Introdução ao wp-cli

O wp-cli é uma ferramenta de linha de comando voltada para usuários avançados realizarem tarefas administrativas relacionadas ao sistema de gestão de conteúdo (CMS) WordPress.
Este post se baseia na documentação original do software. Recomendo consultá-la para obter mais informações e clicar nos outros links, no decorrer do texto, para se aprofundar mais em algum tema.

O WP-CLI é a ferramenta de linha de comando oficial, disponível para interagir com e gerenciar seus sites na plataforma WordPress.

O objetivo do projeto é oferecer uma alternativa completa para adiministradores(as) de sites WordPress.
É equivalente ao painel administrativo de qualquer CMS, só que oferece as mesmas possibilidades na CLI (interface de linha de comando).
Como exemplo preliminar, veja como instalar e ativar um plugin no seu site, na linha de comando do seu servidor:


wp plugin install nome-do-plugin --activate

Grandes provedores de hospedagem, como o DreamHost oferecem a ferramenta.
Para começar a usá-la, basta acessar o servidor via SSH e começar a usar.
Quem usa Linux, também pode instalar a ferramenta na sua máquina de trabalho local.
O programa também está disponível para outras plataformas, como o FreeBSD, MacOS e Windows (neste caso, com algumas limitações).
Para acesso remoto, o WP-CLI local repassa os comandos à cópia instalada no servidor. Funciona de modo semelhante ao comando scp.

Desenvolvido por usuários avançados do WordPress, para atender às necessidades administrativas de outros heavy users.
No longo prazo, mesmo um novato pode descobrir os benefícios da linha de comando: mais eficiência e mais controle.

A sintaxe do wp-cli

Veja a explicação sobre um exemplo prático, abaixo:


wp plugin install

usage: wp plugin install ... [--version=] [--force] [--activate] [--activate-network]

Como o comando não se encontra completo (por que não foi indicado exatamente qual o plugin a ser instalado), ele retorna uma linha de ajuda rápida sobre a sintaxe a ser usada, na execução do wp:

  • wp plugin install — este é o comando em si. Falta indicar parâmetros e opções para que seja executado com sucesso.
  • <plugin|zip|url> — logo após o comando é necessário indicar de onde você pretende instalar o plugin: pelo nome, a partir de um pacote ZIP ou de uma URL na Internet.
  • [--version=<version>] — parâmetros sugeridos entre “[colchetes]” são opcionais. Neste exemplo, o que se quer dizer é que você pode indicar uma versão específica a ser instalada ou não.

Eventualmente, você pode incorrer na seguinte mensagem de erro:

Pass --path=`path/to/wordpress` or run `wp core download`.

Ela quer dizer que você precisa indicar exatamente em que local se encontra o seu site, dentro do provedor.
Lembre-se que, mesmo uma simples conta compartilhada em um provedor de hospedagem pode ter vários sites WordPress instalados.
E instalar coisas erradas em lugares errados pode ser muito ruim.
Segue alguns exemplos de uso do WP-CL.

Como instalar o WordPress pelo WP-CLI

Instalar a mais nova versão do WordPress é uma das coisas que você pode fazer com o aplicativo:


sudo -g www-data -i -- wp core download --path=/var/www/html/novo-blog

Creating directory '/var/www/html/novo-blog/'.
Downloading WordPress 4.8.1 (en_US)...
md5 hash verified: f3dd0e033519aa363eb07e13c6676e3c
Success: WordPress downloaded.

Acima, o comando é apenas “wp core download”. Como executei no meu servidor local (que tem configurações diferentes de provedores de hospedagem (até por que não é um)), precisei dar mais algumas informações ao WP-CLI:

  • sudo -g www-data — pedi para que o comando seja executado com os privilégios do grupo ‘www-data’.
  • --path=/var/www/html/novo-blog indiquei um novo diretório para baixar e instalar a última versão do WordPress.

