Categories
Análises Debian Linux Programação Tutoriais Ubuntu

5 IDEs para programar no Linux

Conheça esta seleção de ambientes integrados de desenvolvimento (IDEs), disponíveis para todas as distribuições GNU/Linux, a partir dos repositórios oficiais.
Você não precisa sequer ir à linha de comando (CLI) para instalar qualquer uma delas.

Os ambientes integrados de desenvolvimento (Integrated Development Environment> ou IDEs) são conjuntos de ferramentas que visam a oferecer ao desenvolvedor(a) tudo o que ele(ela) necessita para trabalhar: editor, corretor, debugger, compilador/interpretador etc.

As IDEs proporcionam conforto, eficiência e desempenho a projetos de desenvolvimento de todos os tipos e tamanhos.

Debian Ubuntu Instalar programas

O Linux é muito rico em ferramentas para programação e é apontado como uma opção segura para profissionais sérios(as).

Neste post, vou me limitar a falar das opções disponíveis na interface de instalação Programas no Debian 10 “Buster”.

Mesmo que a sua distro favorita seja outra, tenho certeza (quase) absoluta de que você vai encontrar todas estas opções lá também.

Para estar na lista deste artigo, os itens precisam obedecer os seguintes requisitos:

  1. estar disponível no repositório oficial do Debian
  2. estar disponível na busca do painel de instalação Programas.
  3. ser uma ferramenta genérica, voltada para várias linguagens de programação e não apenas uma ou outra plataforma específica.

Use a sessão dos comentários, para me avisar (se não encontrou alguma coisa) ou para sugerir outras opções. 😉

Anjuta DevStudio

anjuta ide

Escrito, desde o inicio para o ambiente GNOME, o Anjuta DevStudio tem uma interface totalmente integrada.

Foi lançado em Dezembro/1999 e é, portanto, um projeto com aproximadamente 20 anos de estrada.

Entre seus principais atributos, o site oficial lista:

  1. Interface simplificada de usuário.
  2. Possui assistentes de projeto e modelos prontos.
  3. Tem suporte a C, C++, Java, JavaScript, Python e Vala.
  4. Integração total com o Glade, ferramenta de design de interfaces.
  5. GDB integrado, para depuração completa.
  6. DevHelp, como sistema de ajuda integrado e sensível ao contexto.

Code::Blocks

code blocks ide

A proposta do Code::Blocks é ser uma plataforma de desenvolvimento de código aberto, voltada para as linguagens C, C++ e Fortran.
Tem suporte a múltiplos compiladores, como o GCC, MSVC++, Clang Digital Mars etc.

O programa é especialmente projetado para ser estendido, através de plugins e receber variadas configurações.

Eclipse

eclipse ide linux

O projeto da IDE Eclipse já tem mais de 15 anos e começou dentro da IBM, em um projeto chamado VisualAge, voltado a construir ferramentas de desenvolvimento para os próprios projetos da empresa.

Atualmente, o Eclipse tem suporte a mais de 45 idiomas e a dezenas de linguagens de programação, como Ada, ABAP, C, C++, C#, COBOL, D, Fortran, Haskell, JavaScript, Julia, Lasso, Lua, NATURAL, Perl, PHP, Prolog, Python, R, Ruby (inclusive Ruby on Rails framework), Rust, Scala, Clojure, Groovy, Scheme, e Erlang.

O suporte a estas e outras linguagens é adicionado por meio de plugins.
Tal como o Code::Block, tem suporte a diferentes sistemas operacionais e, portanto, pode ser uma ótima opção para projetos multi-plataforma.

Geany

geany ide linux

O Geany é o queridinho entre desenvolvedores que apreciam o equilíbrio entre a quantidade de recursos e o bom desempenho de uma IDE leve.

O objetivo que guia este projeto é manter sempre este equilíbrio — que é alcançado, entre outras coisas, mantendo o mínimo de dependência de bibliotecas de terceiros.

Portanto, é indicado também para quem tem espaço limitado no computador de trabalho.

Tem suporte a C, Java, PHP, HTML, Python, Perl, Pascal etc.

Netbeans

Outra IDE desenvolvida por uma grande companhia, o NetBeans surgiu dos laboratórios da Sun Microsystems, antes de ser adquirida pela toda poderosa Oracle, do Larry Ellison.

Inicialmente, o objetivo era prover um ambiente integrado aos desenvolvedores Java – dentro e fora da empresa.

Mas o projeto cresceu e adquiriu “vida própria”. Sobreviveu, até mesmo, a aquisição da Sun e aos problemas criados por Ellison, em relação aos projetos de código aberto ou livre, desenvolvidos dentro da empresa.

O projeto, hoje, tem suporte a dezenas de linguagens de programação (através de plugins) e pode ser usado até mesmo para desenvolver temas para WordPress.

Menções honrosas

Tive que conter o meu entusiasmo para não continuar escrevendo.

A lista ultrapassaria 10 projetos, facilmente.

Apesar disso, faço questão de mencionar 3 IDEs e os motivos pelos quais ficaram fora desta lista.

  1. O Eric ficou de fora por ser um projeto exclusivamente voltado ao Python.
    Contudo, é um ambiente de programação fantástico e, se você é desenvolvedor Python, definitivamente recomendo que vá aos Programas conhecer esta opção. Sem falar que, sendo um projeto de código aberto, nada impede que o suporte a outras linguagens sejam adicionadas futuramente.
  2. O Kdevelop também merece estar em qualquer lista de IDEs para a plataforma Linux e ele também pode ser encontrado no painel de instalação.
    Ficou de fora por ser voltado ao ambiente gráfico KDE — o que implicaria (para quem usa o GNOME, como ambiente padrão) em instalar uma enorme quantidade de bibliotecas para Qt e KDE — o que não é muito desejável, para quem prefere ter um ambiente mais enxuto.
  3. O Codelite, por pouco, não me fez aumentar a lista de 5 para 6…
    No Debian, ele pode ser instalado pela CLI, por que faz parte dos repositórios oficiais.
    O problema é que não consegui encontrá-lo no painel gráfico de instalação — e este seria o segundo pré-requisito para entrar na lista.
    Isso pode mudar no futuro, nas próximas versões ou em outras distro Linux — dá uma olhada!
    Se não estiver e quiser conhecer o ambiente, use o apt (ou dnf):
     sudo apt install codelite 

O exemplo do Codelite, aqui, mostra por que desenvolvedores não podem abrir mão da linha de comando, sob pena de deixar passar coisas importantes.

Se cometi algum erro ou alguma injustiça, por favor, me conte na sessão de comentários.

By Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia.
Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman".
Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

5 replies on “5 IDEs para programar no Linux”

Oi professor, tudo bem? Estou no mundo GNU/Linux bem recentemente e também estou começando agora a estudar programação. Professor, Emacs não seria também uma IDE? Se sim, ela não é muito legal para se encontrar na lista?
Eu estou aprendendo a usar o editor de texto Vim, tenho gostado muito, mas qual a diferença entre editor de texto e IDE?
Era isso, abraços e obrigada pelo compartilhamento de conteúdo.

Que legal, que você está estudando programação. 😉
O universo das ferramentas de programação vai muito além destas 5 IDEs do artigo, com toda certeza!
Eu conheço pessoas que usam o Emacs e são muito felizes com a escolha. É uma ferramenta concebida por hackers incríveis. Não tem como errar.
As IDEs são um ambiente integrado de programação, que envolve várias ferramentas inclusive o editor.
Usar apenas um editor, para escrever o código, é uma opção mais enxuta, ágil e rápida.

Se quiser dar uma olhada, tenho uma dezena de artigos sobre o editor Vim, com muitas dicas de uso deste fantástico programa! 😉

Caramba, foi bem rápido! Muito obrigada pelas informações professor! Vou ler os artigos sobre Vim sim! Com certeza serão muito úteis! Abraços <3!

Acho que seria legal incluir nas menções honrosas:
– Ninja-IDE (para python): tem uma funcionalidade bacana de indicar código se está dentro dos PEPs (melhores práticas);
– Lazarus (para Pascal): indicado para os saudosistas da IDE proprietária da Borland – popular nos anos 90;
– QT Designer: não sei se encaixa no conceito de IDE.

Leave a Reply to Joel Silva Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.