Como melhorar o desempenho do Ubuntu

Vou mostrar aqui uma série de dicas (algumas bem simples) e truques que vão resultar em uma performance significativamente melhor do seu sistema.
Se quiser, você pode aplicar apenas as que você julgar convenientes — todas foram testadas e eu não tive qualquer problema com seu uso.
O conjunto aplicado destas técnicas, contudo, é que trará os melhores resultados.
Ubuntu logo orange

Outras soluções

As dicas foram testadas no Ubuntu 14.04 LTS Trusty Tahr — mas quem tem menos de 3 Gb de memória RAM, no equipamento, pode obter melhor performance, aplicando-as em um dos spins do Ubuntu, que fazem uso menos intenso do hardware — neste caso, eu sugiro o Xubuntu 14.04 LTS e o Ubuntu 12.04 LTS. Nestas distros, os resultados podem ser bem melhores.

Embora as técnicas tenham sido testadas apenas no Ubuntu 14.04 LTS Trusty Tahr, valem para outras distro também. Em alguns casos, será necessário fazer algumas adaptações para torná-las aplicáveis a distros diferentes.


A melhor forma de solucionar problemas de performance no sistema é adquirir e instalar mais memória RAM, fazer um upgrade do processador, instalar um HD mais rápido etc.
Há inúmeros casos em que um upgrade de hardware não é possível. Se você se encontra em um destes casos, este artigo foi escrito para ajudar você a tirar o máximo da sua máquina.

Desligue os efeitos visuais

Os efeitos visuais são conhecidos devoradores de recursos. Até a versão 13.10, eles podem ser desligados com uma simples linha de comando em um arquivo de configuração. Leia mais…

Acelere a sua CPU, quando você mais precisar dela

Instale o widget de controle da frequência do clock da sua CPU — controle também a temperatura do processador e o consumo de energia do sistema. Leia mais…

Reduza o uso do SWAP no seu sistema

A memória virtual ou SWAP é um recurso fantástico, que permite rodar mais aplicativos e lidar com arquivos muito maiores.
O Ubuntu abusa deste recurso e você pode por um limite nisto, para melhorar a performance do seu sistema. Leia mais…

Como melhorar o desempenho do Ubuntu, removendo o apt-xapian-index

Se, por um lado, a aplicação apt-xapian-index ajuda a acelerar algumas operações no seu sistema, em computadores mais lentos, pode ser mais interessante remover este recurso. Leia mais…

Aumente a velocidade do Wi-Fi

Este procedimento, desliga o gerenciamento de energia do chipset wireless e consegue trazer uma melhora no desempenho da sua conexão. Leia mais…

Ative o zRam

O zRam é um módulo do kernel e que já vem instalado na maioria das distribuições Linux atuais.
Veja como ativar este recurso, que otimiza o uso do SWAP e da memória RAM. Leia mais…

Conheça os aplicativos de sessão que podem ser desativados

É muito difícil decidir quais aplicativos de sessão (início automático) podem ser desativados com segurança e que vão realmente trazer alguma melhora significativa no desempenho do sistema. Este artigo, tenta resolver este questionamento. Leia mais…

Agilize a instalação de novos programas

Com o apt-fast, é possível fazer o download e a instalação de seus programas até 4 vezes mais rápido, como se você estivesse baixando tudo via torrent. Leia mais…

Aumente o cache do cliente torrent

Esta tática não é usada para aumentar o desempenho do sistema. Neste caso, aumentar o uso do cache vai ajudar a preservar a vida útil do seu disco rígido. Leia mais…

Torne o LibreOffice mais ágil

Se você usa bastante o LibreOffice, pode ser interessante aplicar uma destas dicas ou as duas.

  • Como carregar o LibreOffice mais rápido — veja como instalar o ícone de abertura rápida do LibreOffice, na barra de status do sistema. Este atalho pode tornar o carregamento do LibreOffice mais rápido para quem usa bastante edição de textos, planilhas, apresentações etc.
  • Desative o Java do LibreOffice — nem todo mundo precisa do Java ativado no LibreOffice, ocupando espaço.
    É possível tornar o aplicativo mais ágil, desativando este recurso.

Melhore o desempenho do Firefox com estas dicas

  • Ao ativar o cache HTTP, você pode melhorar a eficiência do Firefox para armazenar páginas da Internet. Leia mais…
  • Neste artigo eu reuni 5 dicas, de fácil aplicabilidade, para melhorar o desempenho do Firefox. Elas podem complementar a dica anterior sobre o cache http. Leia mais…

Como controlar a temperatura e a freqüência do processador no Ubuntu

Com o cpufreq, você regula a frequência do clock da CPU, controla o consumo da bateria e a temperatura do processador. Tudo isto, em um só aplicativo.
O programa não se propõe a fazer mágica — para atingir um objetivo, alguns sacrifícios terão que ser feitos, como irei mostrar no decorrer do texto.

Instale o cpufreq

Abra um terminal (Ctrl + Alt + T) e rode o seguinte comando:

sudo apt-get install cpufrequtils indicator-cpufreq

controlar a frequencia da CPU - ubuntuCom o comando acima, estamos instalando o utilitário cpufreq, o cpufreqd (é um daemon) e os indicadores, que vão ficar na barra superior da sua interface gráfica, de onde você poderá clicar e selecionar o modo de operação do processador.
Normalmente, após a instalação, não é necessário fazer nada. Contudo, se o novo indicador não aparecer, você pode carregá-lo manualmente, com o seguinte comando:

indicator-cpufreq &

Como reduzir a temperatura do processador

Em princípio, quanto mais alta a frequência, mais calor será produzido pela CPU. Portanto, para reduzir a quantidade de calor, basta reduzir a frequência da sua CPU. Se você usar o governor “moderado” ou “economia de energia”, também vai atingir este objetivo.

Como reduzir o consumo da bateria no notebook

Clique no ícone do indicator-cpufreq, na barra de status. O modo de economia de energia é o indicado para atingir este objetivo.
Se preferir, você pode apenas reduzir a frequência do clock da CPU — ao reduzir a frequência, o consumo de energia cai junto.
Se, por outro lado, você usar o maior clock disponível ou optar pelo governor de “desempenho”, prepare-se para ver a bateria ser drenada pelo processador — o que pode não ser um problema se você estiver com o notebook ou o desktop ligados à tomada.

Use os governors

Os governors são aquelas 4 últimas opções do menu do indicador:

  • Moderado — é um modo de uso conservador do processador. Ele ajusta gradualmente a frequência, de acordo com as necessidades do sistema. Ele tem a tendência a manter o processador em velocidades baixas e a subir devagar. Eu o indico para quem deseja economizar energia.
  • Sob demanda — tal como o anterior, ajusta a frequência do processador de acordo com as necessidades do sistema, só que ele é menos suave e demora menos nas escalas — e vai um pouco mais rápido aos valores mais altos.
  • Economia de energia — mantém a frequência da CPU nos valores mais baixos possível. Alguns administradores advertem (eu concordo) que, ao forçar o sistema a fazer o máximo dentro dos limites mais restritivos da CPU, você vai acabar aumentando o consumo de energia.
    Portanto, deve ser usado apenas quando você tiver certeza de que não haverá picos de demanda.
    Contudo, é a melhor opção para quem deseja manter a temperatura do processador baixa.
  • Desempenho — Responde agressivamente a qualquer demanda, elevando o clock do processador ao seu nível máximo. Ele é péssimo para quem está com problemas de superaquecimento ou dependendo exclusivamente da bateria.

LEIA MAIS!

Isto posto, use preferencialmente os governors, quando quiser deixar o próprio sistema determinar a frequência de clock mais adequada para realizar suas tarefas — isto é mais eficiente que determinar um clock de trabalho fixo pra sua CPU.

Como atualizar o Ubuntu manualmente

O comportamento padrão do sistema operacional detectar a necessidade de ser atualizado automaticamente.
Contudo, suas configurações permitem mudar a constância ou a periodicidade da busca por atualizações no seu sistema.
Se, por algum motivo qualquer, você precisa verificar se há necessidade de atualizar o seu sistema, usar a linha de comando é a forma mais eficiente de realizar este procedimento — e tudo pode ser feito em apenas 2 passos.

Como sincronizar o sistema com os repositórios

O primeiro passo, é sincronizar o seu sistema com os repositórios (definidos dentro do arquivo /etc/apt/sources.list).
Isto é feito com o seguinte comando:

sudo apt update

Aguarde o término da execução e siga para o próximo passo.

Ubuntu - atualização - sudo apt-get update
Clique para ampliar.

Como atualizar o sistema

Finalmente, concluído o processo anterior, já se pode atualizar o sistema:

sudo apt full-upgrade

Ao contrário do que o nome pode sugerir, este comando não faz um upgrade da distro atual para outra mais nova. Ele apenas instala as atualizações disponíveis pros pacotes de software, já presentes, na sua atual versão do Ubuntu.
Só para citar um exemplo, caso você tenha o Ubuntu 14.04 instalado, o parâmetro upgrade não vai instalar a versão 14.10 no seu computador — mas apenas as atualizações disponíveis para a versão que você está usando.
Ubuntu - sudo apt-get upgrade

Como fazer upgrade de uma versão do Ubuntu para outra

Se você chegou até este ponto, com ambições maiores, de fazer uma atualização completa de todo o sistema para uma versão mais nova do Ubuntu, deixa eu te dizer uma coisa: não faça isto!
A maneira eficiente e segura de atualizar o Ubuntu requer a formatação do seu disco rígido e, só depois, instalar tudo — do zero.
E, quando eu falo em formatação do disco rígido, me refiro também à partição /home, caso você a tenha. Faça um backup de tudo e, em seguida, formate — ao proceder assim, você terá a oportunidade de instalar um sistema de arquivos atualizado e mais eficiente.
Contudo, se você sabe o que está fazendo e deseja continuar, os comandos para fazer uma atualização de versão são os seguintes:

sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade

Se houver uma nova distro disponível para instalação, este comando irá fazer a transição. caso contrário, ele fará apenas uma atualização simples — igual a que ocorre com a execução do comando full-upgrade.

Divirta-se! 😉

A importância de manter o sistema operacional atualizado

Embora as imagens sejam do Ubuntu, 99% das recomendações deste artigo valem para qualquer sistema operacional ou pedaço de software que você tenha instalado em seu sistema.
Quem instalou uma versão nova do Ubuntu, deve ter atenção especial às atualizações, nos primeiros meses.
Todo software novo, vem com bugs, que precisam ser corrigidos.
Mesmo sendo uma versão LTS (suporte estendido), quanto mais recente foi o lançamento, mais propenso a conter erros ele estará (a gente se sente “o” mestre Yoda, ao falar assim…) 😉
Algumas atualizações, não chegam a 100Kb — ou seja, não faz sentido algum deixar para amanhã, depois ou “daqui a pouco”. Nos primeiros meses, após o lançamento do sistema operacional, as atualizações são sempre tarefas prioritárias.

Atualizações do Ubuntu 14.04 LTS Trusty Tahr
Clique para ampliar.

O que fazer durante a atualização do Ubuntu?

Você não precisa interromper o que está fazendo para executar uma atualização. Se preferir, pode minimizar a janela indicadora de progresso da atualização e esquecer o assunto. O sistema avisará quando terminar a tarefa.
Opcionalmente, durante o processo de atualização, você pode acompanhar o que está ocorrendo, clicando em Detalhes, dentro da janela indicadora.

Precisa reiniciar o sistema, após a atualização?

Sistema atualizado no Ubuntu
Clique para ampliar.

Normalmente, não.
Eventualmente, contudo, pode haver a necessidade de reiniciar o seu sistema. Neste caso, o aviso de conclusão vai exibir, em letras vermelhas, a recomendação para que você reinicie o seu sistema.
Um outro sinal de que o Ubuntu precisa ser reiniciado, é quando o botão do menu do sistema — aquele que fica no canto superior esquerdo da tela — fica vermelho.

OUTROS ARTIGOS SOBRE UBUNTU:

LibreOffice: como iniciar mais rápido

Se você é uma das pessoas que sentem que o LibreOffice demora muito para abrir no seu sistema, este artigo vai te ajudar a melhorar este aspecto no desempenho do aplicativo.
LibreOffice mais rápidoUm #geek de verdade evita incentivar o consumismo ou compras desnecessárias. Afinal, o sentido de ser um geek ou um nerd é justamente a disposição de aproveitar ao máximo o recurso que você tem em mãos.
Contudo, se você está sentindo o seu sistema, como um todo, mais lento, talvez precise, mesmo, fazer algum upgrade no hardware, que pode começar com um aumento na quantidade de memória RAM.
Isto posto, vamos ver o que dá pra fazer com o que temos aqui.

Instale o LibreOffice na bandeja do sistema

Esta solução, em si, já consome uma quantidade de memória RAM — portanto, ela é voltada para quem usa muito o LibreOffice.

DICA

Se você usa pouco este aplicativo, não recomendo seguir os procedimentos descritos a seguir. É melhor conviver com uma eventual lentidão para carregar o LibreOffice do que manter uma série de coisas pré-carregadas na memória do sistema, que raramente são usadas.
Aconselho fechar todos os aplicativos desnecessários, antes de abrir o LibreOffice.
Se você precisa trabalhar com o navegador aberto, pelo menos, feche todas as abas e janelas que puder. Deixe aberto apenas o estritamente necessário — assim, o LibreOffice terá mais espaço na memória e tempo do processador para trabalhar.

Se você decidiu seguir em frente, abra o LibreOffice e clique em Ferramentas. Depois, selecione Opções (costuma ser o último item do menu Ferramentas).

LibreOffice - Menu Ferramentas
Clique para ampliar.

No painel de opções, selecione, à esquerda, a sessão Memória, para abrir um painel de opções secundário.
Este contém uma série de ferramentas de configuração do uso da memória no LibreOffice. Entre as principais, eu destaco a que define a quantidade máxima de ações a desfazer (o Ctrl + z, em outras palavras) e a quantidade de memória que deve ser reservada pelo sistema para uso do aplicativo.
LibreOffice - painel de configurações de uso da memória
Clique para ampliar.

Clique, para marcar a opção Ativar o iniciador rápido da bandeja do sistema e, em seguida, pode sair do painel.
O ícone do LibreOffice já estará presente na bandeja do sistema — a partir do qual, você pode abrir mais rápido um novo documento ou um arquivo já existente.