Como comprar o Linux

Uma das melhores formas de ajudar um projeto é comprar seus produtos.
Mas o Linux não é apenas um simples projeto e, ainda assim, se divide em múltiplas distribuições — o que concorre para dificultar esta tarefa, tão trivial.

Você pode ajudar um projeto de software livre ou de código aberto de inúmeras maneiras, inclusive doando dinheiro voluntariamente e sem esperar receber algo em troca — além do ótimo trabalho de seus desenvolvedores.

Neste post, vamos tratar de como comprar, pagar, pela aquisição e uso da sua distro favorita, de uma maneira similar ao que os usuários de outros sistemas operacionais (como o Windows e o Mac) costumam (ou deveriam) fazer.

Existe uma fundação, chamada Linux.com, responsável por boa parte do direcionamento do software, bem como, angariar fundos empresariais para sustentar o seu desenvolvimento.
Mas a Linux.com não vende Linux, empacotado em um CD/DVD/Blu-Ray…

Aonde eu posso, então, pagar pelo que recebi?!?

Algumas pessoas se sentem confusas, pois o modelo de negócios envolvendo o software livre é baseado em fornecer serviços e não produtos físicos, propriamente.

Me acompanhe. Vamos conhecer algumas opções!

Compre um PC ou laptop com o Linux pré-instalado

No Brasil, a Dell é a empresa mais conhecida por vender equipamentos com o Ubuntu instalado.
Parte do valor pago (discriminado na nota fiscal) é referente ao sistema operacional e é direcionado à Canonical.
Neste caso, você está pagando pelo serviço de instalação e desenvolvimento de drivers específicos para o seu modelo de computador.
Leia mais sobre o Ubuntu Canonical/Dell.
Nos EUA e em outras partes do mundo, é possível adquirir máquinas Dell com o Linux instalado, a partir do projeto Sputnik (da Dell).

Como pagar pelo Ubuntu

Você não precisa de uma empresa intermediária para pagar pelo Ubuntu.
Quem usa o sistema e gosta dele, pode contribuir e devolver à Canonical um pouco de tudo o que ela já ofereceu, direto no site.
Embora você possa sempre baixar a sua distro gratuitamente, a empresa costuma sugerir que você faça um pagamento, livremente e no valor que você acredita ser justo ou que consiga pagar.
Logo após fazer a sua opção de download, na página oficial da Canonical, a empresa o redireciona a uma segunda página (em inglês) em que tem diversas sugestões de valores de pagamento:

https://www.ubuntu.com/download/desktop/contribute?version=16.04.3&architecture=amd64

Na ordem, você mesmo estabelece um valor (em dólar) para cada um dos seguintes itens. O valor é dado pela importância do item proposto para o usuário:

  • Ubuntu Desktop — por fazer o ambiente de trabalho ainda mais incrível.
  • Ubuntu for cloud computing — para quem pretende usar o Ubuntu para executar aplicativos de nuvem, tanto no lado do servidor como no lado do cliente.
  • Ubuntu para as coisas — para quem deseja, predominantemente, obter um ambiente (Internet das Coisas) fácil de fazer atualizações.
  • Community projects — para quem dá especial importância a projetos da comunidade Ubuntu, como o LoCo teams e os UbuCons (entre outros eventos).
  • Gorjeta para a Canonical — para quem deseja demonstrar que aprecia o trabalho de tornar o Ubuntu possível.


Quem não quiser doar neste momento, pode clicar no texto “Not now, take me to the download >” e prosseguir.
Se quiser voltar a esta tela futuramente, basta clicar no link, ali em cima.
O botão verde permite fazer o pagamento pelo PayPal.

A Canonical também oferece planos de serviços… mas não é a mesma coisa.

Compre mídias físicas na Internet

Eu entendo que o modelo de pagamento da Canonical, descrito acima, se assemelha muito ao ato de fazer uma doação.
Ele não estabelece uma relação clara entre pagar e receber algo em troca.
Mas existem lojas, na Internet que propõem que se compre mídias físicas, com a distro favorita instalada.
Parte da renda é revertida para o projeto originário da distribuição que você escolheu.
Ou seja, dá para comprar um pendrive (USB stick ou flash drive, em inglês) ou um CD/DVD com uma distribuição GNU/Linux ou UNIX dentro. O fornecedor cobra pelos seguintes itens:

  1. pelo trabalho de gravar a mídia
  2. pela mídia e pelo trabalho de embalar e enviar (o que inclui o frete, claro)
  3. e uma margem justa de lucro

Além disto, promete doar parte de sua renda ao projeto que você escolheu.
Assim, é possível comprar uma mídia com o Debian e conseguir que parte do valor pago seja revertido para a comunidade que trabalha na distro.
Um destes sites é o OSDisc.com.

A lojinha online da OSDisc disponibiliza dezenas de distribuições Linux e UNIX (BSD e Solaris), que podem vir gravadas em CDs, DVDs ou em drives flash USB (vulgo, pendrives).

Os pagamentos podem ser feitos com cartão de crédito ou pelo PayPal.
A entrega é feita pelos correios e pode demorar um pouco (mas chega!). A gente adora culpar os Correios, mas até aonde pude perceber, os objetos ficam retidos por um tempo excessivo na alfândega.
Neste caso, portanto, a culpa não é dos “amarelinhos”.

É possível também adquirir livros (em inglês) no mesmo site e sob a mesma promessa de doação de parte da renda para o projeto tema do livro.
Desta forma, é possível comprar um livro sobre o Blender ou sobre o Gimp e ajudar seus desenvolvedores.

Eu sugiro optar pela compra de drives USB — que sempre poderão ser usados para armazenar dados, quando não servirem mais para instalar sua distro favorita.

Os pendrives são em metal, com tamanho discreto e bonitos (veja as fotos).


Outros sites que vendem Linux em CD/DVD e USB flash drives, são a:

  • Amazon — desconheço se a empresa repassa valores das vendas a projetos de software livre.
  • Red Hat — a empresa tem sua loja online que permite adquirir algumas versões de seus softwares — para download —.
    Não se trata de compra de uma mídia física, mas da contratação de um serviço da empresa Red Hat para a sua empresa.

Você conhece outros sites de venda de CDs/DVDs/Blu-Rays e/ou pendrives com o Linux pré-instalado? Conte para a gente!

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

2 comentários sobre “Como comprar o Linux”

    1. Software Livre (ou de código aberto) não significa que seja gratuito.
      As pessoas podem e devem cobrar valores justos pelo seu trabalho.
      No caso do osdisc.com são cobrados a mídia e o trabalho de gravar o sistema operacional dentro dela.
      Pagar pelo software livre é voluntário — mas é um ótima forma de ajudar os desenvolvedores a se dedicar mais tempo a fazer um trabalho que é útil para a gente. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *