O RunKeeper não está postando minhas atividades no Facebook.

O RunKeeper é um dos muitos aplicativos que há para celulares e outros aparelhos com GPS que registra as suas atividades físicas, como corrida, caminhada, natação, ciclismo. Ele gera estatísticas e permite estabelecer e monitorar metas a serem atingidas pelo atleta.

Mais sobre o RunKeeper

O problema

Algumas pessoas estão com dificuldades para postar as suas atividades do RunKeeper no Facebook ou no Twitter.
No meu caso, estas falhas ocorrem com pouca frequência, na maioria das vezes relacionadas à má qualidade de conexão da minha operadora (pra variar). Mas tenho amigos que simplesmente não conseguem compartilhar qualquer atividade.
Desconheço problemas relacionados ao Twitter. Trago aqui a solução apontada pelo suporte técnico do RunKeeper e que costuma ser eficiente. Costuma…

Limites do Facebook

Se você quer compartilhar as suas atividades do RunKeeper no Facebook, saiba que é necessário ter percorrido pelo menos 0,20 milhas ou, aproximadamente, 0,33 km. Abaixo disto, o compartilhamento no ‘face’ não acontece.

A Timeline

Se você ainda não ‘se converteu’ à Timeline, a hora é agora. Clique aqui e converta o seu perfil. O Facebook só irá compartilhar as suas atividades através da Timeline. E isto vale para outros aplicativos também.

Verifique se suas permissões estão configuradas corretamente

Se você já usa a Timeline, é possível que ainda não consiga compartilhar suas atividades por ainda não ter recebido permissões de publicar ações (publish_actions).
Para resolver este problema e restabelecer as permissões de compartilhamento (re)conecte-se ao Facebook através do site do RunKeper clicando aqui.
Role até a sessão do Facebook, desconecte e conecte novamente

Feito isto, teste se o RunKeeper já está compartilhando as suas atividades.

O RunKeeper retorna a mensagem “Oh noes”

Runkeeper oh noes
clique para ampliar.

Esta mensagem é originada de um erro de autenticação. Isto pode ter várias explicações – servidores super atarefados, é uma delas. Normalmente, você resolve tudo tentando postar novamente.
screenshot runkeeper configurações desconectarEm caso de persistência do problema, tente o seguinte procedimento:

  • Vá ao menu de Configurações do aplicativo;
  • Selecione Desconectar (Veja a imagem ao lado);
  • Saia do aplicativo, entre e conecte novamente.

Isto deve resolver.

Como copiar e assistir DVDs protegidos no Ubuntu?

Existe um repositório, chamado Medibuntu, que inclui codecs e aplicativos  multimídia e de entretenimento no Ubuntu. Por questões legais, ele não pode vir configurado na distro padrão.
Caso você deseje assistir aos seus filmes em DVD (protegidos) ou, até mesmo, fazer cópias legais para evitar perdas irrecuperáveis, será necessário instalar alguns pacotes deste repositório.

Instale o medibuntu

Tecle Ctrl+Alt+T para abrir um terminal. Nele digite os comandos que seguem, para adicionar o repositório medibuntu ao seu sistema. Junto, vamos adicionar a chave GPG do medibuntu ao seu chaveiro, necessária para autenticar seus pacotes:

sudo wget http://www.medibuntu.org/sources.list.d/$(lsb_release -cs).list --output-document=/etc/apt/sources.list.d/medibuntu.list
sudo apt-get update
sudo apt-get --yes -q --allow-unauthenticated install medibuntu-keyring
sudo apt-get update

Se quiser que alguns aplicativos do repositório medibuntu apareçam na Central de Programas do Ubuntu e informar o bugtracker do medibuntu sobre erros nos programas, você deve instalar os seguintes pacotes:

sudo apt-get --yes install app-install-data-medibuntu apport-hooks-medibuntu

Note que, no comando acima, pode ser necessário usar o parâmetro –force-yes em vez de –yes para garantir a instalação dos pacotes.
A seguir, vamos permitir a instalação de vários codecs para execução de arquivos multimídia. Se você usa um sistema 32bits, digite o seguinte comando:

sudo apt-get install w32codecs libdvdcss2

Se o seu sistema for 64bits, use o seguinte:

sudo apt-get install w64codecs libdvdcss2

Feito isto, já será possível assistir a DVDs protegidos e rodar programas para ripar/copiar seus discos.

