As vantagens de usar uma distro Linux superleve

Em oposição às grandes distribuições populares do Linux, que primam por tornar a vida de seus usuários mais simples e suas tarefas mais eficientes, com a adição de recursos visuais e que aproveitam melhor a tecnologia disponível no hardware — sempre houve a possibilidade de optar por distribuições com ambientes gráficos mais leves ou lightweight.
À medida em que ambientes desktop como o GNOME, o KDE e, na última década, o Unity se popularizavam, muitas pessoas se mantiveram ou migraram para ambientes como o XFCE, LXDE.
Algumas pessoas optaram, ainda, por uma redução mais drástica, proporcionada pelo IceWM, i3 etc.
Sem falar que suprimir totalmente a interface gráfica (GUI) também tem sido opção… mas isto é assunto para outro post.
Mas que motivos uma pessoa teria para desejar esta redução na quantidade de recursos gráficos e abrir mão da beleza, em uma máquina atual e moderna — com 2 GPUs, vários núcleos na CPU principal, grande quantidade de memória RAM, drives flash SSD etc.?
Vou tentar responder além do óbvio neste post — por que, se você tem um equipamento com recursos muito limitados ou antigos, é evidente que usar uma distro muito pesada vai tornar sua vida mais chata e sem graça…

Reaproveitar o seu PC, netbook ou laptop antigo

A razão mais comum para procurar por distribuições Linux super leves é pela possibilidade de voltar a usar equipamentos antigos (com 3 anos ou mais).
Um velho netbook, encostado em um canto, pode brilhar novamente na sua vida, com a distro certa.
Nesta categoria, as distribuições GNU/Linux são muito pouco exigentes em termos de hardware.
Estou escrevendo este texto em um netbook Semp Toshiba Infinity STI 1093, originalmente com apenas 1 GiB de memória RAM (hoje, com 2 GiB), rodando a distro LXLE.
Muitos notebooks/netbooks antigos sequer contam mais com uma bateria — cuja vida útil dificilmente supera 5 anos — ou seja, perdem a função da mobilidade. Mas podem ser usados como Desktop PCs.
Você pode dar vida nova a um equipamento antigo, como servidor de arquivos Owncloud, central de multimídia, roteador etc.
Você ficaria surpreso em como a experiência pode ser incrível.

A tendência entre as grandes distribuições é abandonar a arquitetura 32-bit.
As distribuições super leves poderão continuar a dar suporte por mais alguns anos — mas não espere que isto ainda seja realidade daqui a uma década.
Minha recomendação pessoal é pôr este “PC velho” para trabalhar, dar tudo o que ele pode, até o fim.
Não poupe esta máquina.

Menos é mais

Quem tem um equipamento atual, dotado dos mais recentes avanços do mercado, também tem bons motivos para usar uma distro Linux super leve.
Convenhamos, a gente não liga computador para “usar sistema operacional”. Quanto mais transparente esta categoria de software for, melhor.

Quanto menos recursos o sistema operacional e sua interface GUI usarem, mais os recursos de hardware ficarão disponíveis para as suas tarefas.

Edição de imagem e vídeo, jogos 3D, simulações, alguns softwares de engenharia etc. — estas, entre muitas outras, são aplicações vorazes e que consomem grande quantidade de memória e processamento.
Os usuários de aplicações pesadas têm razões de sobra para optar por uma distro que consuma menos recursos dos seus equipamentos, deixando o máximo disponível para suas aplicações.

Menos porcarias inúteis instaladas

No post Como Instalar Ubuntu a Partir do Mínimo, mostrei como é possível construir uma distro Linux, baseada no Ubuntu Mini, desde a CLI (interface de linha de comando) básica, até onde você quiser.
Um dos motivos de uma distro ser light é que ela vem sem “as perfumarias”.
A ideia é o que não é necessário, não entra.

Se o usuário quiser, pode instalar por si mesmo os softwares de que precisa — o gerenciador de pacotes sempre estará lá para isso.

Sistemas leves são potencialmente mais seguros

A quantidade de software instalada pelas grandes distribuições escapa da compreensão de um usuário comum.
As possibilidades de algo dar errado ou o sistema ficar instável são maiores.
Em sistemas super leves, é menos provável “tropeçar nas próprias pernas”.
Com menos software instalado, fica mais fácil manter as políticas de segurança do seu sistema.
Enfim, você leva menos bugs ou possíveis exploits para casa (ou para o escritório) ao optar por uma distro Linux minimalista.

Pense nisso!

