Como resumir seus posts na página inicial do blog no WordPress

Há várias vantagens em resumir o texto dos posts na página principal do seu blog. Ambas estão relacionadas ao conforto dos seus leitores. A redução do tempo para a página carregar é uma delas.
Ao resumir todos os posts da sua página inicial, removendo inclusive a maior parte das imagens, a tendência é que você tenha uma redução drástica no tempo de carregamento do conteúdo. O que o leitor verá, dependerá de algumas configurações do seu tema. Alguns permitem, que você digite um resumo apropriado, na mesma tela em que escreve o seu post. Outros farão um resumo automático, usando as primeiras linhas do seu post.
A praticidade com que o seu leitor poderá percorrer a sua página e escolher o que lhe interessa ler aumenta consideravelmente.
Um programador, com alguma experiência em PHP, não deve encontrar muita dificuldade em realizar esta tarefa, que envolve “enfiar as fuças” no código.
Ainda assim, vou tentar explicar como fazer para quem não entende PHP ou HTML e nem tem interesse em entender — quer apenas resolver o problema o mais rápido possível. Óbvio que pedir para alguém um pouco mais experiente fazer isto também é uma opção.

Como fazer

Como se trata de uma tarefa administrativa, você vai precisa se logar à sua conta no blog do WordPress como administrador. Feito isto, vá até a seção Aparência (Appearance) e selecione Editor.
Na relação de páginas, à direita, escolha o arquivo index.php para ser editado. Se o seu sistema for em português, ele estará sob o nome Modelo da página principal.

Modelo da página principal
Arquivo index.php do seu tema, se o seu painel administrativo estiver em português.

Na versão em inglês, ele estará sob o nome Main Index Template
Main Index Template - Modelo da Página Principal
Arquivo index.php do seu tema, se o seu painel administrativo estiver em inglês.

Uma vez selecionado o arquivo index.php, você precisa localizar uma parte do código para substituí-la por outra.
Este é o código que precisa ser encontrado:
the_content(
Para encontrar o código, use o sistema de busca do seu navegador (costuma ser acessível com as teclas Ctrl + F no Firefox e no Chromium).
Quando encontrar, substitua cuidadosamente por:
the_excerpt(
E grave as alterações no botão azul, logo abaixo da caixa de textos.
Em inglês, ele se chama “Update file“, em português é “Atualizar arquivo“.

Atualizar arquivo, em inglês.
Atualizar arquivo, em inglês.

Isto deve ser o suficiente. Mas não feche nada, ainda.
Abra o seu blog, na página inicial, em outra janela (para evitar que o sistema de cache te dê um resultado falso, recomendo abrir em uma janela privativa/anônima) e verifique se tudo está funcionando conforme o planejado.
Divirta-se e escreva bastante!

Como fazer o navegador Google Chromium abrir corretamente os magnet links

De uns tempos para cá o navegador do Google “não quer” mais abrir os magnet links dentro do seu cliente para baixar torrents. Acordos com a indústria do copyright?! Não sei…
Se você usa Ubuntu, com o gerenciador de janelas XFCE, para ser mais específico, este artigo deve ser suficiente para resolver o seu problema.

Backup

Como vamos fazer uma pequena alteração em um arquivo do sistema, é recomendável fazer backup do mesmo – se algo der errado, a gente tem pra onde voltar.
Comece abrindo um terminal e digite (ou copie e cole) o seguinte comando:
sudo cp /usr/bin/xdg-open /usr/bin/xdg-open.original
Se mais tarde você quiser desfazer o processo bastará executar este comando “ao contrário”:
sudo cp /usr/bin/xdg-open.original /usr/bin/xdg-open

backup
Backup

Como editar o arquivo xdg-open

Abra o mousepad, o editor de texto padrão do XFCE ou qualquer outro que te deixe mais confortável.

open_xfce()
Abertura do arquivo /usr/bin/xdg-open

Localize a linha open_xfce() e acrescente as seguintes linhas de código:

Como gravar Blu-Ray no Ubuntu GNU/Linux

Até a versão 13.04, do Ubuntu o pacote de aplicativos que costumava vir no cdrecord foi substituído pelo wodim. Há uma polêmica em torno disto e eu não vou entrar no mérito (por pura incapacidade de determinar quem está certo ou errado). O fato é que, se você deseja gravar blu-ray no Linux, você precisa ter o cdrecord — e sua instalação implica na remoção do wodim.

blu-ray logo
blu-ray logo
Para evitar qualquer frustração posterior, devo avisar que vamos tratar exclusivamente deste processo de substituição, aqui, neste artigo.

Aviso

Eu sei que é muito chato dizer isto, mas… se o seu sistema ficar inoperante depois de você aplicar o que aprendeu aqui, a culpa não é minha. Ok? 😉

Como adicionar a PPA do cdrecord

Já sabemos que o cdrecord não faz parte do repositório oficial do Ubuntu 13.04. Portanto, será necessário indicar um PPA onde ele poderá ser baixado para o seu sistema. É fácil fazer isto dentro de um terminal (Ctrl + Alt + T):

sudo add-apt-repository ppa:brandonsnider/cdrtools

Feito isto, atualize a lista de pacotes com o seguinte comando:

sudo apt-get update

Em seguida, instale o cdrecord:

sudo apt-get install cdrecord

Note que o sistema irá avisar sobre a remoção do wodim.

Captura de tela - instalação do cdrecord
Captura de tela – instalação do cdrecord

Daqui pra frente

Uma vez concluído o processo, você terá o cdrecord instalado em seu sistema, em substituição ao wodim.
Antes de começar a gravar os seus CDs, DVDs ou Blu-Rays, pode ser necessário indicar no seu programa de gravação os novos comandos.