Se o diretório, indicado no parâmetro ‘–path’ não existir, ele será criado e o WordPress baixado para lá.
Abra o navegador no diretório recém criado e inicie o processo de instalação do novo site.

Como atualizar todos os plugins do seu site WordPress

Você pode atualizar todos os plugins instalados no seu site com um único comando. Veja:


wp plugin update --all --path='meusite.com.br/blog'

Ativando modo de manutenção...
Fazendo download de (https://downloads.wordpress.org/plugin/akismet.3.3.4.zip)...
Descompactando a atualização...
Instalando a versão mais recente...
Removendo a versão antiga do plugin...
Plugin atualizado com sucesso.
Fazendo download de (https://downloads.wordpress.org/plugin/jetpack.5.2.1.zip)...
Descompactando a atualização...
Instalando a versão mais recente...
Removendo a versão antiga do plugin...
Plugin atualizado com sucesso.
Fazendo download de (https://downloads.wordpress.org/plugin/wpforms-lite.zip)...
Descompactando a atualização...
Instalando a versão mais recente...
Removendo a versão antiga do plugin...
Plugin atualizado com sucesso.
Desativando modo de manutenção...
+--------------+-------------+-------------+---------+
| name         | old_version | new_version | status  |
+--------------+-------------+-------------+---------+
| akismet      | 3.3.3       | 3.3.4       | Updated |
| jetpack      | 5.1         | 5.2.1       | Updated |
| wpforms-lite | 1.3.8       | 1.3.9.1     | Updated |
+--------------+-------------+-------------+---------+
Success: Updated 3 of 3 plugins.

Para mim, este processo durou 3 segundos. 😉

Assine este site

Todo dia eu aprendo alguma coisa nova sobre administração de servidores, WordPress, bancos de dados, Android etc.
Desde o começo, este site existe para compartilhar o que sei com outras pessoas.
Se quiser ser avisado(a) quando houver post novo no blog, inscreva-se abaixo!

Referências

https://wp-cli.org/.

Como instalar a interface de linha de comando do WordPress

Alguns usuários podem ter utilidade para uma interface de linha de comando, para realizar atividades administrativas relacionadas ao WordPress.
Para estes, existe o wp-cli — WordPress Command Line Interface, ou “interface de linha de comando do WordPress”.

Sua instalação é simples e leva menos de 30 segundos (verdade!).
Veja quais são os prerequisitos para baixar, instalar e usar o wp-cli:

  1. Ambiente UNIX-like, o que inclui o OSX, sua distro Linux favorita, FreeBSD e Cygwin (para usuários Windows). No ambiente Windows, há suporte limitado do aplicativo, mas é possível usá-lo.
  2. PHP — a versão 5.3.29 é requerida, mas as atuais distribuições GNU/Linux já estão usando versões superiores à 7.0.
  3. WordPress 3.7 ou superior.

Por fim, use o comando wget (ou o curl) para fazer o download do wp-cli.phar:


wget https://raw.githubusercontent.com/wp-cli/builds/gh-pages/phar/wp-cli.phar

Se preferir usar o curl, faça assim:


curl -O https://raw.githubusercontent.com/wp-cli/builds/gh-pages/phar/wp-cli.phar

Verifique se aplicativo já está funcionando adequadamente:


php wp-cli.phar --info

PHP binary: /usr/bin/php7.0
PHP version:    7.0.19-1
php.ini used:   /etc/php/7.0/cli/php.ini
WP-CLI root dir:    phar://wp-cli.phar
WP-CLI vendor dir:  phar://wp-cli.phar/vendor
WP_CLI phar path:   /home/apps
WP-CLI packages dir:    
WP-CLI global config:   
WP-CLI project config:  
WP-CLI version: 1.3.0

Para tornar o uso do aplicativo mais simplificado, vamos torná-lo executável:


chmod +x wp-cli.phar 

… e movê-lo para um diretório mais apropriado.


