Conheça estes 7 motivos para abandonar o comando grep e passar a usar o ack.

Tecnicamente, o ack foi projetado como ferramenta de busca dentro de arquivos texto — tendo como público-alvo os programadores.
Entre estes, o utilitário é mais eficiente do que o comando grep.
Neste texto, vou mostrar algumas vantagens de uso do ack e como instalar a ferramenta no Linux (caso ela já não esteja instalada aí).
Entre as vantagens de usar o ack — para fazer pesquisa dentro do código fonte — a documentação oficial cita:

  1. É rápido — por que se restringe a strings que “façam sentido” retornar. As expressões regulares em Perl tem alto índice de otimização.
  2. É portável — por ser escrito em Perl e não ter outras dependências além do Perl 5, pode rodar no Windows, MAC, UNIX e nos vários sabores do BSD e do Linux.
  3. Ignora automaticamente diretórios irrelevantes para a sua busca — a recursividade é seu comportamento padrão, mas ele ignora arquivos .git, .svn e diretórios CVS e VCS. Lógico que você pode mudar isto manualmente.
    Como exemplo da praticidade, a documentação compara os dois comandos de busca, a seguir, que tem resultados semelhantes:

    grep pattern $(find . -type f | grep -v '\.git')
    

    ou

    ack pattern
    

    Qual você prefere?

  4. Melhores resultados — como ele prioriza arquivos de código fonte, você obtém menos resultados irrelevantes. Ele pula até arquivos de backup.
  5. Separa fácil os arquivos — para quem tem um projeto envolvendo mais de uma linguagem de programação (muito comum entre web developers).
    É fácil adicionar –python, para restringir as buscas dentro de arquivos da linguagem Python, ou –nohtml evitar arquivos HTML.

    O ack tem detecção de tipos de arquivos, muito além da leitura da extensão do nome.

    Veja outra comparação entre comandos grep e ack, para realizar buscas dentro de arquivos Perl:

    grep pattern $(find . -name '*.pl' -or -name '*.pm' -or -name '*.pod' | grep -v .git)
    
    ack --perl pattern 
    

    Novamente, qual dos dois comandos, acima, você prefere usar?
    Note que o sucesso do grep, no primeiro exemplo, depende do uso do comando find (leia mais sobre ele aqui). O ack é visivelmente mais eficiente, neste caso.

  6. Listas de arquivos — podem ser criadas, antes mesmo de qualquer busca.
    Esta utilidade vai agradar até quem não é programador. Com o comando, abaixo, o ack relaciona todos os arquivos da linguagem PHP, em um diretório, recursivamente:

    ack -f --php
    

    Você gastaria um pouco mais de seus dedos para realizar esta tarefa com o find…

  7. O ack tem highlighting, que permite realçar palavras-chave nos resultados das buscas.

linux terminal ack command
Por fim, A palavra “ack” é menor do que “grep”, o que te poupa alguns preciosos milésimos de segundos na digitação a cada vez que precisar realizar uma busca.

Como instalar o ack no sistema

O ack está disponível nos repositórios das principais distribuições (se não todas) Linux e UNIX (BSD).
Infelizmente, no momento em que escrevo este texto, ele ainda não faz parte do conjunto de programas utilitários padrão, que já “estão lá”, logo após a instalação.
Contudo, ele é super fácil de instalar.
Quem usa o Debian, pode usar o apt, para fazer o trabalho:

sudo apt update
sudo apt install ack

No Ubuntu 16.04 LTS, o nome do pacote (transitório) é ack-grep. Nas futuras atualizações ele deve ser renomeado para apenas “ack”.
O pessoal do Fedora, pode instalar com o dnf:

sudo dnf install ack

No FreeBSD, use os ports e instale o pacote p5-ack.
Leia outros textos sobre o assunto, tocando ou clicando na tag ack, para conhecer melhor a ferramenta.
Além disto, não esqueça de compartilhar o texto nas redes sociais. 😉

Referências

https://beyondgrep.com/.
http://www.activestate.com/blog/2016/12/grep-losing-its-grip.

Conteúdo relacionado pelo Google

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), desenvolvedor web e geek, nos mais diversos assuntos. Entusiasta de software livre e hacker de LEGO, acredito em repassar meu conhecimento e ajudar as pessoas sempre que for possível.

Por favor, leia nossa Política de Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *