Categorias
Análises Linux

Qual o melhor sistema de arquivos para usar dentro de uma máquina virtual

Dentre os vários sistemas de arquivos para máquinas Linux, qual é o mais adequado para usar no sistema de armazenamento interno de uma máquina virtual?
Em análise, o ext4, o BTRFS e o ZFS.

Dentro de uma máquina virtual, você provavelmente terá um ou mais discos virtuais. Cada qual, com uma ou mais partições.
Quanto mais for otimizado uso dos recursos de hardware/software, melhor será o desempenho do trabalho e das tarefas executadas dentro das VMs, lógico.
Este assunto pode suscitar várias dúvidas — por isto sugiro, dar uma olhada na tag #sistema-de-arquivos, deste blog — onde você poderá encontrar artigos complementares.

É um tema muito vasto e eu não sou o dono da verdade — por isso, sinta-se à vontade para comentar sobre a sua experiência no assunto.

Neste post, vou discutir especificamente qual o mais recomendado para formatar os discos rígidos (ou SSD) virtuais usados em máquinas virtuais (ou VMs).
No contexto deste artigo, uso algumas máquinas virtuais Debian 9 “Stretch” testing. O drive físico, em que se encontram instaladas, é um HDD (disco rígido).


Se você está com pressa e usa Linux, a resposta rápida (e mais segura), para a pergunta do título, é: formate com o ext4! 😉
Caso você tenha 2 ou 3 minutos (a depender da velocidade com que você consegue ler), posso explicar melhor as vantagens e desvantagens do ext4 e de outros sistemas de arquivos — e isto pode levar a outras respostas…

Em que casos o ext4 é perfeito para formatar um HD dentro de uma máquina virtual

O ext4 está para ser substituído, no universo GNU/Linux, há um bom tempo.
Este processo está em curso há mais ou menos uma década e pode levar outra para ser concluído. Sistema de arquivos é uma coisa séria e precisa de muitos testes para se provar confiável, seguro, eficiente.
O ext4 ou fourth extended filesystem (quarto sistema de arquivos extendido) teve sua primeira versão estável lançada em Outubro de 2008 — o que lhe dá, aproximadamente, 10 anos de estrada.

É o mais jovem (e, possivelmente, último) de uma linhagem, iniciada em 1992, com o ext — criado pelo desenvolvedor Francês, Rémy Card.

Este fato eleva o tempo de experiência do sistema, como um todo, para aproximadamente 25 anos.
Por isto é que o ext4 satisfaz as condições de segurança e eficiência.
Ele incorpora, inclusive, recursos modernos e avançados para manipular dados eficientemente em unidades SSD.

Se você tem dúvidas e precisa decidir rapidamente, opte pelo ext4.

virtualbox snapshot list
A falta de suporte nativo a snapshots no ext4, dentro do contexto de uma máquina virtual, pode ser um ponto a favor: por que o torna mais leve.
Para quem pretende rodar máquinas virtuais dentro do Virtual Box ou qemu, por exemplo, o suporte já está incluído no programa — o que o torna dispensável dentro do sistema de arquivos hóspede.

Outro argumento a favor do ext4: se o host (máquina hospedeira), já usa um sistema de arquivos com suporte a snapshots (como o BTRFS ou o ZFS), não há necessidade para a redundância.

O que os outros sistemas de arquivos oferecem a mais

Testar outras opções é sempre o melhor caminho para descobrir o que se adequa às suas necessidades.
Se as VMs estão em um host com SSDs, certamente é mais benéfico usar um sistema de arquivos construído do zero para este tipo de tecnologia.
Os sistemas de arquivo BTRFS e ZFS podem oferecer melhor performance dentro das seguintes situações, entre outras:

  • As VMs estão em um host equipado exclusivamente com SSDs.
  • Por alguma razão, você necessita do suporte a snapshots dentro do sistema de arquivos hóspede.
  • Os sistemas de armazenamento dos hóspedes são realmente grandes, você pretende usar RAID, pools etc.

Referências

Por Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia.
Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman".
Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.