Como encriptar um Shell Script com SHC

Neste texto, vou ensinar a baixar, instalar e usar SHC, um programa que encripta o código do seus shell scritps.
Antes de mais nada, eu gostaria de dizer que encriptar seus códigos não é uma prática recomendável. O ideal é documentar todo o script, de forma que qualquer pessoa o possa entender facilmente. Códigos fonte devem ser o mais acessíveis possível – já a informação com a qual eles lidam, é que deve ser restringida.
Se você precisa usar informações, usualmente confidenciais, como senhas, de forma automática, então deve procurar outra solução.
Hmmmm… você ainda está aqui?
Tenha em mente, contudo, que um script codificado através do SHC pode não ser legível para usuários comuns (creio que este seja o seu objetivo) — Contudo, uma pessoa que tenha conhecimento do seu funcionamento pode extrair o código criado pelo software.
Em tempo, SHC quer dizer SHell script Compiler.

Download e instalação

O software de que vamos tratar aqui, foi desenvolvido por Francisco Javier R. Garcia e você vai encontrar sua versão mais atualizada aqui.
Vamos começar com o download do código fonte do programa:

wget http://www.datsi.fi.upm.es/~frosal/sources/shc-3.8.9.tgz

Uma vez baixado, desempacote e instale:

tar xvfz shc-3.8.9.tgz
cd shc-3.8.9
make

Verifique se tudo correu bem:

./shc -v
shc parse(-f): No source file specified
shc Usage: shc [-e date] [-m addr] [-i iopt] [-x cmnd] [-l lopt] [-rvDTCAh] -f script

Crie um shell script de exemplo

Para testar, você pode usar seu próprio shell script ou pegar este aqui:

#!/bin/bash
echo -n "Quantos numeros aleatorios voce deseja gerar? "
read max
for (( start = 1; start
do
echo -e $RANDOM
done

rode o script:

$ ./alea.sh
Quantos numeros aleatorios voce deseja gerar? 3
24682
1678
491

Encriptando o seu shell script com shc

Use o comando, a seguir, para fazer o trabalho:

./shc -f alea.sh

isto deverá gerar os seguintes arquivos:

ls -l alea*.*
-rwxrw-r--. 1 user group 149 Mar 27 01:09 alea.sh
-rwx-wx--x. 1 user group 11752 Mar 27 01:12 alea.sh.x
-rw-rw-r--. 1 user group 10174 Mar 27 01:12 alea.sh.x.c

Dos quais:

  • alea.sh é o seu script original
  • alea.sh.x é o seu script em formato binário e encriptado
  • alea.sh.x.c é o código fonte do script original em linguagem C

Após transformar o código do seu script, originalmente escrito em Bash para um script em C, o shc o compila, gerando o executável alea.sh.x.
Veja como testar:

$ file alea.sh
alea.sh: Bourne-Again shell script text executable
$ file alea.sh.x
alea.sh.x: ELF 64-bit LSB executable, x86-64, version 1 (SYSV), dynamically linked (uses shared libs), for GNU/Linux 2.6.18, stripped
$ file alea.sh.x.c
alea.sh.x.c: ASCII C program text

Execute o seu script encriptado

./alea.sh.x
Quantos numeros aleatorios voce deseja gerar? 3
7489
10494
29627

Determine uma data de expiração pro seu script

Com o uso do shc, é possível evitar que o seu script seja executado após uma certa data. Se for feita a tentativa de executar um script que já tenha expirado, uma mensagem de erro será exibida na tela.
Crie um novo script, usando a opção “shc -e“, que permite a entrada de uma data de expiração (que deve ser fornecida no formato dd/mm/yyyy:

./shc -e 31/12/2011 -f alea.sh

Veja o que acontece quando alguém tenta executar um script vencido:

./alea.sh.x
./alea.sh.x: has expired!
Please contact your provider

Você pode criar a sua própria mensagem de expiração, para o caso de redistribuir o seu script para pessoas que não falem inglês, por exemplo. Use a opção -m para isto.
Divirta-se!

10 coisas pra se fazer depois de instalar o Ubuntu 12.04

1 – Aprenda um pouco mais sobre os recursos que você tem à mão

Há uma série de recursos novos. Este vídeo mostra, em menos de 10 minutos, algumas das novidades mais interessantes.

