O seu smartphone está esquentando demais? Veja como resolver.

Pessoalmente, já experimentei situações em que o meu celular apresentou sobreaquecimento.
Quando uso a lanterna de LED por tempo prolongado, o aparelho sofre com uma elevação da temperatura interna.

Em outra ocasião, notei que um app de câmera era causador de um aquecimento absurdo na tela do smartphone.
Estes 2 casos são facilmente resolvíveis.
O smartphone é um aparelho de uso geral e que deve servir simultaneamente a uma enorme gama de propósitos, além de ter a capacidade de realizar diversas tarefas e atividades ao mesmo tempo.
Portanto, não é um dispositivo projetado para “ser uma lanterna” por mais de alguns minutos. Se você precisa desta função por tempo prolongado, é melhor comprar uma lanterna de LED de verdade, no seu camelô de confiança mais próximo — assim, você fica bem servido, o vendedor garante seu sustento e o seu celular (provavelmente) ganha mais alguns meses de vida.

Já os aplicativos de câmera, há aos montes. Se um está causando problemas, desinstale e experimente outro. Foi o que fiz.

Os danos que o sobreaquecimento pode causar

Carregar o celular é uma atividade diária, para a maioria dos usuários.
Infelizmente, este é um dos momentos em que o aparelho fica mais exposto ao calor.
No texto 7 dicas para prolongar a vida útil da bateria, abordei alguns inimigos da durabilidade das baterias. E o calor é um deles.

Além da bateria, os componentes internos do seu dispositivo (placa-mãe, sensores, tela etc.) podem sofrer danos ou ter sua vida útil reduzida em função de estar submetidos a altas temperaturas.

Se você gosta de economizar e deseja que seu smartphone dure um ano a mais, fique atento ao calor.

Sobreaquecimento quando o celular está carregando

Há situações em que não dá pra escapar do sobreaquecimento do aparelho. Bem ou mal, faz parte do projeto dele.
Carregar a bateria sempre irá causar algum calor a mais. E é uma situação que não dá para evitar.

No texto sobre baterias e carregadores inteligentes, expliquei como funciona o carregamento “turbo” dos celulares e notebooks.

O problema de esperar que sua bateria descarregue quase completamente é que o modo de carregamento turbo pode causar um aumento considerável do calor — e por um tempo prolongado.

Evite ao máximo que a sua bateria descarregue. Dê cargas mais frequentes e, portanto, mais curtas.
Não precisa esperar chegar a 10%… carregue sempre antes de chegar a 50%.
Opte por fazer cargas curtas em vez de prolongadas.

Você pode reduzir o tamanho do problema, ao fazer a carga, retirando a carcaça do celular durante o processo e mantendo o aparelho em local arejado.
Manter o aparelho desligado durante a carga na tomada também pode ajudar neste sentido, além de ser um processo mais rápido.
Quem não pode ficar meia hora com o celular desligado?

Por fim, evite usar carregador de celular que não seja o oficial — que foi projetado para o modelo do seu aparelho.
No artigo sobre carregadores e baterias inteligentes, expliquei que, embora sirvam em qualquer celular, os carregadores são projetados para fornecer energia de maneiras diferentes.

Desinstale aplicativos e desative funções

Como já revelei, já tive um app de câmera instalado que causava sobreaquecimento. O problema se resolveu com a sua remoção.
Outros aplicativos podem causar o problema, devido a atividade intensa.
Tente substituí-los por similares ou verifique se há atualizações.
Se você não precisa de um app, desinstale-o ou desative-o.

O app Cooling Master pode ajudar a detectar quais programas estão causando sobreaquecimento e, eventualmente, desligá-los.

Como NÃO resfriar um aparelho

É OK pôr seu smartphone sob o vento de um ventilador ou do ar condicionado.
Contudo, jamais coloque-o dentro da geladeira, do congelador ou do freezer.
Neste caso, há riscos extremos de formar umidade dentro do aparelho ou gotículas de água — o que pode causar danos irreparáveis.
Se o aparelho estiver muito quente, seus componentes dilatados podem sofrer uma retração brusca, que pode ocasionar micro rupturas.