Como configurar o não perturbe no seu smartphone

O smartphone é uma excelente ferramenta de produtividade.
Como ele é também um instrumento de comunicação, pode atrapalhar mais do que ajudar.
Se você acredita que pode ser mais produtivo, em determinadas horas, se não for interrompido por centenas de notificações das redes sociais, das contas de email, dos apps de mensagens instantâneas etc, este artigo pode te ajudar.
marshmallow-2
O foco, aqui, é o Android 6.0 Marshmallow. Se você usa uma versão anterior, leia este artigo — cujo conteúdo é específico para o Android 5.0 Lollipop.

No Android Lollipop, era possível ter acesso às funções do Não Perturbe, a partir dos botões de volume, na lateral do aparelho.
O Marshmallow devolveu a estes botões sua função original de controle do volume.

Como ativar a discrição do seu smartphone

Toque na barra de status, na parte superior do seu aparelho e arraste o menu User Interface (ou UI) para baixo.
Agora, toque no ícone Não Perturbe.
A função de discrição do Android tem 3 configurações possíveis — e elas podem ser ajustadas de acordo com suas necessidades, conforme explicarei mais embaixo.
Alẽm disto, você pode determinar por quanto tempo (em horas) o aparelho deverá permanecer no modo escolhido.
A primeira configuração, deixa o aparelho em Silêncio total.
Neste modo, você não será incomodado de jeito nenhum. Use quando estiver em sala de aula, na igreja ou no cinema.
Ajuste o tempo de duração do modo, de acordo com o tempo previsto para permanecer no local.
A segunda configuração, libera os alarmes — o que pode ser ideal para quem tem medicamentos para tomar, em determinados horários, e precisa ser lembrado disto.
A terceira opção é configurável, conforme a explicação que segue no restante do texto.
Ela é mais flexível e permite que algumas pessoas, da sua escolha, possam ainda entrar em contato com você.
Clique na imagem, para ver mais detalhes.

Como configurar o Não Perturbe

Abra o menu de configurações e selecione Som e notificação.
A seguir, role para a opção Não perturbe e toque nela, para abrir o próximo painel.
Android funções não perturbe
A seguir, vamos analisar as opções dos painéis Somente prioridade e Regras automáticas.

Somente prioridade

Há muitos casos em que você pode querer estar fora do alcance dos seus contatos, mas não quer deixar de atender a situações de real importância.
Este pode ser o caso de quem deseja estar disponível exclusivamente a seus familiares, amigos próximos ou do trabalho.
Android - somente prioridade
Nesta tela, é possível determinar se você quer ser interrompido quando houver algum lembrete, evento novo, mensagem ou chamada.
No caso das Mensagens e das Chamadas, você pode escolher de quem deseja receber: Qualquer pessoa, Apenas de contatos, Apenas de contatos com estrela (favoritos) ou Nenhuma.
Se você quiser, pode ver quem são os seus contatos no site https://contacts.google.com.
Por último, você pode permitir que o celular aceite chamadas persistentes — para isto, ligue a última opção Autores de chamadas persistentes.

Regras automáticas

Este é o recurso novo, em relação ao Lollipop.
Neste painel de configurações, você pode ajustar o modo Não Perturbe para ser iniciado de acordo com certos horários do dia ou eventos marcados no Google Calendar.
Se você sempre vai se deitar no mesmo horário, pode ajustar o recurso para não ser perturbado durante o seu sono.
Estudantes, podem ajustar o Não Perturbe para o horário de suas aulas.
Enfim, você pode ter várias regras.
Android como estabelecer regra automatica
Por exemplo, se você não deseja ser interrompido pelo smartphone entre as 7h e as 11h, de Segunda a Sexta-feira, siga os passos abaixo:

  1. Toque em Adicionar regra e, em seguida, dê um nome para a sua nova regra (P. Ex.: “Hora da aula”, “Aula de Ioga” etc.)
  2. Depois toque no item Dias e defina os dias da semana a que este evento se aplica. Determine também o Horário de início e o Horário de término
  3. Por último, determine que tipo de interrupções serão permitidas: ligações telefônicas prioritárias, Somente alarme ou Silêncio total

Como o RunKeeper calcula as calorias gastas durante uma atividade.