sudo mv wp-cli.phar /usr/local/bin/wp

Agora já será possível executá-lo, sem digitar “PHP” no começo:


wp --info

PHP binary: /usr/bin/php7.0
PHP version:    7.0.19-1
php.ini used:   /etc/php/7.0/cli/php.ini
WP-CLI root dir:    phar://wp-cli.phar
WP-CLI vendor dir:  phar://wp-cli.phar/vendor
WP_CLI phar path:   /home/apps
WP-CLI packages dir:    
WP-CLI global config:   
WP-CLI project config:  
WP-CLI version: 1.3.0

Se preferir, na hora de baixar o programa, é possível optar pela versão nightly (a versão dos desenvolvedores). Ela tem os recursos mais atuais, porém é menos testada do que a versão estável.


wget https://raw.githubusercontent.com/wp-cli/builds/gh-pages/phar/wp-cli-nightly.phar

Feito o download, basta repetir os procedimentos acima — tendo o cuidado de trocar o nome da versão estável pelo da nightly.


Sempre que quiser atualizar o wp-cli, use a opção ‘update’:


sudo wp cli update
[sudo] senha para justincase: 
Success: WP-CLI is at the latest version.

Se quiser passar a usar a versão nightly, é possível fazer a troca também através do ‘update’. Veja:


sudo wp cli update --nightly

Como configuração adicional, torne o aplicativo amigável ao recurso de autocompletar:


wget https://raw.githubusercontent.com/wp-cli/wp-cli/master/utils/wp-completion.bash

Use o source, para incluir o recurso no BASH, inclua a seguinte linha no seu .bashrc:


source /caminho/para/wp-completion.bash 

… ou seja, se este arquivo estiver no seu diretório home, use “source ~/wp-completion.bash” (sem as aspas).
Para que a alteração tenha efeito imediato, rode o comando:


source ~/.bash_profile

Agora, é só usar!

Assine este site

Todo dia eu aprendo alguma coisa nova sobre administração de servidores, WordPress, bancos de dados, Android etc.
Desde o começo, este site existe para compartilhar o que sei com outras pessoas.
Se quiser ser avisado(a) quando houver post novo no blog, inscreva-se abaixo!

Referências

https://make.wordpress.org/cli/handbook/installing/.
Leia mais sobre WordPress, neste site.

Como instalar o WordPress em 5 minutos

O WordPress é um dos aplicativos web mais usados para criar sites e (principalmente) blogs.
Como CMS (Content Management System ou sistema de gestão de conteúdo), ele permite iniciar um site instantaneamente, pronto para receber conteúdo em imagens, textos, vídeos etc.
Neste texto, vamos tratar de um dos vários métodos de instalação do aplicativo — baseado nas instruções oficiais.
Não se esqueça de clicar nos links, no decorrer do texto e na seção de referências (no final), para obter informações mais específicas sobre algum assunto.

Pré-requisitos para instalar o WordPress

O famoso passo a passo de instalação do WordPress em 5 minutos funciona e é verídico.
Só que há alguns poréns…
O procedimento, em si — caso você já tenha alguma experiência de instalação de aplicativos web PHP/MySQL/MariaDB anterior — pode ser realizado em poucos minutos.
Entretanto, se esta for a sua primeira vez a instalar um aplicativo deste tipo, não se preocupe com o tempo.
Na minha primeira vez, tive que apagar todos os arquivos instalados e começar de novo, para que ficasse exatamente do jeito que eu queria.
Se preferir, muitos provedores oferecem o método de instalação “com um clique” (One-Click install) — é o ideal para novatos.
Neste sentido, eu recomendo o DreamHost.

DreamHost panel - one-click installs
DreamHost: Seleção de aplicativos para instalar no site.

Veja quais itens você precisa providenciar para agilizar o procedimento de instalação:

  • Além do servidor LAMP pronto para receber o CMS, é necessário ter uma conta no MySQL/MariaDB.
  • É necessário fazer o download do aplicativo, aqui: https://wordpress.org/download/
    Se preferir a última versão, clique aqui, para baixá-la.
    Outra opção, bastante cômoda, é baixar diretamente no local em que vai instalar, através do comando wget, como veremos adiante.