Daqui pra trás…

Se você quiser desfazer o processo, execute os seguintes passos que seguem:
Primeiro remova o cdtools.

sudo apt-get remove cdtools cdrecord

Remova a entrada que adicionamos mais cedo ao /etc/apt/sources.list.

sudo add-apt-repository --remove ppa:brandonsnider/cdrtools

Atualize o seu sistema e, em seguida, reinstale o cdrkit

sudo apt-get update
sudo apt-get install cdrkit wodim

Isto deve ser o suficente.

Como instalar as fontes Google no Ubuntu via script

As fontes Google figuram como uma opção a mais para quem trabalha com design, dentre tantas outras que também podem ser baixadas gratuitamente.
Neste tutorial, vou mostrar como baixar e instalar um script que, por sua vez, irá baixar e instalar as fontes em seu computador.
Embora o título do post se refira ao Ubuntu, nada impede que você execute o script em qualquer outra distro baseada no Debian, tais como os outros sabores do Ubuntu, como KUbuntu, XUbuntu, LUbuntu.

O script e as webfonts do Google

Google fonts
Google fonts
O aplicativo TypeCatcher permite que se tenha uma prévia das fontes com seus tamanhos ajustados; fazer downloads e instalar as fontes desejadas em seu computador local. Porém, como ele não faz o download completo de todas as fontes, fomos buscar, lá no WebUpd8 um script que faz este trabalho com rapidez e simplicidade. Eu achei simples, pelo menos.

O que este script faz?

Pra ser objetivo, ele baixa os arquivos do diretório de fontes do Google (Google Font Directory) – há algo em torno de 100 itens diferentes lá, que podem ser usados para personalizar o seu desktop ou em seus trabalhos de design – e as instala em /usr/share/fonts/truetype/google-fonts/. Simples assim. 😉

Baixando o script e instalando as fontes…

Abra um terminal (Ctrl + Alt + T) e digite os seguintes comandos (são 3 linhas):

cd && wget http://webupd8.googlecode.com/files/install-google-fonts
chmod +x install-google-fonts
./install-google-fonts

O que foi feito?

Basicamente, o que fizemos acima foi entrar no nosso diretório /home e fazer o download para dentro dele do script de instalação. Em seguida, mudamos sua permissão (chmod) para executável e, por fim, o executamos.
Se não estiver instalado no seu sistema, o script baixará e instalará automaticamente o pacote do mercurial-common. A depender da sua conexão, este processo pode ser um pouco demorado — pausa para um café! 😉

Continuando…

Uma vez terminado o processo de baixar e instalar as fontes, você pode começar a experimentá-las.
Se quiser, pode usá-las para personalizar o visual do seu Ubuntu.

Preferências da área de trabalho no LXDE - lista de fontes disponíveis.
Preferências da área de trabalho no LXDE – lista de fontes disponíveis. (Clique na imagem para ampliar)

Para tanto, clique com o botão direito do mouse sobre o desktop e selecione “Preferências” e escolha as fontes desejadas na guia Fontes.

O que eu faço com este diretório, que o script criou na minha pasta /home

Certas pessoas gostam de trabalhar em um ambiente razoavelmente organizado ou, pelo menos, não gostam de topar com “objetos” que não sabem para que é que servem, mas estão ocupando espaço.
De fato, o script vai criar uma pasta chamada "googlefontdirectory" dentro daquela em que ele foi executado. Pois bem, você pode apagá-la sem problemas. — Mas, se você a deixar lá, na próxima vez em que rodar este script, ele vai apenas atualizar os arquivos, em vez de baixar tudo de novo. Acho que vale a pena deixá-la em paz.

Como remover as fontes do Google do meu sistema?

Você se arrependeu – ou cansou de brincar – e quer recuperar o espaço agora ocupado pelas fontes. Abra um terminal e proceda da seguinte forma:

sudo rm -vfr /usr/share/fonts/truetype/google-fonts/

Isto deve ser o suficiente.

Como usar ou instalar temas no libreOffice, OpenOffice, brOffice

Introdução

A nova versão do LibreOffice 4.1 vem causando alguma sensação e, na minha humilde opinião, isto não ocorre por causa dos novos recursos.
O LibreOffice e seu irmão OpenOffice vêm incomodando sobremaneira uma gigante do software, baseada em Redmond por que são bons produtos e estão sendo adotados por várias grandes empresas e instituições mundo afora.

Personas

Personas firefox beta logo
Esta nova versão permite usar os mesmos temas do Personas, um addon ou extensão pro navegador da Mozilla Foundation, Firefox.
Você encontra aqui os temas:
Página de temas Personas do Firefox

Seleção de temas
Clique para ampliar.

Clique no menu Ferramentas e, depois, no item Opções.A seguir, selecione Aparência, na lista de opções do painel à esquerda.
Clique em Tema próprio e no botão Selecionar um tema.
Visitar os temas do Firefox
Clique para ampliar.

Na pequena caixa de diálogo clique em “Visitar os temas do Firefox” e você será levado à página dos temas.
Escolha o tema desejado e clique sobre ele para ir à sua página específica. Ao chegar lá, você só precisa selecionar e copiar o endereço da página do seu tema Personas.
Clique para ampliar
Clique para ampliar

Depois de copiar o endereço da página volte para a caixa de diálogo anterior e cole-o no local indicado.
Onde colar o endereço da página que contém o tema Persona da sua escolha.
Clique para ampliar

Feito isto, clique no botão OK e aguarde. Em máquinas mais lentas, a troca do tema pode ser um pouco demorada.
Divirta-se! 😉