Entenda por que o cálculo de calorias gastas (ou queimadas) durante a corrida dá um resultado e depois dá outro.
A diferença não costuma ser muito grande, especialmente em pequenos percursos (abaixo de 5 km).
runkeeper-logo-1024x207
O RunKeeper calcula a quantidade de calorias queimadas baseado nos seguintes fatores:

  • Distância percorrida
  • Velocidade média no decorrer da atividade
  • Tempo de duração do exercício
  • Elevações vencidas
  • Tipo de atividade
  • As informações que você forneceu sobre o seu peso
  • A taxa metabólica basal (BMR)

Female Jogger on Coleman Avunue in Morro Bay, CA 5-2-07 - Photo by Mike Baird http://bairdphotos.com Canon 20D 100-400mm IS lens handheld from an outrigger canoe.
O resultado do cálculo das suas calorias pode mudar um pouco depois que as informações sobre a atividade forem enviadas aos servidores.
Isto é normal.
A explicação é que os servidores tem informações mais exatas sobre a elevação, bem como, são capazes de executar processamento adicional sobre as atividades que o seu aparelho não consegue em tempo real.
Os dados ajustados são enviados de volta ao seu smartphone, assim que você abrir de novo o RunKeeper e fizer a sincronização automática.

Referências

Crédito da imagem: Mulher correndo
Fontes: https://support.runkeeper.com/hc/en-us/articles/201109676-How-are-Calories-Burned-calculated-.
http://gurucollege.net/health/runkeeper-calorie-numbers-explained/.

Por que você fica melhor no espelho do que nas suas fotos.

Quando escrevi sobre como tirar melhores selfies com o próprio smartphone, algumas pessoas me devolveram a intrigante pergunte “por que fico bem no espelho, mas péssima nas fotos?”
Eu fui fazer uma pesquisa sobre o assunto.
A resposta é mais simples do que você imagina — e não tem nada a ver com as selfies.
De certa forma, esta discrepância ocorre porque seu rosto está “virado pro lado errado”.
Muitas pessoas (muitas mesmo) afirmam odiar ter que tirar foto.
Chegam a dizer que são as menos fotogênicas em suas famílias.
Acontece, também, que ao inverter (espelhar) a foto no computador ou no celular, muitas pessoas mudam de opinião sobre o assunto.
O que acontece é que passamos horas de nossas vidas nos vendo nos espelhos.
Estamos acostumados à imagem de nós mesmos, sempre refletida nos espelhos.
Quando a imagem é revertida (em relação à do espelho) nas fotos, tudo parece errado. Seu cérebro diz “não sou eu!”.

Ninguém tem a face perfeitamente simétrica

Nem seu corpo é perfeitamente simétrico.
Passamos a nossa vida mirando uma imagem no espelho, com a qual já estamos acostumados. Quando vemos o inverso, o cérebro dispara “algo não está certo!”. Segue alguns motivos para esta reação:

  • Se você sempre parte o cabelo de um lado, vai achar estranho vê-lo penteado para outro lado. Se fizesse isto no próprio espelho, já ficaria estranho, não é?
  • É comum ter um olho ligeiramente (quase imperceptivelmente) maior/menor do que o outro. Você já está acostumado com isto, desde criança, mas… agora é o “outro olho” que é diferente!
  • As sobrancelhas também estão longe de ser iguais.
  • Seu sorriso não é igual quando comparadas as duas metades da boca. De um lado ele pode ser um pouco mais acentuado do que o outro.

A lista de diferenças é enorme.
Se o seu nariz ou a sua boca tiver uma diferença de 3mm para a esquerda, ao virar o rosto, vai parecer que são 6mm para a direita.
É o conjunto destas discrepâncias naturais, que todos temos (repito), que salta aos olhos e te fazem sentir desconfortável com o que vê.

O efeito mere-exposure

Este desconforto é um exemplo do efeito da “mera exposição” ou mere-exposure effect.
Trata-se de fenômeno psicológico pelo qual as pessoas tendem a desenvolver uma preferência por alguma coisa meramente por que se sentirem familiarizadas com ela.
Assim, estamos tão familiarizados ao nosso reflexo no espelho que não é incomum estranharmos nossas fotos.
Quem tira mais selfies do que se olha no espelho não deve sofrer deste “mal”. 😉
O fotógrafo Kim Ayres propõe o exercício de olhar o rosto mais famoso do mundo — o da Mona Lisa, de Leonardo Da Vinci.
Qual das duas imagens você prefere?
Mona Lisa de Leonardo Da Vinci
A maioria das pessoas, de acordo com o profissional, escolhe a da esquerda (a original).
Quando o exercício é feito com uma imagem que a pessoa desconhece, com a qual não esteja acostumada, aproximadamente metade das pessoas prefere uma e a outra metade prefere a outra.

Nós nos sentimos mais confortáveis com as imagens que já nos são familiares.

Quando você olha para uma foto em que sua família ou seus melhores amigos (incluindo você) estão reunidos, todo mundo tem a aparẽncia que você espera que tenha — exceto você.
Abraham Lincoln in November 1863.
Você imagina que é a única que não é fotogênica… enquanto muitos outros, presentes na foto, estão pensando exatamente a mesma coisa de si mesmos.
Se quiser, experimente o seguinte exercício:
Pegue uma (ou mais) de suas fotos e olhe-a refletida no espelho.
O que você acha?
Se a foto te parecer boa, refletida, sua imagem provavelmente estará boa para as outras pessoas também.

