Use o Jack para ripar e fazer backup dos seus CDs de música

Cada vez menos usamos CDs de música. Arquivos de áudio digital em pendrives ou cartões de memória, permitem levar uma quantidade maior de músicas para ouvir, praticamente, a qualquer lugar.
Legalmente, você não é obrigado a comprar de novo suas músicas em mp3. Tem o direito de copiar mídias, adquiridas por meios legais, para dentro de arquivos, que você possa usar em outros lugares — o que inclui o sistema de som do carro (que, cada vez menos, têm entrada para CD).
O Jack é um programa para transformar CDs de áudio em arquivos MP3 — ou FLAC, OGG, WAV etc.
Se você pretende ouvir seus arquivos de áudio em smartphones Android, saiba que a maioria dos players desta plataforma suportam os formatos FLAC (com melhor qualidade) e OGG (com melhor compressão).
Recomendo usar o FLAC. Se você precisa de argumentos para isto, leia este artigo.
O Jack, como muitos outros programas nesta categoria, vasculha os bancos de dados online do CDDB (Compact Disc DataBase), para obter informações sobre o CD que você introduziu no drive.
A partir das informações obtidas no CDDB, ele automaticamente nomeia os arquivos e acrescenta as tags correspondentes.
Jack, the ripper.
Em outro artigo, falei do aplicativo Ripit — que também faz o mesmo trabalho.
O Ripit pode ser mais versátil, sob certos aspectos. Além disto, permite converter as faixas de um CD em uma grande gama de formatos de arquivos, quase simultaneamente.
Talvez seja mais recomendado usar o Ripit, se a quantidade de mídias a converter for maior do que 10 e se você tiver a intenção de obter seus arquivos de música em mais de um formato digital de reprodução.
Se quiser ler mais sobre o Ripit, clique aqui.
A interface do Jack, contudo é mais bonita e permite uma visualização mais organizada das atividades de conversão — mesmo sendo uma interface em modo texto.

Como instalar o Jack

Se você usa uma distribuição Linux baseada no Debian, como o Ubuntu, Linux Mint etc. deve estar familiarizado com os frontends de gestão de pacotes apt, aptitude e apt-get. No meu exemplo, a seguir, vou usar o apt:

sudo apt install jack

Como usar o Jack

Jack, the ripper — how to rip my audio CDs
O Jack é leve e rápido para fazer seu trabalho. Não pesa no sistema e, mesmo rodando sobre um hardware bem modesto, você pode ir fazer outras coisas enquanto o Jack ripa seus CDs de música.
Para rodar o programa, basta digitar jack na janela do terminal e pressionar Enter.
Os novos arquivos (sejam .mp3, .flac, .ogg etc.) ficarão armazenados no diretório atual.
Se estiver com pressa de colocá-los no seu pendrive, basta mudar o diretório atual para lá — de forma que eles já sejam criados aonde você os quer. O que te poupa o trabalho de copiá-los depois.
Dentro da janela de execução do Jack, é possível usar o teclado para interagir com o programa (mas não muito).
É na linha de comando que a “mágica” é decidida.
Veja um exemplo:

jack --quality 10 --query-now --bitrate 320 --encoder-name lame

Veja o significado de cada parâmetro:

  • --quality — escolha um valor de 0 a 10 para definir a qualidade da conversão.
    0 é a menor qualidade possível, que resulta em uma melhor compressão e em arquivos menores.
    Se você não tem problemas com escassez de espaço para armazenar seus arquivos de áudio, opte pela qualidade máxima (10).
  • --query-now — faz com que o aplicativo pergunte antes de iniciar sobre os dados do CD a ser ripado. Se esta opção for suprimida, o padrão é inquirir o usuário ao final do processo.
  • --bitrate — a taxa de bits de dados também influencia a qualidade do áudio final.
    Se você não quiser usar este parâmetro, o Jack irá usar o padrão 160 kbps ou DAB — Digital Audio Broadcasting, que tem ótima qualidade.
  • --encoder-name — informe aqui o codificador desejado:
    1. lame, para obter arquivos finais em mp3;
    2. flac, para obter arquivos finais em .flac;
    3. oggenc (padrão), para obter arquivos finais em .ogg;

    Os arquivos .wav já são sempre criados e apagados. Para evitar que sejam removidos, ao final da operação, acrescente a opção ‘–keep-wavs’ à linha de comando.

Jack, the files list
Além dos encoders, citados acima, é possível usar também oggenc (padrão), gogo, bladeenc, l3enc, mp3enc e xing.
Apenas certifique-se de que estejam instalados, para poder usar.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

2 comentários sobre “Use o Jack para ripar e fazer backup dos seus CDs de música”

  1. Cara! É uma pena não ter um comentário aqui. Não sei se você vai ler, mas vou deixar meu “testemunho”..rsrsrs.
    Há anos, vinha ripando meus CDs (uns 60), para um HD. Não tinha backup, perdi tudo!
    Recentemente criei um Media Server com (OpenMediaVault(Debian)+Plex Server) e me animei a ripar novamente.
    Mas, fazer tudo no notebook para depois levar para o Media Server, seria um teste de paciência.
    Eis que encontro sua solução extremamente oportuna! Agora, posso colocar os CDs direto no Media Server, executar o comando e sair pra tomar um café. Quando a conversão termina, o Plex Server já procura as informações e cataloga, poster do artista, capa do CD e disponibiliza tudo para ser acessado pela web, aplicativo para Android e IOS e até na SmartTV.

    Muito obrigado!

    Frases famosas:

    “…acredito em repassar meu conhecimento e ajudar as pessoas sempre que for possível…”

    Elias Praciano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *