Envie arquivos para o celular via adb shell

Uma das importantes funções da adb shell é enviar código ou programas compilados, do seu PC para o dispositivo Android.
Com a adb, é possível se conectar ao celular via Wi-Fi, Bluetooth ou, simplesmente, com um cabo USB.

Uma vez estabelecida a conexão, a transferência pode ser feita, na linha de comando como se você estivesse copiando um arquivo qualquer de um diretório para outro.
Para contextualizar, estou usando um laptop com Debian GNU/Linux 9 Stretch conectado ao smartphone Motorola/Lenovo Moto G4 Plus, com Android 7.0 Nougat — conectados via USB.
O procedimento é (ou deve ser) o mesmo em outros sistemas operacionais.
Se tiver dúvidas sobre a instalação da adb shell, leia este post.
Sugiro, ainda, ler outros artigos com dicas de uso da adb shell, se quiser obter mais exemplos de uso da ferramenta.
Se você tiver apenas um dispositivo Android conectado ao PC, pode usar o comando assim:


adb push arquivo-de-origem /sdcard/arquivo-de-destino

Acima, usei a pasta /sdcard, como exemplo. Ela corresponde ao diretório raiz do cartão de memória. Mas você pode usar qualquer outra dentro do dispositivo Android.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Como instalar a adb shell no Linux para se conectar a dispositivos Android

O Android Debug Bridge é uma ferramenta de linha comando que permite a comunicação com o seu dispositivo Android, através de uma instância de emulador.
O utilitário responde pelo apelido abreviado adb e trata-se de um programa cliente-servidor.
Em uma tradução livre, Android Debug Bridge responde por “ponte de depuração Android”.
O adb é um aplicativo voltado para desenvolvedores e tem os seguintes componentes:

  • Um cliente que envia comandos e roda na máquina de desenvolvimento.
    Possibilita executar um programa cliente, a partir da shell do Linux rodando um comando adb.
    Outras ferramentas Android, como o DDMS, também criam clientes adb.
  • Um daemon, que tem a função de rodar comandos dentro do dispositivo Android — usalmente, em background, como processo, em cada emulador ou instância do dispositivo.
  • Um servidor, que gerencia a comunicação entre o cliente e o daemon.
    O servidor roda como um processo em segundo plano na sua máquina de desenvolvimento.

O adb permite conectar ao seu dispositivo Android do seu computador.

Havendo apenas um emulador rodando ou um dispositivo conectado, o comando adb vai se referir apenas a este dispositivo, como padrão.
Já, havendo múltiplos emuladores em execução ou conectados, será necessário usar algumas opções na shell para especificar o alvo dos seus comandos.

Como instalar o adb shell no Linux

como encontrar adb nos repositórios.
Para escrever este post, uso o Debian 9 Stretch. Os comandos dados para a instalação são muito semelhantes à outras distribuições. Portanto, fica fácil adaptar a partir dos meus exemplos.
É importante saber que, do lado do celular, é necessário ativar o modo de depuração USB — para criar uma ponte entre os dispositivos.
Use o apt search, no Debian, no Ubuntu e nas distribuições derivadas, para encontrar o pacote de instalação ou tente apenas instalar direto:


sudo apt install adb

O pacote recomenda a instalação do “android-sdk-platform-tools-common” que contém as regras udev para dispositivos Android. Sem este pacote, você precisará rodar o adb e o fastboot com privilégios administrativos.
Fica a seu critério instalar ou não os pacotes recomendados, claro.
Uma vez instalado, basta conectar o dispositivo Android, via USB, ao seu computador e rodar o adb.
Para sair da shell, use o comando exit.
Clique na tag adb shell para ler outros posts relacionados ao assunto.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Referências

https://developer.android.com/studio/command-line/adb.html.

Ative o menu de opções de desenvolvedor no seu Android

Os dispositivos Android têm um menu “escondido” com opções voltadas para programadores.
Elas abrem possibilidades novas de uso do aparelho — e também podem abrir brechas de segurança, que podem comprometer seriamente o uso do aparelho e de seus dados.
Os procedimentos, descritos neste post, não são voltados para usuários inexperientes.

Como sempre, se não sabe o que está fazendo, então não faça.
Se é usuário iniciante do Android, o menu do desenvolvedor não tem nada que possa te interessar.
brincar com outra coisa.

Para ativar o recurso, abra o painel de configurações (ou config) do seu dispositivo Android e siga o passo a passo:

  1. Role a tela e encontre o item Sobre o telefone ou Sobre o dispositivo
  2. Role até o fim do menu até chegar ao item Versão do kernel ou Número de compilação
  3. Toque 7 vezes sobre este item, até aparecer a mensagem de aviso “O modo de desenvolvedor foi ativado”

Fique atento às diferenças nas nomenclaturas que pode haver entre aparelhos de marcas e modelos diferentes.
modo desenvolvedor android
Aparelhos da Motorola/Lenovo usam o termo “versão do kernel” para o mesmo item que se chama “número de compilação” em aparelhos Samsung.
Trata-se da mesma coisa.
modo desenvolvedor android
Após a ativação, volte ao menu anterior e veja que o item “Opções do desenvolvedor” foi ativado.
Quer saber quais são as possibilidades do aparelho, a partir de agora?
Então clique na tag Android desenvolvedor ou use recurso de pesquisa do site.
Conheça estas opções do painel do desenvolvedor que alteram o desempenho ou o visual do seu sistema.