2 – Atualize o seu sistema

Mesmo recém-saído do forno, pode já haver atualizações a serem feitas ao sistema – correções de segurança, por exemplo.
É possível ver se há necessidade de atualizar à partir do Power Menu, acessível a partir do canto superior direito, na sua tela.

Se não houver atualizações a serem feitas, no momento, a mensagem presente no menu será “Software atualizado”. Caso não seja, clique e selecione a opção de instalar as atualizações.

3 – Instale os Codecs para ver seus vídeos preferidos

Por questões legais, os sistemas operacionais não podem vir com todos os codecs pre-instalados. Portanto, se você tem intenção de usar o seu novo sistema para ver filmes e ouvir suas músicas, convém executar este passo.
Clique aqui para instalar Codecs de terceiros.

4 – Personalize a sua interface

É óbvio que queremos que o nosso computador tenha a nossa cara e reflita os nossos gostos.
Há 14 novos papéis de parede, nesta versão e os componentes transparentes do Ubuntu, agora, mudam de cor para se adaptar aos tons do seu papel de parede.

5 – Ajuste as suas opções de privacidade

Ao abrir o Dash no Unity, você vai ver os últimos aplicativos e arquivos que usou. O caso é que talvez você não queira que tudo isto fique aparecendo. Que tal deixar apenas as coisas relevantes pra você?
Novamente, clique no Power Menu e selecione Configurações do Sistema. Em seguida, clique no ícone Privacidade.

Selecione as categorias de itens que você não deseja ver na seção de documentos recentes. Em seguida, se desejar, adicione as pastas, no seu sistema, que ficarão de fora desta exibição.

6 – Ajuste o Ubuntu One pra você

Cada usuário tem direito a 5Gb em espaço de armazenamento online, pelo Ubuntu One. Pegue os seus.

Clique no ícone correspondente, no lançador, à esquerda e faça a sua inscrição, caso ainda não tenha uma conta.
Ah! Se você roda Android no seu celular, procure pelo Ubuntu One, no Google Play

7 – Explore novos aplicativos

O caminho é o… shopping center!
A Central de Programas do Ubuntu tem milhares de aplicativos interessantes. Alguns são pagos, a maioria é gratuita e livre.

Experimente navegar pela Central e descubra as possibilidades que lá existem.

8 – Pegue o Google Chrome

Um dos motivos pra isto é o suporte integrado ao Flash que passa a vir com este navegador, uma vez que a Adobe anunciou que encerrará o suporte a este sistema no Linux.
Clique aqui para baixar e instalar o seu.
Caso você queira instalar apenas o Flash, clique aqui.

9 – Configure a integração do LibreOffice à sua barra de menus global


A barra de menus global, no Unity, visa a aproveitar melhor a área de trabalho do usuário, principalmente em dispositivos de tela pequena, como netbooks e tablets. Esta integração não vem, por padrão, na sua nova instalação do LibreOffice. Mas você pode instalá-la facilmente. Clique aqui.

10 – Hora de brincar…

Relaxe e aproveite para explorar as inúmeras possibilidades que o sistema te oferece. Use o Facebook, o Google Plus… e conte pros seus amigos que você está experimentando a nova versão do Ubuntu.
Você pode, enquanto isto, ouvir as suas músicas no Rhythmbox.

Ubuntu 12.04 – comentário pessoal

Pra ser breve, as primeiras impressões foram muito boas. Gostei, particularmente de ver um ícone de fácil alcance, na tela de login, para controlar o som – o que pode prevenir que algum aplicativo, já aberto, comece a tocar, logo depois de darmos a senha de acesso ou que a música de inicialização do sistema quebre o silêncio, em uma biblioteca, por exemplo.
Pode parecer uma bobagem e, provavelmente é, mas eu gostei também da possibilidade de podermos alterar o tamanho dos ícones do lançador na tela de “alterar o plano de fundo” (aquele que aparece, quando você clica com o botão direito do mouse sobre a área de trabalho).

Isto já nos poupa a instalação de novos aplicativos de configuração, além de tempo, como você pode ver aqui.

Nesta mesma tela, eu recomendo clicar na guia “Comportamento” e ligar a opção de ocultação automática do lançador – principalmente para quem usa tablet ou netbook, uma vez que ajuda a otimizar o espaço.
Na mesma tela, aumente a “sensibilidade” para a mais alta possível. Assim, o lançador será mais ágil para aparecer.
Conheça mais, no vídeo abaixo.