Procedimento de instalação do WordPress

Acompanhe este passo a passo:

  1. Crie um banco de dados para ser usado pelo WordPress, no seu servidor web, bem como o nome de usuário (MySQL ou MariaDB), com privilégios para alterá-lo.
    Se você não tem acesso ao servidor de banco de dados, obtenha estas informações com o administrador do sistema, informando que pretende usar o WordPress.
    Neste caso, as informações que você precisa são:

    • nome do banco de dados
    • nome do usuário do banco de dados
    • senha do usuário do banco de dados
    • o hostname (nome do servidor) em que se encontra o banco de dados e
    • (opcionalmente) o prefixo que irá acompanhar cada nome de tabela criado para uso do wordpress neste site.
  2. Dentro do local em que você deseja que o seu site WordPress fique, baixe e extraia o pacote do WordPress:
    
    wget https://wordpress.org/latest.zip
    
    tar xvzf latest.zip
    
    mv wordpress/* wordpress/.* .
    
    rmdir wordpress
    
  3. Agora, abra o seu website no navegador — se tiver sido extraído no local certo, o instalador irá aparecer.
    como instalar o WordPress
    Esta tela serve para informar sobre os dados que serão requeridos na sequência.
    As informações serão usadas para preencher o arquivo wp-config.php — que também pode ser editado manualmente.
  4. Na próxima tela, preencha o formulário com os dados que foram mencionadas no passo 1.
    como instalar o WordPress
  5. A esta altura o site já está instalado. Mas você vai precisar de um nome de usuário para poder acessar e administrar o seu site.
    como instalar o WordPress
  6. Esta é a última tela da instalação, onde é dado um feedback da criação do seu novo usuário.
    como instalar wordpress
  7. Este é o painel de administração do seu site WordPress.
    como instalar wordpress
    A partir daqui, já é possível inserir novo conteúdo, instalar novos temas, adicionar usuários ao sistema etc.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Referências

https://codex.wordpress.org/Installing_WordPress.

Ferramentas de caching para WordPress

Se você tem um blog ou site rodando sobre a plataforma do WordPress, pode usufruir de algumas ferramentas e plugins de caching, que podem melhorar sensivelmente sua velocidade.
As dicas que seguem podem também ser úteis, caso você esteja experimentando alguma lentidão no acesso ao seu site.
Se você não está tendo problemas com spam, então é possível que o servidor esteja acionando o seu banco de dados MySQL mais do que deveria.
wordpress logo
Uma vez que o WordPress depende (e muito) do banco de dados, ele faz algumas consultas ao MySQL, para obter o conteúdo necessário para mostrar nas páginas do site.
Se você tem grandes sites linkando ou direcionando tráfego para você (que ótimo!) isto pode acabar criando um gargalo — lentidão no acesso ao seu conteúdo.

Ferramentas de caching e plugins

O caching é um dispositivo de memória intermediário, cuja função é acelerar o processo de entrega de dados.
Como ferramenta, ele é especialmente eficiente quando os mesmos dados são requisitados muitas vezes repetidas — pense nos seus posts mais lidos.
O WordPress tem, em seu repositório, uma boa quantidade de plugins disponíveis que prometem diminuir o tempo de carregamento das suas páginas e reduzir a carga de trabalho dos servidores no seu provedor.
Você precisa usar, pelo menos, um deles.

