em andamento.
O quão desconfortável seria para um empresário ter seus planos e estratégias lidos por um concorrente? Quanto de seu trabalho estaria indo pelo ralo?
Quem pratica ativismo que atinja um governo ou grandes corporações também tem razões para se cercar de certos cuidados.
Este é o ambiente ideal para ver sites adultos com segurança.

Em um mundo ideal, não precisaríamos ter cercas, portas trancadas etc. Nós não vivemos em um mundo ideal, contudo.
Os ataques podem vir de criminosos “civis”, do Estado ou das corporações.

tails black theme

O que é e como funciona o Tails

O Tails é um sistema operacional GNU/Linux, com foco na privacidade do usuário.
É baseado no Debian 9.0 stretch — lançado em 2017 e com suporte garantido até 2023.

Contar com o suporte estendido do Debian é importante, por que garante atualizações de segurança que — como todo mundo sabe — costumam chegar no mesmo dia em que alguma vulnerabilidade é descoberta.
Além disso, o usuário conta com extensa documentação online disponível.

A versão atual é exclusiva para hardware de 64-bit.
A decisão dos desenvolvedores, ao cessar o suporte a 32-bit se deve a tirar partido do processamento mais avançado, por questões de segurança e confiabilidade.
Tecnicamente, para se proteger de certos tipos de exploits, é necessário que seu processador tenha suporte a recursos presentes somente nos processadores mais modernos — como NX bit, PIE, ASLR etc.

Onde baixar o Tails

A versão principal do sistema operacional é live, ou seja, pode rodar de um pendrive ou de um CD/DVD. Neste caso, você pode levar o seu Tails para onde você for.
Para instalar o Tails em um pendrive (de pelo menos 4 GB), escolha uma das alternativas deste texto.
O download pode ser feito do site oficial:

Leia mais sobre o assunto, clicando nas tags: tails, privacidade e criptografia.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Referências

Leia mais sobre Criptografia para jornalistas.

Leia mais sobre o Tails aqui: https://tails.boum.org/index.pt.html (texto em português).

Contribua com o desenvolvimento e manutenção do projeto: https://tails.boum.org/contribute/index.pt.html.

Quais as diferenças entre o modo portátil e o modo de armazenamento interno, no Android?

Alguns aparelhos, dependendo das escolhas feitas pelos seus fabricantes têm suporte ao modo de armazenamento interno, em adição ao modo tradicional de armazenamento.
android robot and an SD card in black and white picture
Dezenas de dúvidas sobre o modo de armazenamento interno (também chamado, em inglês, de adoptable mode) foram sanadas no artigo perguntas e respostas sobre o modo de armazenamento interno no Android — sugiro fortemente a sua leitura.

Neste post, vamos abordar o assunto por outro ponto de vista: o da escolha por um ou outro método de armazenamento em smartphones ou tablets Android.

Ao inserir um cartão novo no seu celular Android, a partir da versão 6.0 Marshmallow — se o dispositivo tiver suporte ao recurso — o dono se depara com a pergunta sobre se deseja usá-lo sob um dos 2 modos de armazenamento.
inserting an SD card in a reader
Quando é mais conveniente usar um ou outro, é o assunto neste artigo.
Neste sentido, espero que a tabela, abaixo, ajude você a identificar exatamente em que grupo se encontram as suas necessidades e como você pode aproveitar melhor o seu cartão de memória:

Armazenamento portátil Armazenamento interno
Selecione o modo portátil se você costuma guardar, em um mesmo cartão SD, arquivos de mais de um dispositivo (entre câmera, laptop, celular etc.) ou o usa apenas para armazenar mídia (fotos, músicas, vídeos etc.) Selecione o modo de armazenamento interno se você quer estender completamente o espaço de armazenamento do seu dispositivo e vai precisar do cartão para gravar aplicações grandes, jogos e dados de jogos.
Se você tem um cartão de memória não muito atual, de classe 2, 4 ou 6, opte pelo modo portátil. Se tem um cartão de alta velocidade (high-speed), UHS-1 ou classe 10, é possível optar pelo modo interno, sem sofrer com lentidão.
Se você costuma ou tem a pretensão de trocar cartões de memória com frequência ou usá-los para transferir conteúdo entre dispositivos. Se você planeja manter o cartão sempre dentro do dispositivo, baixar jogos pesados e está sempre tendo problemas de falta de espaço — use um cartão de grande capacidade e formate-o no modo interno.
Se os seus aplicativos junto com seus dados são sempre armazenados na memória interna e não podem ser transferidos para o cartão, opte pelo armazenamento tradicional. Se você sabe que os seus aplicativos favoritos podem ser transferidos para um cartão, junto com seus arquivos de dados.
Em tempo, quem decide se os aplicativos e/ou seus dados podem ser transferidos para o cartão é o desenvolvedor.
Se o cartão vai ser usado e lido por outros dispositivos (outro telefone, desktop (Mac ou PC), câmera digital. Se você planeja manter o cartão sempre dentro deste aparelho.
Se você não quiser criptografar o cartão. Se você não se importa de criptografar o cartão.
O modo portátil não requer a formatação automática do cartão. Para usar este modo, o cartão terá que ser formatado e criptografado.

Leve também em conta que a Lenovo/Motorola recomenda formatar seu cartão no modo interno quando o seu dispositivo tem 8 GB ou menos espaço na memória interna nativa dele.
samsgung 64 GB PRO card
Para ter mais informações, antes de decidir, não se esqueça de ler os artigos:

  1. Perguntas e respostas sobre o armazenamento interno.
  2. Como formatar o cartão no modo interno.
  3. Passo a passo para formatar o seu cartão SD no modo interno (explica a mesma coisa que o segundo artigo, com uma abordagem diferente).

Use também a caixa de busca do site, para obter mais informações sobre o assunto.

Como criptografar um dispositivo Android da Lenovo/Motorola.

Este tutorial foca o procedimento de criptografia de smartphones e tablets Android a partir da versão 5.1 Lollipop.
Os meus exemplos foram executados em um aparelho com Android 7.0 Nougat (Moto G4 Plus) — mas tudo funciona da mesma forma nas versões entre 5.1 e 7.0.
Se você usa um dispositivo com uma versão anterior do Android, leia este post.
Se você tem dúvidas sobre o impacto na performance do seu aparelho, depois do procedimento da criptografia, leia este artigo.
Pessoalmente, não percebi diferença na performance do aparelho, após a codificação.
Existem alguns pontos a considerar, antes de realizar o procedimento:

  • Previna-se de possíveis incidentes e faça backup de seus arquivos antes de começar.
  • O processo é “um pouco” demorado, portanto, separe aproximadamente uma hora, durante a qual o seu aparelho irá ficar indisponível.
    Você vai ter que ter paciência para esperar.
  • A criptografia é feita para proteger os seus dados e arquivos, dentro do aparelho. O processo não protege as suas comunicações, nem a transferência de arquivos para outro local.
    Ou seja, o recurso é eficiente para proteger suas informações e seus arquivos em caso de roubo, perda ou uso não autorizado do smartphone.
  • Se seu aparelho criptografado sofrer um acidente, pode ser impossível recuperar os dados dentro dele. Portanto, incorpore à sua vida, uma rotina de backup consistente.
  • Você pode ficar “trancado do lado de fora” do seu aparelho se perder a senha de acesso. Este é o objetivo da criptografia: não permitir o acesso a quem não tem a senha. Portanto, não perca sua senha e, não menos importante, use senhas fortes.

Em aparelhos atuais, com os novos processadores 64 bit, a criptografia não traz impactos significativos à performance do sistema — e eu mostrei isto aqui.

Os processadores modernos já são projetados para realizar as extenuantes tarefas de codificar e decodificar informações.
Se você não usar criptografia no seu smartphone, estará desperdiçando recursos que já estão lá, pelos quais você pagou e que provavelmente não serão usados para outra coisa.

Como criptografar o seu aparelho Android

O procedimento, como eu disse, pode ser um pouco demorado — mas é muito simples.
Basta seguir estes passos:

  1. Abra o menu de Configurações e selecione a opção Segurança.
  2. Role e toque na opção Criptografia e depois, em Codificar telefone.
    Em algumas marcas de aparelhos as opções de criptografia ficam sob a opção Armazenamento.
    lenovo motorola android criptografia segurança
  3. Leia atentamente as informações exibidas na tela e prossiga.
    Como já avisei, o processo pode demorar um bocado e o aparelho irá reiniciar algumas vezes.
    Apenas aguarde.

android criptografia tela de andamento