Referências

Fonte: https://www.quora.com/Why-do-I-look-good-in-the-mirror-but-bad-in-photos
https://elias.praciano.com/2014/05/5-dicas-para-tirar-selfies-melhores/
Imagens: http://www.wikiart.org/en/leonardo-da-vinci/mona-lisa.
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/1b/Abraham_Lincoln_November_1863.jpg.

Como ativar o não perturbe no Android.

Há momentos em que não podemos (ou não queremos) ser perturbados ou distraídos.
No trabalho, na reunião, durante alguma atividade que exija um pouco mais de concentração etc. as funções que silenciam as interrupções são fundamentais.
Se você usa um aparelho com Android 6.0 Marshmallow ou superior, leia este artigo — mais atual.
Lembro que tive um aparelho Nokia, anos atrás, ainda rodando o Symbian, que tinha uma opção “não perturbe” com temporizador. Depois disto, na maioria dos outros aparelhos que tive, esta opção tinha que ser ligada/desligada manualmente.

O interruptions system ou sistema de interrupções do Android Lollipop tem sido envolto em algumas controvérsias (nem todas as suas opções agradam a todos).

Dependendo da marca do seu aparelho, você vai encontrar variações na implementação deste recurso.
Os aparelhos Motorola, vêm com o Moto Assist — que pode silenciar o aparelho automaticamente quando você vai dormir, entrar numa reunião ou for dirigir.
Neste post, contudo, vou falar do que é possível fazer em qualquer aparelho, rodando o Android Lollipop:

Como ajustar rapidamente o não perturbe

Ao pressionar o botão de volume, o sistema operacional irá exibir no topo da tela algumas opções.
Veja quais são as opções que aparecem quando você toca no ícone do “sino”.
As opções de notificações básicas se resumem a:

  • Tudo — O seu smartphone irá deixar passar todas as notificações, ou seja, você receberá um aviso de tudo que chegar: mensagens, telefonemas, atualizações nas redes sociais etc.
  • Prioridade — Somente as notificações prioritárias serão feitas. Mas pra frente vou mostrar como definir o que é prioritário ou não.
  • Nenhum — Se tiver algum alarme definido, até mesmo ele ficará em silêncio. Esta opção te deixa em paz.

Opções Não Perturbe no Android
Mas pra frente, vou mostrar como definir o que é prioritário ou não.
Dentre as opções de acima, as duas últimas (Prioridade e Nenhum) podem ser temporizadas — você pode predefinir um tempo pelo qual ela estará valendo. Passado este tempo, o aparelho volta para opção padrão: Tudo.
Se você optar por manter o aparelho em “Não Perturbe” Indefinidamente, terá que desativá-lo manualmente depois.

Como configurar as notificações que você recebe no seu aparelho Android

Se você deseja fazer um ajuste mais detalhado das suas opções de notificação, abra o painel de configurações de seu aparelho e
Painel de configuração do Android Lollipop 5.1: Som e notificação
No painel de configuração de sons e notificações selecione Interrupções:
Android - configuração de sons e notificações.
No próximo painel (divido em 2 partes, na próxima imagem), encontram-se as configurações de interrupções que serão abordadas daqui pra frente.
Android configuração de interrupção e não perturbe

Item Descrição
Ao receber chamadas e notificações Sempre interromper, Permitir apenas interrupções prioritárias ou Não interromper
Interrupções prioritárias Se você definiu, acima, que deseja ser interrompido apenas por eventos prioritários, pode definir aqui, quais eventos devem ser considerados prioritários pelo seu sistema: Eventos e lembretes, Chamadas e Mensagens.
Chamadas/Mensagens de Defina, neste item quem pode ser considerado prioritário, no caso de receber chamadas ou mensagens: Qualquer pessoa, Somente contratos com estrela (favoritos)Somente contatos.
Este item só vale se você marcou Chamadas e/ou Mensagens, acima.
Tempo de inatividade ou downtime Aqui você configura em que dias da semana e em que faixa de horário você gostaria de “ter paz”, ou seja, não quer ser saber do “mundo exterior”.
Em outras palavras, durante o período de inatividade, o aparelho entra no modo de prioridade.
Na minha configuração, após 22h. apenas os contatos favoritos (ou estrela) tem suas chamadas/mensagens encaminhadas.

Depois que você configurou estas opções, pode voltar à função disparada pelos botões de volume e selecionar Nenhum, Prioridade ou Tudo.