O caching consiste no armazenamento temporário e intermediário de informações requisitadas repetidas vezes no seu site.
Com este recurso, o usuário não chega a acionar o banco de dados para obter o conteúdo do seu site ou blog — e, portanto, pode demorar um pouco para ver as últimas atualizações feitas

Segue uma lista de plugins comuns, que podem ser usados para aumentar a eficiência com que suas páginas carregam para seus leitores.
Você pode encontrá-los na área administrativa do seu blog WordPress, no painel Plugins — use a caixa de busca para encontrá-los pelos seus nomes.
Catptura de de tela do painel administrativo WordPress

WP Super Cache

Cria um arquivo estático de seu site e o carrega, em vez de usar o PHP para gerar a informação.
Como continuação do projeto WP-Cache, este plugin inclui novos recursos.
Alguns provedores o fornecem junto com o serviço One-Click Install.
Para quem usa um serviço de shared hosting ou provedor compartilhado, esta é a melhor opção.

Hyper Cache

Este é provavelmente um dos plugins de caching mais fáceis de usar.
Se você achar o WP Super Cache muito complicado, o Hyper Cache costuma atender às necessidades da maioria dos usuários.

W3 Total Cache

Este plugin é também excelente e tem atraído elogios e atenção da comunidade.
Parte do hype que envolve esta ferramenta é que ela inclui recursos de CDN

CDN é uma sigla para “Content Delivery Networks” ou “redes de entrega de conteúdo”.
Trata-se de uma rede de servidores dispersos geograficamente.
Estes servidores armazenam conteúdos de sites em cache e o entregam a usuários baseados em sua localização geográfica.

Se a maior parte do seu público está localizado em uma área mais restrita (seu município ou estado), você provavelmente não precisa deste recurso.

WP Widget Cache

Este plugin trabalha em conjunto com os anteriores (acima), para melhorar o desempenho do seu site.
Seu foco é nos widgets e pode ser útil se você tiver muitos deles em uso


WordPress Oficial logo
Lembre-se que plugins também “pesam” no seu site e você não deve usá-los em excesso.
Há muitos outros plugins de cache disponíveis para WordPress, que você pode testar e ver se se adequam às suas necessidades e às de seu público.
Se quiser, comente sobre as soluções que você encontrou, nos comentários.

Como implementar um cabeçalho rotativo e aleatório no blog, com PHP

Neste post, vou mostrar como mudar automaticamente e aleatoriamente as imagens do cabeçalho ou header, no seu blog, com um código bem simples em PHP.
Este código foi testado no WordPress, mas deve funcionar, com algumas alterações, em outras plataformas de blog.
Alguns temas, como o Thesis, do Chris, já têm esta função. Basta preparar as suas imagens e fazer o upload pro diretório /rotator do tema.

Prepare suas imagens

Antes de começar, edite e deixe prontas as imagens que você pretende usar no seu cabeçalho.
Para que o nosso pequeno script funcione, será necessário renomear as suas imagens. Elas devem ter o mesmo nome, com uma terminação numérica. pode ser algo assim: cabecalho_01.jpg.
Outra coisa importante, para o correto funcionamento do script, é que todas elas tenham a mesma extensão. Portanto, se uma for .jpg, todas as outras deverão também ser. Fotografias ficam melhor em JPG, outros tipos de imagens podem ficar melhor em PNG ou GIF.

Faça upload das suas imagens

Desde que você saiba exatamente a URL da sua imagem, não tem muita importância o local para onde você a está enviando. Pode ser interessante anotar o local em que elas se encontram:
http://nome-do-blog.com.br/imagens/cabecalho_01.jpg
Na hora de escrever o script, você vai precisar deste endereço completo.

Implementando o código

Se você estiver usando o WordPress, localize o arquivo header.php do seu tema e, na parte que se refere à imagem do cabeçalho, substitua pelo código abaixo, devidamente adaptado à sua situação:

<img src="http://nome-do-blog.com.br/imagens/cabecalho_0<?php echo(rand(1,5)); ?>.jpg" alt="meu banner" />

Sim. Tudo o que você vai precisar escrever em PHP é isso:

<?php echo(rand(1,5)); ?>
POSTS RELACIONADOS

Explicando a função rand()

A função rand, neste caso escolhe um número entre 1 e 5. Se você tiver 13 imagens para rotacionar, a função fica assim:

<?php echo(rand(1,13)); ?>

Simples, não é?