Pense na possibilidade de comprar equipamento específico para as funções que usa mais

A ideia, aqui, é não sobrecarregar um aparelho projetado para servir a múltiplas funções, com apenas uma ou duas.
A lógica é simples: é impossível o aparelho atender a todas as necessidades dos usuários do mundo.
Se você gosta muito de jogar, várias horas por dia, pense na possibilidade de comprar um videogame portátil.
Parece que é mais caro… mas pode não ser!

Eu desenvolvi melhor este assunto neste post.

Por hora, vamos nos concentrar no sobreaquecimento — causas e soluções.

Desligue o aparelho

Pode ser uma solução “drástica” mas, com toda certeza, resolve o problema.
Em geral, 5 minutos são o suficiente para resfriar o dispositivo.
Quando tiver atingido este objetivo, verifique a causa (se for possível) do aquecimento excessivo.

O que você costuma fazer quando o seu aparelho apresenta este tipo de situação?

Leia também Como melhorar a eficiência de carga da bateria do seu celular.

Como calibrar a CPU no Linux

O utilitário Power-calibrate, disponível nos repositórios da maioria das distribuições GNU/Linux, pode ser usado para calibrar o consumo de energia de um dispositivo móvel — como o seu laptop.
Tudo o que o seu equipamento precisa é usar uma fonte de energia de bateria e um processador Intel recente.

Seu processador deve ter também suporte a RAPL (Running Average Power Limit) — sigla para “Limite de Potência Média em Execução”, em uma tradução livre.
Trata-se de um recurso de medição de performance desenvolvido pela Intel, para uso em seus processadores.

O power-calibrate vai tentar calcular o consumo energético relativo a 1% do uso do processador.
Se o perf (recursos de análise de performance do Linux) estiver disponível, o utilitário irá tentar estimar o consumo de 1 ciclo e 1 instrução da CPU.

Como funciona o power-calibrate

A ferramenta oferece estimativas de consumo e seus resultados variam entre as execuções.
Não é concebida para substituir outras ferramentas de medição de alta precisão.

O power-calibrate confia na interface da bateria do seu sistema, para levantar estatísticas de consumo de energia — que irão variar de uma máquina para outra.
O software ou o firmware do seu sistema pode ajustar as leituras da bateria a partir de seus próprios medidores e podem, ainda, reajustar seus próprios valores, durante a drenagem da bateria.
Outra característica comum às baterias de Li-Ion é a descarga não-linear — de forma que rodar o programa em um sistema com baixa carga da bateria não é recomendado.

Processadores com hyperthreading ou com performance de processamento não-uniforme poderão distorcer os cálculos de bogo-ops — uma vez que CPUs lógicas diferentes irão variar suas taxas de processamento.

Para obter um resultado médio mais preciso, procure realizar diversos testes.
Quanto mais amostras obtidas, melhor será a qualidade da média final.
Claro, que a calibração levará mais tempo para ser concluída.

Veja, a seguir algumas opções de uso do utilitário.

Possíveis erros ao executar o power-calibrate

A ferramenta precisa ter acesso a áreas restritas do kernel do sistema e, portanto, precisa ser executada com poderes de super usuário.
Use o sudo, para rodar o programa.
Além disto, desconecte o laptop da tomada, para que as medições sejam realizadas.
Caso contrário, o programa irá retornar a seguinte mensagem de erro:

sudo power-calibrate 

Machine is not discharging, cannot measure power usage.

Exemplos de uso do power-calibrate

Como método de execução básico, use a opção -R para ler (read) estatísticas de consumo do RAPL.
Esta opção se limita a medir a utilização por processador, de forma que a leitura não cobre toda máquina.


sudo power-calibrate -R

CPU load  User   Sys  Idle  Run  Ctxt/s  IRQ/s  Ops/s Cycl/s Inst/s Watts
    0% x 1   5.8   1.7  92.1  1.3  2346.6  420.1   0.0    1.3K   1.3M  4.215
    0% x 2   5.4   1.4  93.0  1.2  1978.6  353.9   0.0    3.6K 498.1   4.111
^C    0% x 3   4.4   1.4  94.1  2.4  1645.4  344.4   0.0    7.5K   2.4K  3.715

A leitura pode ser interrompida a qualquer momento com Ctrl + C.

Para determinar a duração de cada teste, use a opção -r.
O exemplo, abaixo, usa o tempo de 10 segundos:


sudo power-calibrate -r 10 -R

Se você não determinar um tempo específico, o programa usará o padrão de 120 segunos (2 minutos) para cada teste.
O menor valor de tempo aceito é 10 segundos.
O valor padrão é o ideal.

Acrescente -p para obter uma visualização da evolução do teste:


sudo power-calibrate -Rp

power-calibrate

A página do manual (man power-calibrate) tem uma relação de opções de uso do programa e alguns exemplos.

Para obter uma medida em Watts, por 1% de CPU, com 60 segundos de atraso para aquecimento a cada rodada de testes, com 5 testes no nível de carga da CPU (0%, 25%, 50%, 75%, 100%) nas unidades 0 e 1 com 200 segundos de tempo de execução por rodada de testes:


sudo power-calibrate -d 60 -s 5 -n 0,1 -r 200 -p

A bateria do smartphone não dura um dia inteiro. Como solucionar.

Há várias motivos para a bateria do seu celular não durar o dia inteiro ou, mesmo, 2 horas.
Neste post vou apresentar alguns dos motivos mais comuns para exaurir a carga da bateria e como você pode solucionar ou contornar os problemas.

Já escrevi algumas vezes sobre as baterias dos smartphones e, para não ser “chato e repetitivo”, vou deixar links no texto (aonde for apropriado), para o caso de você querer saber um pouquinho mais sobre assunto. 😉
iphone battery life

Alguns sensores consomem muita energia

No post Os sensores do seu smartphone, abordei alguns dos itens de que vou falar aqui.
Alguns sensores do aparelho são conhecidos pela sua voracidade.
O GPS é um deles.
Se o GPS está constantemente ligado, espere por um consumo maior.
A solução é deixar o GPS desligado e ativá-lo apenas quando for necessário.

Outro sensor que passa despercebido pela maioria das pessoas é o sensor de luminosidade.
Quando o aparelho está configurado para autoajustar o brilho na tela, de acordo com a luminosidade do ambiente, ele tenderá a “jogar” o brilho para o máximo quando você estiver usando o aparelho na rua ou no sol.
Além de ser um sensor a mais ligado, constantemente a medir a luz do ambiente, ele é responsável por ativar (no máximo) o item que mais consome energia, no seu aparelho: a tela.
Neste caso, não use o ajuste automático.
Opte por aumentar/diminuir o brilho manualmente, de acordo com o que achar necessário.

O Bluetooth e o NFC (entre outros) se você não precisa deles, no momento e nem tem planos de usar uma conexão deste tipo tão cedo, desligue-os.
androido painel de ajustes rápidos

Tá na estrada? Então coloque o aparelho no modo avião

Durante a viagem, 2 situações contribuem para drenar a sua bateria:

  1. Quando se distancia das antenas, o celular tende a aumentar a potência das antenas, para conseguir manter o contato. Isto custa energia.
  2. Durante um voo, pode acontecer de ter que se conectar e desconectar sucessivas vezes entre várias antenas, presentes nas cidades embaixo. Isso também contribui para uma descarga precoce.

Quando viajo de avião, sou capaz de ficar horas, na janela, observando as nuvens e sonhando acordado… :p
Desligar o celular, durante uma viagem, usualmente não me afeta, portanto.
Para as pessoas normais, recomendo baixar vídeos de seus canais favoritos no YouTube, para se entreter.
Mas isto também irá consumir sua bateria, não é? 😀

Desligue as notificações dos seus apps

A cada vez que um aplicativo precisa notificar sobre um evento, ele tem que ativar um sensor antes — seja o Wi-Fi, o Bluetooth, a antena 3G/4G etc.
Em seguida, precisa dar um aviso sonoro e enviar a notificação para a tela.
Os apps instalados não são obrigados a “coincidir” suas notificações e, portanto, se não “botar ordem na casa”, você pode acabar recebendo notificações a cada minuto de apps diferentes – mesmo que cada um esteja configurado para notificar apenas a cada 1 hora.
O ideal (EMHO), é desativar as notificações e, quando fizer sua pausa programada dos estudos ou do trabalho, vai lá e olha o que tem de novo nas redes sociais, no email, no app de mensagens, nos seus sites favoritos etc.
O modo não perturbe também pode ser eficiente para economizar a carga. Experimente.

Por que não desliga o aparelho?

