Aprenda a ser um líder melhor com Kim Jong Un.

Há várias maneiras de aprender a ser uma pessoa melhor. Observar e analisar bons exemplos é uma delas.
Por outro lado, observar e analisar erros e fracassos também traz uma valiosa contribuição para a nossa formação como líder.
Muito se fala da Coreia do Norte e de seu governante que, aparentemente, se autoproclama “líder supremo” da nação.
kim-korea_2528975b
Eu não vou entrar no mérito da veracidade do que se diz sobre aquele país ou aquela cultura. Neste artigo, me baseio no que todos lemos ou ouvimos dizer nos veículos da mídia tradicional.
Recentemente, divulgou-se na grande mídia que o líder Kim Jong Un havia decretado que todos os homens deveriam usar cortes de cabelo “padronizados” de acordo com o dele.
O “fato” foi divulgado pela BBC, Reuters e vários outros grandes veículos.
As fotos recentes do staff, ao redor do líder, e relatos de turistas, contudo desmentiam cabalmente esta afirmação.

Clique para ampliar as imagens.
Clique para ampliar as imagens.

Das críticas e alegações que se faz de Kim Jong Un eu vou tentar extrair algumas lições do que não fazer quando se está no papel de liderança ou de chefia.
Ao observar, com cuidado, algumas características questionáveis de expoentes lideranças mundiais, podemos entender melhor por que certas atitudes não funcionam e como elas afetam as pessoas ao nosso redor.

Não aniquile cruelmente os seus adversários

Em Maio de 2015, o General e Ministro da Defesa da Coréia do Norte foi executado com o uso de armas de artilharia antiaérea na frente de centenas de expectadores.
O objetivo do “espetáculo” teria sido demonstrar força e intolerância a gestos mínimos de desrespeito.

A verdadeira e concreta liderança não precisa temer o contraditório.

Quem trabalhou duro para inspirar a confiança e a lealdade das pessoas, não precisa temer vozes dissonantes da sua.
Pessoas fracas, em posição de chefia, pelo contrário, enxergam em qualquer discussão uma ameaça à hierarquia e acabam por tomar medidas excessivas para “deixar claro quem é o chefe”.
Kim, se equivoca terrivelmente ao demonstrar força abusiva, como forma de mostrar que é forte e que isto irá ensinar “uma lição” às pessoas ao redor.
Na realidade, esta atitude demonstra fraqueza e medo.
Claro que muitos, entre os que observarem a barbárie, entrarão na linha. Mas só farão isso enquanto for absolutamente necessário — uma vez que entendem que seu líder tem um caráter pobre, não tem autocontrole e tampouco autoconfiança.

Toda vez que o chefe praticar abusos verbais contra alguém da sua equipe, perder a esportiva e usar punições desproporcionalmente duras, as pessoas vão olhar para a porta, procurando uma forma de sair daquele ambiente.

A sua equipe não está lá para servir seus caprichos

Uma das características de líderes genuínos é que sabem que estão nesta posição para servir seu povo ou sua equipe.
Os “líderes supremos” pensam exatamente o contrário disto.
O "líder supremo" Kim Jong Un está sentado no centro.
Em Abril de 2015, foi noticiado que Kim reativara o “esquadrão do prazer”, uma tradição daquele país que consiste em recrutar e colocar à disposição do líder, mulheres jovens para serem amantes, concubinas etc.
Nós temos leis que previnem tal comportamento no ambiente de trabalho.
Ainda assim, convém ressaltar o quanto é desmotivador e indignificante saber que se está sendo pago para estar a serviço do líder.
A verdadeira liderança entende que sua posição traz responsabilidades adicionais em relação às pessoas que os seguem.
Mais do que isto, dentro de uma empresa ou instituição, este líder inspira, através do seu próprio exemplo, sua equipe de trabalho a servir melhor seus clientes.

O líder genuíno está 100% comprometido a motivar e ajudar seu time a superar seus objetivos.

Ouça, entenda e respeite os interesses dos seus aliados

A China é o maior aliado da Coreia do Norte e tem grande interesse na estabilização da região.
Contudo, as constantes demonstrações de força militar proporcionadas pelo “líder supremo”, além das hostilidades ao país vizinho, prejudicam a estabilidade na península da Coreia, os interesses comerciais e geopolíticos do aliado chinês.
Xi Jinping (à esquerda) e Kim Jong Un
Grandes lideranças sabem que dependem de seus aliados (se não hoje, amanhã).
Cultivar boas relações implica em tratar aliados com a devida importância e considerar o impacto de suas decisões nos negócios de seus parceiros.

Líderes que agem por conta própria e não se preocupam com as consequências de suas ações para seus aliados irão descobrir, quando mais precisarem, que estão… por conta própria.

Você não vai encontrar parceiros dispostos a se engajar na sua luta e nos seus projetos, se você não demonstrar ser uma pessoa confiável. Simples assim.

Entenda a diferença entre demonstrar poder e ser poderoso

Algumas demonstrações de poder são fúteis e causam mais transtornos inúteis aos afetados do que trazem benefícios ao mandante.
Em Agosto de 2015, a imprensa noticiou que Kim Jong Un vai alterar o fuso horário do país, adiantando seus relógios em 30 minutos.
Até então, seu fuso horário era o mesmo do japão e da Coreia do Sul.
A alegação, do “líder supremo” é de que o fuso horário anterior havia sido imposto pelo imperialismo japonês, durante a ocupação.
O objetivo é demonstrar que nem ele, nem o país são submissos ao Japão.
Mas, afinal, quem é que estava pensando tal coisa, antes de ele a dizer?! Absolutamente ninguém.
O fato é que verdadeiros líderes sabem que sua autoridade emana do seu próprio trabalho e da necessidade das pessoas ao redor de tê-los a seu serviço.
Sua autoridade não precisa ser exibida.
Se você necessita sair por aí a dar demonstrações de “quem é o chefe”, então você realmente tem um problema.

Conclusão

Torne-se um líder cada vez melhor, investindo na sua inteligência emocional — como caminho para encontrar lições em todo lugar e aprender com as pessoas ao redor.
Podemos aprender muito com as pessoas que admiramos.
Isto é tão verdadeiro quanto o fato de que também há muito a aprender com as lideranças que fracassaram em merecer nosso respeito.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia.
Fã de séries, como “Rick and Morty” e “BoJack Horseman”.
Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *