Faça projetos e design interior no Linux com o Sweet Home 3D

O Sweet Home 3D é uma aplicação em Java, disponível nas principais distribuições GNU/Linux.
De modo geral, o software permite criar mobília, entre outros objetos, em 3D para organizá-los dentro de um projeto de um imóvel (casa, escritório etc).

Para escrever este texto, experimentei a aplicação no Debian 10 Buster (nesta data, ainda em testing), mas ele está disponível também no Ubuntu e outras distros importantes.

O Sweet Home 3D é um software voltado para arquitetura, design e decoração de interiores

Como baixar e instalar o Sweet Home 3D

Use a interface gráfica da sua distro preferida para abrir o aplicativo de gestão e instalação de programas.
Na imagem, abaixo, é possível ver o app principal, acompanhado do aplicativo de criação e edição de móveis (furniture) e da biblioteca de texturas — que permite que os móveis sejam de madeira, vidro, metais etc.
Sweet home 3D opções de instalação

Se você prefere fazer a instalação via linha de comando, sempre é possível usar o velho e bom apt. O comando, a seguir, mostra todas as opções relacionadas ao programa principal:


sudo apt search sweet home

Sweet home 3D

Para instalar tudo, incluindo a parte non-free da aplicação e das bibliotecas, use o comando abaixo:


sudo apt install sweethome3d sweethome3d-furniture sweethome3d-furniture-editor sweethome3d-furniture-nonfree sweethome3d-textures-editor

Para o Ubuntu, também há as opções de instalação via GUI e pela linha de comando (CLI), via snap:


snap install sweethome3d-homedesign

Faça a sua escolha.

Uso do Sweet Home 3D

Mesmo leigo no assunto (arquitetura, decoração de interiores etc.), achei muito fácil a operação do aplicativo.
Tela do Sweet Home 3D

A interface é clara, limpa e, até onde pude examinar, traduzida para português.

A tela principal é dividida em 4 partes e o uso do software de design de interiores é muito intuitivo.

Os móveis podem ser encontrados no painel superior esquerdo e, de lá, arrastados para o painel à direita.

Na área inferior, são relacionadas as características de cada objeto e é possível visualizar, em 3 dimensões, o resultado parcial do seu trabalho.

Até quem não é profissional da área, pode passar alguns bons momentos organizando sua casa virtual, organizando o seu espaço interior e criando novas possibilidades de decoração.

Imagem de mesa, cadeira, jarro de flores e janela, criada com o Sweet Home 3D

A qualquer momento é possível exportar (ou gravar/salvar) o seu trabalho em PNG ou JPEG para ser enviado a um cliente ou exibido online.

Como saber se o meu Android é 32 ou 64 bit?

Pode ser um pouco difícil descobrir se o kernel GNU/Linux, presente no seu aparelho Android suporta códigos e instruções em 64 bit ou apenas 32 bit.
Mas é possível achar evidências de que estamos usando uma arquitetura ou outra, se você procurar no lugar certo.
Android content of file /proc/cpuinfo
Há alguns arquivos de sistema que podem ser inquiridos ou lidos diretamente para obter estes dados.
De certa forma, tudo funciona mais ou menos como no Linux — 5 maneiras de saber se o sistema é 32 ou 64 bit.
As informações que são mostradas pela interface gráfica do Android (através do menu Configurações, normalmente não são muito elucidativas, neste sentido.
Os métodos que serão expostos, aqui, pedem que você tenha um emulador de terminal instalado no seu aparelho.

Use o comando uname

Se você tiver um aparelho rooteado, pode usar o comando uname, para inquirir o sistema:

uname -a

O resultado, em um Galaxy Tab S 3, foi o seguinte:

Linux localhost 3.4.34-850131 #1 SMP PREEMPT Wed Sep 25 20:39:09 KST 2013 i686 GNU/Linux

Procure, no seu resultado pelas sequências “amd64” ou “x86_64” — que indicam que você está rodando no modo 64 bit.
ARMv8 cpu
O comando uname -a exibe as seguintes informações, respectivamente: nome do núcleo do sistema, nodename, versão do kernel, máquina, processador, plataforma de hardware, sistema operacional.
É importante entender que o uname retorna informações tanto do seu software quanto do seu hardware. Mesmo tendo uma máquina 64 bit, ela pode estar rodando exclusivamente softwares 32 bit — acontece.

Método online

Este método não é perfeito… mas pode funcionar.
Visite o site WhatsMyOS, com o seu smartphone, para obter informações sobre o seu sistema operacional.
Versão do Linux Android
No caso (veja a imagem acima), aparelhos Android 4.1.2 não têm suporte a 64 bit.

Atualmente, as aplicações que se beneficiam de processadores 64 bit, são jogos, leitura de impressões digitais, reconhecimento facial, interação por fala — e a (cada vez mais necessária) criptografia.

Verifique o arquivo /proc/cpuinfo

No terminal do Android, execute o seguinte comando:

cat /proc/cpuinfo

Abaixo, há alguns indicadores da arquitetura presente no aparelho que estou usando como exemplo:

Processor       : ARMv7 Processor rev 1 (v7l)
processor       : 0
BogoMIPS        : 4.80

processor       : 1
BogoMIPS        : 4.80

Features        : swp half thumb fastmult vfp edsp neon vfpv3 tls
CPU implementer : 0x41
CPU architecture: 7
CPU variant     : 0x2
CPU part        : 0xc09
CPU revision    : 1

Hardware        : SAMSUNG GOLDEN
Revision        : 006a
Serial          : 4790096d5994b03c

A arquitetura 64 bit, só foi introduzida na versão 8 dos processadores ARM. O processador do exemplo, é um ARMv7 (32 bit, portanto).


Embora este método seja popular, é preciso estar atento ao usar o /proc/cpuinfo para detectar os recursos (features) em CPUs ARMv8 — uma vez que este arquivo reflete as características do kernel em uso, em vez das da aplicação em execução.
Na arquitetura 64 bit, dos processadores da família ARMv8 a seção Features apresenta os novos recursos “sha1”, “sha2” e “CRC32”:

Features        : fp asimd evtstrm aes pmull sha1 sha2 crc32 half thumb fastmult vfp edsp neon vfpv3 tls vfpv4 idiva idivt vfpd32 lpae

Em arquiteturas Intel ou AMD, 64 bit você vai encontrar, nesta linha, o recurso lm (long mode) — uma evidência clara de que se está usando um sistema 64 bit.
intel-atom-Z2460-medfield

Comandos Linux que ajudam a determinar se o sistema é 32 ou 64 bits

É possível determinar a arquitetura do seu sistema com 2 ou 3 cliques na tela, dependendo da versão do desktop gráfico que você estiver usando.
Neste artigo, vou mostrar como obter esta informação na linha de comando. O motivo disto é que esta informação poderá ser aplicada em qualquer sistema Linux, independente da sua versão ou tipo de ambiente gráfico que estiver sendo usado.

Intel Pentium M 1.4 Ghz Banias Core
Clique para detalhes.

Alguns destes comandos, podem ser aplicados, até mesmo, em um emulador de terminal de um celular ou tablet Android.

Saber extrair informações sobre a arquitetura do sistema é muito útil no momento de instalar ou compilar um novo software que vem empacotado para diversas arquiteturas — 32 bits, arm, 64 bits etc.

Saiba como verificar se o seu dispositivo Android é 32 ou 64 bit.

Como usar o comando uname para saber se o sistema é 32 bits ou 64 bits

A saída do comando UNAME varia intensamente de acordo com a arquitetura e a plataforma de hardware/software usada.
Uma das formas mais eficientes de usar o comando uname é em conjunto com o comando grep.
Se você usar o parâmetro -a, o uname irá exibir todas as informações que tiver sobre a máquina. Veja um exemplo:


uname -a

Linux VoYag3r 3.13.0-32-generic #57-Ubuntu SMP Tue Jul 15 03:51:12 UTC 2014 i686 i686 i686 GNU/Linux

No exemplo, acima, vê-se uma saída típica de uma máquina 32 bits (note a string i686):
Abaixo, segue um exemplo do resultado do comando uname -a, em uma máquina de arquitetura 64 bits.

Linux caddy.stratOS.com 2.6.9-5.0.5.EL #1 SMP Tue Jul 15 03:55:02 UTC 2014 ia64 ia64 ia64 GNU/Linux

A string ia64 — abreviatura para Intel Architecture 64 – indica que o processador é 64 bits.
Você também pode reduzir a quantidade de informações, para obter apenas a arquitetura da máquina, assim:


uname -m

i686

Use o conteúdo do /proc/cpuinfo

Há várias informações úteis sobre a sua CPU, neste arquivo.
Determinar a arquitetura da sua máquina, a partir do /proc/cpuinfo pode exigir um pouco mais de conhecimento.
Use o comando grep para filtrar as informações — neste momento, só interessa o que se encontra no item flags da saída do comando. Veja:


cat /proc/cpuinfo | grep flags

Procure na sua listagem o flag lm — abreviatura para longmode. Este item indica suporte a 64 bits.

cpuinfo informações sobre a arquitetura do pc no linux
Clique para ver detalhes.

Use o comando file para descobrir a arquitetura

Determine o tipo de arquivo do init, assim:


file -e elf /sbin/init | grep -i bit

A primeira linha, do resultado do comando, tende a mostrar se a sua máquina é 32 ou 64 bits.
A figura, abaixo, mostra um exemplo da saída do comando.

Captura de tela da saída do comando file
Clique para ver detalhes.

Use o comando arch

O comando arch retorna a mesma saída de dados e informações que o uname -m.
Esta é, talvez, a maneira mais direta de obter informações sobre a arquitetura do seu sistema. Veja:


arch

ia64

Use o lshw

Este método pode apresentar resultados bem interessantes, mas tem alguns pontos chatos negativos:

  • A grande quantidade de informações, disponibilizada pelo comando lshw, pode levar à desinformação, em vez de te fornecer dados mais precisos
  • Por exibir um fluxo muito grande de informações e inquirir cada peça do seu hardware, o comando é lento
  • Precisa ser executado com privilégios administrativos ou a listagem pode ficar incompleta — uma vez que os usuários comuns não têm acesso às informações e aos recursos de todos os dispositivos do sistema

Ainda assim, eu te encorajo a fazer alguns testes, para ver qual deles lhe retorna resultados mais relevantes.
Para aumentar a velocidade da listagem, direcione o resultado para um arquivo texto, assim:


sudo lshw > lshw.txt

Em seguida filtre as informações do arquivo lshw.txt, com o comando grep. Veja um exemplo:


cat lshw.txt | grep -A 5 "logicalcpu"

 *-logicalcpu:0
             descrição: CPU lógico
             ID físico: 0.1
             largura: 32 bits
             capacidades: logical
*-logicalcpu:1
             descrição: CPU lógico
             ID físico: 0.2
             largura: 32 bits
             capacidades: logical[/plain]

ou assim:


sudo lshw -class processor

*-cpu                   
       product: Intel(R) Core(TM) i5-2537M CPU @ 1.40GHz
       vendor: Intel Corp.
       physical id: 1
       bus info: cpu@0
       size: 1548MHz
       capacity: 2300MHz
       width: 64 bits
       capabilities: fpu fpu_exception wp vme de pse tsc msr pae mce cx8 apic sep mtrr pge mca cmov pat pse36 clflush dts acpi mmx fxsr sse sse2 ss ht tm pbe syscall nx rdtscp x86-64 constant_tsc arch_perfmon pebs bts rep_good nopl xtopology nonstop_tsc aperfmperf eagerfpu pni pclmulqdq dtes64 monitor ds_cpl vmx smx est tm2 ssse3 cx16 xtpr pdcm pcid sse4_1 sse4_2 x2apic popcnt tsc_deadline_timer xsave avx lahf_lm ida arat epb pln pts dtherm tpr_shadow vnmi flexpriority ept vpid xsaveopt cpufreq[/plain]

É preciso ser cuidadoso com a interpretação do comando lshw por que, mesmo em sistemas 32 bits, é possível ter vários componentes 64 bits (e vice-versa), como placas PCI etc.

Use o getconf

A função do getconf é inquirir sobre as variáveis do sistema. Uma destas variáveis é a LONG_BIT, que dá informações precisas sobre a arquitetura do seu sistema.
Observe:


getconf LONG_BIT

64

Conclusão

O objetivo do artigo é, além de apresentar uma solução para um problema comum a muitos usuários, mostrar alguns comandos Linux e como podem ser úteis ao caso.
Espero que você tenha se divertido tanto quanto eu e, se quiser, compartilhe o artigo com seus amigos nas redes sociais.
Se você prefere usar outras formas para detectar a arquitetura do seu sistema, fique à vontade para escrever nos comentários — assim, você pode ser útil a outros leitores.

LEIA MAIS