Se você precisa de algo mais drástico, para fazer a bateria durar mais algumas horas, pode tentar desligar o celular.
Só que tem um “porém”: os 2 procedimentos – desligar e ligar – podem também consumir uma grande quantidade de energia.
Adote esta medida apenas se for deixar o aparelho desligado por mais de uma hora.
Por exemplo, na escola, na faculdade ou no trabalho, é natural (espero que sim!) passar algumas horas incomunicável.
Nestes casos, vale desligar o aparelho.
Se alguém precisar te contatar, numa emergência, pode sempre entrar em contato com a secretaria.
Estas horas que você passa com o dispositivo desligado, podem te garantir um tempo a mais no seu videogame favorito, mais tarde.

Ative o modo de economia do Android

O modo de economia está lá “para ser usado”.
Esta pode ser a dica mais eficiente deste post.
Este recurso irá adotar automaticamente algumas das medidas de que falamos, só que de uma maneira mais cômoda.
Tem alguma outra dica?
Conta pra gente, nos comentários! 😀

Melhore o rendimento da bateria no laptop Linux, com o TLP

O TLP é uma ferramenta avançada de gestão de energia e seu objetivo é melhorar o rendimento da bateria do seu notebook.
É fácil de instalar e começar a usar — até por que vem com uma configuração padrão, já otimizada para aumentar o rendimento.
Ao mesmo tempo, é altamente personalizável e permite ao usuário criar seus próprios ajustes.
O TLP oferece perfis de configuração separados para quando o laptop estiver conectado à tomada ou usando apenas a bateria. Pode ativar/desativar os dispositivos bluetooth, WiFi e o rádio WWAN, já na inicialização do sistema, de acordo com as suas necessidades.


A possibilidade de desligar recursos de conectividade é ótimo para usuários que usam o equipamento para estudar ou ler material que já se encontram no laptop, em locais que não tem acesso à Internet.

Você tem um Thinkpad? O TLP tem um modo unificado de configuração da carga e de calibragem da bateria para estes notebooks.

Para concluir a apresentação, trata-se de uma ferramenta CLI (de linha de comando) que executa suas tarefas em segundo plano e, até o momento não tem uma interface GUI (gráfica).

O TLP permite escalar os ajustes das CPUs, tanto nas mais antigas como nas mais atuais — com o uso do intel p_state.

Como instalar o TLP

A ferramenta está presente nos repositórios das principais distribuições — eu testei no Debian 9, Fedora 25 e OpenSUSE Tumbleweed.
No Debian e nas distribuições derivadas, use o apt:

sudo apt install tlp

No Fedora e nas distribuições derivadas, use o dnf:
dnf search install tlp

dnf install tlp

No openSUSE, use o zypper:
opensuse zypper search install tlp

zypper install tlp

Isto é o suficiente. Após a instalação, o TLP já começa a fazer seu trabalho.
É importante dizer que vai conflitar com outras ferramentas de gestão de energia que já estejam instaladas no seu sistema — como o cpufrequtils, por exemplo. Portanto, remova-as antes de instalar o TLP.

Configuração e uso do TLP

As configurações padrão irão satisfazer a maioria dos usuários de laptops com Linux.
Captura de tela tlp tools
Você pode invocar as ferramentas (com privilégios administrativos) que fazem parte do pacote TLP:

  • tlp-pcilist — exibe informações relativas aos dispositivos PCI do sistema
  • tlp-stat — exibe o estado (status) do TLP — a configuração, ajustes de gestão de energia do sistema e informações adicionais
  • tlp-usblist — exibe dados dos dispositivos USB

Todas as configurações estão em um único arquivo, situado em /etc/default.
O arquivo é bem organizado e autoexplicativo (em inglês).
Se for alterá-lo, faça backup antes, para pode voltar à configuração padrão sem precisar desinstalar (com o –purge).

