O GIMP como um primeiro passo no universo da edição de imagens.

Para quem está começando a trabalhar com imagens, através da fotografia (ou não), é bom ter um editor de imagens à mão.
Só que saber usar a ferramenta pode ser mais importante do que apenas “ter a ferramenta”.

há 2 coisas muito ruins que podem acontecer àqueles que compram softwares caros nesta categoria:

  1. não saber usar e/ou
  2. não precisar de tudo o que é oferecido no pacote.
    Ou seja, precisava de X… e pagou por 20 ou 30X.

Jogar dinheiro fora é um problema para vocẽ?!
Para mim é — e este é um dos pontos levantados por este post.

Se você está interessada(o) em aprender mais sobre fotografia digital ou criar as suas próprias imagens gráficas, logotipos etc. vai precisar de um editor de imagens.

gimp captura de tela

Contudo, antes de investir uma grande soma de dinheiro em programas, é racional se certificar de que vocẽ sabe usar e entende os conceitos sobre os quais se fundamentam as ferramentas de manipulação e edição.

Outra coisa que vale a pena ter certeza, antes de pegar a carteira, é se você realmente gosta deste tipo de trabalho/arte.
É sério! Boas edições podem manter uma pessoa presa a uma cadeira por horas.

Diante disso, faz sentido começar a aprender com um programa gratuito.
Mais pra frente, quando o seu nível estiver bem melhor, a compra de um conjunto de ferramentas mais caro, pode ser um investimento.

wilber gimp

O GIMP é uma ferramenta de manipulação de imagens digitais gratuito. É software livre.
Abreviatura de GNU Image Manipulating Program ou programa de manipulação de imagens GNU, teve o seu primeiro beta anunciado, por Peter Mattis, em Novembro de 1995 (temos uma longa estrada, aqui!) 😉

Cresceu ao lado do desenvolvimento do sistema operacional Linux, mas não está restrito a ele.
Há versões dele para Windows, MacOS e UNIX (FreeBSD, OpenBSD etc.)
Mesmo tendo suporte a todas estas plataformas, o GIMP tem o mesmo funcionamento em todas.

Uma das maneiras mais populares (e rápidas) para baixar o aplicativo é via torrent. Ao final do artigo, na sessão de referências, vou dar mais links para downloads.

Em algumas distribuições Linux, o GIMP já vem instalado como um dos softwares padrão. Se este não for o caso, é fácil baixá-lo dos repositórios oficiais.

gimp install debian
Como instalar o GIMP no Linux.

Programas de manipulação de imagens costumam ter uma aparência intimidatória para iniciantes — por que parecem ser (e provavelmente são) mais complexos que outros aplicativos comuns, como os editores de texto, por exemplo.

O GIMP tem recursos suficientes para satisfazer usuários avançados.
Muitas pessoas optam por não gastar mais dinheiro com outro software depois que aprendem a usar o GIMP.
Uma licença de uso do Photoshop ou do LightRoom pode custar o mesmo que uma nova lente prime ou outro acessório profissional para a sua câmera ou seu computador.

Além disto, ele tem uma vasta gama de livros disponíveis para o seu aprendizado, sem falar nos milhares de vídeos tutoriais no Youtube.
O Manual do GIMP, que faz parte da documentação oficial, tem tradução para mais de 15 idiomas, inclusive o português.

Outros programas são mais completos

Ser um programa “mais completo” do que seus concorrentes é um argumento forte a favor do Photoshop mas, (in)felizmente, é sempre um ponto insuficiente para fazer uma pessoa racional tirar a carteira do bolso.

Usuários de editores de imagens, tal como os de editores de texto, geralmente fazem uso apenas de uma fração de todos os recursos disponíveis.
Semelhante ao modelo de vendas das companhias de TV a cabo, que te empurram dezenas de canais que você jamais irá ver (porque não gosta dos temas abordados, porque não tem tempo, não tem interesse etc.)

captura de tela gimp

Por outro lado, por mais completo que um software seja, sempre vai estar faltando alguma coisa — como um preço mais acessível (ou justo), melhor velocidade de execução, adequabilidade à sua plataforma de trabalho etc.
Em outras palavras, nada é completo.

E no que tange o GIMP, ele tem uma enorme variedade de funções que já chegam prontas para uso, desde a instalação.
Outras podem ser adicionadas através de plugins e, sendo uma plataforma aberta, é possível criar seus próprios plugins para o programa.

As funções do GIMP

Como já ficou claro, é um editor de imagens — que prioriza a criação e edição (por píxel, inclusive).

Entre outras possibilidades, ele também pode retocar fotos, ajudar na criação de arte digital ou projetar um novo logo para a sua empresa.
O GIMP tem suporte a imagens vetoriais, mas muitos usuários preferem usar programas específicos para este tipo de trabalho.

Existe um pacote de animações chamado GAP (GIMP Animation Package, que permite realizar edição de vídeo e uma série de ferramentas que ajudam a trabalhar com pequenas animações.
Novamente, há outras opções de softwares livres e gratuitos que podem fazer isto melhor.

A seguinte lista de funções foi copiada do manual do GIMP:

  • Um conjunto completo de ferramentas de pintura, incluindo pincéis, um lápis, um aerógrafo, clonagem, etc.
  • Gerenciamento de memória baseado em pedaços da imagem (tiles), assim o tamanho da imagem é limitado apenas pelo espaço disponível em disco
  • Amostragem de sub-pixel para todas as ferramentas de pintura, obtendo uma alta qualidade de anti-serrilhamento
  • Suporte total a canal Alfa para trabalhar com transparência
  • Camadas e canais
  • Um banco de dados procedural para chamar funções internas do GIMP a partir de programas externos, como Script-Fu ou Python-fu
  • Pode ser automatizado de forma avançada por scripts e plug-ins
  • Múltiplos níveis de desfazer/refazer (limitado apenas pelo espaço em disco)
  • Ferramentas de transformação incluindo rotacionar, redimensionar, inclinar e espelhar
  • Suporte para uma ampla gama de formatos, incluindo GIF, JPEG, PNG, XPM, TIFF, TGA, MPEG, PS, PDF, PCX, BMP e muitos outros (incluindo imagens RAW!)
  • Ferramentas de seleção, incluindo retângulo, elipse, livre, fuzzy, bezier e tesouras inteligentes
  • Plug-ins que permitem a fácil adição de novos formatos de arquivo e novos filtros de efeitos.

Tudo isto e muito mais faz do GIMP uma excelente escolha para usuários iniciantes e profissionais gráficos — desde que consigam se desvencilhar do apelo comercial de outros produtos.

Referências

Página oficial do GIMP: https://www.gimp.org/.

Página de downloads do GIMP: https://www.gimp.org/downloads/.

Manual online do GIMP em português: https://docs.gimp.org/2.8/pt_BR/introduction.html#introduction-features.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.