Monitoramento de atividades físicas via GPS

O RunKeeper e o Runtastic são dois dos aplicativos mais populares para acompanhar as atividades de corredores. Servem para caminhadas, corridas, natação, ciclismo entre dezenas de outras modalidades esportivas.
Os aplicativos podem ter seus relatórios complementados com informações vindas de monitores cardíacos, o que lhes acrescenta uma quantidade muito maior de informações.
Primeiros Passos RunKeeper
Aqui, vou mostrar um apanhado de outros artigos que pode ser úteis para quem busca informações sobre o RunKeeper.

Os primeiros passos do RunKeeper

Primeiros passos com o RunKeeper — veja como se iniciar no RunKeeper e se familiarizar com a terminologia e os componentes das telas do aplicativo.

Conheça o Runtastic

Não sou mais usuário do Runtastic — (Nada contra! É um excelente aplicativo, ok?) 😉 —. Neste artigo, condensei uma série de dicas e primeiras impressões sobre o app. Confira aqui!

Dicas de configuração do RunKeeper

Configurações iniciais no RunKeeper — conheça as principais opções de configuração do aplicativo.

Como resolver problemas comuns de compartilhamento de atividades no RunKeeper

Como resolver problemas de compartilhamento — Algumas vezes, o compartilhamento nas redes sociais não funciona. Veja por que isto acontece e o que você pode fazer para evitar problemas deste tipo.

Resolva problemas com o GPS

Por que os problemas ocorrem e como resolver — Alguns usuários relatam dificuldades para ter as suas atividades acompanhadas via GPS. Vou mostrar por que os problemas podem ocorrer e como resolver.

Como personalizar o treino

Veja como personalizar as rotinas de treinamento no RunKeeper — obtenha melhores resultados e treine com mais eficiência. — com vídeo.

Como compartilhar suas atividades físicas no Facebook

Mostrar o seu progresso e permitir que alguns amigos te acompanhem pode ajudar a manter o foco nos seus objetivos. Saiba como compartilhar as suas atividades físicas, pelo RunKeeper, no Facebook.

Como criar rotinas de exercícios com o RunKeeper

O RunKeeper é um dos aplicativos (pra correr) de monitoramento de atividades mais completos, mesmo na versão básica (gratuita). Além de contar com uma “mini rede social” entre seus clientes, tem uma série de planos de treinamento, com rotinas de exercícios, que ajudam o atleta iniciante a alcançar seus objetivos de maneira mais eficiente.
Além de poder contar com os planos preexistentes, é possível montar o seu próprio ou, mais simplificadamente, a sua própria série de exercícios.

ADVERTÊNCIA

Eu não sou profissional de educação física. Este texto tem o objetivo de ensinar a usar uma ferramenta.
Não faça besteiras, portanto – cuide do seu corpo, evite contusões e outros problemas. Faça exercícios físicos sempre sob a supervisão de um profissional com formação adequada.

Como sempre, clique nas imagens para obter maiores informações e veja o vídeo explicativo no final – ele ajuda a explicar melhor o artigo.

Mais sobre o RunKeeper

As séries de treinamento padrão

RunKeeper ativar GPSNa tela principal do aplicativo, é possível fazer diversas seleções antes de iniciar a atividade.
Usar uma das diferentes rotinas de exercícios é como ter à disposição um treinador que vai ditando as séries pra você:
– “Agora, 2 minutos caminhando!”
– “1 km de corrida, agora!”
Em ruas muito movimentadas (e dependendo do pavimento) pode ser difícil ouvir os avisos sonoros – por isto o uso de fones de ouvido é recomendado.
Para chegar ao módulo de criação ou seleção de rotinas de treinamento, toque na opção rotina de exercícios (observe a figura do lado), em seguida, toque em exercícios personalizados, na parte superior da tela.
A tela dos Exercícios Personalizados vem dividida em duas partes:

  • Uma que permite selecionar séries já prontas
  • e outra que permite personalizar rotinas de exercícios através da criação de novas rotinas de exercícios

RunKeeper Rotinas de exercíciosAlgumas destas opções são voltadas para treinos mais leves, outras para treinos mais puxados. São elaboradas por profissionais educadores físicos e corredores profissionais contratados da própria empresa. É seguro fazer uso destas rotinas prontas de exercícios.
O problema, aqui, é que estas rotinas de exercício padrão usam um sistema métrico ultrapassado (a insistência dos norte-americanos em usar milhas é um coisa chata… ). 😉
No próximo tópico, vou mostrar como alterar ou excluir as rotinas.

Veja como alterar as rotinas de exercícios no RunKeeper

Alterar rotinas de exercícios no RunKeeperO RunKeeper permite alterar todas as suas rotinas de exercícios.
Há um botão grande e verde, no topo que que permite selecionar rotina de exercícios e, se quiser, começar a praticar.
Se você quiser alterar esta rotina, deve rolar a tela para baixo, até o rodapé e selecionar o pequeno botão azul Editar rotina de exercícios.
Na nova tela é possível alterar:

  • o nome da rotina de exercícios;
  • cada uma de suas séries (elas podem ser excluídas, uma a uma, também);
  • é possível adicionar uma nova série – ou intervalo;
  • alterar a quantidade de vezes em que toda a rotina irá se repetir;
  • criar um intervalo para aquecimento e/ou outro para desacelerar – um tempo para reduzir gradativamente seu ritmo, antes de cessar a atividade.

RunKeeper Alterar intervalos de exercíciosNa tela Editar intervalo é possível alterar:

  1. Alterar o ritmo de intervalo
    • devagar;
    • estável;
    • ou rápido
  2. Tipo de intervalo
    • Distância
    • Tempo
  3. O tamanho do intervalo (em minutos ou em distância)

RunKeeper personalizar treinamentoNa parte inferior da tela, você pode escolher a quantidade de repetições.
Em seguida, pode adicionar um tempo, em minutos, para aquecimento antes de começar a rotina de exercícios e outro tempo, ao final, para reduzir gradativamente o seu ritmo.
Ao finalizar, grave as alterações ou as exclua. O botão cancelar volta à tela principal “como se nada tivesse acontecido”.
Desta maneira, você pode ter séries diferenciadas pra cada dia da semana, se quiser.

Vídeo tutorial

Incluí um vídeo que ajuda a entender melhor o processo.

Conclusão

A possibilidade de usar rotinas de exercícios prontas, elaboradas por pessoal qualificado é um atrativo no RunKeeper.
Alterar ou criar várias rotinas de exercícios próprias, personalizadas para as suas necessidades é muito bom. As rotinas, para iniciante, presentes no RunKeeper podem não satisfazer suas necessidades por muito tempo – sem falar nas unidades de medida que acho “mandatório” alterar no aplicativo para unidades “decentes”.
Sem querer ser repetitivo ( e já sendo! ), embora você possa fazer tudo isto sozinho, recomendo consultar um profissional educador físico, para obter o melhor rendimento nas suas atividades e evitar lesões.
Bom treino!

Runtastic, passo a passo

O Runtastic é um software de monitoramento de atividades físicas, que contempla mais de 50 tipos de esportes, na sua versão básica. Vou mostrar como começar a brincadeira com ele, hoje mesmo, se quiser.
Eu já escrevi anteriormente sobre o RunKeeper, um aplicativo da mesma categoria e tão bom quanto este.
Runtastic corrida GPS com músicaAmbos permitem monitoramento de suas atividades físicas tanto indoor quanto ao ar livre – onde você pode contar com o GPS do seu dispositivo para traçar com o satélite o seu percurso.
Se você tiver problemas com o GPS, sugiro a leitura deste artigo – onde relato alguns procedimentos que podem ajudar a ter um desempenho melhor do rádio do seu aparelho.
Veja, a seguir, como começar a usar o app e clique nas imagens para ver mais detalhes.

Conectar

Runtastic login google facebookUm dos objetivos das pessoas que usam o runtastic é postar nas redes sociais o seu desempenho nas atividades físicas – mas isto não é obrigatório. Ao final das atividades, você terá a opção de fazer isto ou não.
Atualmente, você tem 4 opções para entrar no Runtastic, como você pode ver na figura à direita:

  • Google Plus;
  • Facebook;
  • Pelo Runtastic – se você tiver uma conta no Runtastic (é fácil criar uma no site), você pode usar estes dados para entrar. Eu recomendo esta opção – principalmente se você não tiver interesse algum em postar suas atividades nas redes sociais (você pode mudar isto depois);
  • “Lembre-me mais tarde” – pode ser usado para quem tem pressa em começar a usar logo o aplicativo. É uma péssima ideia, por que as suas atividades não serão enviadas pros servidores do Runtastic e, portanto, não irão compor o seu histórico. Evite isto.

runtastic screenshot informações pessoaisDependendo da sua opção, uma tela poderá aparecer pedindo algumas informações a mais sobre você. Forneça-as para seguir em frente.
Informações sobre a sua altura e seu peso, permitirão compor a equação para calcular a quantidade de calorias dispendidas a cada atividade.
Ao alterar, periodicamente as informações sobre o seu peso, você constitui uma base de dados sobre o seu desempenho. Este histórico pode ser acessado no site do Runtastic.

Dando início ao treinamento

Uma vez dentro do app, a tela principal permite já começar a monitorar as suas atividades.
Runtastic screenshot tela inicial No canto superior à esquerda, há um botão que dá pro menu de configurações genéricas. À esquerda, o botão com uma nota musical, permite selecionar a trilha sonora da sua atividade.
Na parte central da tela do aplicativo estão 3 botões importantes:

  • botão de seleção de atividade – corrida, caminhada, ciclismo etc. São mais de 50 atividades possíveis;
  • O verde e grande, para iniciar a atividade física;
  • o terceiro botão permite selecionar o tipo de treinamento – Quem vai fazer atividade indoor, sem o uso do GPS (esteira, por exemplo) deve selecionar, aqui, a opção “entrada manual” e fornecer os dados referentes ao treino.

Abaixo dos botões, há um mapa que irá acompanhar o seu deslocamento.

Durante o treinamento

Após o início da atividade, os botões centrais mudam, para evitar pressionamento acidental. A qualquer momento, contudo, você pode pausar o monitoramento, para atender a uma ligação, amarrar o tênis o jogar conversa fora (no meio do treino?! 😮 ).

finalizando e compartilhando a atividade

Runtastic screenshot resumo da atividadeAo finalizar o seu treino, toque no botão parar.
O aplicativo irá iniciar um sumário “oral”. O idioma deste sumário depende de suas configurações.
Enquanto o sumário é dado,

  • informe como você se sentiu, selecionando um dos 5 emoticons disponíveis;
  • o tipo de caminho sobre o qual você caminhou, correu;
  • o clima;

Clique em Concluir, no canto superior direito, quando terminar de informar os dados nesta tela.
Aguarde o upload pros servidores do Runtastic.

Compartilhamento

Runtastic compartilhar facebook google twitterEu tenho certeza de que muita gente ama esta parte. Como eu disse, lá no começo, ela é opcional. Quem não deseja divulgar informações sobre o seu treino, não precisa fazê-lo.
Na primeira vez, você vai precisar se logar e autorizar o aplicativo dentro da rede social correspondente a postar em seu nome as suas atividades físicas.

Bom treino!

Como inserir dados no MySQL

O comando INSERT INTO é usado para inserir dados em uma tabela – e você pode fazer uso dele tanto na linha de comando do MySQL, quanto dentro de um script PHP.

Saiba Mais:

Veja como criar um banco de dados no MySQL
como criar uma tabela no MySQL

Sintaxe

Simplificando, para inserir dados na sua tabela, o comando é usado assim:

INSERT INTO nome_da_tabela (campo1, campo2, ... )
  VALUES (valor1, valor2, ... );

Usando a linha de comando do MySQL

Vamos tomar como exemplo a primeira tabela criada aqui:

CREATE TEMPORARY TABLE IF NOT EXISTS contatos (
nome VARCHAR(50) NOT NULL,
telefone VARCHAR(25) NOT NULL
)ENGINE=CSV;

Veja, abaixo, o procedimento para inserir dados na tabela:

INSERT INTO contatos (nome, telefone) VALUES ("Jose Santos", "572593478832");

Se quiser, insira mais alguns registros, com valores diferentes, para praticar.

Como criar um script PHP para inserir dados numa tabela

Basicamente, você vai usar o mesmo comando, só que dentro do script.
A melhor maneira de explicar como inserir dados desta forma é através de um exemplo prático. Veja como fazer:

<html><html>
<head>
<title>Como criar tabelas com PHP</title>
</head>
<body>
<?php
/* substitua as variáveis abaixo pelas que se adequam ao seu caso */
$dbhost = 'localhost:3036'; // endereco do servidor de banco de dados
$dbuser = 'root'; // login do banco de dados
$dbpass = 'cachorro'; // senha
$dbname = 'primeiro'; // nome do banco de dados a ser usado
$conecta = mysql_connect($dbhost, $dbuser, $dbpass, $dbname);
$seleciona = mysql_select_db($dbname);
$nome = "Justo Verissimo";
$telefone = "88888888";
$sqlinsert = "INSERT INTO contatos (nome, telefone) VALUES ('$nome', '$telefone')";
$inserenome = mysql_query( $sqlinsert, $conecta );
// inicia a conexao ao servidor de banco de dados
if(! $conecta )
{
  die("<br />Nao foi possivel conectar: " . mysql_error());
}
echo "<br />Conexao realizada!";

// seleciona o banco de dados no qual a tabela vai ser criada
if (! $seleciona)
{
  die("<br />Nao foi possivel selecionar o banco de dados $dbname");
}
echo "<br />selecionado o banco de dados $dbname";

// finalmente, cria a tabela 
if(! $inserenome )
{
  die("<br />Nao foi possivel inserir registro: " . mysql_error());
}
echo "<br />Um novo registro foi feito!";
// encerra a conexão
mysql_close($conecta);
?>
</body>
</html>

O exemplo acima, insere na tabela contatos sempre os mesmos valores (definidos nas linhas 11 e 12, a cada vez que a página
for recarregada.
Se tudo der certo, o resultado, no seu navegador será parecido com o da figura abaixo:
MySQL Tutorial - Script PHP para inserir dados no MySQL
Você pode ver os registros inseridos ao rodar o comando abaixo no cliente MySQL:

mysql> SELECT * FROM contatos;
+-----------------+----------+
| nome            | telefone |
+-----------------+----------+
| Justo Verissimo | 88888888 |
| Justo Verissimo | 88888888 |
| Justo Verissimo | 88888888 |
+-----------------+----------+
11 rows in set (0.06 sec)

Isto serve para mostrar que o script funcionou. O ideal é que ele tenha um formulário para inserir os dados – tarefa que renderia um outro post.

O melhor editor PHP

Cada programador tem o seu “melhor editor”. É comum ter uma lista de favoritos – e é mais comum, ainda, que cada editor tenha o seu ponto forte, o que nos leva a usar mais de um frequentemente. Aqui, vou falar do que ocupa o topo da minha lista.
De todos os que já experimentei e ainda uso, meu favorito é o Komodo Edit, da ActiveState.
É gratuito e faz parte de uma IDE (Integrated Development Environment – Ambiente de Desenvolvimento Integrado), a Komodo IDE.

Komodo IDE

O video abaixo mostra como trocar o tema do Ambiente de desenvolvimento. Trata-se de um produto “redondo”, maduro e muito bem acabado e, para quem usa o Ubuntu como ambiente de desenvolvimento, saiba que a interface do Komodo se integra lindamente à do seu sistema.

Uma IDE, como o nome diz, oferece muito mais do que apenas um editor de textos para escrever código. Entre seus recursos, eu destaco os seguintes:

  • a capacidade de editar código colaborativamente, em equipe;
  • ferramentas diversas e integradas para testar código (debugging), explorar bancos de dados, CVS, Git etc.;
  • customização de vários recursos através de instalação de plug-ins;
  • ela é cross-platform, ou seja, roda em Windows, Mac, Linux (32 e 64 bits).

Todo o ambiente de desenvolvimento, com todas as suas ferramentas, que incluem o editor de códigos, pode ser testado gratuitamente por 21 dias. Transcorrido este prazo, ele tem várias faixas de preços voltadas a diversos segmentos.

Mas o editor é gratuito

… e é um excelente editor!
Com suporte a uma vasta gama de linguagens de programação (Python, PHP, Ruby, Perl, HTML, CSS, C, JavaScript etc), oferece coisas básicas (vitais!), como:

  • syntax highlighting – ou seja ele destaca as palavras chave no código de acordo com a sintaxe de cada linguagem;
  • split view – divisão da tela para comparar/copiar trechos de código;
  • verificação do código;
  • possibilidade de usar os mesmos atalhos de teclado que você já usava no vi/emacs;
  • complementação de código – ele completa os nomes das suas variáveis, de suas funções, fecha parênteses e indica onde falta fechar, reconhece as diferentes linguagens – mesmo que você esteja embutindo um código em outro.

A lista é grande. Eu gostaria de destacar que, além da escolha de temas, há a possibilidade de selecionar entre 15 esquemas de cores que é um recurso interessante, ao menos pra mim. Gosto de usar esquemas de cores claros quando trabalho durante o dia e escuros à noite.

Como instalar o Komodo Edit

Embora feita em modo texto (no Ubuntu), ela é muito simples e rápida:

  • Faça o download do pacote tar.gz, descomprima-o em algum diretório temporariamente.
  • entre no diretório em que ele foi instalado:
    cd Komodo-Edit-8.x.x-xxxx-linux-x86/
  • Agora, execute o arquivo install.sh:
    ./install.sh
  • O sistema irá pedir para você informar o diretório em que deseja instalar:Komodo Edit - Instalar Editor de Código
  • Você pode dar Enter, para seguir em frente com a opção padrão

  • O próximo passo é adicionar algumas variáveis de sistema, que permitirão executar o Komodo direto da linha de comando. O sistema oferece duas opções, como você pode ver na imagem abaixo:
    Screenshot komodo editor PHP
    No seu terminal, você pode simplesmente copiar e colar uma das opções:

    • export PATH…” — para criar uma variável de sistema, carregada no seu login e que fica armazenada no arquivo ~/.bashrc
    • ou

    • ln -s…”, que cria uma atalho pro executável do Komodo (você pode precisar de privilégios administrativos para usar esta opção).

    Feito isto, o Komodo Editor já pode ser acessado no seu menu de aplicativos normal. Ou via Dash, no Ubuntu.
    Experimente!

    POSTS RELACIONADOS

    Screenshots

    Nenhuma análise de software estaria completa sem algumas “fotos”, não é?

    integração com Ubuntu

    Todas as versões do Komodo Editor se integram ao ambiente do sistema operacional do usuário. Quem usa Ubuntu vai ter uma grata surpresa.
    Komodo editor PHP
    Inserido no contexto das melhorias visuais, há vários temas de fontes e cores pros caracteres no seu código.
    Editor PHP Komodo configuração de ambiente de edição
    A máquina da qual as screenshots foram tiradas, usa o Xubuntu, que usa o XFCE, como gerenciador de janelas e não possui, portanto, toda aquela integração com o ambiente gráfico que se aplica a quem roda o Ubuntu “puro”.
    komodo editor screenshot