Possíveis problemas com o TLP

Lentidão pode ser um dos efeitos colaterais esperados de qualquer sistema de gestão inteligente de energia.
Para melhorar a performance da bateria, o sistema irá sacrificar a do processador. Você não pode ter as duas coisas.
Neste caso, não experimentei nenhuma degradação “acima do aceitável” no desempenho do meu sistema e estou satisfeito com o ganho (por volta de 25% ou quase uma hora) da bateria do meu notebook.
Li relatos de problemas com drives flash SSD e eles podem ser contornados ao comentar as seguintes linhas (veja a figura) no arquivo de configuração /etc/default/tlp:
tlp disk settings
Comente as linhas com um “#”:

# DISK_DEVICES="sda sdb"

# DISK_APM_LEVEL_ON_AC="254 254"
# DISK_APM_LEVEL_ON_BAT="128 128"

Acompanhe o consumo de energia de cada programa no seu sistema com o aplicativo powertop

Cada aplicativo em execução no seu sistema, consome a carga da sua bateria.
Podem ser programas que já são parte do sistema operacional, tais como o Firefox, o LibreOffice etc.
O powertop permite saber qual software está consumindo mais energia no seu sistema.

Além disto, ajuda a fazer ajustes para otimizar o consumo e proporcionar um tempo maior de uso entre uma recarga e outra.

O aplicativo é estável e possui boa parte de sua documentação já traduzida para português, veja:

# para usuários Debian/Ubuntu
apt show powertop

A descrição (resumida) do aplicativo, segue abaixo:

Description: diagnóstico de problemas com gerenciamento e consumo de energia (power)
 PowerTOP é uma ferramenta do Linux para diagnóstico de problemas com
 gerênciamento e consumo de energia. Adicionalmente para ser uma ferramenta
 de diagnóstico, o PowerTOP também tem um modo interativo que você pode usar
 para experimentar com várias configurações de gerênciamento de energia para
 casos onde a distribuição Linux não habilitou estas configurações.
 .
 PowerTOP relata quais componentes no sistema estão mais sujeitos a consumir
 mais energia do que o necessário, variando entre os aplicativos de software
 para componentes ativos no sistema. Telas detalhadas estão disponíveis para
 o 'CPU C' e 'P states', atividade de dispositivos e atividade de software.

No OpenSUSE, resultado semelhante será obtido com o seguinte comando:

zypper show powertop

Como instalar o powertop no Linux

Se você usa o Debian, Ubuntu ou outra distro baseada nestas, use o apt, para instalar o powertop:

sudo apt update
sudo apt install powertop

Usuários do openSUSE, podem usar o zypper:

sudo zypper update
sudo zypper install powertop

É sugerido (opcional) instalar, ainda, o pacote cpufreq, para obter melhores estatísticas e mais capacidade de manuseio do sistema.

Como ajustar o powertop

Após a instalação, recomenda-se reiniciar o computador.
Depois, calibrar as leituras obtidas a partir da bateria, com o seguinte comando:

sudo powertop -c

O procedimento de calibragem leva, aproximadamente, 15 minutos.
O sistema irá desligar a tela algumas vezes e você ficará impedido de fazer qualquer atividade no seu laptop durante todo o processo .
Isto é normal. Pegue um café e espere.
Quando o processo tiver terminado, um relatório em HTML pode ser obtido com o seguinte comando:

sudo powertop --html=desempenho.html

Acima, usei o nome ‘desempenho.html’, mas use o que quiser.
Para abrir o arquivo dentro do seu navegador preferido, basta citar o nome dele:

firefox desempenho.html

powertop linux
As estatísticas do upower podem ser encontradas em ‘/var/lib/upower/’:

sudo ls -lah /var/lib/upower/history-*
-rw-r--r-- 1 root root 29K dez 14 18:09 /var/lib/upower/history-charge-DELL_7P3X953I-43-0948.dat
-rw-r--r-- 1 root root 14K dez 14 18:09 /var/lib/upower/history-rate-DELL_7P3X953I-43-0948.dat
-rw-r--r-- 1 root root 18K dez 14 18:09 /var/lib/upower/history-time-empty-DELL_7P3X953I-43-0948.dat
-rw-r--r-- 1 root root 19K dez 14 18:09 /var/lib/upower/history-time-full-DELL_7P3X953I-43-0948.dat

Se você quiser dar um reset nas estatísticas, remova estes arquivos:

sudo rm /var/lib/upower/*

Alguns fabricantes (System76) recomendam – caso o indicador do ciclo de carga da bateria esteja impreciso – remover as estatísticas (com o comando acima).
Depois deste procedimento, após alguns ciclos completos de cargas/descargas as informações voltarão a ser mais exatas.